“Desconheço gabinete paralelo”, diz dra. Nise yamaguchi à CPI

“Desconheço gabinete paralelo”, diz dra. Nise yamaguchi à CPI

Nise também negou ter comentado com o presidente da República sobre a imunidade de rebanho

Em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 nesta terça-feira (1°), a médica oncologista Nise Yamaguchi negou a existência de um “ministério paralelo” ao da Saúde, que supostamente aconselha o presidente Jair Bolsonaro em questões referentes ao enfrentamento da pandemia da Covid-19.

Nise afirmou ser uma “colaboradora eventual” que participava junto com os ministros de Saúde de comissões técnicas, reuniões governamentais e reuniões específicas com setores do Ministério da Saúde.

– Faço questão de trabalhar com as regulamentações, inclusive com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), com o Parlamento; sempre contribuí com todos – afirmou a médica.

Na primeira bateria de perguntas feitas pelo relator Renan Calheiros (MDB-AL), a Dra. Nise foi inquirida sobre sua defesa da “imunidade de rebanho” como um estratégia de enfrentamento da pandemia da Covid-19 no país.

A médica continuou sua defesa do método, mas afirmou que existe uma interpretação errada de que a imunidade seria alcançada com a infecção de pessoas, em vez de por meio da vacinação.

A médica também defendeu que a discussão da imunidade de rebanho era “pertinente” na época, mas que não era possível prever “tantas interfaces tão complexas” da mutações que ocorreram no vírus da Covid-19.

Nise também negou ter comentado com o presidente da República sobre a imunidade de rebanho, afirmando ter tido poucos encontros com o mandatário.

Fonte: Estadão

Faça seu Comentário