Lorenzoni detona Lula e sua “quadrilha”(veja o vídeo)

Lorenzoni detona Lula e sua “quadrilha”(veja o vídeo)

“O povo brasileiro está com Bolsonaro”, diz Onyx

Em entrevista muito importante, principalmente nesse momento do país, Onyx Lorenzoni, Ministro da Secretaria-Geral da Presidência, ressalta a importância das ações do governo federal e relembra sua luta ao lado de Bolsonaro contra as facções políticas criminosas, uma batalha que não é de hoje e guarda muito capítulos.

Sobre o ex-presidiário Lula estar conversando com membros da CPI, Lorenzoni é enfático:

“Cada um se junta com a turma que quer! Deus me livre ter que qualquer tipo de conversa com Lula e sua quadrilha. Pelo contrário, a gente sempre fez um enfrentamento muito duro. Nós tivemos momentos no passado, vou lembrar bem disso… na eleição de 2010, tivemos no parlamento a menor oposição em toda a história, éramos em torno de 80 deputados de oposição, e a gente não desistiu.

Éramos parlamentares que seguíamos firmes enfrentando o PT e seu grupo político, quando muita gente hoje, que fala muita coisa, estava debaixo da cama ou escondida dentro do armário…

A gente estava dando a cara à tapa, e batendo também, guerreando por um Brasil que a gente sempre sonhou. Nosso principal propósito é servir ao Brasil”, ressaltou, em entrevista exclusiva à repórter Berenice Leite, em Brasília.

Sobre o que Lula e as facções políticas fizeram ao país, Lorenzoni contou dos milhões que o Brasil teve que pagar de juros, do dinheiro empenhado pelos governos petistas para financiar ditaduras sanguinárias em outros países. Vale lembrar que esse dinheiro enviado para republiquetas é dos brasileiros que pagam impostos!

“O povo brasileiro está com o presidente Bolsonaro, só 15%, 20% ou 30% dos brasileiros que ainda estão enganados, ou com saudade da roubalheira, tem gente que gostava da roubalheira, a gente não, a gente combateu isso tudo… eles podem imaginar que seria bom ter o Lula de volta. Mas a maioria absoluta da população não quer, e ele não vai voltar, Lula vai sofrer a maior derrota da vida dele!”, frisou.

Onyx Lorenzoni e Jair Bolsonaro juntos na luta contra a extrema esquerda

Onyx Lorenzoni e Jair Bolsonaro são amigos de longa data, e estiveram juntos em vários momentos de suas carreiras políticas. O presidente chegou a afirmar que Lorenzoni foi o primeiro parlamentar que, lá atrás, acreditou ele poderia ganhar as eleições e fazer um bom mandato.

“Nós convivemos muito em 2005, quando teve o Estatuto do Desarmamento, nós coordenamos algumas áreas do Brasil, éramos poucos na Câmara que defendiam o direito à legítima defesa. Nossa caminhada vem de longo tempo, pela identidade de propostas, ideias, parcerias, na luta contra o que a esquerda tentou transformar o Brasil, e a gente conseguiu.

No impeachment da Dilma, conseguimos impedir a continuidade, para o bem de nosso país. Vivemos o sonho em 2017, 2018 conseguimos a vitória, de lá para cá, seguimos trabalhando com ele, nas diversas posições que o capitão me escalou”, brincou o ministro.

A retomada econômica do Brasil não começou agora

Sobre a retomada econômica do país, Lorenzoni creditou às medidas que foram tomadas ainda em 2019, como a redução da estrutura organizacional do estado; a reforma da Previdência; a redução da dívida em R$ 80 bilhões, um feito histórico; além da digitalização dos serviços; os ‘revogaços’, para simplificar a burocracia; a Lei de Liberdade Econômica, entre outras iniciativas.

“Aí vem a pandemia, pega o mundo na contramão, e o presidente Bolsonaro foi o primeiro a dizer que é preciso ter equilíbrio entre cuidar da vida, e não faltaram recursos para isso, e deu o alerta, dizendo que fome, miséria e desemprego matam mais do que doença”, lembrou.

O ministro comentou ainda sobre a importância do voto imprenso auditável:

“O eleitor tem que ter a segurança de que sua vontade será cumprida. O sistema eleitoral brasileiro é ágil, é rápido, mas tem vários pontos de interrogação. Numa democracia, ninguém pode ser contra ter auditoria do voto, só se estiver com más intenções”, apontou.

Confira:

Fonte: JCO

Faça seu Comentário