Polícia realiza Operação para combater invasão de terras em Rondônia

Polícia realiza Operação para combater invasão de terras em Rondônia

De acordo com a polícia, ação tem como objetivo investigar integrantes que comercializavam armas e munições como fuzis, escopetas, pistolas para abastecer a organização criminosa.

Centenas de munições foram apreendidas pelos agentes em Rondônia — Foto: PC-RO/Reprodução
Centenas de munições foram apreendidas

Uma ação da 2ª Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (DRACO2) apreendeu armas e centenas de munições, nesta segunda-feira (23), em Rondônia. A operação Canaã (nomeada Paiol) teve o objetivo de combater invasões de terras e crimes ambientais.

Segundo a Polícia Civil, os agentes cumpriram 14 mandados de prisão preventiva, um mandado de prisão domiciliar e 12 mandados de busca e apreensão. As ordens judiciais foram cumpridas em Porto Velho, Ji-Paraná, Seringueiras, São Miguel do Guaporé e Cacoal.

Durante a investigação, os policiais descobriram que o grupo criminosos primeiro mapeava o local que seria o alvo da invasão e, usando armamento de alto calibre, invadia a propriedade.

“A terra então era repartida e vendida aos camponeses e investidores mediante pagamento pecuniário, veículos e armas, sem contar que há promessa de legalização da posse após a tomada da terra”, diz a DRACO2.

Propriedades de São Francisco do Guaporé, Machadinho d’Oeste, Porto Velho e Áreas de Proteção Ambiental eram os alvos principais dos suspeitos.

Nessa fase da operação, o objetivo foi investigar integrantes que comercializavam armas e munições como fuzis, escopetas, pistolas, carabinas e submetralhadoras para abastecer a organização criminosa.

“O armamento era disponibilizado ao braço armado da organização, que utilizava tanto para invadir as propriedades quanto para, após a invasão, garantir a posse mediante violência e evitar a reintegração dos possuidores ou poder público”, divulgou a Civil.

Segundo a polícia, a operação contou com apoio do Departamento de Estratégia e Inteligência, Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), Delegacia Especializada em Repressão a Furtos e Roubos, Polícia Federal e 17ª BIS, além de unidades da Polícia Judiciária do interior inseridas nas Regionais de Cacoal, Ji-paraná e São Miguel do Guaporé.

Fonte: Assessoria

Faça seu Comentário