A manobra da oposição falhou…

A manobra da oposição falhou…

Todos às ruas no dia 7 de setembro

Quando o desespero bate a porta, o tiro no pé passa de carabina a metralhadora. Os governadores pensaram que ao anunciar uma resistência dos policiais militares de cada estado, poderiam conter os ânimos, e assustar os Bolsonaristas.

Porém, quando a polícia deixou entender que não aceitaria ordens ilegais, o chão da oposição caiu de vez.

Agora com a negativa de uma resistência, caso a população no geral queira se manifestar, os governadores perceberam que os policiais, apenas por contestar o anúncio dos governadores, aumentaram a pressão sobre os inimigos do presidente.

Eles não vão apenas não resistir, mas até apoiar as reivindicações em todo o Brasil.

Vendo que essa manobra falhou, o plano B dos inimigos da nação agora, é soltar o relatório da CPI próximo ao dia três, para minar com um grande apoio da mídia tradicional, a aderência as pautas bolsonaristas.

O relatório viria acompanhado de manifestos de dezenas de entidades aparelhadas de indicados políticos de antigos governos corruptos.

Essa movimentação já está em andamento, e espera deter o avanço da onda que passou dos apoiadores, e começa a encaixar os isentões que começaram a acordar.

Inclusive já cogitam um plano C caso ocorra uma ruptura real, pedindo dissolução do Supremo (aproveitando a discussão) por acreditar que no futuro, a maioria das indicações passasse a ser constituída de mais membros conservadores.

As discussões sobre semi-presidencialismo também já começam a aflorar nos debates, e vista como uma porta dos fundos para velhos caciques políticos, caso o resto da casa seja arrumada no bonde.

O presidente, antevendo esses movimentos, deve pedir o impeachment de Barroso, também próximo ao dia três, incendiando a base verde amarela. Os Senadores podem adiantar alguma movimentação de apoio ao governo antes dessa data, e mostrar que estão preparados para desembarcar do lado perdedor antes que ele afunde.

Nos bastidores, o silêncio de Gilmar Mendes nas ponderações privadas, dão o indicador que nada está resolvido, e a verdade é que os Senadores estão se cagando com as possibilidades.

Com o aviso do presidente sobre a fotografia para o mundo, teremos divulgação em várias mídias internacionais. Nesse momento, podemos estar construindo um dos momentos mais importantes da história do país.

E por isso, sua presença é tão importante.

Dia sete, todos as ruas.

Por Victor Vonn Serran

Faça seu Comentário