Nas redes sociais, Bolsonaro ironiza manifestações contra o governo

Nas redes sociais, Bolsonaro ironiza manifestações contra o governo

Presidente desejou ‘muita paz’ e filho Carlos mencionou ‘ato democrático’ ao postar foto com boneco incendiado em protesto

O presidente da República, Jair Bolsonaro, e o filho “02”, o vereador carioca Carlos Bolsonaro (Republicanos), foram às redes sociais neste domingo (3) para ironizar as manifestações contrárias ao governo, ocorridas nesse sábado (2). Os dois utilizaram o Twitter para criticar a postura dos que aderiram ao protesto por atearem fogo a um boneco com o rosto do chefe do Executivo nacional.

“Bom dia a todos. Muita paz e alegria nesse domingo”, disse o presidente. Carlos foi além e questionou a postura dos manifestantes da “terceira via” e da esquerda em mais um ato “democrático”.

“Amig(x)s do mais amor por favor, do setembro amarelo e do ‘fique em casa que a economia a gente vê depois’. Imagine o que aconteceria se chegassem perto de fazer o mesmo com fulanos e bruxas…”, postou o vereador do Rio de Janeiro.

Manifestantes foram às ruas em diversas cidades do Brasil para protestar contra o presidente Bolsonaro. O grupo pede o impeachment do chefe do Executivo e critica a política econômica do governo.

Em Brasília, os participantes se concentraram em frente ao Museu da República e marcharam em direção ao Congresso Nacional, na Esplanada dos Ministérios. Três grupos opositores realizaram cadastro para os protestos.

A Articulação Povo na Rua, a Frente Brasil Popular e a Frente Povo sem Medo solicitaram segurança para a manifestação, que foi acompanhada pelo Centro Integrado de Operações de Brasília (Ciob).

Em São Paulo, os manifestantes ocuparam a avenida Paulista. O ato trouxe críticas à política econômica, em especial no que diz respeito ao preço dos combustíveis e dos alimentos, e à condução do combate à pandemia de Covid-19. O grupo também defendeu a liberdade e a democracia.

O protesto na capital paulista reuniu partidos de oposição e movimentos sociais. Ao todo, 30 entidades atuaram na organização do evento. Apesar da predominância da cor vermelha em faixas e cartazes, muitas pessoas foram às ruas levando a bandeira do Brasil.

Os atos organizados por movimentos da sociedade civil, entidades sindicais e partidos políticos ocorreram também no Rio de Janeiro, Salvador, Fortaleza, Belém, Boa Vista, Maceió e Goiânia.

Fonte: R7

Faça seu Comentário