Deputado menciona abandono da SESAU e hospital de Cacoal

Deputado menciona abandono da SESAU e hospital de Cacoal

Nas redes sociais, Máximo é conhecido como o fera e o belo

O deputado estadual Alan Queiroz (PSDB – Porto Velho), repudiou a bagunça que o Secretário da SESAU, Fernando Máximo, vem fazendo a frente da pasta. A ingerência de Máximo vem incomodando esquerda e direita na assembleia legislativa. De acordo com Alan Queiroz, o congelamento dos processos de emendas parlamentares, é falta gravíssima da gestão pública atual. Portanto, o sistema público de saúde está entrando em um colapso sem precedentes e os parlamentares devem convocar em breve o marqueteiro digital Fernando Máximo, que vive nas redes sociais postando suas atividades como membro efetivo do Governador do Estado de Rondônia Coronel Marcos Rocha, para dar explicações.  Nas redes sociais, Máximo é conhecido como o fera e o belo. Entretanto, isso tudo não passa de disparos em massa de inverdades e impropérios sobre sua gestão.

Na sessão ordinária desta terça-feira (5), o deputado estadual do PSDB, mencionou as denúncias referentes ao Hospital Regional de Cacoal (RO). Alan Queiroz leu a mensagem de texto que recebeu em seu celular e declarou que falta médico, enfermeiros, técnicos em enfermagem e até maqueiros para oferecer condições básica de serviço a unidade hospitalar de Cacoal. Segundo Queiroz, o sistema público de saúde de Rondônia entrou em colapso e o governador deve tomar providências imediatamente desta grave realidade.

Esse comportamento desprezível do secretário Fernando Máximo com a administração pública vem gerando efeito negativo nas repartições hospitalares de Rondônia. As ofensivas relacionada a péssima gestão de Fernando Máximo em outrora no parlamento estadual sofreu séria advertência do vice-presidente da Casa de Leis de Rondônia, Jean Oliveira (MDB), que propôs a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre o “Rombo na Saúde”. Contudo, até o momento Máximo vem recebendo só ameaças e pouca fiscalização por parte do parlamento e dos órgãos de controle do Estado.

Confira:

da Redação com agencia mapping

Faça seu Comentário