Sessão do Conselho de Segurança da ONU sobre a Ucrânia é ‘diplomacia de megafone’, afirma Rússia

“Isso é não só uma intromissão inaceitável nos assuntos internos do nosso país”

Os EUA convocaram uma sessão do Conselho de Segurança das Nações Unidas com o objetivo de “promover a histeria” em torno das afirmações sobre a suposta preparação de uma invasão da Ucrânia pela Rússia, diz Moscou.

A sessão de segunda-feira (31) do Conselho de Segurança da ONU sobre a Ucrânia, que aconteceu a pedido dos EUA, é um exemplo de diplomacia de megafone e promoção da histeria, segundo Vasily Nebenzya, representante permanente da Rússia nas Nações Unidas, antes de seu começo.

Na opinião de Nebenzya, a sugestão dos EUA de realizar tal sessão indica que eles consideram o deslocamento de militares russos dentro das fronteiras da Rússia uma ameaça à paz e segurança mundiais.

“Isso é não só uma intromissão inaceitável nos assuntos internos do nosso país, mas também uma tentativa de enganar a comunidade internacional sobre a situação na região e a causa das atuais tensões”, comentou, referindo que a Rússia tem negado repetidamente essas acusações, e que se trata de um “exemplo clássico da diplomacia de megafone, para consumo público”.

“Não pensamos que isso ajude a unir o Conselho. Pelo contrário, entendemos perfeitamente que o desejo de nossos colegas americanos de promover a histeria em torno de suas próprias declarações de uma suposta agressão russa em preparação, inclusive usando a tribuna do Conselho de Segurança, coloca nossos colegas no Conselho de Segurança em uma situação extremamente desconfortável“, apontou ele.

Nebenzya instou os outros membros da organização a não apoiar a realização de sessões sobre a Ucrânia.

“À minha frente estão afirmações de altos responsáveis ucranianos sobre a ausência de uma ameaça por parte da Rússia, em particular o secretário do SBU [Serviço de Segurança da Ucrânia, na sigla em ucraniano], o ministro da Defesa, o próprio presidente [ucraniano Vladimir] Zelensky, que dizem claramente que não veem a atividade [militar] que nos estão tentando impingir hoje. Estamos prontos para distribuir entre vocês [esses documentos]”, explicou o representante russo.

“Peço a todos os colegas que não deixem que a tribuna do Conselho de Segurança da ONU seja utilizada para a realização de manobras propagandísticas por nossos colegas ocidentais.”

O diplomata da Rússia também exortou a Ucrânia a cumprir os acordos de paz alcançados ainda em 2014, que procuram resolver pacificamente a situação em torno do país.

“Só é possível resolver a situação se Kiev cumprir os Acordos de Minsk, que preveem um diálogo direto com Donetsk e Lugansk. Se os colegas ocidentais pressionarem Kiev a sabotar os Acordos de Minsk, isso pode acabar da maneira mais desastrosa para a Ucrânia, porque ela se autodestruirá. A Rússia não tem nenhum papel aqui“, notou Vasily Nebenzya.

Moscou nega as acusações por parte de países ocidentais, que afirmam desde 2021 que a Rússia pretende invadir a Ucrânia, dizendo que elas pretendem encobrir a militarização junto das fronteiras russas por parte dos próprios países da OTAN. Desde dezembro que o Kremlin sugere reduzir as tensões com a retirada mútua de potencial de guerra nas proximidade entre a Rússia e a OTAN, o que implicaria um fim da expansão da Aliança Atlântica para leste.

Fonte: Sputnik

CN

Congresso volta na quarta-feira com pautas importantes

Sessão está marcada para começar às 16h

Após o recesso de fim de ano, iniciado em 23 de dezembro, o Congresso Nacional retoma os trabalhos na próxima quarta-feira (2). Em ano de eleições majoritárias, a tendência é uma redução no número de votações em comparação com outros anos. Isso ocorre porque os parlamentares estarão envolvidos com as próprias campanhas em seus estados, principalmente no segundo semestre. Ainda assim, temas importantes, alguns polêmicos, estão previstos para entrar em discussão tanto na Câmara dos Deputados quanto no Senado.

Medida Provisória

O Congresso deve votar duas medidas provisórias (MP) importantes, editadas pelo governo em dezembro. Uma diz respeito à doação de vacinas para outros países. Segundo o Ministério da Saúde anunciou ainda em dezembro, 10 milhões de vacinas devem ser doadas. Dessas, já é certo que 500 mil doses irão para o Paraguai.

A outra MP trata da ampliação do Programa Universidade para Todos (Prouni). O programa de concessão de bolsas de estudo integrais e parciais em faculdades particulares, antes voltado apenas a estudantes de escolas públicas ou bolsistas, passou a ampliar o acesso ao programa a estudantes bolsistas ou não egressos de escolas particulares.

A renda per capita familiar mensal não pode ultrapassar três salários mínimos, mas a MP traz a possibilidade de dispensa de apresentação do documento que comprove a renda familiar e a situação de pessoas com deficiência, quando as informações estiverem disponíveis em bancos de dados de órgãos do governo.

Além disso, houve alteração na reserva de cotas destinadas a negros, povos indígenas e pessoas com deficiência. Com a medida, o percentual de pretos, pardos ou indígenas e pessoas com deficiência será considerado de forma isolada, e não mais em conjunto.

Combustíveis

No Senado a pauta prevê a votação do projeto para conter a alta e a falta de previsibilidade nos preços dos combustíveis. Em meados de janeiro, o presidente da Casa, Rodrigo Pacheco, afirmou seu interesse em pautar um projeto do senador Rogério Carvalho (PT-SE).

Na ocasião, a assessoria do Senado informou que Pacheco submeterá a decisão sobre a apreciação ou não do projeto ao Colégio de Líderes, em fevereiro. No entanto, Pacheco já tem um nome certo para a relatoria do projeto, o senador Jean Paul Prates (PT-RN). 

O projeto prevê a formação dos preços dos combustíveis derivados do petróleo tendo como referência as cotações médias do mercado internacional, os custos internos de produção e os custos de importação.

O tema é acompanhado de perto também pelo presidente da Câmara, Arthur Lira. Atualmente, a política de preços da Petrobras vincula a cotação do dólar ao preço do combustível pago pelo consumidor. Essa política foi adotada em 2016, assim que Michel Temer chegou à Presidência da República.

Reforma tributária

Na agenda da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, a reforma tributária é considerada prioridade pelo presidente da comissão, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP). Ele pretende marcar a leitura do relatório, do senador Roberto Rocha (PSDB-MA), no começo de fevereiro. Além disso, faz parte dos planos de Alcolumbre levar a proposta ao plenário da Casa ainda em fevereiro e, junto com ela, um pedido de urgência no tratamento da matéria.

Jogo do Bicho

Uma pauta cara ao presidente Jair Bolsonaro é a que legaliza jogos no Brasil, inclusive cassinos e o Jogo do Bicho. O projeto está na Câmara e chegou a ser discutido na penúltima semana de trabalhos em dezembro, mas os parlamentares acharam melhor analisar um pouco mais a matéria. O texto em debate é um substitutivo apresentado pelo deputado Felipe Carreras (PSB-PE) em nome do grupo de trabalho que analisou o tema.

A matéria propõe a legalização de todas as modalidades de jogos, como cassinos integrados em resorts , cassinos urbanos, Jogo do Bicho, apostas esportivas, bingos, jogos de habilidade e corridas de cavalos. As licenças serão concedidas por meio de leilões, e os jogos serão fiscalizados por um órgão regulador e supervisor federal.

Correios

A privatização dos Correios, aprovada na Câmara em agosto de 2021, estacionou no Senado. O projeto está na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) e chegou a ser lido na comissão, mas o relator do texto no Senado, Márcio Bittar (PSL-AC), decidiu fazer alterações em seu parecer.

Bittar incluiu um prazo mínimo para que as agências dos Correios continuem abertas em municípios com menos de 15 mil habitantes em áreas remotas da Amazônia Legal. A região engloba 772 municípios, considerando todos localizados nos estados de Rondônia, Acre, Amazonas, Roraima, Pará, Amapá, Tocantins, Mato Grosso, além de parte dos municípios do Maranhão. A proposta de Bittar prevê o funcionamento dessas agências por 60 meses após a privatização da estatal.

Ano legislativo

O ano legislativo se inicia, por tradição, com uma sessão solene do Congresso Nacional, marcada para as 16h, desta quarta-feira (2) com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro; do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, além dos presidentes da Câmara e do Senado, Arthur Lira e Rodrigo Pacheco.

Tradicionalmente, a sessão ocorre em um plenário da Câmara lotado de deputados e senadores. Mas, em virtude da expansão da pandemia da covid-19, com novo aumento de casos, a sessão será semipresencial. Ou seja, os parlamentares poderão participar presencialmente ou por videoconferência. A sessão começa com a leitura da mensagem do presidente da República. Nela, ele faz um balanço das atividades do ano anterior e projeta os trabalhos do ano corrente. Fux, Pacheco e Lira também discursam na sessão.

Antes do início da sessão, há um rito a ser cumprido na parte externa do Congresso. O Hino Nacional é executado pela banda do Batalhão da Guarda Presidencial, ao mesmo tempo em que é realizada a Salva de Gala (21 tiros de canhão) pelo 32º Grupo de Artilharia de Campanha (Bateria Caiena).

Em seguida, Rodrigo Pacheco, que também é presidente do Congresso, passa a tropa  em revista e sobe a rampa junto com Lira. No topo, aguardam a chegada do presidente da República. Se estiver chovendo, porém, toda essa parte da cerimônia fica cancelada e todos entrarão pela Chapelaria, um acesso coberto, no andar inferior à rampa do Congresso.

Por Marcelo Brandão

CN

Brasil gerou 2,7 milhões de empregos formais em 2021

Em dezembro, no etanto, saldo ficou negativo em 265 mil vagas

O Brasil terminou o ano de 2021 com saldo positivo de 2.730.597 vagas de emprego com carteira de trabalho assinada. Ao longo do ano, foram registradas 20.699.802 admissões e 17.969.205 desligamentos. Os dados foram divulgados hoje (31) pelo Ministério do Trabalho e Previdência.

Já o mês de dezembro registrou retração de 265.811 postos de trabalho. O número decorre de um total de 1.703.721 de desligamentos e de 1.437.910 admissões.

O estoque de empregos formais no país, que é a quantidade total de vínculos celetistas ativos, em dezembro, ficou em 41.289.692 vínculos, o que, segundo o ministério, representa uma queda de 0,64% em relação ao mês anterior.

Contratação temporária

De acordo com o ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni, o resultado para o mês de dezembro era esperado, uma vez que “como ocorre rotineiramente no Brasil, temos as comunicações de demissão principalmente daqueles funcionários que trabalham no regime temporário”.

“O saldo negativo faz parte fundamentalmente dos trabalhadores temporários. Mas esse saldo aplicado sobre o acumulado do ano nos dão saldo positivo na geração de empregos com carteira assinada no Brasil, da ordem de 2,7 milhões de postos de trabalho”, acrescentou ao destacar que desde o início do governo de Jair Bolsonar, o país acumula saldo positivo de 3.183.221 novos postos de trabalho.

Dados por setor

No acumulado do ano, o saldo de 2,7 milhões de postos de trabalho teve, no setor de serviços, sua maior contribuição, com 1.226.026 vagas criadas. Foram 9.284.923 admissões ante a 8.058.897 desligamentos.

O setor de comércio agregou outras 643.754 vagas (4.889.494 admissões e 4.245.740 desligamentos), enquanto a Indústria gerou 475.141 novas vagas (3.352.363 admissões e 2.877.222 desligamentos) em 2021.

As atividades de construção criaram 244.755 vagas (2.017.403 admissões e 1.772.648 desligamentos), enquanto agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura teve 140.927 novas vagas com carteiras assinadas (1.155.619 admissões e 1.014.692 desligamentos).

O estoque (quantidade total de vínculos formais ativos) no acumulado do ano apresentou variação de 7,08% (na comparação com 1º de janeiro de 2021).

Já em dezembro, o saldo de empregos foi negativo em quatro dos cinco grupamentos de atividade econômica analisados. O único a apresentar saldo positivo (9.013 vagas) foi o de comércio; reparação de veículos automotores e motocicletas.

O saldo da indústria ficou negativo em 92.047 vagas; o da construção perdeu 52.033 postos de trabalho; o de agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura registrou uma queda de 26.073 vagas; e o de serviços diminuiu em 104.670 o saldo de empregos celetistas.

Regiões

As cinco regiões apresentaram saldo positivo de contratações ao longo de 2021. Na Região Sudeste foram criados 1.349.692 postos de trabalho (crescimento de 6,8%); no Sul, o saldo foi de 480.771 postos a mais (alta de 6,61%); no Nordeste foram criados mais 474.578 postos (7,58%); no Centro-Oeste, o acréscimo foi de 263.304 vagas (8,07%); e a Região Norte teve incremento de 154.667 empregos formais (8,62%).

Em dezembro, no entanto, as cinco regiões do país registraram saldo negativo no número de empregos formais. A região que perdeu mais vagas foi a Sudeste, com uma queda de 136.120 postos de trabalho (-0,64%).

A queda na Região Sul ficou em 78.882 vagas (-1,01%), enquanto nas regiões Centro-Oeste, Nordeste e Norte apresentaram saldos negativos de 21.476 (-0,61%); 15.823 (-0,23%); e 13.375 vagas (-0,68%), respectivamente.

Estados

No acumulado do ano, o estado de São Paulo foi o que abriu maior número de empregos formais, totalizando 814.035 novas vagas, o que representa alta de 6,80%. Em segundo lugar está Minas Gerais, com saldo positivo de 305.182 vagas (alta de 7,5); seguido do Rio de Janeiro, com 178.098 novos postos (5,77%).

Os menores saldos foram registrados em Roraima, com geração de 4.988 postos de trabalho com carteira assinada; Amapá (5.260); e Acre (8.117).

Apenas duas unidades federativas apresentaram saldos positivos em dezembro de 2021: Alagoas (615 postos de trabalho); e Paraíba (61 postos).

Já os estados com menor saldo foram São Paulo, que registrou uma redução de 103.954 no número de empregos formais, seguido de Santa Catarina (-36.644 postos de trabalho); e do Paraná (-24.346 postos).

Salário médio

O salário médio de admissão registrado em dezembro foi de R$ 1.793,34. Na comparação com o mês anterior (novembro), o aumento real ficou em R$ 1,51, o que corresponde a alta de 0,08%.

*Matéria ampliada às 12h20 para inclusão dos dados consolidados do ano. Texto alterado, no nono parágrafo, às 13h27, para corrigir percentual informado pelo Ministério do Trabalho e Previdência.

Por Pedro Peduzzi

CN

Malafaia revela ‘jogo político no STF’ e diz que ‘Moraes rasgou a Constituição” (veja o vídeo)

Alexandre de Moraes é a vítima, delegado, ministério púbico e juiz

“O ministro Alexandre de Moraes é um ditador da toga. Ele conduz um inquérito imoral e ilegal que mancha o judiciário. 

Ele faz juramento de defender a Constituição, mas ele rasga a constituição. Alexandre de Moraes é a vítima, delegado, ministério púbico e juiz. É uma vergonha”.

Com essa fala, o pastor Silas Malafaia iniciou um vídeo em que fez sérias denuncias contra o ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, que está à frente do chamado ‘inquérito do vazamento de informações sigilosas’, processo criado e conduzido por ele, no qual o presidente Jair Bolsonaro foi incluído como uma das ‘partes investigadas’.

Malafaia demonstrou toda sua indignação com a polêmica situação dessa sexta-feira (28), em que Bolsonaro se recusou a depor pessoalmente na Polícia Federal, por ordem de Moraes, em um imbróglio que deve ter consequências judiciais e políticas para ambos os lados ao longo da próxima semana.

E foi justamente no aspecto político que Malafaia ‘carregou’ em sua fala, revelando as ligações partidárias de Moraes, escancarando ‘o jogo político no coração do STF’, instituição na qual apenas a lei e a neutralidade deveriam entrar porta adentro:

“Alexandre de Moraes é o único ministro que saiu de um partido político, teve que se desfiliar do PSDB, para ir ao STF. Ele tem vínculo até o tutano com o PSDB. Qual é o jogo de querer que um presidente vá à polícia federal prestar um depoimento. Nem Lula e Dilma, os governos mais corruptos da história do país, passaram por um constrangimento desse.

Quer levar o presidente pra poder criar uma imagem negativa. O presidente não tem uma acusação de corrupção. Fizeram aí uma CPI da pandemia, uma vergonha e protegeram assassinos de nordestinos. Não arrumaram nada e não tem nada;

A roubalheira que tinha no país foi estancada. Acabou a mamata da imprensa que finge que não tá vendo toda essa safadeza.

O único objetivo é constranger o presidente da República!”

O vídeo é fortíssimo e vale a pena assistir:

Fonte: JCO

CN

PF conclui que Bolsonaro não prevaricou e acaba com a última narrativa da CPI

Para o delegado federal William Tito Schuman Marinho, “não pode ser imputado” a Bolsonaro o crime de prevaricação.

Nesta segunda-feira, 31, a Polícia Federal enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF), um relatório onde conclui que o presidente Jair Bolsonaro não praticou o crime de prevaricação no caso da negociação para compra da vacina indiana Covaxin.

O relatório é um verdadeiro “tapa na cara” da cúpula da CPI da Covid no Senado Federal.

Para o delegado federal William Tito Schuman Marinho, “não pode ser imputado” a Bolsonaro o crime de prevaricação.

O delegado concluiu que um presidente só pode ser enquadrado no crime de prevaricação quando envolver uma conduta inerente ao cargo e que esteja prevista na Constituição. Não era esse o caso, segundo ele.

“Não está presente o ato de ofício, elemento constitutivo objetivo imprescindível para caracterizar o tipo penal incriminador”, disse o delegado.

As investigações têm como base os depoimentos do funcionário do Ministério da Saúde Luís Ricardo Miranda e do irmão, o deputado federal Luis Miranda.

A última narrativa de Omar Aziz, Renan Calheiros e Randolfe Rodrigues acaba de cair por terra.

Fonte: JCO

CN

Surgem detalhes da reunião que pode gerar o pedido de impeachment contra Cármen Lúcia

A ministra Carmen Lucia parece apostar na tese de que o STF é um poder moderador

O deputado federal Bibo Nunes (PSL-RS) afirmou que vai pedir o impeachment da ministra Carmem Lúcia.

Segundo o deputado, há proibição de atividade política por parte de ministros do STF.

A ministra participou de uma reunião política, sexta-feira, no apartamento da ex-senadora Marta Suplicy.

Cerca de trinta líderes políticas, ativistas, personalidades, intelectuais e escritoras – todas mulheres e todas de esquerda – com o objetivo de elaborar uma carta aberta à nação e estimular a inclusão de propostas para as mulheres nas campanhas à Presidência. 

Não é raro ministros do STF participar de palestras públicas ou seminários – mas não foi esse o caso.

A ministra Cármen estava num ambiente fechado com um perfil dos componentes bem definido: além da ex-prefeita de SP pelo PT, Marta Suplicy, estavam presentes a presidente nacional do PT, deputada Gleisi Hoffman (PT-PR), a pré-candidata à presidência da república, senadora Simone Tebet (MDB-MS), a líder do Movimento dos Sem-Teto do Centro Carmen Silva e a irmã da falecida vereadora carioca Marielle Franco. 

Ou seja, neutralidade ou pluralismo democrático passou longe desse convescote. A ministra Carmen Lucia parece apostar na tese de que o STF é um poder moderador – será que voltamos ao tempos do Império? – em detrimento do discreto mas fundamental papel de Guardião da Constituição, devidamente descrito em nossa Carta Magna.  

A ministra Carmén, era aguardada com grande expectativa desde o início do encontro pela manhã, mas só chegou ao local por volta das 13h. Após discursar por meia hora sobre o combate à violência contra a mulher e almoçar, a magistrada se acomodou em uma cadeira ao lado de Marta Suplicy, logo depois de tomar um café preto sem adoçante, para participar da reabertura dos debates.

A ministra abortou a reunião quando as participantes quiseram incluir a questão do aborto no manifesto. Menos mal…

Fonte: JCO

CN

Tomam posse os Novos dirigentes da AAFRON

A nova diretoria da Associação dos Auditores Fiscais de Tributos Estaduais de Rondônia – AAFRON, eleita para o triênio 2022/2023/2024, tomou posse no último dia 29 de janeiro, na sede da associação em Porto Velho

Acyr Monteiro (presidente da associação no triênio 2019/2021) aproveitou a solenidade para apresentar uma breve prestação de contas e agradecer o apoio recebido. “Foi um desafio todos esses anos à frente da AAFRON, mas agradeço todo o apoio recebido. Agora sigo na missão de diretor financeiro e tenho a certeza que a nova diretoria, liderada pelo Mauro Roberto receberá também todo apoio nessa nova caminhada”, disse Acyr Monteiro.

O secretário de finanças de Rondônia, Luís Fernando Pereira, reforçou a importância do ex-presidente, Acyr Monteiro, na história do Fisco. “O Acyr tem uma importância fundamental para o Fisco Rondônia. Lembro-me dele sempre como um líder para todos nós. E essa importância foi empenhada na AAFRON. Parabenizo o Acyr por sua trajetória e desejo todo o sucesso para o Mauro Roberto e sua diretoria nessa empreitada”.

Jorge Antônio Couto, vice-presidente Norte da Federação Brasileira de Associações de Fiscais de Tributos Estaduais – Febrafite lembrou a importância da entidade para união e conquistas da categoria. “Conheço o Acyr e sei de toda sua dedicação para a AAFRON e também conheço o Mauro Roberto, já acompanho todo o seu trabalho à frente do SINDAFISCO, sua dedicação para as últimas conquistas da categoria em Rondônia. Tenho certeza que toda essa dedicação dos dois, refletirá na entidade”, relatou Jorge Couto.

Em sua fala, Mauro Roberto, presidente eleito para o novo triênio, agradeceu a confiança de todos. “A nossa chapa foi única, mas foi construída com muita conversa e consenso entre os associados. Não venho como presidente, mas sim como membro da associação, buscando melhorar a cada dia a nossa entidade e espero contar com o apoio de todos”, reforçou Mauro Roberto.

Além dos associados, amigos e familiares, estiveram presentes na solenidade, Antonio Carlos Alencar do Nascimento, Coordenador da Receita Estadual e Germano Soares, vice-presidente do Sindicato dos Técnicos Tributários do Estado de Rondônia – Sintec.

DIRETORIA EMPOSSADA
Mauro Roberto Da Silva – Presidente 
Vanda Vilhena De Melo – Vice-Presidente 
Sandra Mara Araújo – Secretária Geral 
Acyr Rodrigues Monteiro – Dir. Financeiro 
Iemeton G. S. De França – Dir. Adjunto 
José Jovial P. Da Silva – Dir. Social E Desportivo
Conselho Fiscal Titular – Rui Alves AfonsoRony Eguez VacadiezDilson L. S. De Souza 
Conselho Fiscal Suplente – Lídia Santos De OliveiraOrlando B. Da SilvaEdmar Cabral Lima

Fonte: Departamento de Comunicação
Sindicato dos Auditores Fiscais de Tributos Estaduais de Rondônia (SINDAFISCO)

CN

Ministério Público agradece o trabalho do Promotor Paulo Lermen 

Paulo Lermen exerceu diversas atribuições, destacando-se pela sua forte atuação social

O Procurador-Geral de Justiça, Ivanildo de Oliveira, em nome dos demais membros e servidores do Ministério Público de Rondônia, agradeceu pelos 36 anos de atuação do Promotor de Justiça Paulo Fernando Lermen.

Gaúcho da cidade de Lageado, o Promotor de Justiça ingressou no MPRO em janeiro de 1986, por meio do 3º concurso público da Instituição. Nomeado pelo então Governador do Estado de Rondônia, Ângelo Angelin, tomou posse como Promotor de Justiça substituto em Vilhena, onde permaneceu por quase 36 (trinta e seis) anos.

Durante todo esse tempo de trabalho dedicado ao Ministério Público, Paulo Lermen exerceu diversas atribuições, destacando-se pela sua forte atuação social.

O Procurador-Geral de Justiça, Ivanildo de Oliveira, concedeu aposentadoria voluntária ao Promotor, com efeitos a contar da data de hoje. Ivanildo de Oliveira destacou o trabalho dedicado e a competência que sempre fizeram parte da vida profissional do Promotor ao longo de sua trajetória dentro do MPRO. “Desejamos um descanso merecido ao Promotor Paulo Fernando Lermen, com muita prosperidade e saúde para usufruir da aposentadoria, que ora se inicia”, enfatizou o Procurador-Geral.

DCI – Departamento de Comunicação Integrada

CN

Suspenso ponto eletrônico nas unidades de saúde do estado

Em reunião hoje pela manhã, 31, no gabinete do conselheiro do Tribunal de
Contas de Rondônia (TCE-RO), Benedito Antônio Alves, o Deputado Federal
Mauro Nazif e o presidente do Sindicato dos Profissionais de Enfermagem de
Rondônia (SINDERON), Charles Alves, discutiram a respeito do ponto
eletrônico nas unidades de saúde, em meio ao surto e contaminação dos
servidores da saúde pela Covid -19 e pela gripe.

Como resultado, o conselheiro Benedito definiu pela suspensão por 120 dias
do ponto eletrônico nas unidades de saúde do Estado, e ao final deste prazo
uma nova avaliação será feita.


Fonte: Assessoria

CN

UNIFACIMED é referência em aprovações de residência no curso de Medicina  

Ao todo, seis egressos foram aprovados nas especialidades de Clínica Médica e Pediatria  

Com a missão de formar profissionais com excelente competência técnica e responsabilidade social, o UNIFACIMED tem alcançado este objetivo. Há 15 anos, o curso de Medicina da Instituição tem se destacado na atuação prática e acadêmica, com reconhecimento nacional e internacional.  

Exemplos disso são as aprovações dos egressos do curso em Programas de Residência Médica. A mais recente conquista foi a classificação de ex-alunos em residência no Hospital Regional de Cacoal, nas especialidades de Clínica Médica e Pediatria. O Hospital é referência em atendimentos nas áreas de saúde no estado de Rondônia. Os resultados são frutos da dedicação dos acadêmicos, dos professores e também da parceria entre a direção da Instituição e coordenação de curso.  

Helizandra Simoneti Bianchini Romanholo, coordenadora adjunta do curso de Medicina, parabenizou os egressos pela conquista e destacou a excelência de ensino da Instituição durante a formação dos futuros médicos. “Formamos uma base sólida e primordial para o exercício da profissão. As primeiras colocações dos nossos egressos nas especialidades, apontam todo o trabalho desenvolvido no curso durante a graduação. As aprovações servem também de estímulo à fixação dos médicos na região, muito importante para responder às necessidades de saúde”, apontou a coordenadora.  

Para Amanda Sodré Góes, aprovada na residência em Pediatria, a formação no UNIFACIMED foi fundamental para o seu sucesso profissional. “Quando entramos no internato, a gente começa a ter um maior contato com as especialidades. Com a ajuda dos professores, vamos conhecendo também as provas de residência, o que elas cobram e as atualidades. A partir daí, vamos criando um raciocínio clínico que vamos usar também na residência. Toda a bagagem adquirida na Instituição colocamos em prática na vida profissional e residência”, afirmou.  

Além de Amanda, o UNIFACIMED também parabeniza os egressos Lauhanda Alves de Lima, Bruno Fuzari Silva, Ana Carolina de Almeida Queiroz, Aline Rodrigues de Lima Silva e Juliane Carminati pelas aprovações.  

Por Aline Boone- Assessoria de Imprensa/UNIFACIMED

CN
1 2 3 31