TRT-14 lança assistente virtual Raíra para atendimento a usuários 

O Chatbot tem perguntas e respostas pré-definidas relacionadas a consulta de processos judiciais, contatos com unidades do TRT, entre outros serviços

O Tribunal Regional do Trabalho 14ª Região (RO/AC) ativou na quarta-feira (23) em seu portal institucional na internet a assistente virtual Raíra para atender aos usuários que desejarem solicitar informações sobre os atendimentos ofertados. A assistente virtual está programada para responder perguntas que estão relacionadas a consulta de processos judiciais, formas de contato com as unidades do TRT-14, informações como ajuizar ação sem advogado e falar com a ouvidoria.

De acordo com o secretário de Tecnologia da Informação e Comunicação do Regional, Robert Rosa, o objetivo da assistente virtual é facilitar e fornecer um acesso simplificado a dúvidas comuns que os usuários do site do TRT-14 (RO/AC) tiverem. “É um serviço de atenção mais direta, já que Raíra está programada para atender os jurisdicionados que possuem dúvidas básicas, a exemplo de como entrar em contato com nossas unidades através do Balcão Virtual ou de como iniciar uma reclamação trabalhista através do serviço de Atermação Virtual. Ela é um projeto inicial de robô de autoatendimento e, por conta disso, ainda não responde às perguntas livres”, explicou.

A juíza auxiliar da Presidência do TRT da 14ª Região, Fernanda Junqueira, revela que Raíra é um nome indígena que significa humano. “A escolha foi feita pela presidência do TRT-14 que optou por um nome que ressalta a essência do povo amazônico. Dessa forma, Raíra poderá facilitar o acesso à informação e serviços do TRT-14”, ressaltou.

Para a presidente do TRT-14, desembargadora Maria Cesarineide de Souza Lima, a finalidade da assistente virtual é aproximar cada vez mais o Tribunal da sociedade. “Temos como meta constante ampliar o acesso da sociedade ao Tribunal. Vivemos em um mundo digital e com isso temos a possibilidade de alcançar de modo mais efetivo o cidadão e cidadã que necessita dos serviços da Justiça do Trabalho, esclarecendo dúvidas de modo mais ágil e simplificado”, concluiu.  

Fonte: Secom/TRT14 (Munique Furtado)

CN

Otan decide ampliar defesas no flanco oriental da aliança militar

Unidades de combate atuarão na Eslováquia, Romênia, Bulgária e Hungria

Líderes da aliança militar do Ocidente estão reunidos hoje (24) em Bruxelas. Após o encontro, ficou definido que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) vai incrementar o número de tropas em países ao Leste da aliança, mais especificamente na Eslováquia, Romênia, Bulgária e Hungria.

“Permanecemos unidos e decididos em nossa determinação de nos opormos à agressão russa, ajudar o governo e o povo da Ucrânia e defender a segurança de todos os aliados”, diz o comunicado assinado pelos líderes dos 30 países que formam a aliança.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, fez novamente um apelo aos países do Ocidente por uma zona de exclusão aérea, para que aviões russos pudessem ser abatidos durante voos sobre a Ucrânia.

Os líderes da Otan, no entanto, seguem com o entendimento de não intervenção direta no conflito, para evitar uma escalada de tensão e uma guerra de maiores proporções.

Por Marieta Cazarré

CN

Galvão pega todos de surpresa, anuncia “despedida” e vai sair da Globo

É mais um resultado da crise sem fim na qual a emissora carioca se meteu!

Em suas redes sociais, Galvão Bueno anunciou:

“Jogo de despedidas. 

Último jogo da seleção no Brasil antes da Copa!!

Último jogo de Tite no Brasil como técnico da seleção!!

Meu último jogo da seleção no Maracanã em televisão!!”

Isso mesmo, esta será sua última temporada como narrador na Globo.

Nos últimos anos, Galvão vinha ensaiando essa despedida.

Agora, depois de 41 anos de casa, ele vai sair da Globo ao fim de 2022. O contrato do narrador com a emissora, que termina em 31 de dezembro, não será renovado.

O último trabalho dele como locutor na televisão será na Copa do Mundo do Catar.

É mais um resultado da crise sem fim na qual a emissora carioca se meteu!

Galvão Bueno foi um dos comunicadores que mais sofreram com a redução salarial. Na prática, ele passou a ganhar cerca de 80% a menos do que recebia antes.

É um triste fim tanto para a emissora, quanto para o narrador…

“Situação dramática…”

“Haja coração…”

Confira:

Fonte: Notícias da TV

CN

Inédito! Pastor Ock Soo Park estreita laços com Israel

Pela primeira vez na história de Israel  um pastor evangélico encontra com um rabino  Judeu Ortodoxo e autoridades para debater o futuro da juventude Israelense e mundial.

Em visita recente à Israel, o fundador da Missão Boa Notícia que atualmente tem sede em mais de 90 países, pastor Ock Soo Park estreita laços com o país para apresentar a fé e implantar projetos para a educação e juventude. A presença do pastor em Israel partiu do próprio governo.

A presença de Ock Soo Park em Israel é um acontecimento histórico, pois segundo o diretor geral da emissora russa, TBN, que tem transmitido os sermões do pastor no país, o evangelho tem se espalhado no mundo todo e será anunciado em Israel.O  propósito do convite oficial do governo era  estreitar laços e apresentar a fé para muitas pessoas ao seu redor.

ENCONTRO COM A MÍDIA

O pastor Ock Soo Park, que chegou a Jerusalém na manhã do dia 14, encontrou-se com Jan Volkov, o chefe da emissora russa TBN, ele tem transmitido os sermões do Pastor Ock Soo Park, tendo uma grande aceitação dos russos e judeus russos. Durante a reunião o diretor geral  Yan Volkov,  mencionou que a visita do pastor  é um acontecimento histórico, pois o evangelho tem se espalhado em todo mundo e também será anunciado a Israel.

ENCONTRO DIPLOMÁTICO

Durante sua visita à Israel, o pastor Ock Soo Park também participou de alguns encontros diplomáticos. O primeiro deles foi com o embaixador da Etiópia no país, Reta Alemu.

Hoje, mais de 160 judeus etíopes vivem em Israel. Na ocasião, o embaixador concordou com a realização da proposta sobre educação emocional para o desenvolvimento intelectual para os judeus etíopes, que foi apresentada pelo pastor Park.

O Pastor Ock Soo Park também participou de reuniões com os deputados Itamar Ben Gvir e Simcha Rothman, além da diretora Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Parlamento de Israel, Judith Gidali e com o vice ministro da Educação, Abi Ganon.

O encontro foi oportuno para a apresentação da Internacional Youth Fellowship (IYF) – uma organização mundial de jovens baseada na mentalidade cristã para criar líderes com uma visão global por meio da educação – onde também foram revisados os princípios do MOU (acordo que  Expressa uma convergência de vontade entre as partes, indicando uma linha de ação comum pretendida.)

Segundo o pastor Ock Soo Park, os fundamentos que moldam o núcleo da educação para o desenvolvimento intelectual são a faculdade do pensamento, o autocontrole e intercâmbio (comunicação). Por isso, ele garantiu que a educação para o desenvolvimento intelectual resolverá os problemas existentes na juventude de Israel.

A vice-ministra da Educação Avi Ganon expressou concordância com a visão e missão da educação proposta pela IYF, não sem antes dar uma breve explicação sobre os problemas existentes na educação pública em seu país. “A educação para o desenvolvimento intelectual, proposta pela IYF, é uma proposta interessante. É um campo que o Ministério da Educação precisa conhecer e investigar. Agora, nosso objetivo é encontrar uma maneira de implementar a educação para o desenvolvimento intelectual no sistema educacional do nosso país”, disse o vice- ministro Avi Ganon.

Durante esta reunião, o pastor Ock Soo Park explicou que os fundamentos que moldam o núcleo da educação para o desenvolvimento intelectual são a faculdade do pensamento, o autocontrole e intercâmbio(comunicação). O pastor garantiu que a educação para o desenvolvimento intelectual resolverá os problemas existentes na juventude de Israel.

Pastor Ock Soo Park introduziu o livro didático de educação emocional desenvolvido pela Internacional Youth Fellowship e sugeriu a seleção de uma escola para um projeto piloto de desenvolvimento intelectual com a duração de  um ano e um plano de treinamento de educação emocional para professores. 

MOMENTO HISTÓRICO

Um dos  momentos mais esperados da visita do líder da Missão Boa notícia em Israel foi o encontro inédito com o grande Rabino Yona Metzger, em Tel Aviv, capital do país. Metzger, que é conhecido por ser um homem prudente e de mente aberta, com alto perfil internacional, se mostrou interessado pela reunião.

O pastor Ock Soo Park contou como ele se encontrou com Deus quando era pobre e como recebeu o perdão dos pecados através da Bíblia. Ele também explicou sobre a lei do sacrifício. “Não posso guardar tudo, mas farei o que puder.” Ele disse: “Recebi a lei e pude guardar a maior parte da lei”, expressou o rabino. 

O pastor Ock Soo Park respondeu: “Deus sabia que o homem era incapaz de guardar os mandamentos, e é por isso que Ele quis nos oferecer Sua misericórdia. Mas o ser humano prometeu guardar os mandamentos. Mentiram, pois não sabiam qual era o problema com o compromisso que haviam feito com Deus. Nenhum ser humano é capaz de fazer cumprir a lei.[…]”.

Lendo o livro de Jeremias cap 31:33, onde diz: Porque esta é a aliança  que firmarei com a casa de Israel, depois daqueles dias diz o Senhor:  Na mente lhes imprimirei  as as minhas leis também no coração lhas inscreverei, eu serei o seu Deus e eles serão meu povo.

O Rabino conferiu as palavras na Bíblia em Hebraico e também na versão em Inglês afirmando: “Nunca havia visto  esta passagem na Bíblia.”

Rabino Yona Metzger demonstrou felicidade com o encontro e reforçou os laços de amizade com o pastor.

“O encontro que tive com o pastor Ock Soo Park foi muito significativo. Ele é um homem especial e tem muito conhecimento. Estou feliz por poder falar sobre a Bíblia, educação e o futuro com ele. Farei o possível para ter um segundo encontro e formar fortes laços de amizade”, Tivemos nosso primeiro encontro em Israel. Espero que nosso segundo encontro seja em Seul ou em qualquer outro lugar do mundo expressou.

Agora segue-se  a esperança do encontro do Pastor Ock soo Park  com autoridades brasileiras  em sua vinda ao país  no início de junho de 2022.

Fonte: Assessoria

CN

Membros do MPRO participam do XXIV Congresso Nacional do Ministério Público

É o primeiro realizado de forma presencial desde 2020, em observância às normas sanitárias pertinentes.

O Procurador-Geral de Justiça, Ivanildo de Oliveira, o Corregedor-Geral do Ministério Público, Cláudio Wolff Harger, o Diretor da Escola Superior do MPRO, Marcelo Lima de Oliveira, o presidente da Associação do Ministério Público de Rondônia, Éverson Antônio Pini e a Ouvidora do MPRO, Andréa Luciana Damacena Ferreira Engel, estão entre os membros do Ministério Público de Rondônia que participam do XXIV Congresso Nacional do Ministério Público, que está sendo realizado esta semana em Fortaleza, Ceará.

O evento, de grande magnitude, com mais de 1.700 membros inscritos e 800 acompanhantes de todo o país, ocorre até esta sexta-feira (25/03) e tem como tema “Os desafios do Ministério Público no cenário pós-pandemia”, promovido pela Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (CONAMP) e pela Associação Cearense do Ministério Público (ACMP). É o primeiro realizado de forma presencial desde 2020, em observância às normas sanitárias pertinentes.

Marcam presença personalidades relevantes da carreira e autoridades nacionais, como o Presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco, o Presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, o Presidente do Superior Tribunal de Justiça, Humberto Martins, o Procurador-Geral da República, Augusto Aras, e o Ministro do Turismo, Gilson Machado Neto.

Diversos assuntos estão sendo abordados em palestras e painéis, dentre eles Impactos da tecnologia 5G no Sistema de Justiça; O princípio Constitucional da Fraternidade como fundamento da Atuação das Ouvidorias do Ministério Público. Cultura de paz; A atribuição ministerial na tutela à saúde: as lições da pandemia; Racionalização da atividade finalística com foco em resolutividade e eficiência; Jurimetria: a aplicação das estatísticas ao Direito para tornar mais eficiente atuação do Ministério Público; Liberdade de expressão e carreiras de Estado do sistema de justiça: o olhar do CNMP.

A reunião concentra todos os participantes no Centro de Eventos do Ceará (CEC), o mais moderno do gênero na América Latina e o segundo maior do Brasil em área útil, com 76 mil m².Em concomitância ao congresso estão sendo realizadas reuniões dos colegiados de gestores do Ministério Público brasileiro, Associação Nacional do MP, Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais, da União do Colégio Nacional dos Corregedores-Gerais dos Ministérios Públicos dos Estados, do Colégio dos diretores das Escolas dos MPs além das Ouvidorias da Instituição.

De acordo com a programação de hoje (24/03), as palestras terão os temas: Aspectos do Novo Regime de Tutela da Probidade Administrativa; Direito Intertemporal da tutela da Probidade Administrativa e Perspectivas de Atuação do Ministério Público e Novos Rumos na Atuação do Ministério Público.

Ainda integram a comitiva de Rondônia no evento o Procurador de Justiça Ildemar Kussler e os Promotores de Justiça Cláudia Machado dos Santos Gonçalves, Roosevelt Queiroz Costa Júnior, Felipe Miguel de Souza, Joice Gushy Mota Azevedo, Lisandra Vanneska Monteiro Nascimento Santos, Marcos Geromini Fagundes, Matheus Kuhn Gonçalves, Thiago Gontijo Ferreira, Analice da Silva, Valéria Giumelli Canestrini, Marcos Giovane Ártico, Tânia Garcia Santiago, Dinalva Souza de Oliveira, Fernanda Alves Pöppl , Tereza de Freitas Maia Cotta , Luciana Maria Rocha Ponte Damasceno, Gerson Martins Maia, Karine Ribeiro Castro Stellato, Priscila Matzenbacher Tibes, Bruno Ribeiro de Almeida, Camyla Figueiredo de Carvalho, Leandro da Costa Gandolfo, Ritiane Oliveira da Silva e Jesualdo Euripedes Leiva de Faria.

Fonte: DCI – Departamento de Comunicação Integrada

CN

Presidente Alex Redano confirma revisão salarial dos servidores concursados da Assembleia Legislativa

Projeto de equiparação salarial dos analistas legislativos com os demais poderes também foi anunciado

O presidente da Assembleia Legislativa, Alex Redano (Republicanos), anunciou que a mesa diretora vai apresentar na próxima sessão ordinária projetos de leis que asseguram a revisão salarial anual aos servidores concursados da Casa de Leis e ainda a equiparação salarial dos analistas legislativos com os ocupantes de cargo igual ou assemelhados em outros poderes.

O anúncio ocorreu após reunião com o presidente do Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo Estadual (Sindler), Mirim Brito, acompanhado de diretores sindicais e de servidores da Casa. O deputado Jean Oliveira (MDB), 1º vice-presidente da Assembleia, também participou do encontro e atuou na defesa dos benefícios aos servidores efetivos.

“Confirmamos a revisão salarial dos servidores concursados da Casa, a partir do mês de julho, em 8,5%, que contempla as perdas inflacionárias nos salários. É uma questão de justiça com os servidores efetivos, que muito têm feito pelo Parlamento Estadual”, destacou Redano.

Jean Oliveira reforçou, afirmando que “o que a Assembleia está fazendo é o justo, é o correto, pois garante a revisão salarial aos servidores concursados, repondo o índice inflacionário e melhorando a remuneração, dentro do que é possível. Essa matéria conta com o nosso apoio e dos demais deputados”, observou.

Já os analistas legislativos, que exercem suas funções do Legislativo, irão ser contemplados com a equiparação com os que exercem cargo igual ou assemelhados, em outros poderes.

“Isso vai permitir corrigir essa distorção, fazendo mais uma vez justiça aos nossos servidores efetivos. Esses dois projetos iremos votar na sessão ordinária da próxima terça-feira (29)”, finalizou Redano.

Texto: Eranildo Costa Luna

CN

Corregedor do MP de Rondônia assume a presidência do CNCGMP

O Conselho Nacional dos Corregedores-Gerais foi instituído em 1994 tendo como objetivo contribuir para a defesa dos princípios, prerrogativas e funções institucionais do Ministério Público

O Ministério Público de Rondônia assumiu, nesta quinta-feira (24/3), a presidência do Conselho Nacional dos Corregedores-Gerais do Ministério Público (CNCGMP), em ato ocorrido durante sessão solene do órgão, realizado em Fortaleza (CE). Passa a chefiar o Colegiado, para o ano de 2022, o Corregedor-Geral do MPRO, Procurador de Justiça Cláudio Wolff Harger, eleito em dezembro do ano passado.

A solenidade teve a presença do Corregedor Nacional do Ministério Público brasileiro, Oswaldo D’albuquerque; da Corregedora-Geral do Ministério Público da Bahia, Cleonice Lima, que presidiu a sessão; da Corregedora-Geral do Ministério Público do Ceará, Maria José Marinho da Fonseca; do Procurador-Geral de Justiça de Rondônia, Ivanildo de Oliveira, e demais autoridades. 

Em seu discurso, Cláudio Wolff Harger cumprimentou as gestões que o antecederam, ressaltando o trabalho compromissado e produtivo realizado no enfrentamento de desafios impostos ao MP brasileiro e, mais recentemente, da pandemia do novo coronavírus. 

Ao citar o cenário de recentes transformações mundiais, cujos reflexos interferem diretamente na ordem geopolítica e na economia, destacou a necessidade da configuração de um Ministério Público posicionado e preparado para receber e atender a novas funções sociais.

“As modificações exigirão mudanças no MP brasileiro, em seu funcionamento e efetividade, expandindo sua estrutura no que for necessário para o cumprimento de suas atribuições junto aos cidadãos”, disse. 

Cláudio Wolff defendeu a unidade e indivisibilidade do Ministério Público como sendo imprescindíveis para uma atuação forte e coesa da Instituição em favor da sociedade.

Também citou a importância de se refletir sobre a estrutura dos MPs estaduais, especialmente no que diz respeito à valorização da atuação de Procuradores de Justiça nessas unidades, pontuando a pertinência de se pensar em uma nova performance de atuação desses membros. 

Ainda em sua fala, o novo presidente reafirmou compromisso do CNCG em fazer cumprir o papel do órgão na esfera dos colegiados que representam o MP brasileiro, ouvindo e discutindo os temas atinentes à Instituição. 

Também tomaram posse os Corregedores-Gerais Marco Antônio Alves Bezerra – 1º Vice-Presidente (MPTO); Samuel Pereira – 2º Vice-Presidente (MPM); Cleonice de Souza Lima – 1ª Secretária (MPBA); Silvio Cesar Maluf – 2º Secretário (MPMS); Motauri Ciocchetti de Souza – Diretor Financeiro (MPMS), e Marcelo Liscio Predotti – diretor de Comunicação (MPSP). 

Discursos – Ao fazer uso da palavra, o Procurador-Geral de Justiça de Rondônia, Ivanildo de Oliveira, destacou o comprometimento e preparo do empossado para o cargo, empenhando o apoio do Ministério Público rondoniense ao CNCG, órgão que, conforme pontuou, tem sido fundamental para o enfrentamento dos vieses e ataques de que o MP tem sido alvo nos últimos tempos.

“Contem com o apoio irrestrito do MP de Rondônia para que a gestão seja profícua e exitosa”, afirmou. 

Também ressaltando a biografia do novo presidente, o Corregedor Nacional, Oswaldo D’albuquerque, falou da vida exemplar e trajetória funcional do Procurador de Justiça como predicados que o habilitam para um exercício pleno à frente do CNCG. “Desejamos sucesso”, disse. 

Em mensagem enviada ao evento, a ex-Presidente do CNCG, Luciana Safra, ressaltou a importância da alternância de gestão como expressão da democracia, pontuando as lutas encampadas no período em que esteve à frente do Conselho. Na ocasião, frisou o papel do colegiado para o fortalecimento das causas do MP brasileiro.

A Procuradora desejou votos de amplas realizações à equipe que assume o órgão. Estiveram presentes ao evento, os Promotores de Justiça Valéria Giumelli Canestrini (Diretora do Centro de Atividades Extrajudiciais – CAEJ/MPRO); Marcelo Lima de Oliveira (Diretor da Escola Superior – ESMPRO) e Éverson Antônio Pini (Presidente da Associação do Ministério Público de Rondônia-AMPRO). CNCG – O Conselho Nacional dos Corregedores-Gerais foi instituído em 1994 tendo como objetivo contribuir para a defesa dos princípios, prerrogativas e funções institucionais do Ministério Público.

Também  são atribuições do órgão incentivar a integração das Corregedorias-Gerais dos Ministérios Públicos dos Estados e da União e promover o intercâmbio de experiências funcionais e administrativas.

Fonte: Assessoria

CN

Assembleia-Geral da ONU pede ‘fim imediato’ da guerra na Ucrânia

A nova resolução foi aprovada pela comunidade internacional com 140 votos a favor, 5 contra e 38 abstenções

A Assembleia-Geral da ONU voltou a pedir, nesta quinta-feira (24), o “fim imediato” das hostilidades da Rússia contra a Ucrânia, assim como “qualquer ataque contra civis e alvos civis”, na segunda resolução em menos de um mês, que não é vinculante.

Com 140 votos a favor, 5 contra e 38 abstenções, a comunidade internacional aprovou por esmagadora maioria essa nova resolução, apresentada pela Ucrânia e promovida por México e França, sobre as “consequências humanitárias da agressão” russa.

Belarus, Coreia do Norte, Eritreia, Síria e Rússia votaram contra, como fizeram na primeira resolução adotada em 2 de março. China, Bolívia, Cuba, El Salvador, Nicarágua e Irã são alguns dos 38 países que se abstiveram nesta votação.

Em um mês, a guerra no Leste Europeu provocou o deslocamento de 10 milhões de pessoas, entre elas 3,5 milhões refugiadas, metade das quais crianças.

Uma segunda resolução sobre a situação humanitária proposta pela África do Sul, em cujo texto não foi mencionada a Rússia — desejo de alguns países, liderados por Moscou, que afirmam que o conflito não deve ser “politizado” — foi rejeitada por 67 votos contra, 50 a favor e 36 abstenções.

O embaixador ucraniano na ONU, Sergiy Kyslytsya, tentou evitar a votação da segunda resolução, considerando que o texto “nunca foi produto de consultas com a Ucrânia ou consultas regionais”, ao contrário da primeira.

Esta é a segunda derrota consecutiva sofrida pela Rússia após na véspera a resolução apresentada por esse país, também sobre a situação humanitária, ser rejeitada no Conselho de Segurança, que só obteve os votos positivos do representante de Moscou e da China, enquanto o os restantes 13 membros se abstiveram.

Em 2 de março, em uma decisão histórica, 141 países votaram a favor de outra resolução condenando a invasão russa contra 35 abstenções (incluindo China, Cuba, Nicarágua, El Salvador, Bolívia, Índia, Irã, Iraque, Cazaquistão ou Paquistão) e cinco votos contra (Coreia do Norte, Síria, Belarus, Eritreia e a própria Rússia).

Nesta quinta-feira, outras importantes reuniões estão sendo realizadas para discutir o confronto entre russos e ucranianos.

O presidente americano Joe Biden viajou para Bruxelas, em seu primeiro compromisso na Europa desde o início da invasão russa, para participar de encontros com a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), com a União Europeia e com o G7, grupo das sete maiores economias do mundo.

Fala de Zelenski na Otan

O presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, falou na assembleia da Otan e pediu que a aliança envie equipamentos militares para ajudar na defesa do país contra o Exército russo.



“Vocês poderiam nos dar 1% de todos os seus aviões, 1% de seus tanques. Um por cento! Vocês têm pelo menos 20.000 tanques! A Ucrânia pediu que um por cento, um por cento de todos os seus tanques fossem doados ou vendidos para nós. Mas ainda não temos uma resposta clara”, declarou o líder ucraniano.

O secretário-geral da Otan afirmou na sequência que vai enviar mais tropas para a região e se comprometeu a dar o suporte necessário para que a Ucrânia se defenda de ataques biológicos, químicos, nucleares e cibernéticos

Fonte: R7

CN

Invasão russa completa hoje um mês e expõe uma Ucrânia devastada

Número de refugiados chega a quase 4 milhões

Hoje (24) completa um mês que a Rússia invadiu a Ucrânia. Os efeitos da guerra são devastadores. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), perto de 7 milhões de pessoas estão deslocadas internamente, e o número dos que fugiram para países vizinhos está se aproximando rapidamente de 4 milhões.

Isso significa que um em cada quatro ucranianos estão deslocados à força. De acordo com a Organização Internacional para as Migrações (OIM), um em cada três deslocados internos sofre de uma condição crônica.

Cerca de mil centros de saúde na Ucrânia estão perto de áreas de conflito e as consequências são acesso limitado ou inexistente a medicamentos e hospitais, o que significa que os tratamentos de doenças crônicas praticamente pararam.

A infraestrutura de saúde do país destruída e o fornecimento de suprimentos médicos interrompido representam uma grave ameaça para milhões de pessoas. Segundo a ONU, acredita-se que aproximadamente metade das farmácias da Ucrânia esteja fechada. Muitos profissionais de saúde estão deslocados ou incapazes de trabalhar.

Até 22 de março, a OMS havia verificado 64 ataques à saúde em 25 dias (entre 24 de fevereiro e 21 de março), causando 15 mortes e 37 feridos. Isso equivale a uma média de 2,5 ataques por dia.

“Os ataques à saúde são uma violação do direito internacional humanitário, e uma tática de guerra perturbadoramente comum – eles destroem a infraestrutura crítica, mas pior, destroem a esperança. Eles privam pessoas já vulneráveis ​​de cuidados que muitas vezes são a diferença entre a vida e a morte. Os cuidados de saúde não são – e nunca devem ser – um alvo”, disse Jarno Habicht, representante da OMS na Ucrânia.

Muitas pessoas continuam presas em áreas de conflito e, com os serviços essenciais suspensos, não conseguem acesso a comida, água e medicamentos. De acordo com a ONU, mais de 200 mil pessoas estão agora sem acesso à água em várias localidades no oblast de Donetsk, enquanto os constantes bombardeios na região de Luhansk destruíram 80% de algumas localidades, deixando 97.800 famílias sem energia.

A guerra já deixou mais de 2,9 milhões de crianças em extrema necessidade de assistência humanitária, segurança, proteção e apoio psicossocial. Mais de 1,5 milhão de crianças ucranianas já fugiram do país.

Fonte: Maria Claudia A/B

CN

Segunda audiência pública discutiu estudos para fornecimento de água tratada e esgotamento sanitário em Porto Velho

Edital para licitação deve ser publicado em aproximadamente 60 dias

Porto Velho está cada vez mais perto de iniciar sua universalização no fornecimento de água tratada, coleta e tratamento do esgoto sanitário. Um passo importante nesse sentido foi dado, na tarde da última quarta-feira (23), com a realização da segunda audiência pública para tratar do projeto de concessão.

“Esse é o prosseguimento dos trâmites para a concessão dos serviços de saneamento básico em Porto Velho. A primeira audiência aconteceu no dia 14 de fevereiro e hoje é a segunda e última. Vamos fazer um resumo do que foi tratado no primeiro encontro, agora junto aos líderes de comunidades e distritos”, explicou o secretário geral de Governo (SGG) e presidente da Comissão Especial da audiência pública, Fabricio Jurado.

Um dos objetivos da audiência foi esclarecer que não se trata de privatização dos serviços, pois o poder concedente é o município. A concessão hoje pertence à Caerd, uma empresa do Estado. Na prática, o município licitará uma nova concessão e quem vencer vai substituir a Caerd e executar os serviços pelos próximos 30 anos.

“Finalizando a segunda audiência pública, em aproximadamente 60 dias vamos lançar o edital de licitação”, acrescentou o secretário.

METAS

Conforme as metas estipuladas para assinatura do contrato, em cinco anos a vencedora do certame terá que fornecer a universialização de água tratada e dos serviços de tratamento de esgoto aos distritos. “Já aqui no distrito sede (capital), em quatro anos, 68% da população já vai estar recebendo água tratada, e em 10 anos atingirá a universalização. Em relação ao esgoto, em 10 anos a meta é atender 51% da população e em até 15 anos nós teremos a universalização desse benefício”, completou o titular da SGG.

PARTICIPAÇÃO

O secretário executivo do Conselho Gestor da Parceria Publico-Privada, Márcio Martins, disse que foram convidados todos os administradores dos distritos, representantes dos conselhos de cidade, lideranças de bairros e representantes de várias instituições, além de órgãos de controle.

“Nosso objetivo é que eles possam entender de fato o que se pretende fazer com a questão do saneamento básico em Porto Velho. Muita gente diz que é uma privatização, mas na verdade é uma concessão, pois não se privatiza o serviço público. Queremos que eles façam sugestões, críticas e considerações, para que a gente possa melhorar cada vez mais esse estudo”, afirmou.

RESULTADO

O resultado que se espera, de acordo com Márcio Martins, é que tudo aquilo que for colhido com essas duas audiências públicas possa enriquecer ainda mais os estudos, para que o edital de licitação traga de fato a solução ideal para esse problema histórico do município de Porto Velho, em se tratando de água tratada e esgotamento sanitário.

Fonte: Comdecom

CN