Um segredo guardado a mais de sete chaves

Um segredo guardado a mais de sete chaves

Quem o governador vai escolher para conselheiro do TCE?

Mais que a sete chaves. A nove ou dez. O segredo sobre a decisão do governador Marcos Rocha, em relação à indicação do novo conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, está apenas na cabeça dele e de uma ou outra pessoa de sua mais extrema confiança. Perguntado sobre o assunto, Rocha tem a resposta na ponta da língua: “é uma decisão muito difícil e muito pessoal”! Desde de que o conselheiro Benedito Alves (sem dúvida um dos mais destacados nomes, entre todos os que já passaram pelo Tribunal) anunciou sua aposentadoria, para assumir missão de grande relevância no exterior, as especulações começaram. Não faltam candidatos. Da Assembleia Legislativa, pelo menos três parlamentares apareceram com maiores chances. O principal (ainda o é): Luizinho Goebel, líder do Governo no Parlamento estadual, presidente regional do PSC, partido que é aliado de primeira hora de Rocha e, mais que isso, um parlamentar com vida pregressa ilibada, do alto dos seus vários mandatos. Também estão na lista, entre outros, os deputados Marcelo Cruz, presidente regional do Patriotas e o deputado Ismael Crispim, uma das maiores lideranças da região de São Francisco do Guaporé e da região central do Estado. Será um deles o escolhido? Enquanto a divulgação não é feita, aparecem até as Fake News, indicando este ou aquele possível coroado.

Uma das Fakes, que apareceram em conversas de bastidores, é de que Rocha poderia optar por alguém da sua confiança pessoal. Um destes nomes citados foi o do Tenente Davi Inácio, um importante membro do governo, comandando, hoje, a estrutura das representações da administração estadual por toda a Rondônia. Ele fez parte de toda a batalha do então candidato Marcos Rocha, quando, à época, o agora Governador sequer aparecia nas pesquisas. Junto com o atual diretor do DER, Elias Rezende e com dona Luana, esposa do Governador, Davi formava um triunvirato – eventualmente havia um quarto ou quinto elementos – ele participou de tudo. Acreditou no candidato e não saiu do lado dele, desde a primeira ida ao interior, até a vitória nas urnas. Amigo de primeira hora, considerado um personagem que atua com grande seriedade, sem nunca ser midiático, Davi teria dado uma mexida muito positiva nas representações do Governo em todo o interior rondoniense. Trabalha duro, mas nunca aparece sequer nas fotos, quando Rocha anda pelo Estado, anunciando ou entregando obras. Não há qualquer chance de que sua nomeação ocorra, a menos que ela fosse decidida apenas pelo coração, coisa que, ainda mais neste momento da política, obviamente não acontecerá. A verdade é que, ao menos até a noite desta quinta-feira, não havia qualquer indício de que o Governador já tivesse tomado alguma decisão. Pode-se dizer que ele está realmente com mais um dilema, entre tantos os que os governantes enfrentam em seus mandatos. Rocha diz que anunciará o indicado “no momento oportuno”! Ou seja, só se saberá a resposta, quando o Governador abrir as sete chaves e bater o martelo.

REUNIÃO COM MINISTRA TEREZA CRISTINA PODE DECIDIR SE PRODUÇÃO DE LEITE DE RONDÔNIA VIVE OU MORRE

A questão do leite em Rondônia, abordada neste espaço nesta semana, terá um dia de importância decisiva, nesta sexta-feira, em Brasília. Os representantes dos produtores rondonienses, liderados, entre outros representantes da categoria, por Rui Barbosa, presidente da Comissão Estadual do Leite, conseguiram com que a bancada federal se mobilizasse, A deputada Jaqueline Cassol conseguiu uma audiência de emergência com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina. Já teriam confirmado participação no encontro, pelo menos dois outros parlamentares: o coordenador da bancada e o deputado Léo Moraes, segundo informou Rui Barbosa. Basicamente, o problema é a decisão do Ministério da Economia, que zerou o imposto de importação sobre o queijo estrangeiro. Com isso, o queijo rondoniense (que, aliás, abastece a maioria das grandes pizzarias de São Paulo, apenas para citar um exemplo concreto) não teria mais condições de concorrer com os estrangeiros. Resumindo: seria uma tragédia para o setor, que, aliás, vem decaindo muito nos últimos anos. Nossa produção, que já chegou a três milhões de litros por dia, hoje está na metade e, pior, caindo. Nos próximos dias saberemos se a decisão do Ministério da Economia será mantido ou não. Dela, poderá depender a sobrevivência ou a morte da produção leiteira rondoniense.

ASSASSINO, CONDENADO A 21 ANOS, TERÁ DIREITO A SAÍDAS PARA COMEMORAR O DIA DOS PAIS?

O que se espera é que, as benevolentes leis brasileiras, amicíssimas dos bandidos, não sejam usadas, de novo, em outro caso de crime brutal, desta vez ocorrida em Ariquemes. Um filho, apenas por causa de um negócio simples, envolvendo um carro, matou covardemente seu pai a facadas. O caso aconteceu no final de 2019. Nesta semana, o assassino foi condenado num juro popular, presidido pela juíza Larissa Alencar, que aplicou ao condenado uma pena dura, mas das mais justas: 21 anos de prisão. O problema é que, daqui a três anos e cinco meses, o matador pode começar a ter benefícios desta legislação pornográfica, que pune a sociedade e protege o crime. Talvez, já em 2023, caso o condenado estivesse preso (todo o período em que ele passou da cadeia é descontado da pena final), ele já possa pedir a liberdade provisória. Caso fique na cadeia, contudo, pode, no Dia dos Pais, ser libertado, para comemorar a data. Coisas assim se repetem todos os dias, onde gente que comete os crimes mais violentos, cruéis e covardes, em pouco tempo é beneficiada de todas as formas, enquanto os mortos foram condenados a penas eternas. Lembremo-nos de Suzane von Richthofen, que planejou e ajudou a matar seus pais e que já foi beneficiada com várias saídas da cadeia para comemorar o Dia das Mães, entre outras datas festivas. Até quando a sociedade brasileira vai suportar estas aberrações?

DELTAN DALLAGNOL RECEBE MEIO MILHÃO DE REAIS EM DOAÇÕES PARA PAGAR INDENIZAÇÃO

Prepare seu bolso. A exemplo do ex-procurador do MPF, Deltan Dallagnol, que terá que indenizar o ex-presidente Lula, agora transformado em vítima pelo STF e decisões de tribunais federais, o brasileiro comum, aquele que vociferou contra o petista nas redes sociais e o chamou de vários apelidos como ladrão, gatuno e chefe de quadrilha, poderá, em breve, responder ante os tribunais e, ainda, ter que pagar indenizações ao que se autodenomina como o mais honesto de todos os brasileiros. Dallagnol foi um dos principais acusadores de Lula durante toda a Operação Lava Jato e condenado por ter exorbitado de suas funções e exposto o político que lidera todas as pesquisas para novo mandato (há quem acredite seriamente nisso!) ao escárnio público. O valor a ser pago é de próximo a 70 mil reais, mas que pode superar 100 mil reais, com juros e multas. Como os brasileiros decentes ainda são a maioria, centenas deles se propuseram, sem serem convocados, a ajudar o ex-procurador a quitar sua dívida. A tal ponto que, em sua conta bancária pessoal, em 24 horas, foram depositados mais de 500 mil reais em doações. Deltan Dallagnol avisou que vai recorrer da decisão e que, caso vença os recursos, todo o dinheiro que recebeu será doado para instituições de caridade.

EX-GOVERNADOR JOSÉ BIANCO PERDE MAIS UM IRMÃO EM DOIS ANOS. ATAQUE CARDÍACO LEVOU ARNALDO BIANCO

Esta semana, Rondônia perdeu mais um dos personagens dos mais importantes, em determinado momento da sua história. Arnaldo Bianco faleceu aos 76 anos, de um ataque cardíaco fulminante em Londrina, onde estava morando. Irmão do ex-governador José Bianco e uma das pessoas mais chegadas a ele, Arnaldo foi um secretário do Planejamento com enorme poder. Há quem diga que o Governador e duas vezes Prefeito de Ji-Paraná, não tomava nenhuma decisão importante sem discuti-la com o irmão. Arnaldo comandou o Planejamento do Estado durante o único mandato de José Bianco (janeiro de 1999 a janeiro de 2003) e foi uma figura das mais respeitadas, por seus conhecimentos não só técnicos, mas também políticos. Arnaldo é o segundo irmão que o ex-governador José Bianco em pouco tempo. Em março de 2020, Antônio Bianco Filho faleceu em 5 de março, vítima de uma série de problemas de saúde. Consternado com tantas perdas em tão pouco tempo, José Bianco, pessoas das mais respeitadas em todas as regiões do Estado, foi alvo de grande solidariedade, vinda de todos os setores da sociedade rondoniense.

VIANA, MESTRE DA CIÊNCIA POLÍTICA, ACONSELHA SEU AMIGO VINICIUS MIGUEL A NÃO CONCORRER AO GOVERNO

Nas redes sociais, um depoimento/conselho do professor de Ciência Política da Unir, merece destaque, por uma demonstração não só de amizade pessoal profunda, mas também como por ser um eleitor fiel. O texto, como sempre de alto nível, é assinado pelo conhecido professor João Paulo Viana e dirigido ao também professor e advogado Vinicius Miguel. Viana disse ser contra a disputa ao Governo e explicou: “Vinicius é hoje uma grande liderança política do Estado. Não é apenas um jovem intelectual que aspira a vida política. É alguém já testado na vida pública e que tem voto. Foi um excelente Secretário no período em que esteve na administração municipal. Porém, não há como competir, nesse momento, com políticos conservadores, com grande poderio econômico, inclusive, com a máquina na mão”. Ponderou ainda que “por isso, a hora agora é de garantir um mandato. E renovar a representação política rondoniense. Seja na Câmara dos Deputados ou na Assembleia Legislativa. Tenho absoluta certeza de que, se eleito, honrará cada voto conquistado. No contexto de um estado dominado politicamente por forças conservadoras, o professor da Universidade Federal de Rondônia, cientista político e advogado, Vinicius Miguel, seria um grande diferencial na politica rondoniense. Imaginem Vinicius no parlamento legislando e fiscalizando o Executivo…Já pensou?” No final, uma declaração pública de apoio de uma figura das mais respeitadas, entre o mundo da política: “Enquanto ele continuar colocando seu nome à disposição do povo de Rondônia, votarei nele!” O conselho está dado!

JUSTIÇA DE ARIQUEMES MANDA RETIRAR DA RUA OUTDOOR OFENSIVO AO EX-PRESIDENTE LULA

Outdoors contra o ex-presidente Lula proliferam em dezenas de cidades brasileiras. Patrocinados, obviamente, por bolsonaristas. Do Rio Grande do Sul a capitais do nordeste; do Paraná a localidades do Pará, principalmente representantes do agronegócio promovem campanha dura contra o candidato petista, que aparece liderando todas as pesquisas país afora, mas que não anda pelas ruas, porque tem sofrido ofensas de toda a ordem, quando se arrisca a fazê-lo. No Rio Grande do Sul, há alguns meses, sua caravana foi atacada com ovos jogados contra o ônibus que o transportava e proibido de entrar numa cidade. No geral, estes protestos têm sido tolerados pela Justiça Eleitoral, como demonstrações do direito à opinião e à crítica. Mas em Ariquemes, o caso foi diferente. Decisão da Justiça Eleitoral daquela cidade determinou a retirada imediata de um outdoor, instalado há várias semanas, com ofensas e ataques a Lula. A colocação da placa foi considerada como propaganda eleitoral antecipada e os responsáveis têm apenas 36 horas para retirá-la. Não há notícias, ao menos até agora, de decisões semelhantes, por exemplo, em cidades do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul, onde outdoors semelhantes proliferam.

ONDE FORAM PARAR MAIS DE 1 MILHÃO E 300 MIL REAIS DO FUNDO PARTIDÁRIO DO NANICO PSTU?

De outro lado, ainda no contexto da Justiça Eleitoral, uma decisão anunciada pelo TSE deixou transparente a farra com dinheiro público, feita por alguns partidos nanicos, alguns deles que surgem apenas durante os períodos eleitorais. Dessa vez, quem foi pego com a mão na massa foi o anão Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado, o tal de PSTU, que existe há vários anos, some fora dos períodos eleitorais e, mesmo tendo recebido muito dinheiro, jamais conseguiu eleger um só de seus membros para nenhum cargo. De extrema-esquerda, o PSTU defende a revolução do proletariado, não aceita aliança com nenhum outro partido e vocifera contra a corrupção no Brasil. Seu dono é José Maria de Almeida, o Zé Maria, ex-metalúrgico e que aparece apenas na disputa das eleições presidenciais, que disputou em 1998, 2002, 2010 e 2014. O TSE condenou o PSTU a devolver nada menos do que 1 milhão e 300 mil reais de verbas do Fundo Partidário, gastos em 2016, sem a devida e correta prestação de contas. É apenas uma gota d´água na orgia financeira que mantém vivos pequenos partidos, cujos líderes vivem dessa grana, que jorra do bolso do pobre contribuinte, para bancar essa pornográfica sucessão de eleições e de distribuição de dinheiro público. Isso sem contar os nanicos que são apenas balcões de negócios. A política brasileiro, do jeito que está, tem cura?

PERGUNTINHA

Você acredita na pesquisa do Instituto DataFolha, (registrada sob o número 08967/2022, no TSE) e divulgada nesta quinta-feira, apontando que Lula tem 43 por cento de intenções de voto e Bolsonaro apenas 26 por cento?

Por Sergio Pires

Compartilhar

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

%d blogueiros gostam disto: