Biden pede ao Congresso dos EUA que aumente investimento na Ucrânia

Biden pede ao Congresso dos EUA que aumente investimento na Ucrânia

O EUA também destinou financiamento para a OTAN e iniciativas semelhantes.

O presidente dos EUA defendeu um maior investimento nas Forças Armadas do país e na Ucrânia em um discurso ao Congresso.

Joe Biden, presidente dos EUA, emitiu na segunda-feira (28) uma declaração pedindo para continuar o investimento de resposta à crise na Ucrânia apoiando suas necessidades básicas.

“Estou pedindo um investimento contínuo para responder assertivamente à agressão de [presidente russo Vladimir] Putin contra a Ucrânia com o apoio dos EUA às necessidades econômicas, humanitárias e de segurança da Ucrânia”, diz o comunicado.

“Adicionalmente, o orçamento fornece perto de US$ 1 bilhão [R$ 4,8 bilhões] em assistência à Ucrânia para o Departamento de Estado, USAID [Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional, na sigla em inglês] e Departamento de Defesa para contrariar a influência maligna russa e para atender às necessidades emergentes relacionadas à segurança, energia, questões de cibersegurança, desinformação, estabilização macroeconômica e resiliência da sociedade civil”, continua.

A administração Biden também destinou financiamento para a OTAN e iniciativas semelhantes.

“O orçamento inclui US$ 6,9 bilhões [R$ 33,14 bilhões] para a Iniciativa de Dissuasão Europeia, a Organização do Atlântico do Norte (OTAN), e contrariar agressão russa para apoiar a Ucrânia, a forte parceria dos Estados Unidos com aliados da OTAN, e outros Estados parceiros europeus, aumentando o financiamento para melhorar as capacidades e prontidão das forças dos EUA, dos aliados da OTAN e parceiros regionais, face à agressão russa”, disse.

Biden pretende igualmente que o orçamento do ano fiscal de 2023 (de 1º de outubro de 2022 a 30 de setembro de 2023) contenha um dos maiores investimentos de todos os tempos na segurança nacional dos EUA.

“Estou pedindo um dos maiores investimentos da história na nossa segurança nacional, sendo os fundos necessários para assegurar que as nossas Forças Armadas permaneçam as melhor preparadas, melhor treinadas e melhor equipadas no mundo”, apontou.

O orçamento exige US$ 773 bilhões (R$ 3,71 trilhões) em fundos discricionários para o Departamento de Defesa dos EUA, um aumento de US$ 69 bilhões (R$ 331,45 bilhões) relativamente a 2021, segundo o orçamento de 2023 da Casa Branca.

“Adicionalmente, o orçamento fornece US$ 672 milhões [R$ 3,23 bilhões] para a Ucrânia, um aumento de US$ 219 milhões [R$ 1,05 bilhão] acima do nível promulgado em 2021, para contrariar influência maligna russa e para atender às necessidades emergentes relacionadas à segurança, energia, questões de cibersegurança, desinformação, estabilização macroeconômica e resiliência da sociedade civil”, segundo a proposta de orçamento.

O documento da Casa Branca ainda quer continuar projetando a influência dos EUA na região do Indo-Pacífico.

“Para apoiar a liderança americana em defender a democracia, liberdade e segurança mundialmente, o orçamento inclui perto de US$ 1,8 bilhão [R$ 8,65 bilhões] para apoiar uma região do Indo-Pacífico livre e aberta, conectada, segura e resiliente, e a estratégia do Indo-Pacífico, e US$ 400 milhões [R$ 1,92 bilhão] para o Fundo para Contrariar a Influência Maligna da República Popular da China“, lista a declaração.

Fonte: Sputnik

Compartilhar

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

%d blogueiros gostam disto: