‘Dia D’ de vacinação contra gripe e sarampo acontece no sábado (30), em Porto Velho

Três pontos estarão abertos para atender a população. Veja quem pode ser vacinado.

A prefeitura de Porto Velho realiza no sábado (30), o ‘Dia D’ de vacinação contra a gripe e sarampo. Segundo a prefeitura, o atendimento vai acontecer nas Unidades de Saúde do município, no Porto Velho Shopping e no IG Shopping. O público alvo da vacina contra a gripe é:

  • Idosos,
  • Gestantes,
  • Puérperas,
  • Povos indígenas,
  • Professores,
  • Pessoas com comorbidades,
  • Pessoas com deficiência permanente,
  • Profissionais da saúde,
  • Caminhoneiros,
  • Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário,
  • Trabalhadores portuários,
  • Forças de segurança e salvamento,
  • Forças armadas,
  • Funcionários do sistema de privação de liberdade,
  • População privada de liberdade,
  • Adolescentes e jovens em medidas socioeducativas.

Já o público alvo da vacina contra o sarampo será, neste primeiro momento, para profissionais de saúde e crianças de 6 meses a 4 anos, 11 meses e 29 dias.

De acordo com a prefeitura, os moradores dos condomínios Cristal da Calama, Orgulho do Madeira e Morar Melhor serão atendidos em outra programação, ainda não informado pela administração municipal.

Fonte: Semusa

CN

Tropa da Marinha recebe certificação máxima para missões de paz da ONU

Grupamento é o único disponível no momento para atuação no mundo

Pela primeira vez, uma tropa brasileira recebeu a certificação nível 3 da Organização das Nações Unidas (ONU) para atuação no Sistema de Prontidão de Capacidades de Manutenção da Paz, que organiza as chamadas missões de paz. Essa é a certificação máxima da ONU e, no momento, o grupamento brasileiro é o único disponível no mundo com esse nível para acionamento em caso de necessidade.

O Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais de Emprego Rápido em Força de Paz foi notificado da certificação no dia 18 e, nesta semana, fez exercícios de treinamento, com demonstrações na quinta-feira (28) para autoridades militares, estudantes de relações internacionais, aspirantes da Escola Naval e a imprensa, no Complexo Naval da Ilha do Governador, zona norte no Rio de Janeiro.

A tropa da Divisão Anfíbia é formada por 220 militares, sendo 10% de mulheres, organizada em três componentes: comando, combate terrestre e apoio de serviços ao combate. O comandante da Força de Fuzileiros da Esquadra, vice-almirante Carlos Chagas Vianna Braga, destacou que a atuação ocorre também em emergências no Brasil, como a de Petrópolis, em fevereiro, e a Operação Acolhida, de atendimento humanitário aos refugiados e migrantes venezuelanos em Roraima.

“Somos uma tropa profissional, de pronto emprego e expedicionária. No início deste ano, em menos de seis horas, chegamos a Petrópolis para prestar ajuda à população, duramente atingida pelas chuvas. Também temos tido atuações importantes nas operações de paz, sempre em prol dos interesses internacionais do Brasil, como no Haiti e no Líbano.”

Os exercícios incluíram o estabelecimento de corredores humanitários com emprego de carros lagarta anfíbios; ações de ajuda humanitária com equipe de engajamento, composta por 50% de mulheres; desativação de artefatos explosivos com utilização de robôs; emprego gradual da força e progressão em ambiente urbano com tiro tático e munição real.

O grupamento coloca à disposição das missões de paz viaturas blindadas, anfíbias, para transporte não especializado, frigorífica, cisternas de combustível e de água, além de equipamentos de engenharia como pá carregadeira e retroescavadeira. Também foi apresentada a Base de Operações Temporárias, que pode ser montada em três dias com capacidade para 250 militares, incluindo unidade médica, odontológica, banheiros, cozinha, estação de tratamento de água e coleta de esgoto.

Certificação

A vistoria da ONU foi feita em julho do ano passado, e a expectativa da Marinha era atingir o nível 2 de certificação. Segundo o Ministério da Defesa, o Sistema de Prontidão foi criado em 2015, e o Brasil já tinha tropas da Marinha e do Exército no nível 2. Atualmente, o país tem oito tipos de unidades prontas para entrar em ação se acionadas pela ONU e pelo governo, além desse grupamento nível 3, o único disponível no momento em todo o mundo com essa certificação.

No nível 1, o País Contribuinte de Tropa ou Policial (TCC/PCC, do inglês Troop/Police Contributing Country) manifesta oficialmente o interesse em oferecer uma capacidade em força de paz a ser empregada em missões. O nível 2 significa que o Secretariado das Nações Unidas verificou os requisitos previstos para a qualificação em vistoria e assessoramento. E no nível 3 é confirmado o grau de preparação que atende às condicionantes da ONU.

O relatório da ONU sobre o grupo da Divisão Anfíbia destacou que “os Fuzileiros Navais do Brasil possuem mentalidade expedicionária, móvel e ágil; altos padrões de prontidão operativa e de pessoal; forte comando e controle; elevada moral e disciplina e são bem treinados.”

O vice-almirante Carlos Chagas Vianna Braga destaca que, para atingir esse nível, os batalhões passam pelo treinamento chamado de “pacote azul”, com as particularidades requeridas pela ONU para se tornar um “boina azul” ou “capacete azul”, como são conhecidos os integrantes das forças de paz.

“O pacote verde é aquele treinamento que todas as forças fazem naturalmente, um treinamento de infantaria básica, de tiro, um treinamento de direção. Agora tem a legislação específica da ONU, como a ONU funciona, algumas habilidades que só são utilizadas na ONU, a questão das mulheres, paz e segurança, tudo isso faz parte do que a gente chama de pacote azul.”

Participação brasileira

De acordo com o subchefe de Operações Internacionais do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, do Ministério da Defesa, brigadeiro do ar Álvaro Marcelo Alexandre Freixo, o Brasil atua no momento em 11 missões de paz, com um total de 79 militares ou policiais, em locais como o Chipre, República Centro-Africana, Saara Ocidental, República Democrática do Congo, Guiné Bissau, Sudão e Sudão do Sul.

“Nós temos missões individuais, com oficiais do Estado-Maior, observadores, que compõem um outro contingente, de uma outra missão que está acontecendo sobre responsabilidade de outro país. Nós temos também vários force commander no mundo, pela nossa capacidade de realmente atuar bem. Então nós temos dois ou três generais espalhados pelo mundo que são chefes de uma missão, ainda que nós não tenhamos um contingente ali.”

As últimas participações em que o Brasil enviou tropas foram a Missão das Nações Unidas para Estabilização do Haiti (Minustah), de maio de 2004 a outubro de 2017, com 36 mil militares, e a Força-Tarefa Marítima da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL), de janeiro de 2011 a dezembro de 2020, com 4 mil participantes.

O professor do Instituto de Relações Internacionais da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC- Rio), Ricardo Oliveira, integrante da Rede Brasileira de Pesquisa sobre Operações de Paz, explica que a iniciativa de uma missão de paz começa com um levantamento das Nações Unidas sobre as demandas de segurança no sistema internacional.

“Então a ONU identifica no âmbito do Conselho de Segurança, também no âmbito da Assembleia Geral, algumas situações, alguns cenários de crise que demandam essa intervenção. Claro que é uma decisão ultimamente política. O Conselho de Segurança aciona o Secretariado-Geral, que por sua vez faz uma consulta com os Estados-Membros para saber se eles estão dispostos a contribuir com os esforços de manutenção da paz e da segurança internacional.”

Depois desse contato, o país consulta órgãos nacionais como as Forças Armadas e os ministérios das Relações Exteriores, da Defesa e da Economia. Para Oliveira, a participação do Brasil nas missões contribui para a diplomacia do país, bem como para atuação no próprio território.

“Essa contribuição é muito importante não apenas para tornar o Brasil um importante ator nos assuntos de segurança internacional, mas também reverbera positivamente do ponto de vista doméstico, da expertise alcançada no que diz respeito à aquiescência desses padrões internacionais de manutenção da paz e da segurança nacional. Então o nível de excelência aqui alcançado permite com que o Brasil difunda essa expertise, esse know how, inclusive para treinar outros contingentes ao redor do mundo no sistema internacional.”

Desde 1948, o Brasil participou de 50 missões de paz da ONU, envolvendo quase 60 mil militares.

O brigadeiro do ar Álvaro Marcelo Alexandre Freixo destaca o trabalho para coibir eventuais irregularidades na atuação das tropas, como casos de abuso e exploração sexual. Segundo ele, a ONU cobra dos Estados-Membros rigor na conduta dos enviados e na apuração de denúncias.

Todos os anos, as Nações Unidas atualizam um relatório com levantamento dos casos e medidas especiais de proteção contra a exploração e abuso sexual. Segundo o último relatório, lançado em março, em 2021 foram recebidas 445 denúncias. No ano anterior, foram 387. Do total de 2021, 194 denúncias foram recebidas em todo o sistema, sendo 75 relacionadas à manutenção da paz, 115 a entidades das Nações Unidas e quatro envolvendo forças de segurança não pertencentes à ONU anteriormente destacadas. Além disso, 251 alegações envolveram entidades não relacionadas à ONU, como organizações não governamentais.

Freixo destaca que, no caso do Brasil, as devidas investigações têm sido feitas. “Toda vez que é feita uma denúncia ou uma suspeita, tem uma investigação por parte do Ministério da Defesa junto às forças. Isso é cobrado e a gente envia todos os relatórios, até mais do que a ONU pede. A ONU normalmente pede um investigador e um relatório, e a partir daí é informado um resultado. Nós mandamos todos os processos, foram muito poucos, por volta de dois ou três na história. Nós insistimos nesse pacote azul e não vai haver nenhuma forma de denúncias não serem apuradas com o rigor da lei.”

Ele explica que a agenda de paridade de gênero adotada pela ONU também é uma forma de coibir esse tipo de problema. “Esse é um grande pedido da ONU para nós, justamente para dar mais confiabilidade nas missões de paz, porque é muito complicado para uma mulher que está sofrendo esse tipo de abuso, se abrir com um homem, por mais que tenha condições. Então por isso essa insistência e cobrança da ONU de níveis percentuais de participação de mulheres e a gente tem feito isso muito bem”, disse.

Fonte: Juliana Andrade A/B

CN

Trabalhadores nascidos em fevereiro podem sacar até R$ 1 mil no FGTS

Quem não tiver depósito automático deve pedir liberação

A partir de hoje (30), os trabalhadores nascidos em fevereiro receberão até R$ 1 mil das contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A Caixa Econômica Federal depositará o dinheiro na conta poupança digital, usada para o pagamento de benefícios sociais e previdenciários.

Os valores só podem ser movimentados por meio do aplicativo Caixa Tem, que permite o pagamento de contas domésticas e a realização de compras virtuais em estabelecimentos não conveniados. O Caixa Tem também permite o saque em caixas eletrônicos e a transferência para a conta de terceiros.

O trabalhador precisará ficar atento. A maioria dos cerca de 42 milhões de trabalhadores receberá o dinheiro automaticamente, na conta poupança social digital da Caixa. No entanto, em caso de dados incompletos que não permitam a abertura da conta digital, o trabalhador terá de pedir a liberação dos recursos.

Todo o processo para pedir o saque será informatizado. O trabalhador não precisará ir à agência da Caixa, bastando entrar no aplicativo oficial do FGTS, disponível para smartphones e tablets, e inserir os dados pedidos.

O aplicativo está dando a opção para o trabalhador pedir o crédito em qualquer conta corrente ou poupança de qualquer banco. A possibilidade, no entanto, só vale para quem aceitar fornecer documento oficial com foto para cadastrar a biometria.

Pelo calendário divulgado em março, a liberação dos recursos segue cronograma baseado no mês de nascimento. O dinheiro será liberado em etapas até 15 de junho, quando recebem os nascidos em dezembro.

Retirada

Outro ponto a que o trabalhador precisa ficar atento é a retirada do dinheiro. Os recursos estarão disponíveis até 15 de dezembro e voltarão para a conta vinculada do FGTS depois dessa data, caso o dinheiro não seja gasto, retirado ou transferido para conta corrente.

O dinheiro não movimentado será restituído ao FGTS, com correção pelo rendimento do Fundo de Garantia correspondente ao período em que ficou parado na conta poupança digital.

Consulta

Para saber se receberá automaticamente o dinheiro ou se precisará pedir o saque, o trabalhador deve fazer uma consulta. O processo pode ser feito tanto no site fgts.caixa.gov.br quanto pelo aplicativo FGTS. O site informa apenas a data da liberação e se o crédito será feito de forma automática. O aplicativo tem mais funcionalidades, como a consulta aos valores, a atualização dos dados da conta poupança digital e o pedido para desfazer o crédito e manter o dinheiro na conta do FGTS.

Confira o calendário de depósitos:

Mês de nascimento        Data da liberação
Janeiro                            20 de abril
Fevereiro                        30 de abril
Março                              4 de maio
Abril                                11 de maio
Maio                                14 de maio
Junho                              18 de maio
Julho                               21 de maio
Agosto                             25 de maio
Setembro                         28 de maio
Outubro                           1º de junho
Novembro                        8 de junho
Dezembro                        15 de junho

Fonte: Graça Adjuto A/B

CN

Presidente Alex Redano convida prefeitos, vereadores e lideranças para o 3º Fórum dos Legisladores Municipais

Evento, patrocinado pela Assembleia Legislativa e promovido pela Escola do Legislativo, vai ocorrer na próxima semana.

Por iniciativa da Assembleia Legislativa, através da Escola do Legislativo, será realizado na Casa de Leis, nos dias 3, 4 e 5 de maio (próxima semana), o 3º Fórum dos Legisladores Municipais do Estado de Rondônia.

O presidente do Parlamento Estadual, Alex Redano (Republicanos), convidou aos prefeitos, vereadores, secretários municipais e demais lideranças e a sociedade, para participarem dos debates que serão realizados nos três dias do evento. 

“Serão temas e palestrantes importantes, com a discussão de interesses das autoridades municipais e também da sociedade. Quero convidar a todos para participarem dos debates, estamos de portas abertas para recebê-los aqui na Assembleia Legislativa”, destacou Redano.

A solenidade de abertura do 3º Fórum dos Legisladores está prevista para ocorrer às 08h15, do dia 3 de maio, na Assembleia Legislativa.

Programação

O evento contará com palestras e debates, com as presenças confirmadas do ministro do Tribunal de Contas da União, Benjamim Zymler, com o tema “A possibilidade de serem editadas lei municipais dispondo sobre normas especificas de licitação e contratação com base na lei 14133 (nova lei de licitações)”: Jorge Ulisses Jacoby Fernandes, ex-Conselheiro e Procurador do TCE-DF, com a palestra: “Controle Municipal Pelas Câmaras: Responsabilidade Contábil, Civil e Criminal dos Prefeitos”. Amadeu Guilherme Matzenbacher Machado, ex Presidente do TCE-RO, com a palestra: “Legislar é estabelecer limites; é via de solução para impasses sociais. Edilson de Souza Silva, Conselheiro do TCE – RO, com a palestra: “Papel das Câmaras Após Apreciação das Contas dos Prefeitos”; Benedito Antônio Alves, Conselheiro do TCE-RO, com a palestra: “O Papel Orientativo/Preventivo dos Tribunais de Contas”.

Wilber Carlos dos Santos Coimbra, vice-presidente do Tribunal de Contas do Estado de RO, com a palestra:

“A efetividade da confiança e legitimidade do legislador municipal sob a égide do Estado Constitucional Brasileiro”.

Florian Madruga, presidente da ABEL, com a palestra: “Criação de Escolas do Legislativo nas Câmaras Municipais”.

Patrícia Margarida Oliveira Costa, presidente da Associação de Controladores de RO, com a palestra: “Controle Interno nas Câmaras de Vereadores”.

Carlos Guilherme Lopes Machado, empresário criador da Jus Consultare, com a palestra: “Capacitação Continuada e a Ferramenta Jus Consultare”.

Texto: Eranildo Costa Luna – ALE/RO

CN

Em coletiva, deputados destacam a importância do 3º Fórum dos Legisladores Municipais

Evento vai ocorrer na próxima semana e terá palestras e debates importantes para os legisladores municipais.

O deputado Jean Oliveira (MDB), 1º vice-presidente da Assembleia Legislativa, comandou na manhã desta sexta-feira (29), no Salão Nobre, uma coletiva para mostrar a importância do 3º Fórum dos Legisladores Municipais do Estado de Rondônia, evento que será realizado na Casa de Leis, nos dias 3, 4 e 5 de maio (próxima semana). Os deputados Cassia Muleta (Podemos), Ribamar Araújo (PL) e Eyder Brasil (PL) também estavam presentes à coletiva. O presidente do Parlamento Estadual, Alex Redano (Republicanos), tinha um compromisso e por isso não pode estar presente. “Essa iniciativa da Assembleia deveria ter sido realizada em 2020, mas a pandemia impediu. Temos hoje 70% dos vereadores de Rondônia em seu primeiro mandato e é importante o acesso à informações importantes, que possam contribuir para o fortalecimento da atuação dos vereadores, com a sociedade ganhando com um trabalho mais qualificado e eficiente de seus representantes”, destacou Jean.

Para o deputado, “levar formação aos vereadores, garante uma representatividade maior e um legislativo municipal fortalecido. Teremos palestras de profissionais qualificados e de renome nacional, com temas de interesse dos vereadores”.
Vereadores, assessores, prefeitos, secretários municipais e a sociedade, estão convidados para participarem dos debates que serão realizados nos três dias do evento. A solenidade de abertura do 3º Fórum dos Legisladores está prevista para ocorrer às 08h15, do dia 3 de maio, na Assembleia Legislativa.

Programação

O evento contará com palestras e debates, com as presenças confirmadas do ministro do Tribunal de Contas da União, Benjamim Zymler, com o tema “A possibilidade de serem editadas lei municipais dispondo sobre normas especificas de licitação e contratação com base na lei 14133 (nova lei de licitações)”.

Jorge Ulisses Jacoby Fernandes, ex-Conselheiro e Procurador do TCE-DF, com a palestra: “Controle Municipal Pelas Câmaras: Responsabilidade Contábil, Civil e Criminal dos Prefeitos”.

Amadeu Guilherme Matzenbacher Machado, ex Presidente do TCE-RO, com a palestra: “Legislar é estabelecer limites; é via de solução para impasses sociais.

Edilson de Souza Silva, Conselheiro do TCE – RO, com a palestra: “Papel das Câmaras Após Apreciação das Contas dos Prefeitos”.

Benedito Antônio Alves, Conselheiro do TCE-RO, com a palestra: “O Papel Orientativo/Preventivo dos Tribunais de Contas”.

Wilber Carlos dos Santos Coimbra, vice-presidente do Tribunal de Contas do Estado de RO, com a palestra: “A efetividade da confiança e legitimidade do legislador municipal sob a égide do Estado Constitucional Brasileiro”. 

Florian Madruga, presidente da ABEL, com a palestra: “Criação de Escolas do Legislativo nas Câmaras Municipais”.

Patrícia Margarida Oliveira Costa, presidente da Associação de Controladores de RO, com a palestra: “Controle Interno nas Câmaras de Vereadores”.

Carlos Guilherme Lopes Machado, empresário criador da Jus Consultare, com a palestra: “Capacitação Continuada e a Ferramenta Jus Consultare”.

Texto: Eranildo Costa Luna – ALE/RO

CN

Denuncia: Irregularidades no governo Marcos Rocha, algo já mais visto em governos anteriores

Uma licitação que leva em média 30 dias para ser realizada o governo realizou em três dias.

Mais uma denúncia envolvendo o Governo de Rondônia, desta vez com um agravante, pois engloba de uma só vez o Departamento de Estradas e Rodagens (DER) e a Superintendência Estadual de Licitações (Supel).

O Correio de Notícia recebeu uma denúncia grave contra o Governo de Rondônia. Segundo o denunciante, visando um suposto favorecimento e conchavos políticos, o governo Marcos Rocha, através do Departamento de Estradas e Rodagens (DER) e a Superintendência Estadual de Licitações (Supel), teria habilitado uma empresa para eventuais e futuras aquisições de Tubos PEAD.

O problema é que, segundo a denuncia, o pregoeiro habilitou a empresa com atestado de capacidade técnica incompatível/inferior “tubos em PVC” ao exigido no edital e seus anexos, que de forma expressa são tubos PEADs. Isso demonstra incompatibilidade e ilegalidade, contrariando o julgamento objetivo como prevê o art 3º da lei 8.666/93.

Diante do suposto favorecimento, a empresa concorrente interpôs recurso contra a habilitação da empresa ganhadora, visto que no atestado de capacidade técnica foi apresentado “tubos em PVC”, sendo que o exigido no edital e seus anexos são tubos PEADs. “Isso é muito grave e deve ser investigado.”

Em consequência do exposto, segundo o denunciante, a pressa do pregoeiro em habilitar a empresa com atestado de capacidade técnica incompatível/inferior teria o objetivo de favorecer um determinado vereador da base aliada do governador e com isso, garantir seu apoio no próximo pleito eleitoral. Essa teria sido a causa da pressa, segundo o denunciante.

“[O fato] não é por si só privilegiar alguém, mas é sem dúvida, criminógeno. Infelizmente na administração pública ainda temos pessoas desonestas, que cria facilidades para a corrupção. Entretanto, em um país com instituições sólidas como este, certamente, creio que um caso como este deverá ser investigado pelo ‘Ministério Público’.”

Histórico

O mais interessante é que, conforme as informações, os técnicos teriam sido supostamente instituídos para tornar a tramitação do processo mais célere. Para se ter uma ideia, em 3 dias fizeram o que normalmente levaria no mínimo entre 20 a 30 dias para ser feito. Em um dia deram o parecer jurídico, no outro homologaram a licitação no DER e no mesmo dia já devolveram o processo para à Supel e fizeram o registro da ata de preços.

Diante desse grave acontecimento, o jornal Correio de notícia foi procurado para noticiar a suposto favorecimento cometido no governo Marcos Rocha. Até aqui, é o mínimo a ser feito.

Além de informar, criticar e mostrar fatos positivos e negativos do dia a dia, papel importantíssimo da imprensa é reivindicar benefícios para a comunidade. Quando há denúncias, a intenção é buscar junto aos responsáveis, autoridades ou não, as soluções que os problemas necessitam. Paralelamente, quando as informações de fatos negativos repercutem e recebem atenção dos gestores públicos, a imprensa se sente valorizada, e comprometida em continuar sua missão de elo entre os leitores, a comunidade e as autoridades, ou entes responsáveis pelo objeto das carências sociais.

da Redação/CN

CN

Eclipse solar amanhã só poderá ser visto em regiões remotas

No Brasil, site do Observatório Nacional mostrará fenômeno

Poucos verão com os próprios olhos, mas muitos poderão acompanhar – na página do Observatório Nacional no Youtube – o eclipse solar em regiões remotas do planeta. Será na tarde deste sábado (30).

O fenômeno só poderá ser observado por quem estiver na parte sul da América do Sul, especialmente no extremo do continente, onde o eclipse será mais intenso, abrangendo entre 40% e 54% do disco do Sol.

Segundo o Observatório Nacional, o eclipse poderá ser visto também em partes da Antártica e na parte sul dos oceanos Pacífico e Atlântico.

Este é o primeiro dos dois eclipses solares previstos para este ano – nenhum observável no Brasil. Ele terá início às 15h45 (horário de Brasília).

A retransmissão ao vivo, do Observatório Nacional, terá início um pouco mais cedo, às 15h. Nela, os amantes da astronomia terão muitas atrações, promete a astrônoma Josina Nascimento.

Além de explicar como ocorrem os eclipses, ela disponibilizará imagens de outro fenômeno solar, visto a partir de Marte. “São imagens obtidas do ponto de vista marciano, flagradas pelo rover Perseverance, que está em Marte. O vídeo mostra o momento em que a lua Fobos passou em frente ao Sol.

Lua entre o Sol e a Terra

De acordo com o Observatório Nacional, eclipses solares ocorrem quando a Lua fica entre o Sol e a Terra, projetando uma sombra sobre o planeta. A sombra mais escura, onde toda a luz solar é bloqueada, é chamada umbra. Em torno da umbra se define a sombra mais clara, a penumbra, onde a luz solar é parcialmente bloqueada.

Se o observador está na estreita faixa da Terra atingida pela umbra, ele vai ver o eclipse total. Se está na área atingida pela penumbra, verá como parcial. “E nos casos em que não há definição da umbra, como os eclipses solares de 2022, temos somente eclipse parcial”.

Em média, um eclipse total do Sol ocorre a cada 18 meses, mas por serem visíveis somente em estreita faixa sobre a Terra, parecem muito raros.

Cuidados para a observação

A observação de eclipses solares nunca deve ser feita nem a olho nu, nem com óculos escuros, chapas de Raio X ou filmes fotográficos, porque a claridade e o calor do Sol podem danificar seriamente a retina.

Uma sugestão dada por especialistas é de que interessados em fazer esse tipo de observação procurem, em lojas de ferragens ou de materiais de construção, o chamado vidro de solda. A tonalidade desse vidro deve ser, no mínimo, 14. O vidro deve ser colocado diante dos olhos para uma observação segura do Sol.

Outras retransmissões

Diante do grande interesse causado pela astronomia, o Observatório Nacional tem feito diversas lives, nas quais comenta eventuais fenômenos que estejam ocorrendo.

A retransmissão do eclipse solar não será a única deste sábado. Mais cedo, às 4h, Josina fará outra transmissão, na qual mostrará imagens e comentará a conjunção entre os dois planetas mais brilhantes: Júpiter e Vênus.

Como o fenômeno continuará pelos próximos dias, está prevista outra live, no mesmo horário, domingo (1º). “As lives sobre essa conjunção serão muito especiais porque mostrarão algo que não é visível a olho nu: a participação de Netuno nesse alinhamento”, disse ela.

“Isso será possível porque mostraremos imagens captadas a partir dos telescópios de astrônomos profissionais e amadores, parceiros do Observatório”, completou.

Todas as lives serão transmitidas pela página do Observatório Nacional no Youtube. Para acessá-la, clique aqui.

Fonte: Graça Adjuto A/B

CN

Bolsonaro diz que STF cometeu excesso e defende André Mendonça

‘Então caberia a mim, e só a mim e mais ninguém, desfazer essa injustiça’, afirmou o presidente nesta sexta-feira (29)

O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar, nesta sexta-feira (29), ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), disse que houve excesso por parte do Judiciário na condenação do deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ), acredita que cabe apenas ao chefe do Executivo desfazer a “injustiça” e saiu em defesa de André Mendonça, seu segundo indicado à Corte.

“Não se discute que houve excesso por parte do Supremo Tribunal Federal. Um deputado federal, por mais que ele tenha falado coisas absurdas, e ninguém discute isso, que foram coisas absurdas, a pena não pode ser oito anos e nove meses de cadeia em regime fechado, perda de mandato, inelegibilidade e multa”, disse em entrevista à Rádio Metrópole, de Cuiabá.

“Houve um excesso. Então, caberia a mim, e só a mim e mais ninguém, desfazer essa injustiça. Eu não quero peitar o Supremo e dizer que sou mais importante, que tenho mais coragem, longe disso”, completou.

Silveira recebeu perdão de Bolsonaro por meio de decreto. A medida foi anunciada um dia após o STF condenar o parlamentar a oito anos e nove meses de prisão, cassar seu mandato, suspender seus direitos políticos e torná-lo inelegível pelos próximos oito anos.

Na prática, o perdão concedido significa a absolvição das penas estabelecidas pela Corte e o impedimento ao cumprimento da condenação. No entanto, a ministra Rosa Weber deu dez dias a Bolsonaro para que explique a graça dada ao parlamentar.

Fonte: R7

CN

Mais de 570 cirurgias eletivas foram realizadas no Hospital de Campanha no período de cinco meses

A ação buscar ofertar atividades para ingresso e evolução no mercado de trabalho

No período de novembro de 2021 até abril deste ano, foram realizadas 576 cirurgias eletivas no Hospital de Campanha de Rondônia– Hcamp, localizado na região Central de Porto Velho, que atende demandas de todo o Estado e oferece as especialidades de ortopedia, neurologia, ginecologia, geral e enfermagem. As ações são reforçadas pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde – Sesau.

O Hcamp também disponibiliza 110 leitos, realizando diariamente internações e cirurgias, amenizando a fila de espera por operações, que aumentou com o decorrer da pandemia. A unidade foi fundamental para a volta dos procedimentos eletivos. 

  • Procedimentos Cirúrgicos realizados:

Retirada de vesículas; Retirada  de hérnias; Retirada de útero; Retirada de lipomas; Retirada de cistos; Tireoidectomia; Histerectomia e Cirurgias ginecológicas. 

  • Exames:

Ultrassonografias abdominais; Transvaginais; Exames por vias urinárias; Exames de tireoide; Exames de sangue. 

Para realizar os procedimentos é necessário que o paciente procure a unidade de saúde mais próxima, onde vai receber o encaminhamento e então entrará na fila de regulação para ser submetido a cirurgia. Já para o paciente que está na fila e ainda não foi chamado, é necessário que atualize o cadastro, para que a equipe de regulação da Sesau entre em contato e marque o procedimento.

A Diretora do Hospital de Campanha, Áurea Sparconi, ressalta a importância dos atendimentos feitos no Hcamp. “Com o retorno das cirurgias eletivas podemos diminuir a fila de espera consideravelmente. Estamos atendendo pacientes de ortopedia do João Paulo II, oferecendo o suporte no atendimento e disponibilizando mais acesso para a população” conta Áurea.

Fonte: Secom

CN

Sine realiza ação para orientar candidatos ao mercado de trabalho

A ação vai ocorrer no mês de maio em dois pontos da cidade.

Com o objetivo de preparar candidatos para a busca de oportunidades de emprego, a Prefeitura de Porto Velho promove a oficina “Avante Trabalhador”. A ação vai ocorrer no mês de maio em dois pontos da cidade.

Entre os dias 2 e 6 de maio, a oficina vai ocorrer no Sine Municipal, localizado na rua General Osório, 81, Centro. Já no dia 13 do mesmo mês, a ação chega à zona Leste da capital. Os trabalhos são executados pela Secretaria Municipal de Indústria, Comércio, Turismo e Trabalho (Semdestur).

A oficina “Avante Trabalhador” vai ofertar, ainda, serviços e atividades sobre como se desenvolver profissionalmente nas áreas de trabalho, como reforçar o trabalho em equipe, elaboração de currículo, como se comportar em uma entrevista de emprego, dicas para conquistar o primeiro emprego, entre outros assuntos.

O projeto surgiu com as dificuldades relatadas pelos candidatos para se inserirem no mercado de trabalho. O objetivo é promover, gradativamente, a universalização do direito dos trabalhadores à qualificação, aumentando a probabilidade de obter emprego e trabalho decente e da participação no processo de geração de oportunidade de trabalho e renda, além de inclusão social, redução da pobreza, combate à discriminação e diminuição da vulnerabilidade das populações.

Cerca de 300 pessoas já foram atendidas por ações como essa, segundo a Semdestur.

Enquanto isso, oportunidades de emprego continuam disponíveis no Sine Municipal. A relação pode ser conferida na página do Sine, na Prefeitura.

Fonte: Semdestur

CN
1 2 3 40