Espantosamente, ameaças de morte contra Bolsonaro viram “lugar comum”

Espantosamente, ameaças de morte contra Bolsonaro viram “lugar comum”

Em uma publicação, Halyria Ventura usou uma imagem em que se lê “impeachment não basta, é guilhotina!”

Todos nós assistimos Lula e sua gangue desviar bilhões de reais do erário.

Vimos a Dilma sofrer impeachment por absoluta incompetência em administrar o País.

Depois veio Temer e um assessor com mala de dinheiro saindo da pizzaria Camelo, sem falar do áudio suspeitíssimo com Joesley Baptista.

Claro que os três foram muito criticados (merecidamente), mas você se lembra de alguém ameaçá-los de morte?

Você se lembra de algum plano para executar qualquer um desses?

Não, né?

Estranhamente, o presidente reconhecido por todos como mais honesto dos últimos tempos, já sofreu um atentado contra sua vida e tem a morte recorrentemente desejada por vários personagens.

Só de professores já foram uma dezena flagrados com piores condutas possíveis em relação ao presidente da República.

Vale lembrar, como exemplo, o caso de uma professora da cidade de Montes Claros, em Minas Gerais. Ela usou o Facebook para defender a execução do presidente Jair Bolsonaro.

Em uma publicação, Halyria Ventura usou uma imagem em que se lê “impeachment não basta, é guilhotina!” e os dizeres “317.900 mortos de Covid” e “Bolsonazi”.

A publicação gerou reação de internautas. Um deles condenou a apologia ao assassinato do presidente que a professora estava fazendo:

“Eu vi muita coisa escrota nesse Facebook, mas nenhuma delas se compara a incitar um assassinato de um chefe de Estado, pra piorar, ilustrando com a cabeça do presidente decapitada. Por causa de uns posts de m**** desse [é] que as pessoas estão cada vez mais escrotas”, escreveu um internauta.

Irredutível em sua postura radical, a professora reforçou o “desejo” da execução do presidente e usou como justificativa as mortes da pandemia.

“Assassinato é pouco. EXECUÇÃO é uma palavra mais digna. Não vai recuperar as 300.000 vidas perdidas, mas vai ajudar o planeta com uma desgraça a menos sobre a face da terra. 

E se você ainda tem estômago pra chamar isso de presidente, fica a critério seu”, reiterou a desequilibrada Halyria Ventura.

É por profissionais da educação tão obtusos como esta senhora, que o Brasil ostenta números constrangedores em qualquer ranking internacional.             

Por Eduardo Negrão*

*Eduardo é Consultor político e autor de “Terrorismo Global” e “México pecado ao sul do Rio Grande” ambos pela Scortecci Editora.

Compartilhar

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

%d blogueiros gostam disto: