Bennett e Netanyahu trocam farpas após disparo de foguete da Faixa de Gaza para Israel

Foguetes do Hamas contra Jerusalém, deixa Acre e Lod, em chamas.

Para Bennett, Netanyahu “falhou com o Hamas” e agora sua administração está “corrigindo a situação”. Ao mesmo tempo, ex-premiê recorda ao atual primeiro-ministro que o mesmo foi chefe da Defesa de Israel e membro do gabinete durante sua gestão.

Nesta terça-feira (19), o primeiro-ministro israelense, Naftali Bennett, bateu boca com o ex-premiê, Benjamin Netanyahu, sobre sua gestão em relação à Faixa de Gaza, depois que foguetes foram lançados contra Israel na segunda-feira (18) pela primeira vez em meses, segundo o The Times of Israel.

“Netanyahu, sob sua vigilância, os terroristas lançaram 13.000 foguetes contra os moradores do sul de Israel, realizaram 1.500 ataques terroristas, queimaram 45.000 hectares de nossas terras, mataram 238 israelenses e feriram outros 1.700 […]. E o que você faz? Transfere malas cheias de dólares para o Hamas […]. Seu legado: foguetes do Hamas contra Jerusalém, linchamentos em Acre e Lod, Israel em chamas. Você falhou contra o Hamas. Estamos corrigindo a situação”, afirmou o atual premiê israelense.

Quando cita “malas cheias de dólares“, Bennett faz referência às centenas de milhões em pagamentos mensais que o Catar enviou a Gaza desde 2018.As declarações do premiê acontecem depois que Netanyahu twittou na segunda-feira (18) que o Estado judeu precisa de “um forte governo de direita, o qual deve ser formado imediatamente para restaurar a paz e a segurança aos cidadãos de Israel” diante dos ataques de foguetes do Hamas.

Combinação de fotos mostra o ex-primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, se dirigindo a apoiadores na sede da campanha do partido em Jerusalém e Naftali Bennett, atual premiês, discursando para apoiadores, ambos em Tel Aviv ©Emmnauel Dunand

O partido do ex-primeiro-ministro, o Likud, argumentou que Bennett estava reivindicando crédito pelos trabalhos do ex-premiê, além de esquecer que foi ministro da Defesa durante o governo de Bibi, como Netanyahu é conhecido.

“Bennett, a calma que você recebeu no Sul [do país] é o resultado da Operação Wall Guard, liderada por Netanyahu, e você também conseguiu estragá-la. Quando você twitta sobre a ‘mudança de Netanyahu’, você esquece que durante esse tempo você era ministro da Defesa e membro do gabinete. Seu governo fraco está ficando sem tempo. Comece a empacotar”, postou o partido.

De acordo com a mídia, as idas e vindas de Bennett e Bibi ocorrem quando a coalizão tenta impedir o colapso do governo depois de perder sua maioria parlamentar, enquanto o Likud continua a procurar potenciais desertores na esperança de retornar ao poder.

Dirigindo-se a um comício de direita em Jerusalém no início deste mês, Netanyahu pediu aos legisladores de direita da atual coalizão que “deixem de lado velhos rancores e retornem ao campo nacional“, referindo-se ao bloco político que lidera, relata o The Times of Israel.

Fonte: Sputnik

CN

40% dos inadimplentes pretendem usar o Saque Emergencial do FGTS para limpar o nome, aponta pesquisa da Serasa

A Região Norte tem mais de 4,01 milhões de ofertas de dívidas que podem ser quitadas com até R$ 1.000, valor limite do Saque Emergencial que começa a ser liberado a partir desta quarta-feira (20).

A partir desta quarta-feira (20), a Caixa Econômica Federal começa a pagar o novo saque do FGTS 2022 no valor de até R$ 1 mil reais. Para muitos brasileiros, o saque pode representar o recomeço: de acordo com um levantamento realizado pelo Instituto Opinion Box em parceria com a Serasa, 40% dos inadimplentes pretendem usar o saque emergencial do FGTS para limpar seu nome.

Entre os destaques do estudo, 26% dos entrevistados indicaram que pretendem utilizar o dinheiro liberado para pagar dívidas de cartão de crédito e que 26% dos respondentes pretendem colocar as contas básicas, como água, luz e gás, em dia.

Pelo menos 12% dos entrevistados afirmam que vão pagar dívidas contraídas em bancos e 8% pretendem quitar débitos feitos com familiares ou amigos. Apenas 13% afirmam que vão usar o FGTS para fazer compras em supermercados e 12% estão fazendo planos de investir a quantia a ser sacada na Caixa.

O levantamento foi realizado entre os dias 12 e 14 de abril e ouviu mais de 1.679 usuários da Serasa. Desses, apenas 32% disseram ter saldo disponível no FGTS e 33% afirmaram não ter saldo na conta.

Ofertas de dívidas

Para facilitar a vida dos brasileiros que programam quitar débitos e limpar o nome usando o Saque do FGTS, a Serasa fez uma radiografia da disponibilidade de ofertas de dívidas com descontos especiais a partir da parceria que mantém com mais de 100 empresas de diferentes setores, como bancos, financeiras, securitizadoras, telefonia, varejo, universidades e outros.

Com o valor de até R$ 1.000,00, por exemplo, o consumidor encontra no Serasa Limpa Nome mais de 69,2 milhões de ofertas disponíveis em todo o Brasil. Destas, são mais de 56 milhões de ofertas de dívidas disponíveis por até R$ 500,00 e mais de 24 milhões por até R$ 100,00.

Na Região Norte estão disponíveis mais de 4,01 milhões de ofertas até R$ 1.000,00, das quais 3,3 milhões são até R$ 500,00 e 1,5 milhão são ofertas por até R$ 100,00.

No Norte, o estado do Pará é o que possui mais ofertas de até R$ 1.000,00, totalizando 1,5 milhão. Mais de 1,3 milhão são até R$ 500,00 e mais de 605,3 mil até R$ 100,00.

No Amazonas são mais de 1,2 milhão de ofertas disponíveis no Serasa Limpa Nome por até R$ 1.000,00. Destas, mais de 1,05 milhão de ofertas podem ser quitadas por até R$ 500,00 e mais de 480 mil pelo valor de até R$ 100,00.

Já em Rondônia estão disponíveis mais de 373,7 mil de ofertas por até R$ 1.000,00. Destas, mais de 313,8 mil são até R$ 500,00 e mais de 137,1 mil por até R$ 100,00.

No Amapá, por até R$ 1.000,00 são disponibilizadas 228,4 mil ofertas. Por até R$ 500,00 há mais de 187,2 mil e outras 80,5 mil por até R$ 100,00.

Em Tocantins, por sua vez, são mais de 219 mil ofertas disponíveis por até R$ 1.000,00. Destas, 182,5 mil são até R$ 500,00 e mais de 83,3 mil até R$ 100,00.

No Acre são mais de 216,8 mil de ofertas disponíveis no Serasa Limpa Nome por até R$ 1.000,00. Das quais, mais de 181,4 mil de ofertas podem ser quitadas por até R$ 500,00 e mais de 77,5 mil pelo valor de até R$ 100,00.

Em Roraima estão disponíveis mais de 136,5 mil ofertas até R$ 1.000,00. Mais de 113,9 mil até R$ 500,00 e 52,1 mil até R$ 100,00.

A tabela completa das ofertas de débitos disponíveis, que cruza as variáveis Valor x Estado x Calendário de Liberação Caixa x Mês de Aniversário, pode ser acessada em https://www.serasa.com.br/assets/cms/2022/FGTS-V2.xlsx .

Para verificar as ofertas disponíveis em seu CPF, o consumidor não precisa estar negativado. Basta acessar os canais digitais da Serasa para consultar as oportunidades de renegociação com descontos especiais e opções de parcelamento.

● Site: www.serasa.com.br

● App Serasa no Google Play e App Store

● Ligação gratuita 0800 591 1222

● WhatsApp (11) 99575-2096

Sobre a Serasa

Com o propósito de revolucionar o acesso ao crédito no Brasil, a Serasa oferece um ecossistema completo voltado para a melhoria da saúde financeira da população com produtos e serviços digitais.

Para mais informações, visite www.serasa.com.br. 

INFORMAÇÕES À IMPRENSA 

Agência Fato Relevante

serasa@agenciafr.com.br 

Na Região Norte:

Três Comunicação e Marketing

(92) 99116-3591

(92) 98237-0415

Fonte: Três Comunicação e Marketing

CN

Reunião coordenada pelo MP define medidas para prevenir e coibir venda de bebidas alcoólicas a crianças e adolescentes

O MP instaurou procedimento administrativo para acompanhar o cumprimento das ações.

Ouro Preto do Oeste, RO – Em reunião articulada pelo Ministério Público de Rondônia, na última segunda-feira (18/4), representantes de instituições policiais e órgãos voltados para a proteção de crianças e adolescentes definiram uma série de medidas a serem adotadas visando à prevenção e coibição da venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos no Município de Ouro Preto do Oeste. O MP instaurou procedimento administrativo para acompanhar o cumprimento das ações.

A reunião foi coordenada pela Promotora de Justiça Jovilhiana Orrigo Ayricke, em razão de denúncias relatando o problema. Os informes têm se intensificado com o retorno das atividades comerciais e liberação de eventos na cidade, após o longo período de restrição imposto pela pandemia. 

No encontro, o grupo deliberou que serão realizadas fiscalizações conjuntas, de caráter preventivo e repressivo, ao menos duas vezes por mês. As ações terão a participação de integrantes do Conselho Tutelar e das Polícias Civil e Militar, sendo realizadas nas áreas urbana e rural de Ouro Preto, além do Distrito de Rondominas. 

Ainda na reunião, a PM firmou o compromisso de atender chamados e notícias sobre venda, fornecimento ou entrega de bebidas a menores de idade, com a condução do infrator em flagrante, se for o caso, registro de ocorrência e demais providências de praxe.

As medidas deverão ser adotadas em caso de operações conjuntas ou atividades de rotina. Conforme determinado no encontro, todas as ações, tanto aquelas realizadas de modo integrado ou as executadas em caráter de rotina, deverão ser informadas ao MP, no prazo de cinco dias. 

De acordo com o artigo 243 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), constitui crime vender, fornecer, servir, ministrar ou entregar, ainda que gratuitamente, de qualquer forma, a criança ou a adolescente, bebida alcoólica.

A pena é detenção de dois a quatro anos, e multa, se o fato não configurar crime mais grave. A reunião foi realizada na sede da Promotoria de Justiça de Ouro Preto do Oeste e teve a presença de representantes do Município, Conselho Tutelar, Conselho Municipal de Defesa da Criança e do Adolescente, Associação Comercial, Câmara de Vereadores, além das Polícias Civil e Militar.

Fonte: DCI

CN

Servidores do MP recebem capacitação 

O objetivo é para qualificar o atendimento humanizado, como ato preparatório para instalação da Ouvidoria das Mulheres.

Servidores do Ministério Público de Rondônia iniciaram na última  segunda-feira (18/4) o primeiro Curso de Formação em Gênero, capacitação preparatória para a instalação da Ouvidoria das Mulheres no âmbito da Instituição. A iniciativa, a ser realizada em três encontros alternados, tem como objetivo capacitar o corpo de colaboradores que atuará no órgão, profissionais envolvidos no atendimento ao público e assistentes de Promotorias de Justiça, da capital e interior do Estado, para uma escuta qualificada e humanizada às vítimas de violências.

O curso foi aberto pela Ouvidora-Geral do MPRO, Promotora de Justiça Andréa Damacena Ferreira Engel, que destacou a importância do evento para o pleno funcionamento da Ouvidoria das Mulheres, um canal aberto e especializado, criado para incrementar ações de prevenção, proteção e encaminhamento para apuração de violência doméstica e todas as formas de violações de direitos contra meninas e mulheres.

“Entendemos que a efetiva prestação dos serviços da Ouvidoria das Mulheres passa, necessariamente, pela capacitação, sensibilização e formação acerca da base legal pertinente à violência contra esse público. Com o curso, o MP quer garantir que todos que atuarão no órgão possam contribuir para a construção de um ambiente acolhedor, seguro e propício para o encaminhamento correto dos casos, visando à solução das demandas com a celeridade que as situações exigem”, afirmou.

Participando como mediadora da capacitação, a Promotora de Justiça Tânia Garcia Santiago elogiou a realização do evento, como iniciativa que propõe a preparação adequada dos agentes que atuarão no serviço e ação que oportuniza uma reflexão sobre modelos sociais e culturais que favorecem a prática da violência contra a mulher.

Na ocasião, a integrante do MP lembrou que atividades dessa natureza passaram a ser exigidas no contexto da responsabilidade institucional, um conceito instituído a partir da Lei Mariana Ferrer e da Lei nº 14.321/22.

“O curso de hoje é um passo importante para que tenhamos uma estrutura consolidada e humanizada de atendimento às mulheres vítimas de violência”, pontuou.

Palestra – Previsto para ocorrer também nos dias 20 e 26 deste mês, o curso teve como palestrantes do primeiro encontro a psicóloga do Tribunal de Justiça de Rondônia, Mariângela Aloise Onofre, e a assistente social e terapeuta familiar, Inês Maranhão Soares de Oliveira, servidora aposentada do Poder Judiciário.

Ao discorrer sobre Questões de Gênero e Ciclos de Violência, Mariângela Onofre propôs uma análise sobre formatações construídas ao longo dos processos de educação e de vivências em sociedade, modelos que servem de base para a consolidação de conceitos que introjetam a cultura da violência e da aceitação desse comportamento, na perspectiva do gênero.

“O fenômeno da violência doméstica atinge todas as classes, etnias e camadas sociais. Precisamos desconstruir muitos conceitos para enfrentarmos esse problema”, disse.

Enfatizando a essencialidade de um atendimento acolhedor e humanizado, a assistente social Inês Oliveira ressaltou, em sua fala, que a prestação de serviços à vítima de violência, no âmbito da Ouvidoria da Mulher, começará pelo acesso desse público ao prédio, incluindo o contato com profissionais responsáveis pela recepção, passando por todos os fluxos até chegar ao Promotor de Justiça. Neste sentido, a palestrante reiterou a relevância de todos os agentes no processo.

“O acolhimento, visto como cuidado e proteção da mulher vítima de violência doméstica e familiar é, antes de tudo, reconhecer  que o fenômeno, que ocorre na esfera privada, diz respeito à toda sociedade”.

Programação – No dia 20 de abril , o Curso de Formação em Gênero abordará os temas ‘Lei Maria da Penha e Legislação Penal’, pelo Promotor de Justiça Felipe Miguel de Souza, e ‘Projetos institucionais e Medidas Protetivas de Urgência’, pela Promotora de Justiça Flávia Barbosa Shimizzu Mazzini.

No dia 26 de abril, serão proferidas as palestras ‘Rede Lilás’, pela auditora de Controle Externo do Tribunal de Contas do Estado, Rosimar Maciel; ‘Sala Lilás’, pela Promotora de Justiça do MPRO Tânia Garcia Santiago; ‘CREAS Mulher’, por Vânia Tomaz, e, ainda, a ‘Atuação do Poder Judiciário na Proteção da Mulher’, pelo Desembargador Álvaro Kálix Ferro.

A ‘Atuação do Nudem’, ‘Patrulhas Maria da Penha’, ‘DEAM’ e ‘Conselho de Direitos da Mulher’ serão temas abordados, respectivamente, pela Defensora Pública do Estado Débora Machado, Capitão PM Alessandro Oliveira, Delegada Amanda Levy e Sandréia Silva Costa, presidente do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Mulher.

A Ouvidoria das Mulheres foi criada pela Resolução n.º 3/2022/CPJ. O órgão será instalado no próximo dia 25 de abril, em solenidade a ser realizada no edifício-sede da Instituição, em Porto Velho.

Fonte: Departamento de Comunicação Integração

CN

Bandidos caem com carro em Rio durante perseguição policial em RO

O carro seguiu até o porto do Cai N’água e acabou caindo no barranco, chegando a entrar no rio Madeira.

Um carro de passeio, que havia sido roubado, caiu no rio Madeira na manhã desta terça-feira (19) após uma perseguição policial em Porto Velho. Quatro suspeitos foram presos e uma arma de fogo foi apreendida.

Segundo informações preliminares, policiais rodoviários federais deram ordem de parada ao veículo ainda na BR, próximo ao antigo Trevo do Roque, mas o motorista não obedeceu, dando início a uma perseguição pelas ruas da cidade.

O carro seguiu até o porto do Cai N’água e caiu no barranco, chegando a entrar no rio Madeira, parando próximo a um barco. Os integrantes do veículo chegaram a nadar até a outra margem do rio, mas foram capturados. Uma arma foi localizada dentro do carro e apreendida.

Um caminhão guincho foi chamado para retirar o veículo do local.

CN

Delatora da Lava Jato é presa em operação contra tráfico de drogas

Nelma Kodama foi presa em um hotel de luxo em Portugal na Operação Descobrimento, contra o tráfico internacional de cocaína

Uma das delatoras da Lava Jato, Nelma Kodama, é um dos alvos da PF (Polícia Federal) na Operação Descobrimento, deflagrada nesta terça-feira (19) para combater o tráfico internacional de cocaína. A empresária foi presa em um hotel de luxo em Portugal, suspeita de atuar como doleira para o narcotráfico.

Ao todo, a PF cumpriu 43 mandados de busca e apreensão e sete mandados de prisão preventiva nos estados da Bahia, São Paulo, Mato Grosso, Rondônia e Pernambuco. Em Portugal, com o acompanhamento de policiais federais, a polícia portuguesa cumpriu três mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão preventiva nas cidades do Porto e Braga.

Segundo a polícia, as investigações tiveram início em fevereiro de 2021, quando um jato executivo Dassault Falcon 900, pertencente a uma empresa portuguesa de táxi aéreo, pousou no aeroporto internacional de Salvador para abastecimento. Após ser inspecionado, foram encontrados cerca de 595 kg de cocaína escondidos na fuselagem da aeronave.

A partir da apreensão, a Polícia Federal conseguiu identificar a estrutura da organização criminosa atuante nos dois países, composta de fornecedores de cocaína, mecânicos de aviação e auxiliares (responsáveis pela abertura da fuselagem da aeronave para acondicionar o entorpecente), transportadores (responsáveis pelo voo) e doleiros (responsáveis pela movimentação financeira do grupo).

Figura emblemática do escândalo Petrobras, Nelma é ex-namorada do doleiro Alberto Youssef e foi presa em 15 de março de 2014 quando tentava embarcar para a Itália com 200 mil euros escondidos na calcinha. No mesmo ano, ela chegou a ser condenada a 18 anos de prisão pelo então juiz federal Sérgio Moro, pela lavagem de R$ 221 milhões em dois anos, e pelo envio ao exterior de outros U$S 5,2 milhões por meio de 91 operações de câmbio irregulares.

Ela chegou a ficar dois anos presa, mas fechou acordo de delação premiada com a força-tarefa da Operação Lava Jato e deixou a carceragem da Polícia Federal, em Curitiba, com uma tornozeleira eletrônica em junho de 2016.

Fonte: Agência Brasil

CN

Imunização contra a covid-19 avança, mas só 31% recebeu a 3ª dose em Porto Velho

No entanto, é na 3ª aplicação que reside a maior baixa.

A vacinação contra a covid-19 em Porto Velho apresenta números positivos relativos à 1ª dose e dose única. Chegou a 89% do público composto por pessoas a partir dos 12 anos. Deste segmento, 74% retornou para receber a 2ª dose. No entanto, é na 3ª aplicação que reside a maior baixa.

Apenas 31% obteve o reforço, apesar das dezenas de pontos de imunização mantidos pela Prefeitura nas áreas urbana e rural.

“É necessário evoluir mais”, avalia Elizeth Gomes, gerente de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa). O comentário é uma referência a algumas particularidades que surgem na observação mais apurada das estatísticas sobre a vacinação.

IDOSOS

Com relação à 1ª dose, por exemplo, o público com mais de 60 anos é o que tem a maior cobertura, como é o caso das pessoas com mais de 80 anos, que chegou a 100%. Entre as pessoas de 30 a 34 anos, ainda falta comparecer aos pontos de vacinação cerca de 24% do público.

Dos que receberam a 2ª dose e completaram o ciclo vacinal, a menor cobertura é a dos adolescentes, com apenas 59%. Isto significa que os demais estão desprotegidos diante do vírus que já registrou mais de 2.600 óbitos no município.

O público de 18 a 24 anos registra um contingente de 36% que também precisa fechar o esquema vacinal com a 2ª dose.

A 3ª dose, que é a 1ª dose de reforço, é aplicada em pessoas a partir dos 18 anos, mas só 31% foram aos pontos de atendimento para receber o imunizante. A Prefeitura passou a disponibilizar a 4ª dose a partir do dia 4 de abril apenas para pessoas acima de 60 anos. Passados 16 dias, só 12% do público-alvo foi atendido.

A vacina continua disponível nas unidades básicas de saúde e no Porto Velho Shopping, inclusive em horário alternativo.

Fonte: Semusa

CN

Deputado Ismael Crispin faz a entrega de Medalhas do Mérito Legislativo

Ismael Crispin frisou também a atuação do policial civil Ralf de Oliveira, que está indo para a Força Nacional.

O deputado estadual Ismael Crispin (PSB) presidiu Sessão Solene, na manhã desta segunda-feira (18), no plenário da Assembleia Legislativa, para a entrega de Medalhas do Mérito Legislativo a personalidades civis e militares, e Votos de Louvor aos jornalistas que atuam na cobertura das ações da Casa de Leis, em homenagem ao Dia do Jornalista, comemorado no último dia 07.

O deputado estadual Ismael Crispin (PSB) presidiu Sessão Solene, na manhã desta segunda-feira (18), no plenário da Assembleia Legislativa, para a entrega de Medalhas do Mérito Legislativo a personalidades civis e militares, e Votos de Louvor aos jornalistas que atuam na cobertura das ações da Casa de Leis, em homenagem ao Dia do Jornalista, comemorado no último dia 07.    

Compuseram a mesa de honra o delegado da Polícia Civil, Cristiano Lopes; o representante do deputado federal Mauro Nazif (PSB), Bruno Eduardo, o presidente do Sindicato dos Profissionais de Enfermagem de Rondônia (Sinderon), Charles Alves. 

A entrega das homenagens iniciou com o policial civil Ralf de Oliveira Santos, que prestou serviços com destaque no Denarc e agora vai atuar na Força Nacional, recebendo Voto de Louvor por sua atuação na segurança pública, ao longo de 15 anos. 

Logo depois, ocorreu as entregas da Medalha do Mérito Legislativo aos policiais militares Tenente Coronel PM, Luiz Carlos Gonçalvez da Costa Garibalde, o 1º Tenente PM Antônio Garibalde da Silva, o Sargento PM Carlos de Souza Lima, o Sargento PM Elder Santos e o Sargento PM Cley Max Batista.    

O policial civil Wangues dos Santos Oliveira também recebeu a Medalha, que foi entregue ainda ao jornalista e servidor efetivo da Casa de Leis, Paulo Ayres, ao engenheiro aposentado do DER, Joaquim de Souza, à enfermeira Mara Benedicta de Rezende e ao professor doutor Raimundo Oliveira Filho. 

Reconhecimento 

O Tenente Garibalde agradeceu ao deputado pela honraria recebida e disse que o trabalho da Polícia Militar é importante para a sociedade, que em nome da Assembleia Legislativa, reconhece essa importância, concedendo a Medalha a membros da corporação. O policial civil Ralf de Oliveira fez uma breve fala, reconhecendo a parceria do deputado Ismael Crispin com as forças de segurança. “O trabalho nosso é em conjunto com outras forças de segurança e agradeço pelo reconhecimento”.    

A enfermeira Mara Benedicta disse que “nunca imaginei viver esse momento. Um reconhecimento pelo trabalho que presto na enfermagem há mais de 30 anos, na arte de cuidar. Atuei em diversas funções e sempre com muita dedicação e empenho ao labor. Hoje estou aqui recebendo essa Medalha maravilhosa e agradeço ao deputado pela honraria”. 

Paulo Ayres pontuou que “sinto-me muito honrado em receber a Medalha do Mérito Legislativo, a mais importante condecoração da Assembleia Legislativa. Nada mais gratificante na vida de um servidor público do que o reconhecimento. Não por vaidade, mas um reconhecimento pelos 45 anos de serviços públicos prestados”. 

Joaquim de Souza lembrou de sua atuação como engenheiro, onde iniciou como estagiário na construção da BR-364, em 1983. “Depois, ingressei no DER e Sempre tive o apoio dos meus companheiros do DER e esse reconhecimento é fruto de um trabalho ao longo de anos, junto com os companheiros, implantando rodovias, acampado e trabalhando desde a elaboração do plano diretor das estradas. Foram 36 de serviços, em várias atividades. Meu muito obrigado”.   

O professor doutor Raimundo Oliveira, que residiu em Rondônia mais de três décadas e hoje atua em São Paulo, fez um discurso de agradecimento pela comenda. “Devo muito a Rondônia e tenho uma ligação muito forte com essa terra. Construí minha carreira profissional aqui e levo com muito orgulho no coração a nossa Rondônia”.    

O superintendente de Comunicação da Assembleia Legislativa, jornalista Alessandro Lubiana, fez uma fala destacando a importância do jornalismo para a consolidação da democracia.

“A imprensa tem um trabalho fundamental e quero destacar o desafio da comunicação institucional aqui na Casa, de levar à população o que é discutido, aprovado e debatido neste Parlamento. Essa homenagem é merecida aos profissionais e somos gratos pelo reconhecimento”.   

O deputado Ismael Crispin agradeceu a presença e a oportunidade de fazer parte da história de cada homenageado. “Esse é um ato de reconhecimento pelo trabalho de cada um de vocês e acabo recebendo de volta de vocês, um carinho motivador e que me lisonjeia muito.

Nós passamos aqui hoje, por uma lembrança dos projetos de infraestrutura do Estado, através do seu Joaquim, que ajudou a construir Rondônia, lembramos também aqui, de momentos difíceis como a pandemia do Covid-19 e outras situações na saúde, através de relatos feitos no livro da enfermeira Mara que dedicou 30 anos da sua vida no atendimento do próximo”, disse. 

Falando de educação, o deputado citou o professor doutor Raimundo Oliveira, que deu sua parcela de contribuição na formação de um Estado tão jovem, mas com tanta coisa boa. “São Paulo hoje recebe um presente, que Rondônia exporta. Obrigado por toda dedicação com educação”. 

Destacando as coisas boas de Rondônia, Ismael Crispin frisou também a atuação do policial civil Ralf de Oliveira, que está indo para a Força Nacional.

“É uma honra saber que o Estado de Rondônia tem homens e mulheres dedicados”. O deputado reconheceu ainda, a história dos policiais militares de Rondônia.

“É uma história linda, história que passa pela vida de cada um. Tenho a honra de ter um irmão coronel da polícia de Rondônia e sempre estou atuando na defesa das forças de segurança e com o olhar para todo o Estado. Dessa forma, agradeço também todos os homenageados presentes”.    

Por fim, o deputado ressaltou o papel da imprensa. “Vivemos uma transformação diária e o jornalismo tem muita importância, principalmente quando falamos em democracia, pois é a imprensa que deve fazer essa defesa, pois ele independe do ponto de vista ideológico, o papel dela é propagar, divulgar, a liberdade de expressão e opinião. Parabéns aos jornalistas que atuam na Assembleia Legislativa e em nome deles parabenizo todos os jornalistas de Rondônia”.

Texto e foto: Assessoria

CN

Suframa e TCE-AM intensificam aproximação institucional

O TCE-AM tem uma estrutura de excelência e com certeza pode ser um grande aliado da Suframa na superação de desafios.

Em retribuição à visita de cortesia realizada pelo superintendente da Suframa, Algacir Polsin, ao Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM) no último dia 16 de março, o presidente do TCE-AM, conselheiro Érico Desterro, visitou, nesta segunda-feira (18), as instalações da Autarquia federal e do Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA).

Acompanhado do secretário geral de Controle Externo do Tribunal, Jorge Guedes Lobo, e de equipe técnica, Desterro assistiu a apresentações realizadas por servidores da Suframa e do CBA e pôde conhecer mais detalhadamente o funcionamento do modelo Zona Franca de Manaus (ZFM) e os projetos de integração e desenvolvimento regional atualmente executados pela Suframa que visam à interiorização do desenvolvimento, ao fomento de novas matrizes econômicas e à disseminação de ações de geração de emprego e renda por toda a área de atuação da Autarquia (Estados da Amazônia Ocidental e municípios de Macapá e Santana, no Amapá).

Durante as apresentações, foram destacadas iniciativas que buscam a melhoria dos indicadores socioeconômicos e da capacidade de governança de municípios amazônicos, como o projeto “Cidades Inteligentes”, a ser desenvolvido, inicialmente, nos municípios amazonenses de Manacapuru, Atalaia do Norte e Silves, e o projeto da “Zona de Desenvolvimento Sustentável (ZDS) Abunã-Madeira”, que engloba 32 municípios localizados no Sul do Amazonas, Leste do Acre e Noroeste de Rondônia.

O superintendente da Suframa, Algacir Polsin, agradeceu a visita de cortesia do conselheiro Érico Desterro e reafirmou a disposição da Autarquia de intensificar a parceria e a realização de ações conjuntas com o TCE-AM.

“É muito importante darmos continuidade à criação de sinergias e ao fortalecimento de parcerias institucionais. O TCE-AM tem uma estrutura de excelência e com certeza pode ser um grande aliado da Suframa na superação de desafios relacionados ao desenvolvimento dos municípios da região”, afirmou Polsin.

CBA

Após as apresentações na Suframa, a comitiva do TCE visitou o Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA), ocasião na qual teve a oportunidade de conhecer os processos realizados para o fomento da bioeconomia e do empreendedorismo biotecnológico na região.

Texto/fotos: Diego Queiroz

CN

Comissão vai ampliar a participação indígena no processo eleitoral

Portaria do TSE é publicada na data em que se comemora o Dia do Índio.

No Dia do Índio, celebrado nesta terça-feira (19), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) publicou a Portaria TSE nº 367/2022, que institui a Comissão de Promoção da Participação Indígena no Processo Eleitoral. A comissão elaborará estudos e projetos para promover e ampliar a presença desses povos nas diversas fases das eleições. Coordenado pela assessora do Núcleo de Inclusão e Diversidade do TSE, Samara Pataxó, na prática o colegiado vai planejar ações com objetivo de fortalecer o exercício da capacidade eleitoral dos indígenas, respeitando os respectivos costumes, linguagens e organização social.

Samara ressalta que a comissão, composta por outros indígenas, também deverá atuar em atividades que promovam o enfrentamento da sub-representatividade indígena na política, de forma a auxiliar a Justiça Eleitoral no compromisso de ampliar o exercício da cidadania dos povos originários brasileiros.

“A nível institucional, o TSE já tem se esforçado nesse sentido, não só com relação aos povos indígenas, mas a outros grupos sub-representados. Mas precisamos enriquecer ainda mais esse debate dentro da estrutura da Justiça Eleitoral. Esses pequenos avanços são significativos e têm de ser celebrados, pois apontam para um futuro melhor visando uma maior participação indígena no processo eleitoral”, disse Samara.

Inclusão e diversidade

Essa não é a primeira iniciativa do TSE este ano com foco em minorias. Já sob a presidência do ministro Edson Fachin, que assumiu a Corte Eleitoral em fevereiro, foi criado o Núcleo de Inclusão e Diversidade do Tribunal. A função do grupo é fortalecer a atuação da Corte em temas relacionados ao aumento da participação política de públicos variados, com foco nas mulheres, nos negros, na população LGBTQIA+ e nos povos originários.

Samara Pataxó disse que espaços para discussão do tema são uma forma de retomar o debate plural sobre a participação dessas pessoas na democracia do país, uma vez que, segundo ela, os povos indígenas do Brasil somente conquistaram a cidadania plena, no sentido normativo, após a Constituição Federal de 1988. “Antes disso, a condição de ser indígena era muito limitada e éramos tidos como relativamente incapazes na vida civil, o que implicava também o exercício dos direitos políticos. Desde então, o indígena se tornou um cidadão pleno, votando, se candidatando e exercendo seus direitos e deveres”, lembra.

Números

De acordo com Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população estimada de indígenas no país é de mais de 857 mil pessoas, sendo 305 povos e 274 línguas diferentes. Nas eleições gerais de 2018, 133 indígenas se candidataram aos cargos de governador, senador, deputado federal e deputado estadual e distrital. No pleito municipal de 2020, 2.216 candidatos indígenas concorreram às prefeituras e às câmaras de vereadores do Brasil.

Por Karine Melo

CN