O povo acordou, a treta do arrozão foi descoberta e a Medida Provisória do “Fim do Mundo” caiu

Depois das suspeitas sobre os contemplados pelo leilão fake para importar arroz, o governo anulou o pregão e demitiu o segundo escalão do Ministério da Agricultura e Pecuária que fez o trabalho sujo, encomendado sabe-se lá por quem. Mas o governo não desistiu. Lula quer novo leilão e pediu pressa a seus ministros, mesmo com a informação dos produtores gaúchos de que não faltará arroz na mesa do brasileiro.

A colheita já tinha sido feita e já estava estocada antes da tragédia das enchentes no Rio Grande do Sul. Edegar Pretto, ligado ao MST e presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) confirmou que haverá novo leilão “quem sabe em outros modelos”. O que será que ele quis dizer com outros modelos?

A Medida Provisória 1227/2024, apelidada de Medida Provisória do Fim do Mundo foi devolvida ao governo pelo presidente do Senado e, portanto, não terá mais validade.  A MP foi editada depois que o Congresso Nacional manteve a desoneração de 17 segmentos e dos municípios antes do fim do prazo no mês passado. A desoneração permite que os municípios e os setores produtivos que mais sofreram com a pandemia do Covid19 fiquem isentos de pagar 20% de impostos sobre a folha salarial. A MP do Fim do Mundo quis dar um nó na desoneração já garantida e colocou restrições ao uso de benefícios fiscais pelas empresas com o intuito único de arrecadar.

Além de inconstitucional, provocaria aumento de preços e desemprego.

A manutenção da desoneração continua valendo e traz alívio ao setor produtivo que emprega e faz a economia girar. Já a Medida Provisória de Lula foi para o brejo. Entretanto, assim como o caso do arroz, a sanha arrecadadora desse governo também não saiu da cabeça de Lula e sua turma que só pensam em gastar.

Basta ver o número de ministérios (39), mais do que Argentina, México, Colômbia e até a Venezuela de Maduro. Somos os campeões da América Latina e ainda temos mais que o dobro de países como EUA, Alemanha, Itália, França e Reino Unido, sem falar nos penduricalhos e puxadinhos criados, bem como o luxo das viagens ao exterior do casal presidencial e assessores.

Por que não cortam as despesas ao invés de sufocar os brasileiros que produzem, geram emprego e renda?

Mas é bom que esse governo e sua base saibam que os brasileiros não estão mais deitados em berço esplêndido. Acordaram e de olho em tudo.

Por Izalci Lucas | Senador da República pelo PL/DF

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

0
Would love your thoughts, please comment.x
×

Olá!

Clique em um de nossos contatos abaixo para conversar no WhatsApp

× Canal de denúncias