Covid-19: Boletim diário de Rondônia

Nesta sexta-feira (16) foram registrados 34 óbitos por covid-19 em Rondônia.

 A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), divulga balanço de dados referente aos casos de covid-19 no Estado.

Nesta sexta-feira (16) foram consolidados os seguintes resultados:

Casos confirmados – 203.300
Casos ativos – 13.548 (6,66%)
Pacientes recuperados – 185.015 (91,01%)
Óbitos – 4.737 (2,33%)
Pacientes internados na Rede Estadual de Saúde – 420
Pacientes internados na Rede Privada – 148
Pacientes internados na Rede Municipal de Saúde – 144
Pacientes internados na Rede Filantrópica – 9
Total de pacientes internados – 719
Testes Realizados – 537.597
Aguardando resultados do Lacen – 1.043

* População vacinada:
1ª Dose – 158.120
2ª Dose – 46.574

Profissionais de Saúde vacinados:
1ª Dose – 43.937
2ª Dose – 23.783

Indígenas vacinados:
1ª Dose – 6.566
2ª Dose – 4.777

Idosos vacinados:
1ª Dose – 105.796
2ª Dose – 17.978

Deficientes ILP:
1ª Dose – 201
2ª Dose – 18

Segurança e Salvamento:
1ª Dose –1620
2ª Dose – 18

* (Dados obtidos às 17h00)

No Estado, os números de casos confirmados, recuperados e de óbitos, desde o primeiro registro em 20 de março de 2020 até hoje (16 de abril de 2021), por covid-19 são:

TOTAL DE CASOS EM RONDÔNIA – 16/04/2021
MunicípioCasos TotaisÓbitos TotaisCurados Totais
Porto Velho70.8742.03464.061
Ariquemes17.55737016.147
Ji-Paraná14.82139413.741
Cacoal10.5031799.812
Vilhena10.4111919.901
Jaru6.3741305.476
Rolim de Moura5.3451094.804
Machadinho D’Oeste5.179664.876
Guajará-Mirim5.1701914.834
Pimenta Bueno4.295543.721
Buritis4.054563.859
Ouro Preto do Oeste3.634993.225
Candeias do Jamari3.270653.089
Alta Floresta D’Oeste3.199483.006
Nova Mamoré2.797462.307
Presidente Médici2.599562.301
Espigão D’Oeste2.264442.111
Cerejeiras1.986431.640
São Miguel do Guaporé1.862351.720
São Francisco do Guaporé1.741391.652
Alto Paraíso1.534351.450
Nova Brasilândia D’Oeste1.523221.308
Cujubim1.497291.347
Colorado do Oeste1.408221.251
Monte Negro1.308221.027
Chupinguaia1.226161.168
Itapuã do Oeste1.206171.076
Costa Marques1.14921981
Alto Alegre dos Parecis1.02622925
Urupá1.01726964
Campo Novo de Rondônia1.00421832
Seringueiras98310923
Mirante da Serra8175741
Vale do Anari80914662
Alvorada D’Oeste79920702
Santa Luzia D’Oeste72910696
Cacaulândia7048678
Nova União68611639
Vale do Paraíso62623585
Cabixi60913578
Corumbiara55413514
Theobroma54120453
Governador Jorge Teixeira5216444
Rio Crespo5079454
Novo Horizonte do Oeste46617414
Ministro Andreazza44713430
Teixeirópolis4156387
Pimenteiras do Oeste38815371
São Felipe D’Oeste3006262
Parecis2187180
Castanheiras1975180
Primavera de Rondônia1514110
Total geral203.3004.737185.015

Em Rondônia, nas últimas 24 horas foram registrados os seguintes resultados para covid-19:

ÚLTIMAS 24 HORAS
MUNICÍPIOSCASOS CONFIRMADOSÓBITOS
Porto Velho5916
Ariquemes460
Ji-Paraná894
Cacoal921
Vilhena451
Jaru161
Rolim de Moura230
Machadinho D’Oeste1190
Guajará-Mirim74
Pimenta Bueno340
Buritis151
Ouro Preto do Oeste440
Candeias do Jamari10
Alta Floresta D’Oeste260
Nova Mamoré320
Presidente Médici233
Espigão D’Oeste81
Cerejeiras61
São Miguel do Guaporé252
São Francisco do Guaporé50
Alto Paraíso191
Nova Brasilândia D’Oeste11
Cujubim60
Colorado do Oeste263
Monte Negro80
Chupinguaia40
Itapuã do Oeste30
Costa Marques300
Alto Alegre dos Parecis81
Urupá30
Campo Novo de Rondônia140
Seringueiras30
Mirante da Serra60
Vale do Anari251
Alvorada D’Oeste10
Santa Luzia D’Oeste30
Cacaulândia80
Nova União20
Vale do Paraíso-10
Cabixi00
Corumbiara00
Theobroma20
Governador Jorge Teixeira30
Rio Crespo-10
Novo Horizonte do Oeste50
Ministro Andreazza30
Teixeirópolis00
Pimenteiras do Oeste180
São Felipe D’Oeste40
Parecis21
Castanheiras00
Primavera de Rondônia00
Total geral1.45233

ÚLTIMAS ATUALIZAÇÕES:

  • Nesta sexta-feira (16) foram registrados 34 óbitos por covid-19 em Rondônia, desses, seis foram em Porto Velho, sendo três mulheres (61, 48 e 44 anos) e três homens (70, 53 e 29 anos); quatro em Guajará-Mirim, sendo três mulheres (64, 62 e 60 anos) e um homem de 63 anos; quatro em Ji-Paraná, sendo duas mulheres (68 e 55 anos) e dois homens (55 e 49 anos); três mulheres (45, 43 e 42 anos) de Colorado do Oeste; três mulheres (82, 67 e 66 anos) de Presidente Médici; dois em São Miguel, sendo uma mulher de 80 e 58 anos; um homem de 81 anos de Vale do Anari; um homem de 28 anos de Cerejeiras; um homem de 47 anos de Parecis; uma mulher de 52 anos de Alto Alegre; um homem de 72 anos de Vilhena; uma mulher de 86 anos de Ariquemes; um homem de 56 anos de Alto Paraíso; um homem de 103 anos de Espigão D’Oeste; uma mulher de 59 anos de Jaru; um homem de 53 anos de Cacoal; um homem de 62 anos de Buritis e Nova Brasilândia
  • O Município de Rio Crespo retirou um óbito que pertencia a outro município

Segundo a Agevisa, os dados são analisados diariamente pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), que acompanha também a investigação epidemiológica feita pelas equipes de Saúde nos municípios para checagem de dados.

Para informações detalhadas e relatórios na íntegra, acesse o Portal Coronavírus em Rondônia, através do endereço: coronavirus.ro.gov.br

Veja todos os relatórios de dados já publicados sobre a Covid-19 em Rondônia, clicando no link http://bit.ly/2EzHtco

Os dados de vacinação são adicionados ao sistema diretamente pelos municípios e são dinâmicos.
Para dados atualizados em tempo real, acesse: https://covid19.sesau.ro.gov.br/Home/Vacina

Em Rondônia, menos de 50% das vacinas enviadas para a 2ª dose foram aplicadas, segundo Agevisa

A Agência Estadual de Vigilância, orienta que municípios devem concentrar esforços na alimentação de dados do vacinômetro da covid-19 no sistema.

A quantidade de vacinas aplicadas em Rondônia tem por base o número de imunizantes entregues pelo Ministério da Saúde (MS) é um questionamento recorrente da população, demonstrado por meio das redes sociais do Governo de Rondônia. Estas dúvidas compõe cerca de 50% das respostas elaboradas pela assessoria de comunicação social da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) diariamente.

Para tratar sobre o tema, Ana Flora Gerhardt, diretora-geral da Agevisa, explica as principais dificuldades que Rondônia enfrenta para que o número de vacinas aplicadas acompanhe o ritmo dos lotes de imunizantes que chegam ao Estado. “Hoje temos mais de 90% da primeira dose aplicada, mas a segunda dose não chega a 50% da aplicação, isso acontece por situações diversas”, pontua.

Ana Flora reforça que vários municípios estão trabalhando no limite da capacidade de atuação que apressam a aplicação, mas demonstram dificuldades para informar os dados referente à aplicação das doses. “Existem municípios que tem um único servidor responsável por informar os dados da vacinação. Também há dificuldades para vacinar. Um exemplo é a vacinação dos indígenas aldeados, das populações tradicionais, como os quilombolas. Temos um Estado com 52 municípios e cada um enfrenta uma realidade diferente. Isso sem contar que toda semana recebemos novos lotes de imunizantes, ou seja, a conta não vai bater”, explica.

De acordo com a diretora, enquanto Estado, é possível compreender as fragilidades enfrentadas nos municípios, mas ao mesmo tempo, a sociedade, a imprensa e os órgãos fiscalizadores exigem rapidez no resultado da aplicação das vacinas. “Por isso solicitamos, sempre, aos gestores municipais que concentrem esforços na aplicação, como também na alimentação dos dados no sistema”, reforça.

Fonte; Agevisa

Rondônia aguarda aval da Anvisa para processo de compra da vacina Russa Sputnik V

Governadores de outros estados também negociam importação da vacina, porém dependem da celeridade da Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

A consolidação da compra dos primeiros lotes da vacina Sputnik V, imunizante contra a covid-19 desenvolvido pelo governo russo que será comprado pelo Governo do Estado de Rondônia vai depender da celeridade da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). As doses serão utilizadas para acelerar o processo de vacinação nos 52 municípios. Após a última reunião entre a Anvisa e os 12 governadores que já assinaram o contrato para adquirir o insumo, o órgão federal tem dando sequência ao processo, a fim de auxiliar o governo russo na conclusão do processo burocrático para a importação da vacina.

De acordo com o Governo Federal, uma das últimas ações da Anvisa em relação ao assunto será o envio de técnicos à Rússia para a realização de inspeção às empresas fabricantes JSC Generium e UfaVita, a fim de avaliar suas condições e obter mais informações acerca da fabricação. A visita está prevista para acontecer entre os dias 19 e 23 de abril. Em relatório apresentado aos governadores durante reunião virtual que aconteceu no início do mês de abril, a Anvisa explicou detalhes técnicos que devem ser levados em consideração para a autorização da importação das vacinas. Dentre eles, estão as reações adversas registradas em pessoas que receberam o imunizante, a temperatura em que as doses são armazenadas e principalmente detalhes acerca do estudo clínico.

No final da semana passada o diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres se reuniu com o embaixador da Rússia no Brasil, Alexey Labetskiy, para tratar detalhes do processo de importação das vacinas. O governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha se reuniu com o presidente da república, Jair Bolsonaro e solicitou celeridade na consolidação do processo de importação das doses. Ainda durante a audiência, Marcos Rocha explicou a Bolsonaro que Rondônia recebeu (na data da audiência) mais de 200 mil doses de vacinas contra covid-19 encaminhadas pela União.

Até esta quinta-feira (15), Rondônia já tinha recebido mais de 290 mil doses do imunizante encaminhado pelo Governo Federal, além da parceria que resultou em incremento do estoque de oxigênio para as unidades de saúde em todo território rondoniense. O lote de vacinas comprado pelo Governo do Estado será suficiente para imunizar 500 mil pessoas.

ENTENDA O PROCESSO

O Governo do Estado de Rondônia pertence ao consórcio de 12 estados que já assinaram contrato com o Fundo Soberano Russo e se comprometeram com a compra do lote de vacinas contra a covid-19. A Anvisa precisa autorizar o pedido de importação excepcional de vacinas e insumos para que a Sputnik V seja distribuída.

Após a visita dos técnicos da Anvisa aos laboratórios russos, a agência federal brasileira vai emitir sua decisão. Nesta semana, uma decisão do ministro Ricardo Leandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF) pressionou a agência. O magistrado deu 30 dias para que a mesma conceda aos estados brasileiros a autorização.

AUTORIZAÇÃO

O Governo de Rondônia encaminhou à Anvisa no dia 31 de março a sua solicitação de autorização para importação dos insumos. O contrato que celebra a compra dos produtos por parte do Governo de Rondônia junto ao Fundo Soberano Russo já está assinado. O que falta é apenas a autorização. O Ministry of Health of The Russian Federatrion, que é o órgão sanitário russo com as mesmas atribuições da Anvisa brasileira já liberou a comercialização da Sputnik V, que é registrada no país que a produz.

Fonte: Secom-RO

“Adultos e jovens são o novo alvo do coronavírus”, diz estrategista

Em Rondônia, desde o início da pandemia já morreram 546 pessoas com menos de 45 anos

O percentual de pessoas jovens e adultas abaixo de 60 anos que morrem de covid-19 cresceu consideravelmente em março, o pior da pandemia até agora no Brasil. Naquele mês aumentou 35% comparando-se ao ano passado o percentual de pessoas que morreram sem alcançar os 60 anos. Em Rondônia, desde o início da pandemia, morreram 546 pessoas com menos de 45 anos.

“De um ano para cá, a média de idade diminui, e isso representa duas vezes mais novos óbitos”, alertou o estrategista de dados da Casa Civil do Governo de Rondônia e integrante do Comitê Técnico Científico de Enfrentamento à covid-19, Caio Nemeth.

Em 2020, os óbitos entre a faixa etária até 59 anos representavam 22,9% do total pela covid-19. Em março deste ano, passaram a representar 31% do total. A tendência é de alta, o que deve se ampliar com o avanço da vacinação entre os idosos. O robô no qual analisa dados de Rondônia desfaz dúvidas e revela a Nemeth prontidão para o perigo maior causado pela multiplicação de cepas.

“Apesar da média de idade de falecidos 65,5 anos (no começo da pandemia) parecer próxima a 62,6, constatamos uma diminuição muito grande na média de idade das pessoas que vêm a óbito, ou seja, morreram mais jovens do que no início da pandemia”, disse.

Coronavírus: "adultos jovens são o novo alvo da doença", diz estrategista do Governo de Rondônia

Mesmo acreditando que a vacinação em massa seja a única saída, Nemeth chama a atenção para um aspecto: “Uma parte da população se imuniza, outra não segue em isolamento e assim corremos o risco do surgimento de novas cepas resistentes à própria vacina”. Segundo ele, rompendo a barreira, o vírus se mistura ao DNA da pessoa, criando outra cepa.

O estrategista de dados diz que o ocorrido em Manaus no ano passado não foi apenas consequência da evolução viral, mas da gravidade causada por aglomerações. Nemeth voltou a comentar o exemplo do rapaz que se deu por satisfeito com a avó vacinada. “Esse raciocínio deve ser evitado pelas camadas mais jovens, sob pena de transmitirem o vírus ; os jovens se acham seguros de não perderem avós, mas vêm tomando atitudes que podem levá-los à perda dos próprios pais”.

Conforme o Sistema Único de Saúde (SUS), 64,61% do total de óbitos (4.419) são de pessoas que não tiveram qualquer comorbidade (diabetes, doenças cardíacas e imunossupressão). Destas, 38,61% (1.706) são homens e 26,0% mulheres (1.149). Morreram sem comorbidade alguma, 2.855 pessoas.

A exemplo da Agevisa e da Sesau, o Comitê de Enfrentamento observa atentamente situações descritas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), como, por exemplo, os assintomáticos, que transmitiriam menos do que uma pessoa que tosse. No entanto, constatou-se, todas as pessoas que manifestam os sintomas, transmitem muito antes disso, na fase pré-sintomática. Três dias antes de ter qualquer sintoma, os pré-sintomáticos começam a transmitir o vírus. Daí, as orientações gerais para o uso constante de máscara facial e evitar aglomerações.

Fonte: rondoniagora

Ratinho defende Bolsonaro, denuncia “golpe” do STF e diz que Randolfe é “chato e improdutivo” (veja o vídeo)

O golpe que o STF está praticando contra o presidente Jair Bolsonaro

Decepcionado com os rumos que o Brasil está tomando em virtude de uma suposta “ditadura do Judiciário”, o apresentador de televisão, Carlos Massa, o “Ratinho”, fez uma análise da política brasileira e do sistema de justiça e “escancarou” o golpe que o STF está praticando contra o presidente Jair Bolsonaro.

“A cada dois meses, parece que alguém do Supremo ‘entra’ pra complicar a situação da presidência da República. Parece que eles combinam entre eles: hoje, vai você. Daqui a dois meses, vai eu”, disparou.

“Não é sempre o mesmo… A impressão que dá é que é um negócio meio orquestrado. Não estou garantindo, não… Eu nunca imaginei ver na história da minha vida um presidente tão massacrado pela imprensa como é o Bolsonaro… A Globo ‘bate’ o dia inteiro. UOL ‘bate’ o dia inteiro. Folha ‘bate’ o dia inteiro”, explica, acrescentando que não entende como essas mídias ainda possuem “patrocinadores”.

“Esses dias eu estava vendo a Folha de S.Paulo, que é um dos grandes jornais do país, tinha uma manchete que o Brasil ia crescer e a ‘manchetinha’ não dava 10 centímetros e a manchete ruim ‘pegou’ quase a página inteira”, lamenta.

Sobre o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), opositor “fiel” do Governo Bolsonaro, ele disse:

“Mas, o Randolfe, se ele (presidente) não quiser brigar, eu brigo. Se o Randolfe quiser sair no ‘pau’ comigo, no tapa, eu saio. Pensa num cara chato. Improdutivo e chato esse rapaz”, comentou a respeito do senador do Amapá, autor da CPI da Covid-19.

Confira o vídeo:

Fonte: JCO

Covid-19: Nesta quinta-feira (15), foram registrados 40 óbitos em Rondônia

Dos 201.848 casos confirmados de Covid-19 em Rondônia, 70.283 são de Porto Velho.

A Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) e a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), divulga balanço de dados referente aos casos de covid-19 no Estado.

Nesta quinta-feira (15) foram consolidados os seguintes resultados:

Casos confirmados – 201.848
Casos ativos – 13.242 (6,56%)
Pacientes recuperados – 183.902 (91,11%)
Óbitos – 4.704 (2,33%)
Pacientes internados na Rede Estadual de Saúde – 433
Pacientes internados na Rede Privada – 138
Pacientes internados na Rede Municipal de Saúde – 147
Pacientes internados na Rede Filantrópica – 11
Total de pacientes internados – 729
Testes Realizados – 535.186
Aguardando resultados do Lacen – 1.398

* População vacinada:
1ª Dose – 186.616
2ª Dose – 43.186

Profissionais de Saúde vacinados:
1ª Dose – 43.501
2ª Dose – 23.327

Indígenas vacinados:
1ª Dose – 6.542
2ª Dose – 4.722

Idosos vacinados:
1ª Dose – 135.426
2ª Dose – 10.109

Deficientes ILP:
1ª Dose – 176
2ª Dose – 17

Segurança e Salvamento:
1ª Dose –971
2ª Dose – 10

* (Dados obtidos às 17h00)

No Estado, os números de casos confirmados, recuperados e de óbitos, desde o primeiro registro em 20 de março de 2020 até hoje (15 de abril de 2021), por covid-19 são:

TOTAL DE CASOS EM RONDÔNIA – 15/04/2021
MunicípioCasos TotaisÓbitos TotaisCurados Totais
Porto Velho70.2832.02863.979
Ariquemes17.51137015.985
Ji-Paraná14.73239013.641
Cacoal10.4111789.691
Vilhena10.3661909.849
Jaru6.3581295.476
Rolim de Moura5.3221094.778
Guajará-Mirim5.1631874.834
Machadinho D’Oeste5.060664.774
Pimenta Bueno4.261543.721
Buritis4.039553.846
Ouro Preto do Oeste3.590993.180
Candeias do Jamari3.269653.068
Alta Floresta D’Oeste3.173482.980
Nova Mamoré2.765462.273
Presidente Médici2.576532.271
Espigão D’Oeste2.256432.111
Cerejeiras1.980421.581
São Miguel do Guaporé1.837331.712
São Francisco do Guaporé1.736391.650
Nova Brasilândia D’Oeste1.522211.308
Alto Paraíso1.515341.438
Cujubim1.491291.342
Colorado do Oeste1.382191.231
Monte Negro1.300221.019
Chupinguaia1.222161.168
Itapuã do Oeste1.203171.075
Costa Marques1.11921963
Alto Alegre dos Parecis1.01821868
Urupá101426958
Campo Novo de Rondônia99021830
Seringueiras98010923
Mirante da Serra8115735
Alvorada D’Oeste79820702
Vale do Anari78413662
Santa Luzia D’Oeste72610686
Cacaulândia6968673
Nova União68411639
Vale do Paraíso62723583
Cabixi60913564
Corumbiara55413503
Theobroma53920448
Governador Jorge Teixeira5186439
Rio Crespo5089449
Novo Horizonte do Oeste46117405
Ministro Andreazza44413418
Teixeirópolis4156387
Pimenteiras do Oeste37015354
São Felipe D’Oeste2966262
Parecis2166180
Castanheiras1975180
Primavera de Rondônia1514110
Total geral201.8484.704183.902

Em Rondônia, nas últimas 24 horas foram registrados os seguintes resultados para covid-19:

ÚLTIMAS 24 HORAS
MUNICÍPIOSCASOS CONFIRMADOSÓBITOS
Porto Velho2229
Ariquemes2091
Ji-Paraná13613
Cacoal772
Vilhena121
Jaru480
Rolim de Moura72
Guajará-Mirim501
Machadinho D’Oeste580
Pimenta Bueno480
Buritis40
Ouro Preto do Oeste330
Candeias do Jamari81
Alta Floresta D’Oeste281
Nova Mamoré100
Presidente Médici111
Espigão D’Oeste212
Cerejeiras320
São Miguel do Guaporé10
São Francisco do Guaporé40
Nova Brasilândia D’Oeste51
Alto Paraíso60
Cujubim130
Colorado do Oeste30
Monte Negro80
Chupinguaia00
Itapuã do Oeste10
Costa Marques02
Alto Alegre dos Parecis111
Urupá00
Campo Novo de Rondônia60
Seringueiras110
Mirante da Serra20
Alvorada D’Oeste80
Vale do Anari50
Santa Luzia D’Oeste00
Cacaulândia00
Nova União50
Vale do Paraíso00
Cabixi20
Corumbiara30
Theobroma30
Governador Jorge Teixeira40
Rio Crespo130
Novo Horizonte do Oeste00
Ministro Andreazza00
Teixeirópolis00
Pimenteiras do Oeste160
São Felipe D’Oeste10
Parecis00
Castanheiras20
Primavera de Rondônia10
Total geral1.14838

ÚLTIMAS ATUALIZAÇÕES:

  • Nesta quinta-feira (15) foram registrados 40 óbitos por covid-19 em Rondônia, desses, 13 foram em Ji-Paraná, sendo nove mulheres (92, 80, 78, 71, 60, 52, 52, 37, 36 anos), três homens (73, 62 e 55 anos) e uma recém nascida do sexo feminino; nove em Porto Velho, sendo duas mulheres (81 e 42 anos) e sete homens (85, 65, 56, 56, 54, 49 e 39 anos); dois em Ariquemes, uma mulher de 29 anos e um homem de 42 anos; dois homens (88 e 75 anos) de Cacoal; duas mulheres (65 e 51 anos de idade) de Costa Marques; uma mulher de 81 anos e um homem de 58 anos de Espigão D’Oeste; dois em Guajará-Mirim, uma mulher de 74 anos e um homem de 59 anos; dois homens (65 e 35 anos) de Rolim de Moura; uma mulher de 72 anos de Alta Floresta D’Oeste; uma mulher de 51 anos de Alto Alegre dos Parecis; uma mulher de 95 anos de Candeias do Jamari; uma mulher de 80 anos de Nova Brasilândia D’Oeste; um homem de 62 anos de Presidente Médici e um homem de 52 anos de Vilhena.
  • Ariquemes retirou um óbito por se tratar de uma duplicidade
  • Guajará-Mirim retirou um óbito por se tratar de uma duplicidade

Segundo a Agevisa, os dados são analisados diariamente pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), que acompanha também a investigação epidemiológica feita pelas equipes de Saúde nos municípios para checagem de dados.

Para informações detalhadas e relatórios na íntegra, acesse o Portal Coronavírus em Rondônia, através do endereço: coronavirus.ro.gov.br

Veja todos os relatórios de dados já publicados sobre a Covid-19 em Rondônia, clicando no link http://bit.ly/2EzHtco

Os dados de vacinação são adicionados ao sistema diretamente pelos municípios e são dinâmicos.
Para dados atualizados em tempo real, acesse: https://covid19.sesau.ro.gov.br/Home/Vacina

Pedro Bial impõe condição para entrevistar Lula (veja o vídeo)

Num lampejo de sinceridade, só se tiver um “detector de mentiras”

Pedro Bial participou nesta quarta-feira (14) do programa Manhattan Connection, da TV Cultura.

O apresentador da Rede Globo recebeu o seguinte questionamento:

“Tem algum convidado que não vai no seu programa?”, perguntou Lucas Mendes.

Pedro Bial, apresentador da Rede Globo, respondeu dizendo que só entrevistaria o ex-presidiário Luiz Inácio Lula da Silva caso tivesse a sua disposição um “detector de mentiras” acompanhando todas as falas do petista.

O global sarcástico, mas extremamente sincero:

“O Lula já até disse que gostaria de fazer o programa comigo, mas tinha que ser ao vivo. Pode até ser ao vivo, mas teria que ter um polígrafo acompanhando todas as falas dele”, respondeu Bial.

Confira:

Fonte: JCO

Segundo as operações de fiscalização, jovens são os que mais desrespeitam no combate ao Covid em RO

Jovens ainda se arriscam participando de festas clandestinas e aglomerando em espaços públicos na capital.

Fiscais da operação Urgência no Skate Park em Porto Velho

As operações de fiscalização em cumprimento aos decretos governamentais contra a proliferação da Covid-19, coordenadas pelo Corpo de Bombeiros Militar (CBM), têm revelado um problema que vem crescendo em Rondônia: a exposição desenfreada de jovens que desafiam os riscos de contaminação da doença e se aglomeram em festas clandestinas. A prática tem sido alvo de constantes denúncias que são averiguadas durante as ações. Geralmente, os encontros festivos acontecem em residências e são programados até mesmo pelas redes sociais.

O Corpo de Bombeiros Militar tem desencadeado operações de fiscalização para garantir o cumprimento das medidas definidas pelos atos normativos publicados pelo Governo do Estado e que definem o sistema de distanciamento social controlado para fins de prevenção e de enfrentamento à pandemia causada pelo coronavírus, no âmbito do estado de Rondônia e reiteram a declaração de estado de calamidade.

As ações de fiscalização iniciaram em dezembro de 2020 e se renovaram conforme a necessidade. As mesmas tiveram várias denominações, tais como: “Fase 3”; “3ª Onda”; “Decreto”; Consciência”; “Restrição”; “Alerta”; “Emergência” e a atual: “Urgência”. Desde então, foram contabilizadas mais de 6.300 intervenções, somadas todas as ações das operações já realizadas.

As operações são realizadas três vezes por semana, com ações que contam com a participação ativa da Polícia Militar (PM), Polícia Civil (PC), da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), da Superintendência Estadual de Comunicação (Secom), do Programa de Orientação, Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) e da Prefeitura de Porto Velho, por meio do Departamento de Vigilância Sanitária, Secretaria Municipal de Fazenda (Semfaz).

Nas festas clandestinas, que chegam a ser flagradas pela fiscalização, muitas pessoas se divertem sem observar as medidas de distanciamento social que é apontada como uma forma de diminuir o contágio do coronavírus e, consequentemente, evitar que mais pessoas sejam contaminadas.

RISCOS

Segundo informações das equipes que participam das operações, as festas clandestinas são programadas até mesmo nas redes sociais, sem que seja anunciada a data e localidade.

Dessa forma, somente por meio de denúncias as equipes conseguem chegar ao local e colocar fim à aglomeração. Para o comandante, é necessário que esses mesmos jovens, que pensam em desafiar a pandemia, passem a entender que, agindo dessa forma, passam a potencializar a disseminação do vírus, ou seja, podem levar o vírus às pessoas de dentro da própria casa.

A atual operação do Corpo de Bombeiros passou a ser denominada “Urgência” em decorrência ao atual estado da pandemia com aumento no número de óbitos pela Covid-19 registrados diariamente. As medidas serão mantidas para que sejam evitadas aglomerações e, consequentemente, desacelerar o contágio do coronavírus em todo Estado.

Para realizar denúncias sobre  aglomerações entre em contato com 190 (Polícia Militar), 193 (Corpo de Bombeiros), 197 (Polícia Civil) e 151 (Procon).

Fonte: Sesdec

Coronavírus: Nesta quarta-feira (14), foram registrados 54 óbitos em Rondônia

Só em Porto Velho, foram 21 óbitos, sendo 07 mulheres e 14 homens.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), divulga balanço de dados referente aos casos de covid-19 no Estado.

Nesta quarta-feira (14) foram consolidados os seguintes resultados:

Casos confirmados – 200.700
Casos ativos – 14.114 (7,03%)
Pacientes recuperados – 181.920 (90,64%)
Óbitos – 4.666 (2,33%)
Pacientes internados na Rede Estadual de Saúde – 422
Pacientes internados na Rede Privada – 143
Pacientes internados na Rede Municipal de Saúde – 149
Pacientes internados na Rede Filantrópica – 14
Total de pacientes internados – 728
Testes Realizados – 531.896
Aguardando resultados do Lacen – 621

* População vacinada:
1ª Dose – 149.863
2ª Dose – 41.624

Profissionais de Saúde vacinados:
1ª Dose – 43.153
2ª Dose – 22.828

Indígenas vacinados:
1ª Dose – 6.537
2ª Dose – 4.722

Idosos vacinados:
1ª Dose – 99.206
2ª Dose – 14.047

Deficientes ILP:
1ª Dose – 176
2ª Dose – 17

Segurança e Salvamento:
1ª Dose – 791
2ª Dose – 10

* (Dados obtidos às 17h48)

No Estado, os números de casos confirmados, recuperados e de óbitos, desde o primeiro registro em 20 de março de 2020 até hoje (14 de abril de 2021), por covid-19 são:

TOTAL DE CASOS EM RONDÔNIA – 14/04/2021
MunicípioCasos TotaisÓbitos TotaisCurados Totais
Porto Velho70.0612.01963.616
Ariquemes17.30236915.610
Ji-Paraná14.59637713.061
Vilhena10.3541899.832
Cacoal10.3341769.581
Jaru6.3101295.476
Rolim de Moura5.3151074.752
Guajará-Mirim5.1131864.832
Machadinho D’Oeste5.002664.610
Pimenta Bueno4.213543.720
Buritis4.035553.846
Ouro Preto do Oeste3.557993.141
Candeias do Jamari3.261643.068
Alta Floresta D’Oeste3.145472.970
Nova Mamoré2.755462.265
Presidente Médici2.565522.258
Espigão D’Oeste2.235412.066
Cerejeiras1.948421.550
São Miguel do Guaporé1.836331.679
São Francisco do Guaporé1.732391.633
Nova Brasilândia D’Oeste1.517201.299
Alto Paraíso1.509341.425
Cujubim1.478291.319
Colorado do Oeste1.379191.212
Monte Negro1.292221.017
Chupinguaia1.222161.168
Itapuã do Oeste1.202171.075
Costa Marques1.11919959
Urupá1.01426958
Alto Alegre dos Parecis100720861
Campo Novo de Rondônia98421819
Seringueiras96910919
Mirante da Serra8095735
Alvorada D’Oeste79020694
Vale do Anari77913662
Santa Luzia D’Oeste72610686
Cacaulândia6968673
Nova União67911639
Vale do Paraíso62723579
Cabixi60713555
Corumbiara55113500
Theobroma53620448
Governador Jorge Teixeira5146432
Rio Crespo4959442
Novo Horizonte do Oeste46117405
Ministro Andreazza44413418
Teixeirópolis4156387
Pimenteiras do Oeste35415336
São Felipe D’Oeste2956262
Parecis2166180
Castanheiras1955180
Primavera de Rondônia1504110
Total geral200.7004.666181.920

Em Rondônia, nas últimas 24 horas foram registrados os seguintes resultados para covid-19:

ÚLTIMAS 24 HORAS
MUNICÍPIOSCASOS CONFIRMADOSÓBITOS
Porto Velho26419
Ariquemes172
Ji-Paraná8211
Vilhena241
Cacoal602
Jaru512
Rolim de Moura21
Guajará-Mirim32
Machadinho D’Oeste120
Pimenta Bueno210
Buritis231
Ouro Preto do Oeste163
Candeias do Jamari80
Alta Floresta D’Oeste240
Nova Mamoré50
Presidente Médici150
Espigão D’Oeste181
Cerejeiras251
São Miguel do Guaporé240
São Francisco do Guaporé51
Nova Brasilândia D’Oeste10
Alto Paraíso00
Cujubim50
Colorado do Oeste341
Monte Negro20
Chupinguaia10
Itapuã do Oeste00
Costa Marques251
Urupá41
Alto Alegre dos Parecis230
Campo Novo de Rondônia20
Seringueiras80
Mirante da Serra00
Alvorada D’Oeste131
Vale do Anari10
Santa Luzia D’Oeste10
Cacaulândia100
Nova União00
Vale do Paraíso-10
Cabixi10
Corumbiara60
Theobroma10
Governador Jorge Teixeira160
Rio Crespo10
Novo Horizonte do Oeste11
Ministro Andreazza10
Teixeirópolis00
Pimenteiras do Oeste80
São Felipe D’Oeste00
Parecis00
Castanheiras10
Primavera de Rondônia40
Total geral86852

ÚLTIMAS ATUALIZAÇÕES:

  • Nesta quarta-feira (14) foram registrados 54 óbitos por covid-19 em Rondônia, desses, 21 foram em Porto Velho, sendo sete mulheres (72, 64, 57, 57, 56, 49 e 47 anos) e 14 homens (86, 81, 72, 70, 62, 51, 49, 49, 47, 47, 45, 43, 43 e 42 anos); 11 em Ji-Paraná, sendo quatro mulheres (70, 66, 54 e 53 anos) e sete homens (75, 68, 66, 49, 48, 45 e 40 anos); três em Ouro Preto do Oeste, sendo duas mulheres (73 e 53 anos) e um homem de 55 anos; duas mulheres (74 e 60 anos) de Ariquemes; uma mulher de 88 anos e um homem de 69 anos de Cacoal; uma mulher de 51 anos e um homem de 71 anos de Guajará-Mirim; dois homens (53 e 42 anos) de Jaru; um homem de 72 anos em Alvorada D’Oeste; uma mulher de 70 anos em Buritis; uma mulher de 84 anos de Cerejeiras; um homem de 57 anos de Colorado do Oeste; uma mulher de 70 anos em Costa Marques; um homem de 66 anos de Espigão D’Oeste; um homem de 78 anos de Novo Horizonte do Oeste; uma mulher de 43 anos de Rolim de Moura; um homem de 90 anos de São Francisco do Guaporé; uma mulher de 53 anos de Urupá e uma mulher de 79 anos de Vilhena.

Segundo a Agevisa, os dados são analisados diariamente pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), que acompanha também a investigação epidemiológica feita pelas equipes de Saúde nos municípios para checagem de dados.

Para informações detalhadas e relatórios na íntegra, acesse o Portal Coronavírus em Rondônia, através do endereço: coronavirus.ro.gov.br

Veja todos os relatórios de dados já publicados sobre a Covid-19 em Rondônia, clicando no link http://bit.ly/2EzHtco

Os dados de vacinação são adicionados ao sistema diretamente pelos municípios e são dinâmicos.
Para dados atualizados em tempo real, acesse: https://covid19.sesau.ro.gov.br/Home/Vacina

Seagri anuncia duas medidas imediatas contra crise instalada na produção do leite em RO

O anúncio foi dado pelo secretário Evandro Padovani, em reunião promovida pela Arom.

Em reunião promovida pela AROM, Seagri anuncia “preço de referência” do  leite e medidas fiscais para enfrentar crise no setor - Geral -  Rondoniagora.com - As notícias de Rondônia e Região
Vereadores, prefeitos e gestores públicos discutem sobre políticas públicas em encontro virtual

O secretário de Estado da Agricultura, Evandro Padovani, anunciou duas medidas imediatas de políticas públicas do Governo do Estado para mitigar os efeitos da crise do leite instalada em Rondônia. A primeira seria a produção de um relatório com informações técnicas para criar o chamado “preço de referência” para o leite e outra normatizar as regras, prevendo punição para a empresa que descumpri-las. Desde o dia 30 de março, os produtores estão mobilizados e, ao menos, 40% da classe paralisaram a entrega do produto às indústrias, exigindo melhores preços.


O anúncio das medidas de enfrentamento da crise foi feito na noite de terça-feira, 13, durante encontro virtual promovido pela Associação Rondoniense de Municípios (AROM), em que reuniu mais de 80 lideranças do setor, vereadores, prefeitos e gestores públicos.

O presidente da entidade municipalista, prefeito Célio Lang, iniciou o debate defendendo uma saída para manter a cadeia produtiva, responsável por mais de 100 mil empregos diretos e indiretos no Estado. “Os municípios fazem o que podem para fortalecer o mercado. Em nosso município (Urupá), o leite fomenta a nossa economia. Os laticínios precisam respeitar os produtores. É preciso diálogo”, entende Lang.


O coordenador da Receita Estadual, Carlos Alencar do Nascimento, e o secretário de Agricultura, Evandro Padovani, concordaram com o dirigente municipalista e prometeram fazer cumprir as normas legais.

As medidas

Conforme o secretário de agricultura do Estado, Evandro Padovani, a primeira ação da pasta é apresentar, no próximo dia 22 de abril, um relatório produzido pela Universidade Federal do Paraná, contratada pelo Conselho Paritário de Produtores e Indústrias de Leite (Conseleite), com informações técnicas para criar o chamado “preço de referência” para o leite.

Ele esclarece que a instituição levou em consideração a variação dos valores dos últimos meses e os custos para manutenção do plantel. Foi evidenciado, durante a reunião, que os laticínios não serão obrigados a pagarem o valor referência, calculado pela Universidade Federal do Paraná, mas, que ele servirá de parâmetro para futuras discussões sobre pagamento aos produtores.
Uma segunda iniciativa do Estado é reunir o arcabouço legal do setor e normatizar as regras em uma única portaria, prevendo punição para a empresa que descumpri tais normas. Nesse sentido, o coordenador-geral da Receita Estadual, Carlos Alencar do Nascimento, admitiu uma certa “frouxidão” na fiscalização, mas, prometeu agir com firmeza após a elaboração do decreto que será assinado pelo governador Marcos Rocha.
O futuro decreto trará os efeitos da Lei 12.669, de 12 de junho de 2012, aprovada pelo Congresso Nacional, obrigando a informar ao produtor o preço pago pelo litro do produto até o dia 25 do mês anterior à entrega; a Lei 3571, de 23 de junho de 2015, de Rondônia, obrigando as empresas a informar o preço até o penúltimo dia útil do mês; e a Lei 4807, de 10 de julho de 2020, proibindo que os laticínios ampliem o prazo para pagamento, sob pena de suspensão por até 180 dias de isenções e benefícios fiscais.
Outra iniciativa anunciada pelo coordenador da Receita Estadual é a criação de equipe técnica para treinar funcionários das 52 prefeituras, para eles possam inserir informações, no sistema do Fisco Estadual, sobre as inscrições dos produtores de leite, o que elimina a figura do atravessador e garante economia ao produtor, pois não será mais preciso se deslocar a outras localidades para regularizar a produção.


Os deputados estaduais Ismael Crispim e Lazinho da Fetagro também participaram do evento on-line, mas, precisaram se retirar porque a Assembleia Legislativa estava em sessão extraordinária.

Agro Leite

Padovani aproveitou a ocasião para anunciar a criação do programa “Agro Leite”, um investimento de R$ 28 milhões nos próximos quatro anos, prevendo a abertura de linhas de crédito, cursos técnicos, melhoria genética, aquisição de animais de alta linhagem, gestão de propriedade rural, compra de veículos, insumos e orientação técnica.

Cadeia produtiva do leite

A cadeia produtiva do leite em Rondônia possui 28 mil produtores. São produzidos 1,6 milhão de litros por dia, injetando R$ 1 bilhão bruto na economia e garantindo mais de 100 mil empregos diretos e indiretos. Ainda, 81% da produção são transformadas em muçarela; 13% em leite UHT; 5,6% em leite em pó; e o restante em subprodutos, como leite condensado, creme de leite, entre outros. Mais, 40% dos 28 mil produtores aderiram ao movimento paredista. A maioria está doando o produto às famílias carentes, mas, alguns estão jogando nas ruas em protesto aos laticínios. O preço hoje praticado, e anunciado para esse mês, é menos de R$ 1,00. Nos meses passados, chegou a R$ 1,60.

Fonte: Arom

1 2 3 93
%d blogueiros gostam disto: