Prefeitura reabre Parque Natural de Porto Velho para visitação

As atividades como trilha e pista de escalada permanecem desativadas para evitar aglomeração.

O Parque Natural Municipal foi reaberto, sábado (12), para visitação. O espaço ficou fechado pela Prefeitura de Porto Velho por conta das medidas preventivas relacionadas à pandemia de Covid-19. O retorno do público, entretanto, ainda é feito com restrições. Atividades como passeio pela trilha e a pista de escalada ainda não são permitidas.

A partir de agora, a área para piquenique, o museu, o viveiro de plantas e o lago com as tartarugas e jacarés podem ser visitados de terça-feira a domingo, das 8h às 17h.


“Muitas famílias nos procuram para fazer piqueniques e conhecer nossas atividades. Temos muito prazer em receber os grupos para momentos de lazer. O Parque Natural está à disposição, claro, com as restrições que o momento requer”, diz o gerente administrativo do parque, Venceslau Silva.

Para garantir uma boa experiência de convivência entre visitantes e natureza, a direção do parque redobrou a atenção quanto ao uso de álcool gel, máscaras e distanciamento como medidas de prevenção.

O consumo de alimentos no local é permitido desde que os usuários sigam as recomendações e não acendam fogo ou fumem nas dependências do parque e adjacências.

Fonte: Comdecom

Luizinho Goebel busca melhorias para o Posto Fiscal em Vilhena

Segundo o secretário de Finanças, Luís Pereira, Posto Fiscal receberá do governo uma série de investimentos

O Posto Fiscal localizado em Vilhena, na divisa com o estado do Mato Grosso, receberá uma série de melhorias do Governo de Rondônia ainda neste ano. A informação foi repassada na semana passada ao deputado estadual Luizinho Goebel (PV) e aos vereadores Zé Duda, Ademir Alves, Pedrinho Sanches, Vivian Repessold, Dhonatan Pagani pelo Secretário de Estado de Finanças, Luís Fernando Pereira da Silva durante encontro na capital, Porto Velho.

Segundo o parlamentar, a ação irá beneficiar os caminhoneiros e donos de transportadoras que utilizam os serviços do Posto, bem como aos servidores que trabalham no local e à população, trazendo-lhes mais segurança e comodidades.

Ainda de acordo com Goebel, atualmente, o Posto Fiscal localizado no estado do Mato Grosso, próximo ao de Vilhena, não tem estrutura adequada para atender os caminhoneiros. “Aquele Posto Fiscal está um caos total. Inclusive ele já foi ferramenta de movimentos nos últimos dias, com possibilidade de paralisação dos serviços. Nós não queremos isso para Rondônia. Nós não queremos isso para Vilhena. Nós não queremos isso para os caminhoneiro e dono de transportadora. Por isso, estamos aqui na Secretaria de Finanças para fazer um pedido ao governo do estado de Rondônia para que de fato possamos fazer um trabalho fantástico no local”, ressaltou o deputado.

Para o Secretário de Finanças, Luís Fernando, a apresentação daquelas demandas é muito importante, tendo em vista que somente assim o governo consegue entender o que acontece no local e, desde logo, dar respostas efetivas ao povo de Rondônia e aos moradores de Vilhena.

“O Posto Fiscal de Vilhena, nos próximos dias, terá a recomposição da pavimentação asfáltica que está danificada. Além disso, será elaborado um projeto para tornar o Posto de Vilhena o cartão postal do Estado. Dessa forma, os visitantes perceberão que Rondônia tem bons administradores”, enfatizou Pereira.

Texto e foto: Assessoria

Por reajuste salarial, esposas de PMs seguem com protesto em quatro municípios do Estado

As mulheres e parentes de PM estão acampados em frente ao quartel desde quinta-feira (10), batalhões de três cidades já haviam sido fechados.

Familiares de PM’s fecham quartel de Ariquemes, o 7° Batalhão

Ao menos quatro cidades de Rondônia iniciaram a semana com os quartéis da Polícia Militar (PM) fechados. Isso porque os familiares de policiais estão fazendo protestos na frente dos batalhões para pedir reajuste salarial da categoria.

A Constituição não permite que policiais militares façam greve. Por ser inconstitucional, o ato é considerado motim.

Os acampamentos das mulheres em frente aos quartéis foram montados na última semana e, no sábado (12), batalhões de três cidades já haviam sido fechados.

Para tentar encerrar o movimento, nesta segunda-feira (14) foi marcada uma reunião com representantes do governo, Ministério Público de Rondônia (MP-RO) e a categoria para tentar um acordo.

Abaixo, veja como está a situação nas cidades onde os PM’s estão alojados, sem poder sair do quartel:

Ariquemes

Os policiais de Ariquemes estão amotinados desde a madrugada de sábado (12). O movimento das esposas e familiares dos policiais acontece em frente ao único quartel da cidade, o 7° Batalhão da PM.

De acordo com o comandante do batalhão, há um plano de contingência para atender a população em caso de ocorrências graves, mas não foi dado detalhes de como deve funcionar esse plano em caso de emergência e nem quantos policiais serão dedicados ao plano.

Em contato com a Central 190 da PM, o atendente confirmou que apenas casos de latrocínio, homicídio e outras ocorrências gravíssimas estão sendo atendidos pela PM.

Jaru

Em Jaru, os policiais também estão aquartelados. O 8° Batalhão da PM, além de ser responsável por Jaru e seus distritos, também atende os municípios de Governador Jorge Teixeira e Theobroma. Com isso, cerca de 70 mil pessoas estão sem o policiamento ostensivo.

Durante a manhã, várias ruas da cidade não havia ronda de militares. Pessoas disseram que o clima é tranquilo, mas temem que a continuidade do movimento comprometa a segurança.

No 190, a informação repassada pelos policiais é de que as ocorrências simples poderiam ser registradas, mas em casos mais graves a orientação dos policiais é que a população compareça pessoalmente à Unisp do município.

As mulheres e parentes de PM estão acampados em frente ao quartel desde quinta-feira (10). No sábado (12), o governo do estado informou que parte do efetivo de Ariquemes foi enviado para Jaru e deu apoio nas ocorrências, mas o apoio se limitou ao fim de semana e os policiais já retornaram ao município de Ariquemes.

Ji-Paraná

Há mais de 48 horas Ji-Paraná está sem policiais militares nas ruas. Nenhuma equipe da PM foi vista em patrulha na cidade nesta segunda-feira (14).

As esposas dos policiais estão acampadas em frente aos dois quartéis de Ji-Paraná. O movimento busca realinhamento salarial.

No 190 da PM, a informação que foi passada é que eles não estão atendendo ocorrências.

Ouro Preto

Em Ouro Preto do Oeste, os policiais estão aquartelados desde sábado, pois os familiares dos policiais também estão acampados em frente a unidade.

O que diz o governo sobre o pedido de aumento

Em 2021, o Governo de Rondônia sancionou um projeto de lei que estabelece o reajuste salarial de 8% para os profissionais de segurança pública, incluindo policiais e bombeiros militares. No entanto, a medida está programada para entrar em vigor somente em 2022.

A justificativa do Governo para o intervalo é que atualmente a prioridade é assegurar que os esforços sejam direcionados ao combate à pandemia da Covid-19.

Segundo o comando-geral da Polícia Militar do Estado de Rondônia informou que os fechamentos, até o momento, não trouxeram prejuízos à segurança pública nas localidades.

Porto Velho sem fechamento nesta segunda, 14

Na capital Porto Velho, a saída do 5° Batalhão da PM segue desobstruída nesta segunda-feira. O manifesto em frente ao local segue, mas não impediu a saída de viaturas.

No sábado houve fechamento do quartel, mas as mulheres decidiram liberar e esperar a reunião desta segunda-feira, onde se espera um acordo favorável com o governo para a categoria.

Fonte: Rede Amazônica

Profissionais das forças de segurança e salvamento seguem recebendo a primeira dose da vacina contra covid em Porto Velho

O chamamento é específico para trabalhadores em atividade.

Dando continuidade no Plano Nacional de Imunização (PNI), a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) seguirá com a imunização da primeira dose dos profissionais das forças de segurança e salvamento da Capital. A vacinação ocorrerá nesta segunda e terça-feira (14 e 15), das 9h às 16h, no Campus I da Faculdade Uniron.

Serão dois dias de atendimento para abranger todo grupo da segurança pública. O chamamento é específico para trabalhadores em atividade. Para ser vacinado, é obrigatório apresentar a Carteira de Identidade Funcional.

Segundo a gerente da Divisão de Imunização, Elizeth Gomes, “a vacinação será apenas para os profissionais da ativa, não será estendida para aposentados, reserva remunerada ou reformados. A apresentação da carteira de identidade funcional será condicionante para receber a primeira dose da vacina”, explica a gerente.

A vacinação será dividida em dois dias da seguinte forma:

Na segunda-feira (14) serão atendidos os profissionais:

Base aérea
Polícia Militar
Sejus
Bombeiro Militar
Polícia Rodoviária Federal
Casa Militar
Marinha
Departamento Penitenciário Federal
Exército
Polícia Federal
Força Nacional
Assessoria Militar da Prefeitura

Na terça-feira (15) serão atendidos:

Base aérea
Sejus
Fease
Politec
Exército

Fonte: Semusa

Presidente Alex Redano comemora o início das obras de asfalto do Tchau Poeira em Ariquemes

As obras foram iniciadas na avenida Juscelino Kubitschek, em pleno domingo

Em pleno domingo (13), foram iniciadas as obras de asfaltamento do programa Tchau Poeira, do Governo do Estado, em Ariquemes. O início dos trabalhos ocorreu pela manhã, na avenida Juscelino Kubitschek. O presidente da Assembleia Legislativa, Alex Redano (Republicanos), que trabalhou para trazer o benefício para o município, em parceria com a prefeitura, comemorou essa boa notícia.

“Ariquemes foi a primeira cidade a apresentar o seu projeto, o seu plano de trabalho e por isso as obras estão sendo iniciadas hoje, em pleno domingo. No total, serão cerca de 20 quilômetros somados o asfalto novo, iniciado pela avenida Juscelino Kubitschek, e o recapeamento”, destacou Redano.

O governador Marcos Rocha, o diretor geral do DER, Elias Rezende, a prefeita Carla Redano (Patriota), o vice-prefeito Gabriel (Patriota), deputados estaduais, secretários estaduais e municipais vereadores e demais autoridades prestigiaram o início dos trabalhos.

“Quero agradecer ao governador, um homem de palavra, que assegurou o recurso e hoje estamos aqui vendo esse sonho se tornar realidade. É um investimento com recurso próprio, da economia do Governo. Não é financiamento, é bom deixar claro. Mais asfalto é mais saúde, qualidade de vida e valorização dos imóveis”, completou Redano.

Todas as ruas do Polo Moveleiro serão asfaltadas. Ruas e avenidas de diversos bairros serão beneficiadas com asfalto e recapeamento. A prefeita agradeceu a celeridade com que o recurso foi liberado. “Agradeço ao governador, ao diretor geral do DER, aos deputados estaduais que aprovaram esse programa e a todos os servidores da prefeitura, que se empenharam e fomos o primeiro município a assegurar esse investimento, tão importante para a melhoria da qualidade de vida da nossa cidade”, pontuou.

Em todo o Estado, a previsão do Governo é investir cerca de R$ 300 milhões, para a melhoria da infraestrutura urbana dos 52 municípios, que enfrentam dificuldades em assegurar esses benefícios com seu orçamento próprio.

Governo na Cidade

Ariquemes vai ser contemplado ainda com o programa Governo na Cidade, num investimento em torno de R$ 15 milhões, que vai assegurar melhorias na Avenida Capitão Sílvio, uma das mais importantes da cidade. Somando junto com o Tchau Poeira, cerca de R$ 25 milhões serão investidos em Ariquemes.

O Governo na Cidade vai injetar mais R$ 110 milhões nos municípios, com projetos de melhoria urbana de parques, praças e avenidas.

Fonte: Assessoria

Familiares de militares fazem protestos e fecham quartéis da PM em três cidades de Rondônia

Agentes de cidades vizinhas serão encaminhados para reforçar a segurança nos locais onde ocorrem as paralisações, segundo o Governo de Rondônia.

Familiares de policiais e bombeiros militares fecharam quartéis da Polícia Militar (PM) em Porto Velho, Ji-Paraná e Jaru na manhã deste sábado (12). Atos pedem o reajuste salarial da categoria. A Constituição não permite que policiais militares façam greve. Por ser inconstitucional o ato é considerado motim.

Comerciantes de Ji-Paraná estão se organizando para contratarem seguranças particulares para evitar possíveis roubos ou furtos no decorrer do dia.

Em nota, o comando-geral da Polícia Militar do Estado de Rondônia informou que os fechamentos, até o momento, não trouxeram prejuízos à segurança pública nas localidades. O Governo do Estado confirmou que equipes policiais de Ariquemes foram deslocadas para Jaru e agentes de Cacoal irão para Ji-Paraná garantir o policiamento.

Em Porto Velho o policiamento ostensivo é mantido com o reforço do Batalhão da Polícia de Choque e Forças Táticas.

Ainda segundo o governo, já está em curso uma negociação para os familiares desocuparem as entradas dos quartéis.

Está marcada para a próxima segunda-feira (14) uma reunião com representantes do governo, Ministério Público de Rondônia (MP-RO) e a categoria para tentar um acordo.

Familiares de militares fecham quartel em Ji-Paraná, RO — Foto: Rede Amazônica/Reprodução

Este ano, o Governo de Rondônia sancionou um projeto de lei que estabelece o reajuste salarial de 8% para os profissionais de segurança pública, incluindo policiais e bombeiros militares (confira as diferenças nos salários na tabela ao final da reportagem). No entanto, a medida está programada para entrar em vigor somente em 2022.

A justificativa do Governo para o intervalo é que atualmente a prioridade é assegurar que os esforços sejam direcionados ao combate à pandemia da Covid-19.

Na sexta-feira (11), o Comandante da Polícia Militar, coronel PM Alexandre Luís de Freitas Almeida, participou de uma reunião juntamente com o MP-RO e o Ministério Público de Contas (MPC-RO). O coronel apresentou as reivindicações da classe, assim como as propostas que foram apresentadas ao Governo do Estado com o objetivo de solucionar a situação.

Salários de militares em Rondônia

CargoSaldo AtualSaldo com reajuste de 8%
Coronel14.595,1915.762,81
Tenente-Coronel13.224,7014.282,68
Major11.559,3912.484,14
Capitão9.590,5010.357,74
Primeiro-Tenente7.935,408.570,23
Segundo-Tenente7.015,917.577,18
Aspirante-a-Oficial6.334,316.841,05
Subtenente6.258,426.759,09
Primeiro-Sargento5.349,145.777,07
Segundo-Sargento4.743,445.122,92
Terceiro-Sargento4.289,534.632,69
Cabo3.532,043.814,60
Soldado3.237,213.496,19

Fonte: Governo de Rondônia

Confira a íntegra da nota divulgada pelo comando da Polícia Militar:

O comando-geral da Polícia Militar do Estado de Rondônia se mantém atento à questão da manifestação causada pelas esposas de policiais militares e deixa claro que o policiamento ostensivo em Porto Velho está sendo mantido de forma normal e, ainda com o reforço do Batalhão da Polícia de Choque e a Forças Táticas, visando garantir a ordem e a segurança de toda a população.

O reforço foi necessário para suprir a deficiência causada pelo movimento de mobilização das esposas de policiais militares que chegaram a acampar e fecharam alguns quartéis, impedindo a saída de viaturas.

Nesse sentido, o comando da Polícia Militar enfatiza que em Porto Velho, apenas o 5º Batalhão de Polícia Militar foi fechado pela manifestação, não havendo prejuízos consideráveis na promoção da segurança pública nas localidades até o presente momento, uma vez que na Capital o 1º BPM, o 9º BPM, o Batalhão de Polícia de Choque e as Forças Táticas, têm suprido a deficiência.

E em Jaru, o 7º BPM do Município de Ariquemes tem suprido a necessidade de policiamento na localidade. Ao final do movimento, quem agiu em desacordo com a lei, terá que se explicar perante a mesma.

Em Ji-Paraná, o policiamento desempenhado pelo 2º BPM foi reforçado com as demais organizações policiais militares da região que estão atuando para garantir a segurança, também nas demais localidades.

O comando da Polícia Militar de Rondônia reitera sua confiança no Governo do Estado, na certeza que se resolverá esse impasse no mais curto prazo, sem prejuízos para a sociedade rondoniense. Ao mesmo tempo, espera contar com a consciência de todos quanto ao respeito de garantir que a Polícia Militar possa desenvolver a missão de proteger a sociedade.

Fonte: g1/ro

Trabalhadores portuários são imunizados em Porto Velho

Equipes vão aos portos para atender trabalhadores administrativos e operacionais

Cerca de mil trabalhadores portuários já foram vacinados contra a Covid-19 na capital. A meta da Prefeitura de Porto Velho é atender 4.930 profissionais do setor. O processo de imunização neste grupo começou terça-feira (8).

O atendimento é feito por equipes da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa). Portuários e aeroportuários foram inseridos nos grupos prioritários de vacinação contra a Covid-19 de acordo com o que foi estabelecido pelo Plano Nacional de Operacionalização (PNO) e conforme o 19º informe técnico do Ministério da Saúde, no dia 25 de maio deste ano.

O enfermeiro Valdir Alves coordena o processo de vacinação na área portuária. Segundo ele, a equipe fez um levantamento minucioso do local e público a ser atendido.
“Por se tratar de locais distantes, precisamos de logística para o transporte das vacinas, conservação em temperatura ideal e fazer a aplicação como estabelece o Plano Nacional de Imunização (PNI)”, explicou.

Para que o trabalho seja executado com rapidez, a equipe de vacinadores tem apoio de funcionários designados pela direção das empresas de transporte aquaviário. Eles são responsáveis pelo atendimento prévio e lançam os dados no sistema do Ministério da Saúde, sob a supervisão da coordenadoria de imunização.
A vacinação é feita diretamente nos portos. Alguns deles estão mais distantes, como os de Cujubim e Belmont. Mas o serviço segue conforme planejado pela Prefeitura.

“Nos Portos Cargil e Graneleiro já concluímos a imunização. Nesta sexta-feira (11), se não houver intercorrências, a nossa equipe fecha a vacinação no Porto Bertolini, e na próxima terça-feira (15), iremos trabalhar na região do Belmont”, disse Valdir Alves.

ALVO

O público-alvo do atendimento é formado por trabalhadores que fazem parte da tripulação das embarcações, profissionais dos setores administrativos e operacionais.

“Peço aos gerentes dos portos no município, que encaminhem ofício para a Secretaria Municipal de Saúde informando quem são os trabalhadores que serão imunizados. O documento também pode ser enviado pelo e-mail: semusavacina@gmail.com”, finalizou o coordenador.

Fonte; Semusa

Ao anunciar liberação de benefícios para o Cone Sul, Luizinho Goebel ressalta empenho dos demais deputados da região

Parlamentar destacou que apoio dos deputados Chiquinho da Emater, Ezequiel Neiva e Rosangela Donadon está possibilitando levar mais benefícios para os rondonienses

Num vídeo divulgado nas suas redes sociais nesta quinta-feira, 10 de junho, o deputado estadual Luizinho Goebel (PV) anunciou que o Governo de Rondônia liberou vários benefícios para Vilhena e para os demais municípios do Cone Sul do Estado.

Ao lado dos vereadores vilhenenses, Zé Duda, Ademir Alves, Pedrinho Sanches, Vivian Repessold, Dhonatan Pagani e do chefe da Casa Civil, Junior Gonçalves, Goebel frisou que as ações que irão beneficiar Vilhena estão se tornando realidade graças ao empenho dos quatro deputados estaduais da região, sendo eles: Luizinho Goebel (PV), Rosangela Donadon (PDT), Ezequiel Neiva (PTB) e Chiquinho da Emater (PSB).

“Vilhena está recebendo do governo de Rondônia recursos muito importantes para atender aos moradores. A título de exemplo podemos mencionar, o programa de pavimentação asfáltica, o Tchau Poeira, que irá asfaltar muitas ruas e avenidas, além do revestimento asfáltico. Também será construído várias Praças em diferentes bairros, entre outros benefícios”, pontuou.

Luizinho Goebel destacou também que, em breve, será implantado em Vilhena a tão aguardada usina de asfalto que atenderá, além de Vilhena, os municípios de Colorado do Oeste, Cerejeiras, Cabixi, Corumbiara, Pimenteiras e Chupinguaia.

“Este será o maior presente que o governador Marcos Rocha dará aos municípios do Cone Sul. Com a usina de asfalto de última geração implantada na nossa região teremos asfalto de boa qualidade para atender nossas estradas, ruas e avenidas”, salientou.

Ao encerrar o vídeo, o parlamentar agradeceu aos deputados da região e aos demais deputados estaduais por apoiar todos os pleitos que são levados para discussão junto à Casa Legislativa. “Juntos [deputados estaduais] conseguimos concordar com o governador Marcos Rocha, e agora quem ganha é você [população]”. 

Texto e foto: Assessoria

Queimadas urbanas em Porto Velho são denunciadas; já foram apuradas 25 ocorrências neste mês

Segundo a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Fazer queimadas é crime passível de multa, varia de R$ 80,11 a R$ 8.011 milhões.

O período em que as chuvas são mais escassas eleva os riscos do surgimento de focos de queimadas, problema que a Prefeitura de Porto Velho enfrenta ampliando a vigilância com equipes especializadas. Já foram identificados, só neste mês, 25 ocorrências de danos ambientais desta natureza.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Sema) registrou e apurou 85 focos de queimadas desde o início do ano através do Departamento de Fiscalização Ambiental. Fazer queimadas é crime passível de multa, varia de R$ 80,11 a R$ 8.011 milhões.

A degradação ambiental derivada da queimada urbana não precisa necessariamente ser averiguada no momento em que ocorre. O fiscal pode constatar vestígios da queimada posteriormente e lavrar o auto de infração.

“O PRINCIPAL FATOR DA QUEIMADA URBANA CONTINUA SENDO A AÇÃO HUMANA, SEJA DIRETA OU INDIRETA. GRANDE PARTE DOS INCÊNDIOS EM VEGETAÇÃO PODERIAM TER SIDO EVITADOS”, EXPLICA DIEGO PEREIRA DOS SANTOS, DIRETOR DA FISCALIZAÇÃO AMBIENTAL DA SEMA.

Diego explica que a queima de resíduos sólidos feitos de forma errada pode volatilizar substâncias tóxicas e materiais particulados com grande potencial de dispersão e deposição. É neste momento, que a queimada foge do controle. Quando isto ocorre, os bombeiros podem ser acionados do telefone 193.

“Desde janeiro estamos recebendo e apurando as denúncias. Há mais registros de junho a outubro. Depois, as chuvas voltam a ser mais constantes e os casos tendem a reduzir”, destaca o diretor de fiscalização da Sema.

Atualmente, a secretaria tem três canais de denúncias, além do presencial. Os registros podem ser feitos através do Disque Denúncia 0800-647-1320 (para ligações), Whatsapp Denúncia 98423-4092 (para envio de fotos e vídeos) e também através do e-mail fiscalizacaosemapvh@gmail.com

Ele lembra que as queimadas urbanas causam prejuízos não só ao meio ambiente, mas para a saúde das pessoas. “A fumaça, além de intoxicar quem provoca as chamas, causam problemas à vizinhança. Crianças, idosos e pessoas com problemas respiratórios são os que mais sofrem”, destaca o secretário.

“ESTAMOS VIVENCIANDO UMA PANDEMIA DE CORONAVÍRUS E AS PESSOAS QUE ESTÃO EM TRATAMENTO PODEM TER PIORA NO QUADRO DE SAÚDE DEVIDO AO POTENCIAL TÓXICO PRODUZIDO NAS QUEIMADAS URBANAS”, LEMBRA DIEGO DOS SANTOS.

Fonte; Sema

Parlamentar detona a “podridão” da “mídia do ódio” (veja o vídeo)

“Assassinaram o português e levam pro túmulo também o jornalismo”, disse o deputado

O deputado federal Carlos Jordy (PSL-RJ) usou a tribuna da Câmara, nesta quinta-feira (10), para denunciar a falta de profissionalismo e ética que tomaram conta da “mídia do ódio”, para o que chamou de “desjornalismo”.

“Nós todos sabemos que a imprensa torce contra do Governo Bolsonaro. Boa parte da mídia age como ‘agentes do caos’, como assessoria de imprensa da oposição, aliados da oposição e que também tendem a dar apenas as notícias ruins e esconder as notícias boas”, lamentou.

Jordy citou como exemplo a âncora da CNN, Daniela Lima, que, no final de maio, ao apresentar o programa “CNN 360” e anunciar o saldo positivo em abril de 120 mil novos empregos com carteira assinada segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), deixou escapar a frase: “infelizmente agora vamos falar de notícia boa”.

A repercussão negativa do comentário da jornalista foi imediata nas redes sociais e o deputado declarou:

“Chegamos a esse ponto: da jornalista lamentar que vai dar uma notícia boa referente ao Governo”, explicou, acrescentando que outro comunicador da Folha, também adotou postura similar a de Daniela e, ao comentar a melhora na economia brasileira disse que se tratava de “despiora”.

“Ou seja: assassinando o português e levando pro túmulo também o jornalismo. Um verdadeiro des-sespero da imprensa!”, ironizou.

Confira o vídeo:

Fonte: JCO

1 2 3 115