Saúde oferece nesta sexta em Porto Velho testagem em massa da covid-19

Ação será realizada em todo Brasil pelo Ministério da Saúde

Porto Velho participa, na sexta-feira (17), do plano de testagem em massa contra o coronavírus. A ação vai acontecer a partir das 9h, no IG Shopping, localizado na zona Leste.

Um informe nacional do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, será exibido a todo país de forma virtual, abrindo a ação de testagem em massa.

A previsão é testar cerca de 5 milhões de pessoas em um único dia em todo o Brasil e Porto Velho será uma das capitais contempladas. Na ocasião, o município receberá a visita do secretário de atenção primária à saúde, Raphael Parente.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), a estratégia será testar a população em locais de grande circulação em uma ação concomitante com a vacinação contra a Covid-19, por isso o IG Shopping foi escolhido.

Segundo a secretária da Semusa, Eliana Pasini, a ação vem somar aos esforços da Prefeitura no combate ao vírus. “É preciso manter todas as frentes de atuação contra a covid funcionando. Avançamos com a vacinação, mas não podemos deixar de testar a população. Essa estratégia permite que rastreemos eventuais infectados e, assim, quebremos o ciclo de transmissão”, explica.

A testagem será destinada à população geral de qualquer faixa etária.

Fonte: Semusa

Após ofender depoente, Aziz se “desespera” com ação indenizatória

Desesperado, Aziz diz que tem “imunidade parlamentar”

Enfrentado um processo movido por Mayra Pinheiro, secretária de Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde do Ministério da Saúde, o presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, Omar Aziz, afirmou que possui imunidade parlamentar.

A ação, com pedido de indenização por danos morais no valor de R$ 100 mil, foi movida por Mayra após o senador ter se referido a ela de forma depreciativa, denominando-a de ‘desqualificada tecnicamente’, entre outras declarações pejorativas, durante o depoimento da secretária na CPI, no dia 25 de maio.

“[Aziz] exprimiu seu pensamento no exercício de sua função de senador, no âmbito de discussões sobre CPI da qual é presidente, tudo isso evidentemente em razão de seu mandato, caracterizando, pois, as condições fáticas e jurídicas para a incidência da imunidade parlamentar”, foi a justificativa apresentada pelos advogados de defesa de Aziz.

A defesa de Aziz chegou a declarar que Mayra não comprovou a prática de atos ofensivos por parte de Aziz, mesmo com a sessão do depoimento tendo sido gravada.

O senador nega que tenha cometido irregularidades em suas afirmações.

Um total “desespero” do presidente da CPI.

Fonte: JCO

Covid-19: Semusa realiza vacinação na Escola Daniel Neri nesta sexta e sábado

Serão atendidos trabalhadores do comércio e moradores da região

Nesta sexta-feira (27) e sábado (28), a Prefeitura de Porto Velho leva a vacina contra a covid-19 à Escola Daniel Neri, no bairro JK, zona Leste, para a população da região e trabalhadores do comércio, com aplicação de primeira e segunda dose. As equipes de vacinadores, coordenadas pela Divisão de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), estarão prontas para atender o público contemplado, durante os dois dias.

A gestão municipal orienta quanto aos horários dos atendimentos, nas respectivas datas. Nesta sexta-feira (27), o horário da ação será das 14h às 19h, e no sábado (28) das 9h às 13h. O propósito é atender o máximo de pessoas, principalmente os trabalhadores que em virtude do horário de trabalho não conseguiram ainda se vacinar. Essa será mais uma alternativa para que o público tenha acesso à vacinação.

Quem for receber a primeira dose do imunizante, precisa estar cadastrado no aplicativo SASI e apresentar documento com foto. Já para a aplicação da segunda dose, o cidadão precisa levar a carteira de vacinação, podendo antecipar a imunização para o intervalo de 60 dias dos imunizantes Pfizer e AstraZeneca. A Semusa ressalta a necessidade de apresentação de cartão do SUS, CPF e documentos com foto. Caso o adolescente não tenha, é necessário levar registro de nascimento e apresentar o documento do responsável legal. Adolescentes de 12 a 14 anos devem estar acompanhados dos seus pais ou responsáveis legais.

PARCERIAS

A ação é fruto da parceria com a Federação do Comércio de Rondônia (Fecomércio), Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Serviço Social do Comércio (Sesc), Porto Velho Shopping, Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), através do presidente Raniery Araújo Coelho, entre outras.

As parcerias são o reflexo do empenho de diversas instituições para somar forças com o Poder Executivo Municipal no combate à covid-19.

SERVIÇO
Data:
 27 e 28/08 (sexta-feira e sábado)
Horário: 14h às 19h (sexta-feira) e das 9h às 13h (sábado)
Local: Escola Daniel Neri
Endereço: Rua Benedito Inocêncio, bairro JK – zona Leste
Público-Alvo: 12+ Moradores e trabalhadores do comércio da região com cadastro no SASI
Serviço: Vacinação da primeira e segunda dose contra a covid-19

Fonte: Semusa

Gilmar Mendes tranca ação contra José Serra por lavagem de dinheiro transnacional

A denúncia foi montada com base na delação de dez executivos ligados à Andrade Gutierrez, OAS e à própria Odebrecht.

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), mandou trancar a ação penal por lavagem de dinheiro transnacional aberta contra o senador licenciado e ex-governador de São Paulo, José Serra (PSDB), e a filha dele, Verônica Allende, a partir de investigações da extinta Operação Lava Jato.

A decisão, publicada nesta quarta-feira, 25, anulou as buscas feitas contra o tucano assim como a quebra de seu sigilo bancário e fiscal. Gilmar atendeu a uma reclamação do advogado de defesa Sepúlveda Pertence, ex-presidente do STF, sob o argumento de que a Lava Jato atropelou a competência da Justiça Eleitoral para processar e julgar crimes conexos a crimes eleitorais.

“Ante o exposto, julgo procedente a presente reclamação para determinar o trancamento da ação penal nº 5003598-35.2020.4.03.6181, com a anulação da busca e apreensão e das demais medidas cautelares de quebra de sigilo bancário e fiscal deferidas nos autos dos processos nº 5003219-94.2020.4.03.6181, 5003218-12.2020.4.03.6181, 5003233-78.2020.4.03.6181 e PIC 1.34.001.009917/2018-63, com a devolução dos itens apreendidos aos seus respectivos proprietários”, escreveu Gilmar Mendes.

No último dia 10, após ter sido diagnosticado com doença de Parkinson em estágio inicial e distúrbios do sono, o tucano pediu licença cargo pelos próximos quatro meses para tratamento de saúde.

Em julho do ano passado, ao abrir a Operação Revoada, o Ministério Público Federal acusou o senador de receber R$ 27,5 milhões em propinas da Odebrecht, entre os anos de 2006 e 2010, para beneficiar a empreiteira em contratos das obras do Rodoanel Sul e para liberar de créditos da construtora junto à Dersa. A denúncia foi montada com base na delação de dez executivos ligados à Andrade Gutierrez, OAS e à própria Odebrecht.

De acordo com os procuradores, o tucano usou seu cargo e influência política para receber as vantagens em troca da cessão de contratos bilionários de obras viárias. A denúncia diz que Serra tinha conhecimento do interesse de empreiteiras nas contratações e depositava em agentes públicos de sua confiança a missão de negociar pagamentos e contrapartidas.

Nas planilhas do famoso Setor de Operações Estruturadas da empreiteira, Serra ganhou o codinome ‘vizinho’, por morar próximo a seu principal contato na empresa, Pedro Novis. O então presidente da companhia, Marcelo Odebrecht, confirmou em seu depoimento que o apelido era referência a José Serra. Em mensagem interceptada pelos investigadores, Marcelo se refere a ‘vizinho’ como possível futuro Presidente da República, em atenção à iminente candidatura do tucano.

O Ministério Público Federal apontou que a Odebrecht pagou propinas a Serra por meio do que os investigadores chamaram de ‘uma sofisticada rede de offshores no exterior’, através de um suposto esquema de três camadas de lavagem. O tucano nega as acusações e acusa a Lava Jato de ‘arbitrariedades’.

Fonte: Agora Notícia

10ª edição do drive-thru vacina público acima de 19 anos em Porto Velho

Vacinação foi destinada tanto para aplicação da primeira, quanto da segunda dose

O drive-thru de vacinação contra a Covid-19 no Prédio do Relógio já entrou para a programação semanal do município de Porto Velho. Na sexta-feira de ontem (13), para receber o público acima de 19 anos em sua 10ª edição, a ação coordenada pela Prefeitura da Capital ganhou até apresentações musicais para tornar o ambiente mais agradável e atrativo.

A imunização foi destinada tanto à aplicação da primeira quanto da segunda dose para as vacinas AstraZeneca, Pfizer e Coronovac. Apenas trabalhadores da educação puderam antecipar a segunda dose, os demais foram imunizados conforme a data do cartão de vacina.

“Fazemos um apelo para quem ainda não se imunizou, que busque um dos pontos de vacinação. Infelizmente existe uma deficiência nos grupos já convocados, uma demanda represada bem grande entre a faixa etária de 30 e 60 anos, de pessoas que não procuraram a vacina. Todos que já foram chamados e não compareceram, ainda podem se vacinar”, lembrou a gerente da divisão de imunização da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), Elizeth Gomes.

Aproximadamente 150 voluntários colaboraram com o drive-thru, entre eles 15 integrantes do Motoclube Bodes do Asfalto, de Porto Velho.

“Estamos aqui participando da vacinação como voluntários e o nosso clube tem como missão ajudar a humanidade, e isso aqui nada mais é do que ajudar a população nesse momento de Covid. A vacinação é muito importante, todo mundo tem que aderir para se prevenir contra essa doença”, reforçou o coordenador do Motoclube, Jacob Pereira Rebouças.

Além da aplicação de doses, o espaço serviu de ponto de coleta do projeto social “Vacina Contra a Fome”, coordenado pela primeira-dama do município, Ieda Chaves.

Alimentos não perecíveis são arrecadados em todos os postos de vacinação para posterior doação de cestas básicas a famílias e instituições carentes.

Fonte: Semusa

Declarações forte contra Barroso, Bolsonaro revela ação de Moraes para impedir investigação no TSE (veja o vídeo)

O presidente disse que Barroso agiu como um “tapado e mentiroso”

Em live realizada nesta quinta-feira (12), o presidente Jair Bolsonaro criticou uma ordem do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, que afastou o delegado da Polícia Federal que investigava, desde 2018, denúncias sobre uma invasão nos sistemas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), durante um período que teria se estendido por 8 meses.

Moraes tomou a decisão ao acatar uma notícia-crime contra o presidente, acusado de ter vazado dados sigilosos da investigação. Bolsonaro rebateu e afirmou que os dados já eram públicos, desde a denúncia que teria sido feita pelo próprio hacker.

Bolsonaro, entretanto, bateu ainda mais forte no ministro Luís Roberto Barroso, por novas afirmações contra o voto impresso auditável. O presidente disse que Barroso agiu como um “tapado e mentiroso”

Confira no vídeo:

Fonte: JCO

Deputado Ismael enaltece ação do governo para início das obras de pavimentação da estrada do calcário

Parlamentar informou que o valor do investimento é de mais de R$ 13 milhões

Na tarde desta terça-feira (10), o deputado Ismael Crispin (PSB) fez questão de enaltecer a sensibilidade do Governador de Rondônia, Marcos Rocha nos trâmites para o início das obras de pavimentação de uma das principais estradas de Rondônia, a RO-133 conhecida como Estrada do Calcário no município de Espigão D’Oeste.

“Quando cheguei nesta casa, eu recebi uma pauta e um anseio daquela comunidade, que era a pavimentação da Estrada do Calcário, e de imediato fiz o compromisso de acompanhar pari passu todos os trâmites do processo, devido a importância da obra para os moradores do município. Semana passada tivemos o prazer de saber que a empresa Monte Cristo Construções foi classificada para realizar o serviço nos 10 primeiros quilômetros de 50”, disse.

Segundo o deputado o investimento do Governo de Rondônia é de mais de R$ 13 milhões e em breve a ordem de serviço deverá ser assinada. 

Texto: Laila Moraes – ALE/RO

Sinsjustra ajuíza ação civil pública requerendo revogação dos decretos estaduais

Entidade entende que retorno das aulas e das atividades laborais presencias só deve ocorrer quando a pandemia estiver controlada em Rondônia

O Sindicato dos Servidores da Justiça do Trabalho da 14ª Região dos Estados de Rondônia e Acre (Sinsjustra) ingressou com ação civil pública pedindo tutela provisória de urgência liminar em face do Governo do Estado de Rondônia, por entender que devem ser revogados os decretos estaduais que causam lesão aos cidadãos rondonienses, situação que engloba seus associados e familiares residentes neste Estado.

Esclarece que, na qualidade de representante da categoria, não pode ficar inerte frente à possibilidade real de mais gravame aos sindicalizados e seus familiares, lotados e residentes em diversos Municípios do Estado de Rondônia, pois, entende que as perdas de vidas computadas, são muito mais que apenas números (mais de seis mil), são pessoas, com nome, endereço, amigos, família, entes queridos em luto, histórias e momentos compartilhados e deixam um grande vazio tanto nas famílias enlutadas como na sociedade. São perdas irreparáveis.

Nesse sentido, destaca como temerária a decisão do Governo do Estado ao autorizar o retorno as aulas presenciais, contrariando diretamente Recomendação n.06 do Conselho Nacional de Saúde, de que a “retomada das aulas presenciais só ocorra depois que a pandemia estiver epidemiologicamente controlada e mediante a articulação de um plano nacional que envolva gestores e a sociedade civil”, o que inequivocamente não aconteceu.

Igualmente, o Sindicato postula a necessidade de identificação do Grupo de Risco, apontando omissão no Decreto 21.634/2021, além de requerer que o Estado comprove providências adotadas preventivamente para evitar o caos na saúde, como a disponibilização de leitos, medicamentos e outros que forem pertinentes, enquanto durar a situação de emergência em razão da pandemia da COVID-19.

Para o Sinsjustra, enquanto a epidemia não for controlada, os servidores que fazem parte do grupo de risco, grande maioria com morbidades, também não devem retomar as atividades laborais de forma presencial, considerando que apenas uma pequena parcela da população está imunizada – o que representa menos de 12% do total de habitantes do Estado de Rondônia, uma das unidades federativas com o menor índice de vacinação.

Além da imunização dos grupos prioritários, o sindicato destaca o surgimento de novas cepas e o aumento no número de infectados pelo coronavírus. A entidade reitera que a continuidade das condutas lesivas neste momento, com certeza trará um resultado inevitável de crescimento de perdas de vidas, e nesse particular não existe um risco maior.

Covid-19 em Rondônia

Relatório produzido pelo Tribunal de Contas de Estado (TCE) e Controladoria-Geral da União (CGU) com dados coletados até o final do mês de abril, revela que Rondônia é o segundo estado com a maior taxa de mortes por Covid-19 em relação ao número de habitantes.

A partir de dados do Ministério da Saúde, o relatório mostra que Rondônia tem a segunda maior média de mortes por Covid-19 do Brasil, com 286 óbitos a cada 100 mil habitantes, atrás apenas do estado do Amazonas, e 53% acima da média nacional.

No ranking de casos registrados, o estado fica em quarto lugar, com 11.799 diagnósticos da doença a cada 100 mil habitantes, um número 72,6% maior que a média nacional.

Em face desse quadro, pactua o Sinsjustra com a dor, revolta e tristeza pela perda de vidas humanas, na grande maioria, ocasionada em razão de políticas e condutas equivocadas.

Fonte: Assessoria

PTB entra na ação petista que quer impor linguagem neutra nas escolas de Santa Catarina

A ação do PT tenta derrubar o Decreto 1.329, assinado por Moisés em 15 de junho, alegando que o mesmo viola os princípios e dispositivos constitucionais

O Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) ingressou com ação no Supremo Tribunal Federal, contra a Ação Direta de Inconstitucionalidade 6925 do Partido dos Trabalhadores (PT), que tenta derrubar a decisão do governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, proibindo o uso da linguagem neutra, ou não-binária de gênero (como, por exemplo, “todxs”, “todes” e “elu”) nas escolas e nos órgãos públicos eu estado.

A ação do PT tenta derrubar o Decreto 1.329, assinado por Moisés em 15 de junho, alegando que o mesmo viola os princípios e dispositivos constitucionais e fere o direito à educação nos moldes estabelecidos pela Carta Magna.

O PT diz ainda que a norma viola os princípios da igualdade, da não-discriminação e da dignidade humana, argumentação que o PTB considera esdrúxula e que irá combater com seu pedido para participar como amicus curiae (amigo da corte) na ação.

Reprodução Internet
Reprodução Internet

Sorteado para julgar o processo, o ministro Kassio Nunes Marques deve decidir se o decreto do governo de Santa Catarina é ou não inconstitucional.

Nunes, indicado por Jair Bolsonaro para o STF e que tem adotado postura mais conservadora, deve apresentar seu voto nos próximos dias, mas o mesmo será analisado também pelos demais membros da Corte.

Fonte: JCO

Petrobras encerra venda de sua participação na BR Distribuidora

Estatal arrecadou R$ 11,3 bilhões com a venda

A Petrobras informou hoje (6) o encerramento da operação em que vendeu sua participação acionária na Petrobras Distribuidora S.A. (BR Distribuidora). Segundo a estatal, a oferta de sua parte na subsidiária ao mercado financeiro rendeu um montante de R$ 11,358 bilhões e foi encerrada ontem (5).

O anúncio de encerramento da oferta publicado pela estatal informa que foram vendidas 436,875 milhões de ações a 5.795 adquirentes. O preço de cada ação foi fixado em R$ 26. 

Os maiores compradores das ações foram fundos de investimentos e investidores estrangeiros, segundo o detalhamento da operação.

Um total de 576 fundos de investimentos adquiriu cerca de 251 milhões de ações da BR Distribuidora, o que corresponde a 57,6% do total ofertado pela Petrobras. 

Já os 146 investidores estrangeiros compraram 149 milhões de ações, fatia que corresponde a 34,1% do total.

A terceira maior fatia foi comprada por 4.859 pessoas físicas, que adquiriram 26,4 milhões de ações (6%).

A Petrobras justifica a venda de sua participação na BR Distribuidora como uma operação que “visa à otimização do portfólio e à melhoria de alocação do capital”. A estatal disse que a oferta dessas ações ao mercado financeiro “está alinhada ao seu posicionamento estratégico de sair dos negócios de distribuição e focar seus investimentos em refino de classe mundial e em ativos de produção e exploração em águas profundas e ultraprofundas, onde a companhia tem demonstrado grande diferencial competitivo ao longo dos anos”.

Fonte; Fernando Fraga A/B

1 2 3 7