EUA, Reino Unido e Austrália anunciam novo pacto para conter a China

Austrália poderá construir submarinos com capacidade nuclear

O Pacto de Aukus reúne os Estados Unidos, o Reino Unido e a Austrália para fazer frente às pretensões territoriais da China no Indo-Pacífico. O acordo, no âmbito da Segurança e Defesa, prevê que Camberra possa construir, pela primeira vez, submarinos com capacidade nuclear, mas também a estreita colaboração das três nações ao nível das capacidades cibernéticas, quânticas e de inteligência artificial.

Os analistas consideram o acordo como um dos mais significativos nas áreas de segurança e defesa desde o fim da Segunda Guerra Mundial. O pacto vai permitir à Austrália a construção de submarinos com propulsão nuclear, com o apoio dos aliados, Estados Unidos e Reino Unido.

“Estamos investindo na maior fonte de força: as nossas alianças. Estamos nos atualizando para enfrentar, da melhor forma, as ameaças de hoje e de amanhã. Estamos ligando os aliados e parceiros da América de novas formas”, afirmou o presidente norte-americano,Joe Biden, ladeado pelas imagens dos líderes britânico e canadense, em imagens transmitidas pelos canais de televisão.

Sobre os submarinos, os Estados Unidos e a Austrália garantiram que Camberra não irá recorrer a armas nucleares, ainda que tenham capacidade para as transportá-las.

“Permitam-me ser muito claro: a Austrália não quer obter armas nucleares ou alcançar uma capacidade nuclear civil”, disse Scott Morrison, o primeiro-ministro australiano.

O país é um dos signatários do Tratado de Não Proliferação Nuclear (TNP), que visa a impedir a aquisição e o desenvolvimento de armas nucleares.

Ainda assim, este é o primeiro acordo em várias décadas de partilha de informação e tecnologia com capacidade de propulsão nuclear. Antes dessa quarta-feira, a última vez que os Estados Unidos tinha firmado esse tipo de entendimento foi em 1958, com o Reino Unido.

Esses submarinos, que no âmbito do acordo passam a ficar estacionados na Austrália, são muito mais rápidos e difíceis de detectar do que os submarinos convencionais, o que confere maior influência norte-americana na região do Indo-Pacífico.

Camberra torna-se, dessa forma, o sétimo país do mundo a operar submarinos com capacidade nuclear, depois dos Estados Unidos, do Reino Unido, da França, China, Índia e Rússia.

Com esse entendimento, cai um acordo assinado pela Austrália em 2016, com a França, para a construção de 12 submarinos convencionais, no valor de 56 bilhões de euros.

Mentalidade de “Guerra Fria”

O pacto prevê uma cooperação ainda mais estreita, ao nível da segurança e defesa, entre os Estados Unidos, o Reino Unido e a Austrália, três países que já integravam o grupo Five Eyes, em que também estão o Canadá e a Nova Zelândia.

Além dos submarinos, o acordo Aukus prevê a estreita colaboração dos três países no conhecimento e capacidade cibernéticos, quânticos e de inteligência artificial, bem como de novas tecnologias submarinas.

Na conferência conjunta, nenhum dos três líderes fez referências diretas à China, tendo assumido apenas que os desafios de segurança regionais “aumentaram significativamente”.

No entanto, o acordo é visto como uma resposta dos Estados Unidos ao expansionismo de Pequim no Mar do Sul da China e das ameaças chinesas a Taiwan. Em entrevista, Joe Biden falou da importância de “um Indo-Pacífico livre e aberto”.

“Esta é uma oportunidade histórica para as três nações, aliadas e parceiras com ideais semelhantes, protegerem os valores partilhados e promoverem a segurança e a prosperidade na região”, diz a declaração conjunta.

A embaixada chinesa em Washington criticou o acordo trilateral e pediu às nações que “deixem a mentalidade de guerra fria e o preconceito ideológico”, afirmou o porta-voz Liu Pengyu.

Fonte: Agência Brasil

Hildon Chaves anuncia cronograma de vacinação da terceira dose contra covid-19 na capital

Público-Alvo da terceira dose são pessoas a partir de 70 anos. O anúncio foi dado em rede social.

Em transmissão ao vivo na sexta-feira (10) nas redes sociais, o prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves, anunciou que no próximo dia 15 de setembro será dado o início ao cronograma de vacinação da terceira dose contra a covid-19 para pessoas a partir de 70 anos. A medida é mais uma ação visando o reforço na imunização da população porto-velhense.

Reuniões estão sendo mobilizadas pela Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) visando a organização logística e os locais para este atendimento. Após as decisões, haverá comunicação oficial pelo município.

“Estudos recentes apontam o aumento no percentual de imunização com a terceira dose e muitos países já estão aplicando essa dose”, disse Hildon Chaves ao incentivar as pessoas a buscarem um dos postos de vacina assim que definidos os grupos com base no Plano Nacional de Imunização (PNI).

Neste momento, a regra é manter a organização de atendimento conforme as etapas anteriores, ou seja, daqueles com mais idade e imunossuprimidos, as pessoas mais suscetíveis a infecções, para os mais jovens. A programação também atenderá com a dose de reforço aos profissionais da saúde.

Segundo a secretária municipal de Saúde, Eliana Pasini, para que todo o público superior aos 70 anos possa ser contemplados, “a Prefeitura de Porto Velho depende do envio de mais doses dos imunizantes disponibilizados e aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para seguir ininterruptamente com o esquema vacinal”.

Fonte: Comdecom

Governo anuncia propostas qualificadas para vacinas nacionais

Para ministro, pandemia deixou clara importância da ciência.

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) divulgou hoje (31) as quatro propostas qualificadas preliminarmente, no âmbito do chamamento público para a prospecção de projetos de ensaios clínicos de vacinas contra a covid-19 desenvolvidas no Brasil. Com o anúncio, os quatro proponentes qualificados terão, a partir de agora, de apresentar a documentação necessária, conforme previsto em edital. Ao anunciar os projetos selecionados, o ministro Marcos Pontes destacou a importância da ciência para o combate à covid-19.

“A pandemia deixou clara a importância da ciência, que é a única arma que temos para vencer o vírus. Os resultados em um ano foram expressivos, com redução do número de óbitos. Isso mostra a importância da ciência e dos nossos cientistas. O Brasil tem cientistas de altíssimo gabarito no cenário internacional, mas para que a ciência funcione precisa de irrigação de recursos”, disse o ministro.

Pontes destacou que os investimentos em educação, ciência, tecnologia e inovação são os diferenciais característicos de um país desenvolvido. “A chamada de hoje é simbólica para uma mudança. Nossos orçamentos foram reduzidos, mas estamos agora em ponto de inflexão. Paulo Guedes [ministro da Economia] disse que no ano que vem o orçamento do ministério será aumentado”, acrescentou.

Proponentes qualificados

Das quatro propostas qualificadas, anunciadas ao final da cerimônia, três foram desenvolvidas por universidades públicas e uma pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) – todas a partir de estudos clínicos que abrangeram as fases 1 e 2 das vacinas.

A primeira proposta teve como pesquisador responsável Ricardo Tostes Gazzinelli, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). O ensaio clínico foi feito a partir de uma vacina quimera composta de proteínas RBD/nucleocapsídeo derivada do Sars-cov. À vacina foi dado o nome de Spintec MCTI UFMG.

Desenvolvida pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a segunda proposta, que teve à frente a pesquisadora Leda dos Reis Castilho, visa ao desenvolvimento da vacina UFRJVAC, tendo como base uma proteína recombinante de variantes de Sars-Cov-1.

A terceira proposta, desenvolvida pela Universidade de São Paulo (USP), por meio da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, é a da vacina Versamune MCTI, a partir de ensaios clínicos de fase 1 e 2, visando ao “tratamento profilático de infecção causada por Sars-Cov-2”. O trabalho tem à frente o pesquisador Celio Lopes Silva.

A quarta proposta é a da Vacina RNA MCTI Cimatec HDT, desenvolvida pelo Campus Integrado de Manufatura e Tecnologia (Senai Cimatec) da Bahia. Ela foi formulada a partir de nanopartícula carreadora de RNA Replicon auto replicante e tem como pesquisadora Bruna Aparecida Souza Machado.

Fonte; Graça Adjuto A/B

Pfizer assina acordo para produção de vacinas da covid-19 no Brasil

Parceria será feita com a Eurofarma

Os presidentes da Pfizer do Brasil, Marta Diez e da América Latina, Carlos Murillo, durante anúncio à imprensa, sobre a produção de vacinas no Brasil
Os presidentes da Pfizer do Brasil, Marta Diez e da América Latina, Carlos Murillo, durante anúncio à imprensa

A Pfizer e a BioNTech anunciaram hoje (26) a assinatura de uma carta de intenções com a farmacêutica brasileira Eurofarma para a produção de vacina contra a covid-19. A vacina será produzida no Brasil e distribuída em toda a América Latina.

De acordo com o comunicado das empresas, as atividades de transferência técnica, desenvolvimento no local e instalação de equipamentos começarão imediatamente. A Eurofarma vai receber o produto de instalações dos Estados Unidos.

A expectativa é que o laboratório brasileiro seja capaz de produzir 100 milhões de doses por ano, que devem começar a ser entregues em 2022.

“A Eurofarma vai começar por meio deste acordo a terminar o processo de fabricação de nossa vacina no Brasil, o envase e a finalização no Brasil e para o resto dos países da América Latina”, destacou o presidente da Pfizer para a América Latina, Carlos Murillo em evento para a assinatura do acordo.


A vacina fabricada pela Pfizer/BioNTech, chamada de ComiRNAty, já está sendo aplicada no Brasil por meio do Programa Nacional de Imunizações (PNI). Mas até então ela vinha do exterior pronta para aplicação.

Essa vacina utiliza uma nova tecnologia, com RNA mensageiro (mRNA). Segundo a Pfizer, esse tipo de vacina carrega o código genético do vírus que contém as instruções para que as células do corpo produzam determinadas proteínas. Ou seja, elas atuam introduzindo nas células do organismo a sequência de RNA mensageiro, que contém a receita para que essas células produzam uma proteína específica do vírus. Uma vez que essa proteína seja processada dentro do corpo e exposta ao nosso sistema imunológico, este pode identificá-la como algo estranho, um antígeno e criar imunidade contra ele.

O imunizante da Pfizer é aplicado em duas doses. No Brasil, a vacina  recebeu autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para ser aplicada em adolescentes entre 12 e 17 anos. O imunizante da Pfizer é o único autorizado para essa faixa etária até o momento.

A vacina ComiRNAty é produzida pela Pfizer em parceria com a farmacêutica BioNTech, com sede na Alemanha. Ela é uma das principais marcas utilizadas atualmente na operacionalização do plano de vacinação contra a covid-19 no país.

Na entrevista coletiva de anúncio da parceria realizada no Ministério da Saúde, o titular da pasta, Marcelo Queiroga, ressaltou a importância da parceria para a capacidade de produção de vacinas do país e para a oferta de imunizantes contra a covid-19. “São indústrias privadas que se juntam no nosso país para desenvolver o nosso complexo industrial de saúde. Esse acordo vai fortalecer nossa capacidade de produzir vacinas e imunizar a população”, declarou o Queiroga. 

Fonte: Lílian Beraldo A/B

Prefeitura anuncia convocação de 151 professores em Porto Velho

O retorno às aulas só será permitido aos profissionais que já estiverem imunizados contra a Covid-19.

O prefeito Hildon Chaves anunciou, na sexta-feira (20), a contratação de 151 professores para integrar a rede de ensino de Porto Velho. A integração dos profissionais estava prevista para acontecer no ano passado, mas precisou ser adiada devido a pandemia da Covid-19.

Dou as boas-vindas a estes profissionais que, tenho certeza, contribuirão muito para o aprimoramento da educação municipal de Porto Velho”, afirmou o prefeito.

O anúncio aconteceu no gabinete da Prefeitura, na presença do vice-prefeito, Maurício Carvalho e da secretária municipal de Educação, Gláucia Negreiros. “Os profissionais estavam ansiosos, aguardando a convocação. Após diálogos e planejamento, retornamos com as aulas presenciais e acolhemos estes profissionais”, afirmou.

A partir de agora, as contratações serão conduzidas pela Secretaria Municipal de Educação (Semed) e Secretaria Municipal de Administração (Semad).

O retorno às aulas só será permitido aos profissionais que já estiverem imunizados contra a Covid-19. Para quem tomou apenas a primeira dose, a Prefeitura viabilizará o adiantamento da segunda aplicação. A ideia é garantir o ingresso de profissionais que já estejam com o ciclo vacinal completo.

Fonte: Semed

Hildon Chaves anuncia vacinação contra covid para jovens com 18 anos a mais na capital

O ponto de vacinação para a aplicação da primeira dose é na Faculdade Fimca, no horário das 9h às 16h.

Pessoas acima de 18 anos já podem receber a vacina contra a Covid-19
Jovens de 18 anos passam a receber primeira dose de vacina

A Prefeitura de Porto Velho segue com o processo de imunização, agora contemplando pessoas com idade a partir dos 18 anos, para a aplicação da primeira dose da vacina contra a Covid-19. O avanço nos grupos de idade é fruto da celeridade nas ações de vacinação, que já ultrapassaram 300 mil doses aplicadas.

O anúncio da redução da faixa etária para a aplicação da primeira dose do imunizante foi feito pelo Prefeito Hildon Chaves, durante entrevista ao vivo a uma emissora de televisão. “Muita gente pedindo para que chegássemos a esse público de 18 anos. Portanto, a partir de agora, você que tem 18 anos, não perca tempo e vá até a Fimca para receber sua vacina. Essa é uma forma de combatermos as novas variantes e promover mais imunização para a população”, declarou Chaves.

Para receber o imunizante, o público-alvo precisa estar cadastrado no aplicativo SASI e apresentar documento com foto. O ponto de vacinação para a aplicação da primeira dose é na Faculdade Fimca, no horário das 9h às 16h.


A aplicação da segunda dose segue em andamento na Faculdade São Lucas, Campos II. Para isso, a população em geral precisa estar atenta à data de retorno, contida no cartão de vacinação. A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) reforça que a antecipação de 45 dias da vacina AstraZeneca e 60 dias da Pfizer é exclusiva, no momento, para profissionais da Educação.

Pessoas que receberam a primeira dose de 29 até 31 de maio, e trabalhadores da Educação com a primeira dose aplicada até o dia 3 de julho.

Fonte: Comdecom

Alex Redano anuncia convênio para recuperação de estradas do município Vale do Anari

O recursos será utilizado na contratação de terceiros e na aquisição de equipamentos e material de consumo para execução do serviço.

O presidente da Assembleia Legislativa, Alex Redano (Republicanos), anunciou que o Governo celebrou o convênio de R$ 1 milhão com a prefeitura de Vale do Anari, para ser aplicado na recuperação de pouco mais de 100 quilômetros de estradas vicinais do município, ação indicada pelo parlamentar.

“É um volume significativo de investimento que é feito pelo Governo, para beneficiar a população rural de Vale do Anari, município produtivo e que tem necessidade de boas estradas para atender aos produtores rurais e aos moradores das zonas rurais”, disse Redano, que fez a indicação e se empenhou pessoalmente para que o recurso fosse liberado para Vale do Anari.

O termo de convênio foi celebrado entre o Departamento de Estradas de Rodagens (DER), através do diretor-geral, Elias Rezende, e o prefeito de Vale do Anari, Anildo Alberton (MDB), objetivando a recuperação de 104,74 quilômetros de estradas vicinais, com serviços de limpeza lateral, conformação da plataforma e revestimento primário.

O recursos será utilizado na contratação de terceiros e na aquisição de equipamentos e material de consumo para execução do serviço. A prefeitura vai oferecer uma contrapartida no valor de R$ 52.395,22.

Tchau Poeira

Alex Redano atua ainda para garantir junto ao Governo que Vale do Anari seja contemplado com as ações do programa Tchau Poeira. A previsão é de que o município deverá receber três quilômetros de recapeamento e pelo menos mais três quilômetros de asfalto novo.

Fonte: ALE-RO

Seduc anuncia Retorno das Aulas Presenciais dia 9 de agosto em RO

O retorno nas unidades públicas estaduais será de forma híbrida (presenciais e não presenciais para os estudantes) e gradual.

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc), anunciou nesta terça-feira (20), a execução do Plano de Retorno das Aulas Presenciais na rede pública estadual de ensino para o próximo dia 9 de agosto de 2021.

O Plano foi elaborado pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e contou com a cooperação dos órgãos de controle e outras entidades públicas e da sociedade, respeitando os protocolos sanitários, visando a segurança dos trabalhadores em educação, assim como dos estudantes. No próximo dia 27 de julho será feito o acolhimento do professores e servidores das escolas.

O retorno das aulas presenciais nas unidades públicas estaduais de ensino será de forma híbrida (presenciais e não presenciais para os estudantes) e gradual. Inicialmente retorna 25% da capacidade da sala de aula mantendo o distanciamento de 1 metro entre as carteiras. Serão priorizados os 2º, 5º, 6º e 9º ano do ensino fundamental e 3º ano do ensino médio. E os professores terão sua carga horária dividida entre atividades presenciais e não presenciais para que não haja sobrecarga de trabalho.

Cada família tem a opção de retornar às atividades dos estudantes nas escolas ou manter os estudos em casa, pois as unidades escolares permanecerão ofertando as aulas remotas e atividades impressas.

“Aqueles que retornam as rotinas presenciais nas escolas da rede pública estadual, vão encontrar um ambiente adaptado, com novos lavatórios, Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), álcool líquido e em gel, e tudo que for necessário para seguirmos bravamente esse período diferente da nossa história”, disse o governador Marcos Rocha.

Durante todo esse período em que as escolas estiveram fechadas, o Governo do Estado aproveitou para adaptar a escolas públicas estaduais para o novo normal, de acordo com as orientações exigidas pelos órgãos de controle de saúde sanitária para atender à comunidade escolar neste retorno com mais segurança, visando resguardar a saúde dos estudantes e profissionais da educação.

Assim como o Plano de Retorno, a Seduc já disponibilizou em seu site oficial o Plano de Operacionalização do Retorno às Aulas Presenciais, na área de Ações da Seduc voltadas à covid-19, menu de Planos e Protocolos, disponível para todos.

Fonte: Secom-RO

Governo anuncia volta do Programa ”Nota Legal” em RO

Consumidores irão concorrer a prêmios entre até R$ 5 mil e R$ 20 mil, desde que solicite a nota fiscal de suas compras no comércio em geral.

Será relançado no dia 20 de julho, pelo Governo de Rondônia, o programa”Nota Legal”, que dá créditos em dinheiro às Entidades Sociais cadastradas junto ao Executivo Estadual, por meio das notas ou cupons fiscais pedidos por consumidores e disponibilizados pelo sistema de “QR Code” (um código de barras 2D) para a entidade que o contribuinte tiver afinidade ou quiser simplesmente ajudar.

O consumidor vai concorrer a prêmios entre R$ 5 mil e R$ 20 mil, desde que solicite a nota fiscal de suas compras no comércio em geral. Os benefícios serão pontuais para pessoas físicas. A cada compra feita acima de R$ 10, o consumidor apontará a câmera do celular para o QR Code da nota, e ela será direcionada para a página do programa, podendo o consumidor primeiramente doar para a entidade social de sua escolha. Em seguida, concorrerá aos prêmios instantâneos.

A cada doação, a pessoa obtém um crédito de 25 centavos. Potencialmente, serão mais de dez milhões de notas fiscais (eletrônicas) de consumidor, conhecidas pela sigla NFCe. Se todas elas forem doadas, será possível obter R$ 2,5 milhões para entidades. “Teremos a raspadinha eletrônica, nos valores de R$ 25 a R$ 100. Tão logo ganhar o prêmio, o consumidor cadastrará os seus dados bancários e poderá transferir o valor para sua conta corrente ou conta poupança”, anunciou o gestor da Secretaria de Estado de Finanças (Sefin), Luiz Fernando Pereira da Silva.

“O consumidor tem direito de pedir o CPF na nota, e poderá praticar a educação financeira, analisando mensalmente o quanto consumiu e quanto gastou”, disse o secretário.

O hábito formaliza a regularidade dos estabelecimentos em geral e contribui para que todos emitam documentos fiscais e recolham corretamente os tributos, além de combater desigualdades econômicas. “É bom para o mercado e para o funcionamento da economia como um todo, porque promove a solidariedade, o engajamento do cidadão com causas sociais, na medida em que destinará a entidades, doações correspondentes à nota”, enfatizou o secretário.

SAIBA MAIS

► A Lei nº 3974/16 determina que apenas as entidades sociais poderão usufruir de créditos doados por contribuintes do ICMS. O cidadão doará no momento em que fizer compras.

► A cada trimestre a Sefin fará sorteios de prêmios. O consumidor receberá seus bilhetes eletronicamente, numa espécie de “gameficação”.

► A cada R$ 50 ele receberá um bilhete, mas pode subir de nível na medida em que compartilhar a campanha em redes sociais e noutras ações de cidadania a serem definidas.

► Aumentando o número de bilhetes, maior será a chance de o consumidor ser premiado.

Fonte: Secom

Caixa anuncia redução de até 75% nas prestações da casa própria

Brasileiros que recebem auxílio emergencial e seguro desemprego podem pausar as prestações por até seis meses

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta segunda-feira (7) reduções nas prestações do financiamento imobiliário. Os abatimentos variam de 25% (por seis meses) a 74,99% (por três meses). Também é possível obter um desconto superior a 75% mediante à comprovação de perda de renda em meio à pandemia do novo coronavírus.

As solicitações para conseguir reduzir o valor das parcelas devem ser realizadas diretamente pelo aplicativo de habitação da Caixa Econômica Federal.

“Mais uma vez, ouvindo a população em um momento sensível para o mundo inteiro, nós estamos oferecendo uma redução no pagamento das prestações e, como normalmente faltam ainda 10 ou 15 anos [para o fim do financiamento], o acréscimo será muito pequeno e ao longo do tempo”, afirma o presidente do banco, Pedro Guimarães.

Ele garante que os valores abatidos serão cobrados na prestação seguinte à redução ou no mesmo período seguinte ao abatimento. “[O desconto] volta proporcionalmente durante todo tempo restante do crédito imobiliário”, explica Guimarães.

Para os brasileiros que estão recebendo o auxílio emergencial e o seguro desemprego, segue valendo a possibilidade de realizar uma pausa no pagamento das prestações pelo período de seis meses.

Fonte; R7

1 2 3 6