CPI da Covid: Ex-Coordenadora afirma que falta de apoio de Bolsonaro prejudicou vacinação

Francieli Fantinato apontou ainda falhas na comunicação e na compra de vacinas

A ex-coordenadora do PNI (Programa Nacional de Imunizações) Francieli Fantinato disse em seu depoimento nesta quinta-feira (8), à CPI da Covid, que a politização da vacinação contra a covid-19 a fez desistir do cargo. Ela foi exonerada em junho.

Questionada pelo relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL), se o presidente Jair Bolsonaro de alguma forma prejudicou seu trabalho na campanha de imunização contra a covid-19, Francieli afirmou que todos os brasileiros deveriam lutar pela vacinação da população, mas não foi isso que fez o “líder da Nação”.

“Eu precisava que a gente tivesse um direcionamento único. Na campanha, eu preciso de apoio à vacinação, quando o líder da Nação fala de modo não favorável, a minha opinião é que isso pode trazer prejuízos.”

Ela fez a ressalva de que não tem pesquisas ou dados que comprovem o impacto que a ação do presidente pode ter tido sobre a imunização no país.

Veja Ao Vivo Depoimento:

A ex-servidora afirmou que Bolsonaro prejudica a campanha quando “traz elementos que muitas vezes colocam em dúvida” as vacinas.

A ex-coordenador do PNI comentou também que a falta de campanhas de comunicação com a população e o baixo número de vacinas prejudicaram o programa.

Francieli explicou que a necessidade de criar grupos prioritários por causa da escassez mundial de vacinas contra a covid exigia uma comunicação nacional eficiente para explicar aos brasileiros essas divisões.

“A vacinação tem evidências muito fortes de que tem resultado. Quando se começa a colocar em dúvida essa prática, que tem aval da Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária] e de estudos [científicos), isso pode trazer prejuízos à campanha de vacinação. Essa politização do assunto chegou no limite”, reclamou.

Francieli, que se recusou a fazer acordo para dizer a verdade antes de seu depoimento, desmentiu a informação de que teria pedido para deixar o cargo por causa das investigações da CPI.

A comissão pediu a quebra de seus sigilos telefônico e telemático e a tornou uma das investigadas nos atos apurados pelos senadores.

Ela, aliás, no início de sua oitiva, criticou os senadores por ser colocada como investigada pela CPI mesmo antes de ser ouvida. 

O presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM), afirmou que ela é investigada, mas não por ser culpada de qualquer crime, com o objetivo de ajudar a CPI a saber detalhes dos fatos. 

Fonte: R7

MP e Tribunal de Contas irão apoiar Agevisa no monitoramento da vacinação contra a covid-19 em RO

A fiscalização irá desde o detalhamento da entrega das vacinas até a distribuição nos municípios.

A reunião foi realizada no auditório da Agevisa, em Porto Velho

A Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) recebeu para uma reunião na manhã desta terça-feira (15), representantes do Ministério Público Estadual (MPE) e do Tribunal de Contas do Estado (TCE), para oferecer parceria no monitoramento da vacinação que está sendo realizado em municípios de Rondônia.

Durante a reunião, o promotor Julian Farago, sugeriu a presença de um representante do Ministério Público durante as visitas de monitoramento realizadas nos municípios, bem como detalhamento da entrega das doses nas cidades para que haja acompanhamento das ações de vacinação.

A diretora-geral da Agevisa, Ana Flora Gerhardt, agradeceu as autoridades o fato de se colocarem à disposição para contribuir com a questão da vacinação, tendo em vista que Rondônia enfrenta, desde o início da campanha de imunização, problemas no que diz respeito ao repasse de informações pelos municípios das doses aplicadas.

“Rondônia fica com a responsabilidade final, de dar transparência à vacinação; nós da Agevisa não só como profissionais, mas de maneira pessoal não vemos a hora do Estado sair dessa situação negativa em apresentar os dados reais sobre as vacinas aplicadas nos municípios, por isso precisamos e agradecemos o apoio dos órgãos de controle”, disse a diretora.

Em relação a necessidade de acompanhamento dos promotores junto ao monitoramento, Ana Flora explicou que está sendo feito um diagnóstico junto aos municípios para avaliar as condições de aplicação e armazenamento das doses. “Estamos verificando e dando condições para que os municípios se ajustem, conversamos com os prefeitos e tentamos entender as dificuldades encontradas nos municípios”, relatou.

Em relação à presença de um promotor no ato das visitas, Ana Flora entendeu que pode ser considerado um ato coercitivo e não é esse o objetivo do acompanhamento, no entanto a Agevisa repassará os relatórios tanto para o Ministério Público quanto para o Tribunal de Contas para que possam compreender detalhadamente a situação de cada município, a fragilidade que enfrentam em relação à aplicação ou armazenamento das doses, para que em caso de necessidade possam agir.

O conselheiro presidente do Tribunal de Contas do estado de Rondônia Paulo Curi Neto, parabenizou a liderança da diretora-geral, Ana Flora. “A equipe da Agevisa é empenhada em agir além de suas funções, certamente porque são inspiradas em sua liderança”, declarou.

Ele fez uma retrospectiva das ações de combate a covid-19 em Rondônia e lembrou que a fase mais crítica passou. “No início da pandemia tudo era novo para nós e nos esforçamos bastante para tranquilizar o gestor e evoluímos nesse sentido com a realização de um plantão permanente para o gestor, agora, para o Estado sugerimos a realização de um plantão permanente com respostas para a população acerca da vacinação”, pontuou.

Fonte: Agevisa

Presidente Alex Redano destaca apoio da Assembleia para que as ações do Governo cheguem aos municípios

Deputados estaduais aprovaram os projetos que permitiram os investimentos nos municípios

Ao participar na tarde de sexta-feira (28) da solenidade de lançamento dos programas Tchau Poeira, Governo na Cidade e Mamãe Cheguei, no município de São Miguel do Guaporé, na região da BR-429, o presidente da Assembleia Legislativa, Alex Redano (Republicanos), destacou o apoio dos deputados estaduais para a concretização dessas ações governamentais.

“A Assembleia Legislativa contribuiu diretamente para que esses projetos e ações lançados aqui em São Miguel do Guaporé, e nos demais municípios de Rondônia, fossem concretizados. Aprovamos com agilidade essas matérias, permitindo que essa economia feita pelo Governo, se tornasse em investimentos e benefícios para a nossa população”, disse Redano.

O governador Marcos Rocha assinou o termo de cooperação com o prefeito Cornélio Duarte (MDB). Participaram da solenidade os deputados estaduais José Lebrão (MDB), Jean Oliveira (MDB), Laerte Gomes (PSDB) e Ismael Crispin (PSB). Participaram ainda a primeira-dama e secretária de Estado da Assistência e do Desenvolvimento Social (Seas), Luana Rocha, o secretário de Estado da Saúde (Sesau), Fernando Máximo, do diretor geral do Departamento de Estradas de Rodagens (DER), Elias Rezende, entre outras autoridades.

São Miguel do Guaporé vai receber 5 quilômetros de asfalto novo, com o Tchau Poeira, e mais cinco quilômetros de recuperação asfática, somando cerca de R$ 5 milhões em investimento.

O Estado também contemplou São Miguel com o programa Governo na Cidade, com uma grande revitalização da Praça da Bíblia, que inclui quadra sintética, arquibancada e drenagem, bem como do campo Chupinzal, investindo mais de R$ 2,2 milhões.

Mamãe Cheguei

São Miguel do Guaporé recebeu ainda o programa Mamãe Cheguei, com a entrega do kit enxoval às gestantes de baixa renda, com até 22 semanas de gestação.

Texto: Eranildo Costa Luna-ALE/RO

Laerte Gomes declara apoio à aprovação de projeto que beneficia profissionais de Enfermagem

Tramitando no Senado Federal, PL 2564/20 garante piso salarial digno e redução de jornada de trabalho aos trabalhadores da categoria

Na última semana, o deputado estadual Laerte Gomes, em visita à sede do Conselho Regional de Enfermagem de Rondônia (Coren-RO), em Porto Velho, defendeu a aprovação do Projeto de Lei 2564/2020, que tramita no Senado Federal.

A matéria estabelece o piso salarial nacional e jornada de trabalho de 30 horas para os profissionais de Enfermagem.

Recebido pelo presidente do Coren-RO, Manoel Neri, pela conselheira federal, Silvia Neri, e pelo conselheiro regional, Celso Araújo, o parlamentar declarou apoio a luta da classe.

Para Laerte, trata-se de um reconhecimento justo, que deverá oferecer mais qualidade de vida aos profissionais, assim como melhor assistência à Saúde.

Já no município de Novo Horizonte , o parlamentar se encontrou com o deputado federal Expedito Netto (PSD), a quem solicitou apoio para a aprovação, urgente, do projeto em questão.

“Urgência e celeridade, afinal, nossos servidores da saúde estão lutando por mais valorização e dignidade na área da enfermagem. Nós apoiamos esses guerreiros”, destacou Laerte Gomes.

Expedito Netto destacou a necessidade dos representantes de Rondônia se unirem para “valorizar quem realmente cuida da população”, citou.

“Estamos falando de profissionais que desde o primeiro momento da pandemia, sem saber de fato sobre a agressividade do novo coronavírus, estavam lá, para cuidarem da população. É por eles que irei votar a favor desse projeto é garantir um piso salarial de decência, para que todos os profissionais da saúde possam, também, cuidar de suas próprias famílias”, enfatizou o deputado federal, Expedito Netto.

Fonte: Assessoria

EUA anunciam apoio à quebra de patentes de vacinas anticovid

Representante do governo Biden para o comércio exterior, Catherine Tai fez o anúncio nesta quarta-feira (5)

O governo do presidente norte-americano Joe Biden anunciou nesta quarta-feira (5) seu apoio a uma suspensão geral da proteção de patentes para as vacinas contra a covid-19 a fim de acelerar a produção e a distribuição de imunizantes no mundo.

Embora os direitos de propriedade intelectual para as empresas sejam importantes, Washington “apoia a isenção destas proteções para as vacinas para a covid-19”, disse a representante comercial dos Estados Unidos, Katherine Tai, em um comunicado.

Ela disse que Washington participa “ativamente” das negociações que estão em andamento na Organização Mundial de Comércio (OMC) para conseguir a exceção.

“Trata-se de uma crise sanitária mundial e as circunstâncias extraordinárias da pandemia de covid-19 exigem medidas extraordinárias”, acrescentou.

Negociação complicada

A Índia e a África do Sul exigem uma liberação temporária das vacinas para poder acelerar a produção e as campanhas de imunização, mas alguns países estão contra, incluindo a França, que defende que sejam ampliadas as doações aos países menos favorecidos.

As companhias farmacêuticas, por sua vez, se opõem globalmente à suspensão de suas patentes com o argumento de que isso poderia desestimular futuras pesquisas custosas no futuro.

Tai reconheceu que as negociações na OMC “levarão tempo, devido ao caráter consensual da instituição e à complexidade dos assuntos que estão em jogo”.

“O objetivo é proporcionar a maior quantidade de vacinas seguras e eficazes ao maior número de pessoas o mais rápido possível” insistiu ela, em um contexto de avanço generalizado da pandemia, especialmente na Índia.

“O governo seguirá intensificando seus esforços, em colaboração com o setor privado e todos os sócios em potencial, para ampliar a fabricação e distribuição de vacinas”, acrescentou a embaixadora dos EUA na OMC.

Fonte: R7

Grupo de Operações Aéreas atuam no transporte de vacinas para povos indígenas na região norte

As solicitações são feitas pelo Distrito de Saúde Indígena (Dsei) para a Secretaria de Estado da Saúde de Rondônia (Sesau) e a Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa).

O Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), sob a coordenação do Grupo de Operações Aéreas (GOA) do Corpo de Bombeiros Militar (CBM) vem apoiando ações de vacinação em locais de difícil acesso em Rondônia e Sul do Amazonas, incluindo terras indígenas da região. As solicitações são feitas pelo Distrito de Saúde Indígena (Dsei) para a Secretaria de Estado da Saúde de Rondônia (Sesau) e a Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa).

O apoio no transporte, com aeronaves do GOA, é uma determinação do governo do estado para acelerar o processo de vacinação nesses locais mais distantes, inclusive apoiando o vizinho estado do Amazonas devido a logística. “Temos levado não só vacina, mas também insumos, pacientes e urnas funerárias. Ou seja, tudo relacionado à covid-19, desde o início da pandemia”, ressaltou o Ten Cel Sanchez do Corpo de Bombeiros de Rondônia, um dos comandantes da aeronave de resgate. Sanchez atuou na última missão realizada no dia 9 de março quando foram vacinados os 36 indígenas da etnia Tenharim, da aldeia Igarapé Preto, localizada no município de Novo Aripuanã, no sul do Amazonas.

Em relação à vacinação de povos indígenas, de acordo com o Chefe da Divisão de Atenção à Saúde Indígena (Diasi), Gerre Adriano Carvalho da Cruz, sob a coordenação do Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) de Porto Velho ligado a Secretaria de Saúde Indígena do Ministério da Saúde “esse apoio do Governo de Rondônia, através do GOA tem contribuído na agilidade na vacinação dos povos indígenas não só de Rondônia, mas também do Amazonas, tendo em vista que essa região do estado vizinho também está ligada a Porto Velho”, esclareceu.

O vacinômetro indígena é atualizado pelo Dsei Porto Velho uma vez por semana com dados enviados pelas equipes de campo que atende uma população total 5.661 indígenas. Até o momento receberam a primeira dose da vacina 4.502 indígenas, alcançando um índice de 79,53% do total de aldeados. Foram imunizados com a segunda dose, 3.624 indígenas, ou seja, 64,02% do total a ser imunizado. As ações vão continuar acontecendo.

Ismael Crispin busca apoio para início das obras no 11° Batalhão da Polícia Militar

Recurso de R$500 mil destinado em 2020 através de emenda parlamentar de sua autoria já está disponível

Com o recurso já destinado e com o projeto em andamento, o deputado e presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Rondônia,  Ismael Crispin (PSB), esteve hoje com o comandante geral da Polícia Militar Cel. PM Alexandre Luís de Freitas Almeida, o Sub-Comandante Geral, Cel. PM Plínio Sérgio Cavalcanti e o Chefe do Estado Maior, Coronel PM Vanderley Costa buscando apoio para o início das obras de ampliação do 11° Batalhão da Polícia Militar, localizado em São Miguel do Guaporé.

Segundo o parlamentar, o recurso de R$500 mil destinado em 2020 através de emenda parlamentar de sua autoria já está disponível para o começo das obras. “O projeto está em andamento e agora precisamos do apoio do Comando Geral da Polícia Militar para que essas obras comecem o mais breve possível”, destacou.

Ismael pontuou ainda, que o batalhão tem uma importância muito grande para a região do Vale do Guaporé.

“Quem conhece a nossa região, sabe que o investimento feito em um município, ajuda os outros também. Estamos garantindo mais segurança para os moradores e mais condições de trabalho para os envolvidos”, finalizou o presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Rondônia.



Texto: Laila Moraes – ALE/RO

Rondônia transfere pacientes com covid-19 para o RJ

16 pacientes com quadro clínico leve e moderados foram transferidos para o hospital do Rio de Janeiro, 11 são mulheres e cinco homens.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) em parceria com o Ministério da Saúde (MS) e Força Aérea Brasileira (Fab), transferiu nesta sexta-feira (5), 16 pacientes com Covid-19 com quadro clínico leve e moderado, para o Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI) da Fiocruz, no Rio de Janeiro.

A transferência, que faz parte da Missão Covid-19 coordenada pela Sesau, ocorreu na Base Aérea de Porto Velho (BaPV). Uma estrutura foi montada no hangar da Base Aérea, para receber as ambulâncias com os pacientes que estavam internados em unidades públicas de saúde do Estado e do município.

A diretora-executiva da Sesau, Amanda Diniz, coordenadora da Missão Covid-19, conta que com mais esse embarque Rondônia já conseguiu transferir, por meio dessa parceria, 47 pacientes para os estados do Rio Grande do Sul, Paraná, e agora Rio de Janeiro.

A última transferência pela Missão Covid-19 foi há trinta dias”, salienta a diretora. O paciente José Alves da Silva, 54 anos, foi o primeiro a embarcar na aeronave Dos 16 pacientes, 11 são mulheres e cinco homens, selecionados e avaliados antes do embarque pela equipe médica que acompanha o transporte aéreo e os pacientes até a Capital Carioca. São dois médicos, uma enfermeira e quatro técnicas de enfermagem. A previsão de vôo é de quatro horas de duração com uma escala em Cuiabá.

O avião Condor (C-99) da Força Aérea Brasileira (Fab) foi adaptado para receber os pacientes mais graves que precisam viajar de maca.

Além dos transportes aéreos médicos feitos pela Missão Covid-19, a diretora-executiva da Sesau, Amanda Diniz, ressaltou o trabalho feito também por outras equipes do Governo. “Nós temos ainda as transferências aéreas que estão sendo feitas pelo Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia, totalizando 77 pacientes, que foram também para Santa Catarina e Vitória. Esse número inclui os pacientes mais graves que precisaram de vaga em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), que infelizmente não temos mais aqui em Rondônia”,disse.

Fonte: Sesau

Em entrevista, Ismael Crispin defende medidas de apoio para pequenos produtores rurais

.

Setor conseguiu ajudar na sustentabilidade financeira do Estado e manteve os postos de trabalho

Na manhã desta terça-feira (23), em entrevista ao programa Fala Rondônia da Rede TV, apresentado pelo jornalista Adão Gomes, com a participação do Léo Ladeia e Bruno Eduardo, o deputado Ismael Crispin (PSB) destacou suas ações de trabalho e os desafios do mandato diante da pandemia do Coronavírus. 

Segundo o deputado, a população precisa ajudar o Estado de Rondônia e seguir à risca com as medidas de enfrentamento a covid-19.

“Estamos diante de um vírus letal e que deixa muitas sequelas. Hoje a nossa maior expectativa de cura é a vacina e desde março do ano passado que defendo que temos duas alternativas para essa situação, Deus, nosso ser supremo e depois o instrumento utilizado por ele, os cientistas”, disse.

Como grande defensor da agricultura familiar, o deputado Ismael Crispin fez questão de ressaltar durante sua entrevista, a necessidade de apoiar os pequenos produtores rurais de Rondônia. “Com a chegada da pandemia, observamos que o setor que mais conseguiu ajudar na sustentabilidade financeira do Estado e manteve os postos de trabalho foi a agricultura e dessa forma precisamos garantir mais investimentos, insumos e implementos agrícolas para fortalecer o setor”, pontuou.   

De acordo com o parlamentar, é necessário focar as atenções na agricultura familiar e no pequeno produtor. “Nesse momento de dificuldade, esses pequenos têm sido os grandes empreendedores. Um município pequeno como Santa Luzia do Oeste por exemplo, tem cerca de 200 propriedades, cada uma com 5 empregados, são cerca de 1.000 postos de trabalho gerados. Agora não é todo município que comporta uma empresa grande, com essa mesma quantidade de funcionários”, relatou.

Conselho de ética

Na ocasião, o deputado foi questionado a respeito dos processos de cassação que estão em tramitação na Assembleia Legislativa. “Aproveitamos a oportunidade para esclarecer, que meu mandato de presidente do Conselho de Ética, instituído para analisar os pedidos em andamento, encerrou no dia 31 de janeiro. Em breve, um novo presidente será escolhido e iremos continuar acompanhando os processos em andamento para dar uma resposta a população”, destacou.

 Comissão de Segurança Pública

O deputado abordou ainda, as alterações nas comissões permanentes da Casa de Leis. “ Com a mudança da composição da mesa diretora, os membros das comissões também foram alterados. Nesse biênio estarei como presidente da Comissão de Segurança Pública e membro das Comissões de Constituição e Justiça, Educação e Cultura, de Transporte e Obras Públicas, de Habitação e Assuntos Municipais e como 1º suplente nas Comissões de Agropecuária e Política Rural e de Defesa dos Direitos da Criança, Adolescente, da Mulher e do Idoso”, pontuou.

Como presidente da Comissão de Segurança Pública, o deputado ressaltou que atuará por melhores condições de trabalho, realização de concursos, plano de cargos e carreiras e principalmente reconhecimento salarial. 

Texto: Laila Moraes – ALE/RO

Sesau conta com apoio do Exército para transferência de pacientes com covid para hospitais do sul

A ação do Exército é uma determinação do Comando Militar da Amazônia (CMA).

O Exército Brasileiro está atuando em apoio a Sesau (Secretaria de Estado da Saúde) para dar suporte logístico ao traslado de pacientes de Covid-19 de Rondônia para outros estados. O Paraná disponibilizou seis leitos e o Rio Grande do Sul disponibilizou 50 leitos hospitalares. Tanto em Porto Velho, capital rondoniense, e nos municípios do interior, as unidades hospitalares não tem mais leitos disponíveis para internação. O Ministério da Saúde anunciou que enviará força-tarefa de médicos para ajudar nos tratamentos, devido ao elevado número de pacientes.

A ação do Exército é uma determinação do Comando Militar da Amazônia (CMA), e em consonância com a Portaria Nº 1.232/GM-MD, de 18 de março de 2020, a 17ª Brigada de Infantaria de Selva (17ª Bda Inf Sl), no contexto do enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente do novo coronavírus. Está sendo empregada no apoio à Secretaria Estadual de Saúde (SESAU) de Rondônia, no translado de 100 (cem) pacientes acometidos por Covid-19, da Rede de Saúde Pública para outras Unidades Federadas.

O apoio ocorrerá no período de 25 a 28 de janeiro de 2021 e visa desafogar a rede de saúde estadual, em virtude do aumento exponencial do número de casos ativos e internações nos municípios. A 17ª Bda Inf Sl está apoiando com viaturas militares, ambulâncias, profissionais de saúde, dentre médicos e enfermeiros, que totalizam mais de 50 (cinquenta) militares empregados direta e indiretamente na atividade.

Também estará sendo realizada a segurança e balizamento durante o translado dos pacientes internados no Hospital de Campanha de Rondônia, no Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron), e nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA). Aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB), farão a evacuação dos pacientes para outros Estados.

Fonte: Diário da Amazônia