Mesa Diretora da Assembleia Legislativa reconhece perda de direitos políticos de Edson Martins

Martins considerou injusta a manobra jurídica perpetrada pelos advogados de Saulo da Renascer que pressionaram a juíza para despachar o pedido de perda do mandato em razão da condenação.

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Rondônia reconheceu a perda dos direitos políticos do deputado estadual Edson Martins (MDB) cuja decisão foi tomada pela juíza Márcia Adriana Araújo de Freitas da 1ª Vara da Comarca de Alvorada do Oeste por improbidade administrativa em sua gestão na Prefeitura de Urupá.

Mas, a Casa de Leis não reconheceu o pedido da magistrada em dar posse ao primeiro suplente do parlamentar, ex-deputado Saulo da Renascer (Ariquemes), com base em julgados semelhantes ocorrido com o ex-senador Ivo Cassol e o atual senador Acir Gurgacz (PDT). Ambos perderam seus direitos políticos, mas se mantiveram no cargo eletivo.

Martins considerou injusta a manobra jurídica perpetrada pelos advogados de Saulo da Renascer que pressionaram a juíza para despachar o pedido de perda do mandato em razão da condenação. “Não fui nem ouvido nesse caso”, disse o parlamentar em discurso na Casa de Leis. Ele apresentou requerimento no último dia 25 pedindo a abertura de uma comissão para analisar seu caso, o que foi acatado pela Mesa Diretora.

Fonte: rondoniagora

Presidente da Assembleia Legislativa, deputado Alex Redano, abona ficha de filiação da jornalista Diana Braga ao Republicanos

“É uma alegria e uma satisfação muito grande receber mais um parceiro à família Republicanos. Seja muito bem-vinda”

O deputado Estadual Alex Redano, presidente estadual do Partido Republicanos Brasileiro (PRB) e presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, abonou na tarde desta quarta-feira, 07, a ficha de filiação da jornalista Diana Braga, ao Republicanos.

No encontro, além do presidente da Casa de Leis, estiveram presentes o ex-deputado federal Lindomar Garçon, a candidata à vice-prefeita pelo Republicanos em 2020, cabo Milene Barreto, e o jornalista Edilson Neves. Na ocasião, Alex Redano desejou as boas vindas ao novo membro do partido. “É uma alegria e uma satisfação muito grande receber mais um parceiro à família Republicanos. Seja muito bem-vinda”, disse.

Redano destacou a importância do ingresso da jornalista Diana Braga. “O Partido Republicanos não é de caciques e sim de líderes como a jornalista e empresária Diana Braga, que vai contribuir ainda mais para o fortalecimento do partido”, afirmou.

“Estamos muito felizes em receber Diana Braga, que tem uma trajetória admirável na área da comunicação em Rondônia. Diana é natural da cidade de Porto Velho e certamente trará grandes contribuições à política rondoniense, além de fortalecer o partido Republicanos”, declarou Garçon.

Redação/CN

Assembleia Legislativa aprova crédito para o Executivo que supera R$ 82,5 milhões

Projetos aprovados garantem mais recursos para diversos setores do Governo

Os deputados estaduais aprovaram na sessão desta terça-feira (06), mais crédito para o Governo, assegurando mais recursos para diversas áreas, somando cerca de R$ 85,5 milhões. O destaque é a aprovação do PL 1133/21, que garante R$ 27,2 milhões para a Defensoria Pública e para o Fundo Especial da Defensoria Pública.

Já a aprovação do PL 1198/21 autoriza o Executivo a abrir crédito adicional suplementar por superavit financeiro, até o valor de R$ 15.538.546,78, em favor do Departamento Estadual de Estradas de Rodagens e Transportes (DER). O DER também teve aprovado o PL 1197/21 que assegura crédito adicional suplementar por superavit financeiro, até o valor de R$ 14.758.712,34, somando mais de R$ 30 milhões em recursos, nas duas matérias aprovadas.

Para o Fundo Estadual de Saúde (FES), foram garantidos mais R$ 10 milhões em crédito adicional suplementar, com a aprovação do PL 1200/21. Ainda para a saúde, foi aprovado o PL 1100/21 que autoriza o Executivo a abrir crédito adicional suplementar por superavit financeiro, até o valor de R$ 755.539,57, em favor do Centro de Educação Técnico-Profissional na Área de Saúde

O setor produtivo também foi contemplado, com o projeto 1211/21, que autoriza o Executivo a abrir crédito adicional suplementar por superavit financeiro, até o valor de R$ 7.201.319,28, em favor do Fundo de Investimento e Apoio ao Programa de Desenvolvimento da Pecuária Leiteira do Estado (PROLEITE). Já o PL 1204/21 autoriza o Executivo a abrir crédito adicional suplementar por superavit financeiro, até o valor de R$ 1.288.837,38, em favor da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (IDARON).

O PL 1157/21 autoriza o Executivo a abrir crédito adicional especial por anulação, até o valor de R$ 6.624.090,00, em favor do Instituto Estadual de Desenvolvimento da Educação Profissional (IDEP).

Texto: Eranildo Costa Luna-ALE/RO

MP Eleitoral recomenda que Assembleia Legislativa afaste Aélcio da TV e dê posse a suplente

Cassação do deputado estadual foi decidida pelo TRE/RO e até o momento decisão não foi cumprida pela Assembleia Legislativa de Rondônia

O presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, Alex Mendonça Alves, recebeu nesta terça-feira (6) um ofício do Ministério Público Eleitoral para que cumpra imediatamente a decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/RO) que cassou o diploma do deputado estadual Aélcio José Costa (conhecido como Aélcio da TV). O TRE determinou o afastamento do cargo e a posse do suplente. O prazo para responder o ofício recomendatório é de cinco dias, informando as medidas concretas tomadas.

Segundo o MP Eleitoral, os acórdãos TRE-RO 111/2021 e 73/2020 determinaram a cassação e todos os recursos foram esgotados, estando pendente apenas um recurso dirigido ao Supremo Tribunal Federal (STF), que não tem efeito suspensivo, de modo que não há qualquer impedimento para o imediato cumprimento da decisão do TRE/RO que determinou a cassação do mandato do parlamentar.

A partir da entrega da recomendação, o MP Eleitoral considera que o presidente da Assembleia Legislativa está ciente da situação. A recusa ao cumprimento da recomendação poderá resultar em outras providências por parte do MP Eleitoral.

Assembleia Legislativa empossa mais servidores aprovados em concurso público

Mais 11 servidores foram efetivados no Poder Legislativo

O presidente da Assembleia Legislativa, Alex Redano (Republicanos), comandou na tarde desta quarta-feira (16), no plenário da Casa, a solenidade de posse de mais 11 servidores aprovados em concurso público. No total, foram convocados 24 aprovados, em diversos cargos e funções da Casa. Já os demais convocados (13), estão na fase de entrega de documentos e a manifestação de posse.

“Parabenizar a todos, sabemos da dificuldade que é uma aprovação em concurso, com menos ofertas de vagas e mais concorrência a cada dia. Temos algumas áreas bem descobertas aqui na Casa e essa convocação vai suprir esse déficit e todos irão contribuir muito para esta gestão, para este Parlamento. Estamos à disposição e estou feliz por vocês”, destacou Redano.

Participaram da solenidade os deputados Jair Montes (Avante), Cirone Deiró, Cabo Jhony Paixão (Republicanos) e Eyder Brasil (PSL). O secretário Geral da Casa, Marcos Matos e o secretário Legislativo, Huziel Trajano, também estavam presentes.

Jair Montes disse que “sabemos do esforço de cada um para a aprovação e da espera por esse momento. Eu estou deputado, mas posso deixar de ser. Mas, vocês são servidores estatutários e seguirão trabalhando e contribuindo com o Legislativo. Sejam todos bem vindos”.

Cirone Deiró declarou que “aqui é a ressonância dos anseios da sociedade, que tenham sucesso e que Deus abençoe a cada um, que possam trabalhar da melhor forma e não podemos esquecer que estamos aqui para servir ao público”.

Eyder Brasil cumprimentou a todos os empossados e familiares. “Tenho certeza de que o sentimento de vocês é de gratidão a Deus, por estarem tomando posse nesse concurso público. É uma conquista pessoal de vida. Que o trabalho de vocês seja proveitoso e que Deus abençoe a carreira de cada um”.

Cabo Jhony abriu sua fala citando passagem bíblica, ressaltando que “tudo é no tempo de Deus”. “Só existe sucesso se houver trabalho em equipe. Eu também fui concurseiro e a minha vida era estudar. Parabenizo a cada um e que os projetos seus sejam realizados”.

O presidente do Sindicatos dos Servidores do Poder Legislativo do Estado de Rondônia (Sindler), Mirim Brito, fez um breve pronunciamento, saudando a todos e reforçando a responsabilidade de cada um, como servidor estatutário do Poder Legislativo.

Suzane Cordeiro, empossada como assistente legislativa, fez um discurso em nome de todos, enaltecendo que a convocação veio em um momento até inesperado, causando uma sensação de felicidade em todos que aguardavam.

“Podemos fazer a diferença, de alguma forma, e quero agradecer a oportunidade de mostrarmos o nosso trabalho. Todos queremos contribuir e fazer o nosso melhor”, disse Suzane.

Texto: Eranildo Costa Luna-ALE/RO

Presidente Alex Redano destaca apoio da Assembleia para que as ações do Governo cheguem aos municípios

Deputados estaduais aprovaram os projetos que permitiram os investimentos nos municípios

Ao participar na tarde de sexta-feira (28) da solenidade de lançamento dos programas Tchau Poeira, Governo na Cidade e Mamãe Cheguei, no município de São Miguel do Guaporé, na região da BR-429, o presidente da Assembleia Legislativa, Alex Redano (Republicanos), destacou o apoio dos deputados estaduais para a concretização dessas ações governamentais.

“A Assembleia Legislativa contribuiu diretamente para que esses projetos e ações lançados aqui em São Miguel do Guaporé, e nos demais municípios de Rondônia, fossem concretizados. Aprovamos com agilidade essas matérias, permitindo que essa economia feita pelo Governo, se tornasse em investimentos e benefícios para a nossa população”, disse Redano.

O governador Marcos Rocha assinou o termo de cooperação com o prefeito Cornélio Duarte (MDB). Participaram da solenidade os deputados estaduais José Lebrão (MDB), Jean Oliveira (MDB), Laerte Gomes (PSDB) e Ismael Crispin (PSB). Participaram ainda a primeira-dama e secretária de Estado da Assistência e do Desenvolvimento Social (Seas), Luana Rocha, o secretário de Estado da Saúde (Sesau), Fernando Máximo, do diretor geral do Departamento de Estradas de Rodagens (DER), Elias Rezende, entre outras autoridades.

São Miguel do Guaporé vai receber 5 quilômetros de asfalto novo, com o Tchau Poeira, e mais cinco quilômetros de recuperação asfática, somando cerca de R$ 5 milhões em investimento.

O Estado também contemplou São Miguel com o programa Governo na Cidade, com uma grande revitalização da Praça da Bíblia, que inclui quadra sintética, arquibancada e drenagem, bem como do campo Chupinzal, investindo mais de R$ 2,2 milhões.

Mamãe Cheguei

São Miguel do Guaporé recebeu ainda o programa Mamãe Cheguei, com a entrega do kit enxoval às gestantes de baixa renda, com até 22 semanas de gestação.

Texto: Eranildo Costa Luna-ALE/RO

Presidente Alex Redano garante que a Assembleia Legislativa está do lado do produtor de leite

Deputado defendeu ainda alternativas para valorizar quem acorda cedo para produzir leite

O presidente da Assembleia Legislativa, Alex Redano (Republicanos), disse durante reunião na manhã desta segunda-feira (19), que discutiu melhorias e fortalecimento da cadeia produtiva do leite, no plenário da Casa, que os deputados estaduais estão do lado do produtor de leite, que enfrentam prejuízos com o baixo preço pago pelos laticínios.

“A Assembleia Legislativa está do lado dos produtores rurais, está do lado de quem trabalha e produz, com muito esforço e suor. Os produtores de leite amargam prejuízos insustentáveis e estão mobilizados em todas as regiões do Estado, protestando contra os baixos preços do litro de leite que é pago pelos laticínios”, destacou.

Para o presidente, “tem alguém ganhando, pois o preço do leite nas prateleiras dos mercados não baixa, enquanto o produtor recebe um valor pequeno, que sequer cobre os custos de produção. Defendo que a concessão dos incentivos fiscais às indústrias, seja dada também levando em conta os produtores de leite, assegurando uma contrapartida e ao menos um preço mínimo aceitável”.

Redano alertou que “o que pode acontecer é perder a base: os produtores mudarem de ramo de produção, trocando o leite por outra atividade rural. Faço o compromisso aqui para tratar desse tema, inclusive em extraordinária. Os produtores aguardam uma solução, não podemos sair daqui sem algo concreto. O Governo deve sim interferir no preço do leite, inclusive usando recursos do fundo do Pró-leite, que dispõe de R$ 44 milhões”.

Alex Redano disse também que a reunião era muito aguardada pelos produtores. “Uma das maiores cobranças que os deputados têm recebido, através de visitas de produtores e das redes sociais. Agricultores estão se mobilizando e cobrando apoio para essa questão, que gera prejuízos em toda a cadeia produtiva do leite, que é parte importante de nossa economia”.

Por fim, Redano pontuou que “precisamos encontrar uma alternativa. Sei que é complexo, mas não pode continuar da maneira que está. Precisamos de um caminho, de uma saída, de um equilíbrio, para que quem acorda cedo pra tirar leite, tenha a devida valorização de seu trabalho”.

Fonte: Assessoria

Assembleia Legislativa articula solução para evitar possível crise de oxigênio nos hospitais de Rondônia

Ministério da Saúde garantiu socorro ao Estado, com reforço no fornecimento de oxigênio e no estoque de cilindros

O temor de uma crise no fornecimento de oxigênio medicinal em Rondônia, em razão do agravamento da pandemia do coronavírus, com o aumento de casos de internação e utilização do produto no tratamento dos pacientes infectados com a covid-19, foi tema de uma reunião na manhã desta segunda-feira (15), na Assembleia Legislativa, coordenada pelo presidente da Casa, Alex Redano (Republicanos).

“Houve um aumento enorme da demanda por oxigênio medicinal e as empresas estão com dificuldades em manter o abastecimento. Muitos municípios estão com baixo estoque e também temem um colapso. Não podemos deixar isso ocorrer, pois o oxigênio é fundamental para garantir as vidas do pacientes”, disse Redano.

Do encontro, realizado de forma presencial e on line, participaram deputados estaduais, prefeitos, o chefe da Casa Civil, Junior Gonçalves, o secretário estadual de Saúde (Sesau), Fernando Máximo, o representante do Ministério da Saúde, Ridauto Lúcio Fernandes, representantes do Ministério Público, o presidente do TCE, conselheiro Paulo Cury, representantes das empresas fornecedoras de oxigênio e membros da bancada federal.

Deputados

O deputado Adelino Follador (DEM) afirmou que acompanha a questão com preocupação, e que é importante conhecer a dimensão do problema, para tomar as medidas possíveis. “Esse encontro é decisivo na tomada de medidas para contornar esse problema, que traz muita preocupação”.

O deputado Cirone Deiró elogiou a iniciativa da Assembleia Legislativa em promover essa discussão, para trazer soluções, se antecipando e agindo preventivamente.
Já o deputado Chiquinho da Emater (PSB) defendeu que é preciso buscar soluções. “Não podemos deixar entrar em colapso. Temos que facilitar a vida dos prefeitos, na compra de medicamentos e de oxigênio”.

Para o deputado Laerte Gomes (PSDB), “é um problema de todos nós. Precisamos criar mecanismos para não virar um colapso. Unir a todos, para garantir o atendimento”.

O deputado Jair Montes (Avante), alertou que o colapso está iminente na saúde, com o aumento no número de casos e da demanda por oxigênio. “Temos mais de 100 pacientes à espera de um leito na UTI e não podemos esperar mais”.

Geraldo da Rondônia (PSC) fez um discurso defendendo que não pode descuidar das ações preventivas, para assegurar o tratamento. “Faltam leitos, faltam medicamentos. Não pode agora faltar também oxigênio”.

O deputado Alan Queiroz (PSDB) quis saber do secretário da Sesau sobre as novas cepas, se o pico da doença está atingido e sobre a vacinação da população. “Temos uma média entre 1.200 a 1.500 pessoas infectadas por dia. É muito alto esse número, com isso, a rede hospitalar vai superlotando, com mais demanda por leitos de UTI e por oxigênio”.

A deputada Cassia Muleta (Podemos) conclamou que a população se conscientize da gravidade da doença. “Tem que haver essa consciência, de evitar aglomerações em festas e eventos desnecessários, tomando os cuidados necessários. Sobre a questão oxigênio, o Governo deve dividir o produto nas regionais, tão logo chegue essa reserva prometida pelo Ministério da Saúde”.

O deputado Dr. Neidson (PMN) indagou se a usina de oxigênio instalada em Guajará-Mirim, não poderia ser reativada e utilizada na produção do produto. Mas, em resposta o secretário da Sesau disse que não é viável, pois não tem estrutura para envasar os cilindros.

Ministério da Saúde

O representante do Ministério da Saúde disse que está acompanhando a situação de Rondônia, e que deverá enviar, ainda nesta semana, oxigênio para recompor o estoque do produto no Estado, para garantir a normalidade no funcionamento da rede hospitalar. “Vamos enviar, através de aeronaves da Força Aérea, com a possibilidade de três voos por semana, mais oxigênio nos chamados isotanques para normalizar o fluxo. O primeiro voo deve ocorrer ainda nesta semana. É importante observar que o oxigênio que chega em Rondônia é compartilhado com o Acre, que não tem nenhuma usina própria, dependendo de transportar o produto”, anunciou Ridauto.

Sobre a necessidade de mais cilindros para o transporte do oxigênio, ele anunciou, num primeiro momento, o envio de mais 200 a 250 para Rondônia, com a mesma quantidade enviada ao Acre. “Há uma demanda de cilindros em todo o país, da ordem de 5 mil unidades, pelo menos, e a indústria está trabalhando para providenciar”, disse ao responder questionamento de Alex Redano.

Ridauto informou ainda que a implantação de mais usinas de oxigênio nas regionais de saúde é uma prioridade, mas que há dificuldade em conseguir esses equipamentos.

Governo

O secretário Fernando Máximo disse que a união é fundamental para encontrar soluções. “Só vamos vencer se nos unirmos; não tem outro caminho. O oxigênio não pode faltar de jeito nenhum. Não vamos deixar faltar, estamos trabalhando muito para não deixar faltar. Estamos fazendo todo o possível e o Ministério da Saúde tem sido muito solícito aos nossos pleitos”.

Ele disse que em fevereiro a Sesau encaminhou ofício aos municípios, solicitando informações sobre a realidade do fornecimento de oxigênio. “Apenas 18 prefeituras responderam. Um mês depois, mais quatro prefeituras responderam, apontando para risco de falta de oxigênio e temos trabalhado desde então para solucionar”.

Máximo voltou a defender a testagem em massa, como forma de identificar, isolar os casos e tratar. “Fizemos uma testagem aqui na capital e o número de infectados foi assustador: cerca de 30% dos testes deu positivo para covid-19.

O chefe da Casa Civil pontuou que a mobilização de todos é necessária. “A articulação é o caminho mais eficaz para solucionarmos mais esse desafio, que é assegurar o oxigênio para a rede hospitalar”.

Máximo e Júnior lamentaram que boa parte da população não tem colaborado para reduzir o contágio. “Ando pela cidade e observo muitas pessoas sem usar máscaras, aglomeradas na frente de casa. Estive no sábado no CERO na Zona Leste e ao sair de lá me assustei com a quantidade de gente nas ruas, sem usar máscaras. É lamentável”, disse o secretário da Sesau.

Prefeitos

O prefeito de Urupá e presidente da Associação Rondoniense dos Municípios (Arom), Célio Lang, relatou que muitos municípios enfrentam dificuldades, com o baixo estoque de oxigênio, em razão do aumento na demanda. “As empresas têm dificuldade de logística para o fornecimento, pois há uma procura enorme, no país todo. Há dificuldade em licitar, em garantir o recebimento de mais oxigênio do que o previsto, para suprir essa demanda enorme”.

O prefeito de Cujubim, Pedro Fernandes (DEM), comentou que a empresa fornecedora de oxigênio disse que não poderia garantir o produto por 15 dias, pela grande demanda do produto. “Isso gera uma preocupação muito grande, pois o oxigênio é fundamental para garantir o tratamento dos pacientes”.

O prefeito de Costa Marques, Mirandão (Republicanos), informou que a prefeitura está finalizando o contrato e vai abrir nova licitação, temendo que não apareçam empresas interessadas. “É preocupante a situação, pois temos que garantir o produto. Precisamos de parceiros para superarmos mais esse desafio”, completou.

Já o prefeito de Candeias do Jamari, Valteir Queiroz (Patriota), disse que “é uma situação que nos preocupa muito; o oxigênio e outros insumos, que estão em escassez no mercado”.

O prefeito de Cacoal, Adailton Furia (PSD), afirmou que a boa relação do Governo com a União podem ajudar a superar mais esse obstáculo. “Temos dificuldades de oxigênio e de medicamentos para tratar os pacientes com covid-19. Temos que somar esforços e assegurar que não faltará oxigênio para tratar os pacientes”.

O prefeito de São Miguel do Guaporé, Cornélio Duarte (MDB), observou que “não podemos ficar sem oxigênio na rede de saúde, temos que resolver isso logo, pois a demanda só aumenta”.

O prefeito de Campo Novo de Rondônia, Alexandre Dias (PDT), lembrou que é preciso responsabilidade em tudo o que é dito e nos compromissos assumidos, quando se trata de saúde pública.

Empresas

O representante da empresa White Martins, Caíque Fernandes, informou que “temos acompanhado a situação de Rondônia e tomado providências para entregar o oxigênio no Estado, de forma a não ficar o abastecimento comprometido. A empresa não tem como estimar a necessidade do produto na rede hospitalar, que cresce sua demanda a cada mês. É um desafio logístico muito grande”.

Representante da Oxiporto, Edson de Melo, disse que empresa tem capacidade de logística de 80 mil metros cúbicos por mês, mas que a demanda hoje é o dobro disso. “Somente em novos cilindros, estimo uma demanda em torno de 750 para suprir a necessidade de Rondônia. Houve um aumento na demanda de oxigênio muito grande”.

Bancada

O senador Marcos Rogério (DEM) também participou da reunião, e relatou que “a situação é crítica em praticamente todas as regiões. A ação do Ministério da Saúde em garantir pelo menos 200 cilindros é importante, mas não atende 30% da demanda de hoje, ao meu ver. Estou percorrendo o interior e tenho recebido os relatos dos prefeitos. Tem hospitais gastando cinco vezes mais de oxigênio do que gastava antes”.

A deputada federal Sílvia Cristina (PDT) também manifestou preocupação com o problema e se colocou à disposição para contribuir.

MP e TCE

O presidente do TCE observou que o Estado já colapsou em leitos de UTI para tratar pacientes com covid-19, com mais de 100 pessoas na fila, e que colapsar também no oxigênio seria o caos. “Uma saída para esse problema é a soma de esforços e o TCE está à disposição para contribuir. Inclusive, já emitimos notas técnicas que facilitam muitos procedimentos em meio à pandemia”, relatou.

As promotoras do Ministério Público, Emília Oiye e Flávia Shimizu, defenderam que a redução da contaminação deve ser uma prioridade, como forma de desafogar a rede de saúde. “Quantos mais novos casos, maior demanda por leitos de UTI, por oxigênio e por medicação. É preciso reduzir a contaminação, como forma de diminuir essa grande demanda na rede de saúde”, completou Shimizu.

Texto: Eranildo Costa Luna-ALE/RO

Assembleia Legislativa discute solução para possível crise do oxigênio medicinal nos hospitais de Rondônia

Deputados, prefeitos, representantes de poderes, Sesau e empresa fornecedora de oxigênio vão debater a real situação

Uma reunião marcada para às 10h30 desta segunda-feira (15), no gabinete da presidência da Assembleia Legislativa, vai discutir soluções para a possível crise do oxigênio medicinal em Rondônia, em razão do agravamento da pandemia do coronavírus, com o aumento de casos de internação e utilização do produto no tratamento dos pacientes infectados com a covid-19. O presidente da Casa, Alex Redano (Republicanos), agendou o encontro preocupado com a possibilidade de faltar oxigênio na rede hospitalar de Rondônia, fato que ocorreu no início do ano em Manaus (AM).

“Há esse temor de que falte oxigênio medicinal para abastecer a rede hospitalar em Rondônia, pois o consumo do produto está muito elevado, com o aumento do número de pacientes em tratamento. Para evitar um mal maior, como ocorreu em Manaus, onde faltou oxigênio, estaremos nos reunindo para discutir a real situação e apontar soluções imediatas, pois é essencial ter oxigênio garantido para os pacientes em tratamento com a covid-19 e outras enfermidades que necessitem de ventilação artificial”, explicou o presidente.

A reunião será através de vídeo conferência, com a participação de deputados estaduais, prefeitos, secretaria de Estado da Saúde (Sesau), secretários municipais de saúde, representantes de poderes e instituições, além de representantes da empresa White Martins, que fornece o oxigênio medicinal para a rede hospitalar em Rondônia.

O presidente relatou que muitos municípios já enfrentam a escassez do oxigênio e por isso a empresa White Martins estará nesse encontro online. “Vamos ouvir da empresa qual a situação real no fornecimento de oxigênio. Quais os riscos de ocorrer um desabastecimento e que medidas devem ser tomadas, de imediato. Não podemos deixar o pior acontecer”, acrescentou o presidente.

Alex Redano conclamou os prefeitos, secretários municipais de saúde e a Sesau para que relatem as dificuldades e as necessidades da rede hospitalar. “Conto com a participação virtual de todos, relatando os problemas que enfrentam e como está o estoque de oxigênio nos municípios de Rondônia”, finalizou o presidente Alex Redano.

Após reunião, o presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, Deputado Alex Redano, faz balanço sobre o saldo positivo da reunião entre o poder legislativo, Ministério da Saúde e prefeitos de Rondônia.

Confira:

Texto: Eranildo Costa Luna