Polícia Federal desarticula quadrilha que desviava auxílio emergencial no Pará

As medidas são cumpridas nas cidades de Tucumã, Ourilândia, Pau D’arco e Redenção.

Fraudes no pagamento do auxílio emergencial no sul do Pará são o alvo da Operação 600, da Polícia Federal nesta quarta-feira (7). Cerca de 40 policiais federais estão cumprindo nove mandados de busca e apreensão, expedidos pela Subseção Judiciária da Justiça Federal de Redenção do Pará.

As medidas são cumpridas nas cidades de Tucumã, Ourilândia, Pau D’arco e Redenção.

“As investigações tiveram início em maio de 2020, tendo como foco ações praticadas por meio da internet banking, mais precisamente em relação aos crimes de furto mediante fraude, praticados por meio da transferência dos valores das contas dos reais beneficiários para contas de terceiros”, explicou a PF.

Os investigados são suspeitos de desviar os valores pagos do auxílio por meio de acessos indevidos às contas bancárias dos verdadeiros beneficiários.

Os indiciados responderão, na medida de suas responsabilidades, pelo crime de crimes de furto mediante fraude previsto no Artigo 155, § 4º, II, do Código Penal.

Fonte: Agência Brasil

Pagamento da 1ª parcela do Auxílio Emergencial começa nesta terça

Segundo Ministério da Cidadania, benefício começa a ser pago nesta terça a 2,36 milhões de famílias

Caixa Econômica Federal (CEF) começa a pagar nesta terça-feira (6) a primeira parcela do Auxílio Emergencial 2021.

Os primeiros a receber, já nesta terça, são os 2,36 milhões de trabalhadores nascidos em janeiro e que não fazem parte do Bolsa Família. Para os trabalhadores que fazem parte do Bolsa Família, os pagamentos começam em 16 de abril.

A ajuda paga nesta terça será creditada em conta poupança social digital da Caixa, que poderá ser usada inicialmente para pagamento de contas e compras por meio do cartão virtualSaques e transferências para quem receber o crédito nesta terça serão liberados no dia 4 de maio (veja nos calendários mais abaixo).

VÍDEO: Auxílio Emergencial 2021 – entenda as regras da nova rodada

VEJA QUEM RECEBE NESTA TERÇA:
  • trabalhadores do Cadastro Único e inscritos via site e app, nascidos em janeiro, que receberam o benefício em dezembro

Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial, pelo site auxilio.caixa.gov.br ou pelo site do Dataprev, https://consultaauxilio.cidadania.gov.br/

Calendários de pagamento

Veja abaixo os calendários de pagamento.

BENEFICIÁRIOS DO BOLSA FAMÍLIA

Auxílio Emergencial 2021 Bolsa Família — Foto: Economia G1

Auxílio Emergencial 2021 Bolsa Família — Foto: Economia G1

BENEFICIÁRIOS FORA DO BOLSA FAMÍLIA

Calendário Auxílio Emergencial 2021 — Foto: Economia G1

Fonte: G1/RO

Fraudes no pagamento do auxílio emergencial prejudicou mais de 20 mil pessoas

A PF dividiu a ação em três fases só em Minas Gerais

A Polícia Federal informou, no decorrer da semana, que mais de 20 mil pessoas foram prejudicadas por fraudes no pagamento do auxílio emergencial durante a pandemia da Covid-19. Quem teve o benefício roubado deve procurar a Caixa.

Operação que combate este tipo de crime avalia que o prejuízo é de R$ 15 milhões. E, aproximadamente, 50 pessoas são investigadas em Minas por participação nas fraudes, sendo 20 na Região Metropolitana; além de 39 cidades do mesmo estado, mais Paraíba, Tocantins e Bahia. Ninguém foi preso.

“As investigações começaram através das denúncias de quem foi receber o valor e percebeu que o dinheiro já havia sido retirado da conta. Através dessas denúncias foi criado um grupo de inteligência para investigar os alvos com o apoio do Ministério da Cidadania, a Caixa Econômica Federal, o Ministério Público Federal (MPF), a Receita Federal (RF), a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Tribunal de Contas da União (TCU)”, disse o superintendente regional substituto da PF em Minas, Marcelo Rezende.

A PF dividiu a ação em três fases só em Minas Gerais:

Em novembro, a Operação “Primeira Parcela” ocorreu nos estados da Bahia, São Paulo e Tocantins. Quatro pessoas foram presas.

Em dezembro, a Operação “Segunda Parcela”, enviou equipes de policiais para investigar fraudes em 14 Estados.

A Operação “Terceira Parcela” foi a continuidade de outras duas operações deflagradas pela instituição no ano passado.

“Essa é a operação mais expressiva no combate a fraudes no auxílio emergencial. Os prejudicados são famílias sem renda que infelizmente tiveram seus benefícios retirados por organizações e grupos criminosos no momento de maior fragilidade”, declarou Rezende.

Quando foi oferecido o benefício, 65 milhões de pessoas se cadastraram. Chegar aos responsáveis pelas fraudes é bem difícil, mas a PF avisa que as investigações são contra pessoas e grupos criminosos que burlavam o sistema e não contra pessoas que receberam de forma indevida.

Fonte: G1

Câmara aprova auxílio para acesso gratuito de estudantes à internet

Iniciativa deve beneficiar 18 milhões de estudantes de baixa renda e 1,5 milhão de docentes durante a pandemia

A Câmara dos Deputados aprovou ontem na sexta-feira (18) proposta que oferece acesso gratuito à internet para alunos e professores de escolas públicas do ensino básico.

O texto destina R$ 3,5 bilhões para estados e municípios aplicarem em ações para a garantia do acesso à internet, em decorrência da pandemia de covid-19. A matéria segue para análise do Senado.,

Segundo a relatora, deputada Tabata Amaral, a iniciativa deve beneficiar 18 milhões de estudantes de baixa renda e 1,5 milhão de docentes durante a pandemia. O texto prevê destinação dos recursos em duas frentes, para garantir tanto internet gratuita quanto tablets.

O dispositivo assegura a oferta mensal de 20 gigabytes de acesso à internet para todos os professores do ensino fundamental e médio das redes estaduais e municipais e alunos da rede pública do ensino fundamental e médio regulares vinculados ao CadÚnico pelo prazo de 6 meses, tomando como referência o preço de R$ 0,62 por gigabyte. Também serão beneficiados os matriculados nas escolas das comunidades indígenas e quilombolas.

Além da internet, a proposta prevê a aquisição de tablets para todos os professores do ensino médio da rede pública vinculados ao CadÚnico, tomando como referência o preço de R$ 520,00 por equipamento.

“Passados mais de oito meses desde o fechamento das escolas, parte dos estudantes continua sem ter acesso às atividades escolares oferecidas de modo remoto pelos sistemas de ensino, ou não consegue desenvolvê-las a contento, em razão de não disporem, em seus domicílios, de internet de banda larga, requisito mínimo do acesso com qualidade para fins educacionais, ou de equipamentos para se conectarem à rede”, afirmou Tabata Amaral.

Segundo estimativa da relatora da proposta, a oferta de 20 gigabytes mensais pelo prazo de seis meses para os 18.361.818 alunos da rede pública dos ensinos fundamental e médio regulares que pertencem a famílias que fazem parte do CadÚnico terá o custo de R$ 1,6 bilhão.

De acordo com Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad Covid19), de outubro de 2020, o contingente de pessoas que frequentava a escola, mas não teve atividades naquele mês, foi de 6,1 milhões. A pesquisa também aponta diferenças discrepantes entre as regiões. No Norte, 29,3% das crianças, adolescentes e jovens que frequentavam a escola estavam sem acesso às atividades escolares, enquanto no Sul, Centro-Oeste e Sudeste os percentuais eram bem menores, 5,1%, 7,4% e 9,2%, respectivamente.

Segundo o texto, a verba deverá ser repassada em parcela única até o dia 28 de fevereiro de 2021 conforme o número de professores e de matrículas desse público-alvo. De acordo com a relatora, a conectividade será fundamental para garantir um modelo híbrido de ensino para alunos e professores em grupos de risco em 2021.

Fonte; R7

Governo define estratégias para auxiliar prefeituras quanto ao uso do sistema ‘Cartão Cidade’

Em videoconferência, a sefin junto com os delegados regionais auxiliem e acompanhem os usuários na habilitação do sistema.

Com o intuito de sanar dúvidas, o Governo de Rondônia, por intermédio da Secretária Estadual de Finanças (Sefin), esclarece dúvidas sobre acesso aos dados da movimentação de cartão de débito e crédito dos contribuintes do Imposto Sobre Serviço (ISS), realizado pelo sistema Cartão Cidade. O sistema analisa a arrecadação e combate à sonegação fiscal no Estado. Contudo, apenas cinco prefeituras têm ou já solicitaram acesso.

O auditor e gestor do Cartão Cidade, Gilberto de Oliveira Júnior, explica que o sistema é divido por três abas: sintético, analítico e por operadora. O sintético apresenta o resumo geral, mensal, com o somatório de todas as empresas de CNPJ, CPF e beneficiários de pagamento. O analítico expõe movimentações diárias detalhadas, focado apenas em único contribuinte escolhido. Já por operadora é apresentado o resumo pelos tipos de cartões utilizados.

As prefeituras não estão conseguindo ter acesso completo aos dados detalhados da movimentação, sendo disponibilizado apenas o montante total de cada administradora, impossibilitando identificar eventuais sonegações. O que pode estar acontecendo é que durante o acesso, o agente responsável não busca pela aba analítica, clicando apenas na sintética em que apresenta o montante total da operação no município. Por essa razão, Gilberto Oliveira Júnior pontua que na plataforma estão disponíveis vídeos tutoriais com duração de apenas oito minutos, para auxiliar o usuário explicando em passo-a-passo o funcionamento do sistema.

Além disso, muitas prefeituras que ainda não são cadastradas, podem estar tentando entrar sem antes solicitar a liberação que se dá por meio do Certificado Digital. Porto Velho foi o primeiro município a fazer uso da plataforma, depois Vilhena e Ji-Paraná. Santa Luzia d’Oeste, que havia realizado a solicitação, estava com uma pendência que já foi sanada.  Pimenta Bueno fez o pedido, cujo processo já foi deferido, aguardando apenas a liberação no sistema.

Para garantir o ingresso, as prefeituras têm que solicitar inclusão e apresentar requerimento, termo de responsabilidade, documento de identificação com CPF do servidor a ser cadastrado, termo de posse do prefeito e do servidor e demais documentos comprobatórios destacados na Seção II da Instrução Normativa nº 41 de 2020. Nesta instrução estão todos os formulários necessários para efetivação. O Governo realiza o controle dos pedidos por um bloco interno inserido no Sistema Eletrônico de Informação (SEI).

De acordo com assessor da coordenação da receita, Edilson Quintela, a plataforma tem todo um sigilo fiscal das informações dos contribuintes, por isso existe um termo de responsabilidade para o servidor que tenha acesso ao sistema fique responsável pela informação e sua não divulgação. Todo esse procedimento é realizado com a finalidade de garantir a segurança jurídica dos dados.

Em casos de maiores dúvidas, como possível dificuldade para entrar no sistema, por parte dos agentes de renda, o coordenador geral da receita estadual, Antônio Carlos do Nascimento, orienta que a prefeitura entre em contato com a Sefin, a fim de solucionar prováveis objeções. Persistindo o problema e havendo necessidade, a Sefin determinará um técnico tributário para verificar o certificado digital e realizar o treinamento junto ao servidor.

Em videoconferência, o coordenador solicitou que delegados regionais auxiliem e acompanhem os usuários localizados nos municípios para habilitação do sistema. Além disso, já foi pedido apoio ao Programa de Modernização e Governança das Fazendas Municipais e Desenvolvimento Econômico-Sustentável dos Municípios de Rondônia (Profaz) e Associação Rondoniense de Municípios (Aron) para que também possam prestar auxílio às prefeituras.

De acordo com a Sefin, está sendo criado um grupo no Whatsapp especialmente com as duas entidades para informar sobre as novas atualizações do Cartão Cidade, para que assim comuniquem aos municípios, se for o caso.

Conforme o gestor do sistema, o aplicativo é inédito no país e um grande ganho para o Estado. Mas como ainda está no início, é preciso que os agentes responsáveis pelo acesso explorem o sistema, e no caso de encontrar algum problema na plataforma, encaminhe o feedback à Secretaria a fim de melhorar o sistema.

Fonte: Secom-RO

Governo Estadual avalia prorrogação do auxílio Cartão Alimentação Escolar em RO

O benefício ajuda estudantes com alimentação escolar da rede pública, em situação de vulnerabilidade por conta das suspensão das aulas.

Os pais ou responsáveis pelos estudantes não devem se desfazer dos cartões, enquanto durar a suspensão das aulas

O Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), estuda a possibilidade de dar continuidade ao benefício do Cartão de Alimentação Escolar, para cerca de 48.775 estudantes matriculados na Rede pública estadual (cadastrados no Bolsa Família) que se encontram em situação de vulnerabilidade social, enquanto durar a suspensão das aulas presenciais, conforme o Decreto 25.348, de 31 de agosto de 2020.

Enquanto o processo encontra-se em tramitação, para que os beneficiários não fiquem desassistidos, a Secretaria prevê que os repasses de crédito sairá retroativo ao último mês que houve recarga (agosto). De acordo com o processo nº 0035.386209/2020-12, o projeto de Lei de 30 de Setembro de 2020 prevê, desta vez, um repasse de crédito adicional suplementar de R$ 14.400 milhões (quatorze milhões e quatrocentos mil reais).

A autorização de transferir recursos financeiros por meio de crédito em Cartão Alimentação aos pais ou responsáveis pelos estudantes da rede estadual ocorreu por meio da Lei nº 4.751, de 5 de maio de 2020, regulamentada pelo Decreto nº 25.008 de 6 de maio de 2020.

O secretário de Estado da Educação, Suamy Vivecananda, destacou ainda que não se trata de uma nova fabricação de cartões, e nem de novos cadastros, apenas será dada continuidade às parcelas enquanto durar a suspensão das aulas presenciais. O secretário orienta ainda aos pais e responsáveis pelos estudantes beneficiados a não se desfazerem do cartão nesse período, pois os mesmos serão utilizados para serem recarregados. “Sabemos da importância que a merenda escolar tem para muitos estudantes considerados de vulnerabilidade social, os quais podem ter a merenda da escolas como principal refeição do dia”, disse Suamy.

O Cartão Alimentação tornou-se o meio mais ágil e prático para o controle e repasse desses recursos a alunos que se enquadram nesta classificação. Os pais ou responsáveis podem adquirir os alimentos necessários por meio de uma rede credenciada que consta na página da Seduc, em: https://lp.eucard.com.br/onde-usar-rondonia/

Fonte: Seduc

Seas informa pagamento da segunda parcela do Programa AmpaRo

Benefíciários dos lotes 1 e 2 já podem sacar o auxílio.

A Secretaria de Estado da Assistência e do Desenvolvimento Social (Seas) informa à população que a partir desta sexta-feira (14) está disponível o pagamento da 2ª parcela aos beneficiários do Programa de Transferência de Renda Temporária (AmpaRO). Os beneficiários podem acessar o recurso no aplicativo CAIXA TEM e, dessa forma, realizarem pagamentos de boletos, transações, transferências bancárias ou compras via aplicativo.

O saque do recurso estará disponível a partir do dia 18 de agosto, de acordo com o final do NIS, conforme o calendário do programa. Já os beneficiários não habilitados por inconsistência de dados, que realizaram a correção, farão parte do 3º lote, sendo divulgada a lista do resultado dia 1 de setembro.

SOBRE O PROGRAMA

O Programa AmpaRO foi criado pela Seas para beneficiar as famílias em situação de extrema pobreza, cadastradas no programa Bolsa Família e com renda per capta familiar declarada no Cadastro Único de até R$ 89. Segundo a primeira-dama e secretária da Seas, o AmpaRO se destaca entre as ações da Seas, frente à pandemia.

COMO ACESSAR O CAIXA TEM

Saque do recurso estará disponível a partir do dia 18 de agosto

Para os beneficiários que não acessaram o aplicativo, segue abaixo as instruções de como proceder:

Após baixar o aplicativo nas lojas virtuais (App Store e Play Store), o usuário terá que fazer um pequeno cadastro (caso não tenha) e validar o dispositivo. Caso já tenha acesso ao APP basta clicar em Entrar. As seis primeiras etapas exigem atenção redobrada. O beneficiário deverá informar: o CPF (Etapa 1); Nome completo (Etapa 2); Número de telefone (Etapa 3); Data de nascimento (Etapa 4); o CEP (Etapa 5) e digitar o E-mail duas vezes (Etapa 6).

Após cumprir estas etapas, o beneficiário será direcionado para criar uma senha de acesso. Ela dever ter pelo menos seis números, sendo que não pode ser igual ao CPF; Não pode ter repetições em sequência com mais de dois dígitos, e não pode ser usada a data de nascimento. Logo após criar a senha, o beneficiário deve clicar em: “Não sou um robô”.

Automaticamente será enviado um e-mail com um link para confirmar a validação do dispositivo do beneficiário. Caso o beneficiário não encontre o e-mail deve verificar a caixa de Spam. Após esta etapa de confirmação, basta abrir o aplicativo e clicar em “Liberar acesso”; Será enviado um código via SMS para o telefone cadastrado, o beneficiário deverá digitar esse código e depois criar um nome qualquer para o dispositivo. Finalizada esta etapa é só utilizar os serviços. Lembrando que o código é para uso exclusivo e não pode ser repassado para terceiros.

CANAIS DE ATENDIMENTO CAIXA

Para dúvidas sobre como utilizar o aplicativo, fazer pagamentos, compras ou saque, o beneficiário pode acessar os canais oficiais da Caixa Econômica Federal ou ligar para os números de contato: 3004 1104 – Para capitais e regiões metropolitanas; 0800 726 0104 – Para demais regiões; 0800 725 7474 – Ouvidoria.

Para reforçar a segurança, em alguns casos, a Caixa faz via aplicativo “Caixa Tem” uma solicitação por Whatsapp, para fazer a validação dos dados.

Fonte: Seas

PF deflagra operação contra acusados de falsificar documentos para receber auxílio emergencial

Foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão na cidade de Porto Velho/RO e arrecadados documentos utilizados nas fraudes

A Polícia Federal deflagrou hoje, 13/08/2020, a Operação “Crise de Identidade” com o objetivo de desarticular associação criminosa dedicada à falsificação de documentos de identidade e obtenção irregular de auxílio emergencial.

Foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão na cidade de Porto Velho/RO e arrecadados documentos utilizados nas fraudes.

As investigações demonstraram que os suspeitos atuam há alguns anos na produção de documentos falsos os quais são utilizados para aplicar golpes, em sua maioria, contra instituições financeiras.

Apurou-se ainda que os investigados faziam uso de dados pessoais de centenas de cidadãos, obtidos em sites na internet, para solicitar auxilio emergencial de forma irregular. Em seguida, faziam uso de “maquininhas” de cartão de crédito para simular compras e transferir os valores obtidos para contas controladas pelo próprio grupo criminoso.

 A associação criminosa já teria lucrado mais de R$ 1.500.000,00 (um milhão e quinhentos mil de reais) por intermédio destas fraudes.

Foram também bloqueados judicialmente mais de vinte veículos, em sua grande maioria de luxo, além de dezenas de contas bancárias que estavam registradas em nome das identidades falsas criadas pelos suspeitos.

O nome da operação faz alusão ao método sistêmico de criação e utilização de identidades falsas, que eram substituídas à medida que as fraudes eram descobertas.

Fonte: Assessoria

Cartao Alimentação: Alunos da rede estadual recebem nesta segunda-feira (10) terceira parcela

Auxílio é um programa do Governo Federal que é distribuído para diminuir os impactos causados pela pandemia.

Seduc obteve um saldo para novas solicitações de saldo ou cartões de 8.128 alunos

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) informa que nesta segunda-feira (10) inicia a liberação de novos créditos do cartão alimentação às escolas que têm alunos enquadrados em situação de vulnerabilidade social, cadastrados no Programa Bolsa Família. O saldo total dos cartões distribuídos deverá ser utilizado até o dia 15 de setembro, conforme a Controladoria Geral do Estado (CGE).

O cartão alimentação está incluso no programa federal suplementar à educação. Segundo o Ministério da Educação (MEC), atualmente o país distribui mais de dez bilhões de lanches nessa modalidade.

Utilizando recursos próprios, o governo estadual mobilizou a Seduc para o fornecimento do cartão alimentação, que já contempla aproximadamente 48,7 mil estudantes, que constavam nas fichas de matrículas do diário eletrônico das escolas, identificados como beneficiários do programa Bolsa Família.

Considerando-se que o processo para contratação da empresa especializada na prestação, administração, gerenciamento e fornecimento de cartões tarja magnética, previa o atendimento para 48.775 alunos, após ratificação e período estabelecido de entrega, a Seduc obteve um saldo para novas solicitações de saldo ou cartões de 8.128 alunos. Estabeleceu-se o envio de novas solicitações das Coordenadorias Regionais de Educação (Cres) para análise e emissão de novos cartões.

A equipe técnica da Subgerência de Alimentação Escolar realizou as devidas conferências para validação dos dados, e envio da demanda à empresa contratada para emissão dos cartões alimentação, e posterior entrega aos pais ou responsáveis legais dos beneficiários. A previsão de entrega dos cartões junto às regionais é para a terceira semana do mês de agosto e eles terão até o dia 15 de setembro para utilizar o saldo total do cartão, visto que após o referido período o saldo expirará. Todos os pagamentos trazem a identificação dos estabelecimentos comerciais onde foram comprados os alimentos e os gestores.

PRORROGAÇÃO

Considerando que houve a prorrogação do período de suspensão das aulas da rede estadual por mais um mês, foi estendido o prazo de vigência do contrato por mais um mês e acréscimo de valor de 50% do contratado, para cobertura de mais uma parcela, ou seja, será creditada a terceira parcela, com fundamento legal amparado nas leis do enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus, com redação alterada pela Medida Provisória nº 926, de 2020.

CRÉDITO DA TERCEIRA PARCELA

Os créditos referentes à terceira parcela, estarão disponíveis em cada cartão alimentação escolar, a partir das 13 horas de segunda-feira (10). Considerando nota técnica emitida pela CGE, os saldos de créditos disponibilizados nos cartões alimentação escolar deverão ser utilizados até o dia 30 de agosto, para os cartões entregues no 1º lote, e para os alunos beneficiados no 2º lote, o qual será encaminhado pela empresa às regionais na próxima semana, os pais ou responsáveis legais terão até o dia 15 de setembro para utilizar o saldo total. Após as datas preestabelecidas, os saldos expirarão.

O total de 127 mil alunos, que não se enquadram em vulnerabilidade social, não foram contemplados, porém, serão atendidos com kits de gêneros alimentícios adquiridos com recursos do PNAE.

Programa AmpaRO: Primeira parcela para Beneficiários do 1º lote já podem sacar auxílio

O Programa beneficia famílias em situação de extrema pobreza no período de pandemia.

As famílias beneficiárias do Programa de Transferência de Renda Temporária (AmpaRO) que fizeram a habilitação entre os dias 15 e 30 de junho (1º lote)  já podem acessar o aplicativo CAIXA TEM para usar a conta virtual criada junto à Caixa Econômica Federal e, dessa forma, realizarem pagamentos de boletos, transações, transferências bancárias ou compras via aplicativo.

Os beneficiários pertencentes ao segundo lote (habilitação no Programa entre os dias 1 e 15 de julho) são aqueles que fizeram a habilitação no programa na fase de prorrogação que encerrou na quarta-feira (15), junto com o período de correção de dados no Programa para aqueles beneficiários do 1°lote.

O Programa AmpaRO foi criado pela Secretaria de Estado da Assistência e do Desenvolvimento Social (Seas) para beneficiar as famílias em situação de extrema pobreza, cadastradas no programa Bolsa Família e com renda per capta familiar declarada no Cadastro Único de até R$ 89. Segundo a primeira-dama e secretária da Seas, o AmpaRO como o nome já diz oferece um auxílio para as famílias.

“O Programa AmpaRO busca beneficiar as famílias de maior vulnerabilidade social, dando a elas um amparo financeiro por três meses”, destacou Luana Rocha.

A conta virtual é uma opção ofertada pela Seas para que as famílias evitem aglomerações. Para aquelas que optarem sacar o benefício nas agências bancárias, a opção estará disponível a partir do dia 20 de julho, de acordo com o final do NIS, conforme o Calendário do Programa.

COMO USAR O CAIXA TEM:

Após baixar o aplicativo, o usuário terá que fazer um pequeno cadastro (caso não tenha) e validar o dispositivo. Caso já tenha acesso ao APP basta clicar em Entrar.

As seis primeiras etapas exigem atenção redobrada. O beneficiário deverá informar: o CPF (Etapa 1); NOME COMPLETO (Etapa 2); NÚMERO DE TELEFONE (Etapa 3); DATA DE NASCIMENTO (Etapa 4); o CEP (Etapa 5) e digitar o E-MAIL duas vezes (Etapa 6).

Após cumprir estas etapas, o beneficiário será direcionado para criar uma SENHA DE ACESSO. Ela dever ter pelo menos 6 números, sendo que não pode ser igual ao CPF; Não pode ter repetições em sequência com mais de dois dígitos, e não pode ser usada a data de nascimento. Logo após criar a senha, o beneficiário deve clicar em: NÃO SOU UM ROBÔ.

Automaticamente será enviado um e-mail com um link para confirmar a validação do  dispositivo do beneficiário. Caso o beneficiário não encontre o e-mail deve verificar a caixa de SPAM.

Após esta etapa de confirmação, basta abrir o aplicativo e clicar em LIBERAR ACESSO; Será enviado um código via SMS para o telefone cadastrado, o beneficiário deverá digitar esse código e depois criar um nome qualquer para o dispositivo. Finalizada esta etapa é só utilizar os serviços. Lembrando que o código é para uso exclusivo e não pode ser repassado para terceiros.

CANAIS DE ATENDIMENTO CAIXA:

Para dúvidas sobre como utilizar o aplicativo, fazer pagamentos, compras ou saque, o beneficiário pode acessar os canais oficiais da Caixa ou ligar para os números de contato:

3004 1104 – Para capitais e regiões metropolitanas;

0800 726 0104 – Para demais regiões;

0800 725 7474 – Ouvidoria;

Para reforçar a segurança, em alguns casos, a Caixa faz via aplicativo Caixa Tem uma solicitação por Whatsapp, para fazer a validação dos dados.

CALENDÁRIO PROGRAMA AMPARO

O Calendário do Programa AmpaRO pode ser consultado através deste link. A partir do dia 24 de julho estará disponível a lista de beneficiários habilitados e dos não habilitados (por erro de cadastro) do 2º lote, além da divulgação da lista dos beneficiários do 1º lote que fizeram a correção dos dados no sistema.

Fonte: Seas

%d blogueiros gostam disto: