Primeira enfermeira vacinada na Bahia é internada com covid

Mulher de 53 anos havia recebido apenas a primeira dose da CoronaVac e iria tomar a segunda em 16 de fevereiro

Uma enfermeira, uma das primeiras pessoas vacinadas no Brasil, foi internada em um hospital por complicações causadas pela covid-19, após contrair a doença pouco antes de receber a segunda dose da vacina, informaram fontes oficiais nesta terça-feira (23).

Maria Angélica de Carvalho Sobrinho, de 53 anos, foi a primeira pessoa a ser vacinada na Bahia e recebeu a dose inicial da CoronaVac no dia 19 de janeiro, mas contraiu a doença três dias antes da segunda aplicação, marcada para 16 de fevereiro.

A infectologista Ceuci Nunes, diretora do Hospital Couto Maia, onde a enfermeira está internada, explica que o caso não é “algo excepcional”, já que as vacinas costumam oferecer “maior proteção cerca de 20 dias após a segunda dose”.

“TRÊS DIAS ANTES DA SEGUNDA DOSE, ELA ESTAVA COM MAL-ESTAR E FEBRE E RESOLVEMOS INTERNÁ-LA PARA OBSERVÁ-LA MAIS DE PERTO, PORQUE ELA PRECISAVA DE OXIGÊNIO”, DISSE A MÉDICA EM ÁUDIO DIVULGADO PELO GOVERNO DA BAHIA.

Ceuci afirmou que o quadro de saúde do profissional de saúde está estável e que a manifestação da doença também não é um efeito adverso do imunizante.

Não tem nada a ver com uma reação adversa da vacina. Ela ainda não estava protegida porque só a primeira dose não protege. Ela acabou contraindo o vírus e desenvolveu a doença”, disse.

Ele acrescentou que a eficácia das vacinas é “comprovada cientificamente” para prevenir casos graves de covid-19, mas a comunidade médica ainda não sabe se eles são capazes de prevenir as manifestações mais brandas.

“As vacinas protegem muito bem contra os casos graves e reduzem as hospitalizações, mas ainda não sabemos se são capazes de reduzir as infecções. Ou seja, posso ser vacinado, infectar, não adoecer e ainda transmitir o vírus”, frisou a médica.

Com cerca de 212 milhões de habitantes, o Brasil é um dos países mais atingidos pela pandemia do coronavírus e já acumula mais de 247 mil mortes e 10,2 milhões de infectados.

O país iniciou sua campanha nacional de vacinação em meados de março, no dia 17 de janeiro, com cerca de 12 milhões de doses, mas teve que interromper a imunização em algumas cidades devido à falta de novas doses.

Fonte: R7

Dono das Casas Bahia é acusado de estupro e aliciamento

Saul Klein, 66, é suspeito de aliciar e estuprar 14 mulheres.

De acordo com a reportagem da Folha de S.Paulo, desta terça-feira (22), Klein entregou o passaporte à Justiça e está proibido de ter contato com as vítimas. Os crimes vêm ocorrendo desde 2008 durante festas que reuniam mulheres na casa do empresário, região de Alphaville.

As medidas impostas a Klein são precauções solicitadas pelo Ministério Público de São Paulo (MPSP) para o andamento das investigações das denúncias, que estão em segredo de justiça.

André Boiani e Azevedo, advogado de defesa, alega que Klein é, “sugar daddy”, termo em inglês usado para homem que sustenta a parceria financeiramente em troca de sexo e que ele não cometeu crimes.

O sr. Saul Klein vem sendo vítima de um grupo organizado que se uniu com o único objetivo de enriquecer, ilicitamente, às custas dele; através da realização de ameaças e da apresentação de acusações falsas em âmbito judicial, policial e midiático”, disse o advogado ao jornal.

Saul Klein é filho de Samuel Klein, fundador das Casas Bahia que faleceu em 2014. Apesar de ter vendido parte societária dele na rede varejista, em 2010, ele está envolvido em uma disputa judicial com o irmão mais velho, Michel Klein, em virtude da herança deixada pelo pai. A fortuna da Família Klein é avaliada na casa dos bilhões e, segundo lista da revista Forbes, de 2015, está entre as 50 maiores do Brasil.

Fonte: JCO

Governo reconhece calamidade pública na Bahia e no Ceará

Balanço divulgado neste domingo (25) pela Secretaria de Saúde dos estados mostraram que novos casos da covid-19, aumentaram nas últimas 24 horas.

O governo federal reconheceu o estado de calamidade pública na Bahia e no Ceará em razão da pandemia da covid-19. A portaria da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil foi publicada hoje (26) no Diário Oficial da União.

O reconhecimento de situação de emergência ou estado de calamidade pública pelo governo federal reduz a burocracia e facilita, a estados e municípios, o acesso aos recursos da União para ações de socorro. 

Balanço divulgado neste domingo (25) pela Secretaria de Saúde da Bahia mostra que o estado registrou 691 novos casos da covid-19, nas últimas 24 horas. No total, o estado acumula 344.705 casos, desde o início da pandemia. O boletim traz ainda o registro de 22 novas mortes, totalizando 7.475 óbitos no estado.

No Ceará, o boletim do Ministério da Saúde, divulgado ontem (25), aponta 872 novos casos e dois óbitos registrados nas últimas 24 horas no estado. O estado acumula 270.264 casos, e as mortes já chegam a 9.248.

Fonte Fernando Fraga A/B

%d blogueiros gostam disto: