Polícia tenta capturar presos que fugiram da área externa de presídio enquanto trabalhavam no Vale do Jamari

Um dos presos em fuga é o réu Jamiro Alves acusado de matar fazendeiro em 2017.

Dois presos conseguiram fugir enquanto trabalhavam na área externa do Centro de Ressocialização Jonas Ferreti, em Buritis (RO), no Vale do Jamari. A fuga aconteceu na última sexta-feira (19) e Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) disse nesta quinta-feira (25) que eles seguem foragidos e a polícia tenta recaptura-los.

De acordo com a Sejus, Jamiro Alves e Leocir de Jesus Santos, ambos do regime fechado, trabalhavam do lado de fora do alambrado da unidade montando tubos de metal para bueiros, em um projeto em parceria com o executivo municipal.

Durante os trabalhos, os detentos “adentraram na capoeira e tomaram rumo ignorado”, conforme informa a secretaria.

A Sejus informou ainda que diligências foram realizadas na tentativa de recaptura, mas não houve sucesso “devido à mata fechada e a extensa capoeira nos entornos da unidade”.

De acordo com a secretaria responsável pela administração do presídio, providências já foram tomadas, como uma apuração do fato na corregedoria e trabalho da equipe de inteligência em conjunto com a Polícia Civil para recapturar os foragidos.

Quem tiver informações sobre o paradeiro dos foragidos, deve entrar em contato por telefone com a PM (190) e Polícia Civil (197).

Um dos presos foragidos é Jamiro Alves, réu por homicídio qualificado, por ter matado um fazendeiro na região do Vale do Jamari. O crime ocorreu no dia 5 de agosto de 2017.

Segundo a denúncia do Ministério Público Estadual (MP-RO), a vítima Lindalto Alves de Lima chegava em sua propriedade na Zona Rural de Alto Paraíso (RO), quando foi surpreendida por Jamiro Alves.

Escondido em um matagal, ele e um comparsa dispararam várias vezes contra o fazendeiro e ainda desferiram golpes de faca contra ele. O crime ocorreu a mando de Inri Câmera, que segundo o MP, pagou R$ 20 mil a Jamiro pela execução.

Em 2019, o juiz da 1ª Vara criminal decidiu que Jamiro e o comparsa Juarez deveriam ser julgados no Tribunal do Júri. A sessão de julgamento ainda não foi marcada.

Fonte: G1/RO

PM recaptura três fugitivos de Unidade de Internação em Porto Velho

Segundo informações, pelo menos outros cinco estão sendo procurados.

Na manhã desta segunda-feira (11), oito detentos fugiram da  Unidade de Internação Masculina Sentenciada 1, localizada na Avenida Rio de Janeiro, bairro Lagoa, na zona Leste de Porto Velho.

De acordo com informações de testemunhas, os detentos da unidade pularam o muro e fugiram.

Logo em seguida a Polícia Militar iniciou as buscas pela região e três detentos foram detidos próximo do Banco do Brasil, da Avenida Amazonas, no bairro Agenor Martins de Carvalho.

A Força Tática da PM e o helicóptero da Núcleo de Operações Aéreas Falcão está sobrevoando a área em busca dos outros cincos.

Os três detentos detidos foram encaminhados para Central de Flagrantes, para depois serem conduzidos para a Unidade de Internação. A unidade realizará uma recontagem para precisar o número certo de fugitivos.

Fonte: Diário da Amazônia

Polícia alemã tenta capturar ‘Rambo da Floresta Negra’

Mais de 100 agentes de segurança participam de operação para capturar homem vestido com roupas de camuflagem e armado de arco e flecha, que conseguiu desarmar um grupo de policiais e se apossar de suas armas.

As autoridades de segurança do estado alemão de Baden-Württemberg estão conduzindo nesta segunda-feira (13) uma megaoperação para capturar um fugitivo armado com pistolas e um arco e flecha que se esconde na Floresta Negra, no sudoeste do país.

Conforme as autoridades locais, no domingo o homem de 31 anos, trajando roupas de camuflagem, chegou a render um grupo de policiais e tomar suas armas.

A caçada transcorre na região de Oppenau, a cerca de 30 quilômetros da fronteira com França. Helicópteros, cachorros e cerca de 100 policiais foram descolocados para a área. As autoridades pedem que o público evite se deslocar para a região, normalmente repleta de turistas no verão. Bloqueios foram instalados em estradas em volta de Oppenau.

Uma foto do suspeito foi divulgada, mas as autoridades evitaram revelar seu nome. Segundo o tabloide “Bild”, o fugitivo se chama Yves. R. e tem um histórico de detenções por posse ilegal de armas e por ferir a namorada com uma flechada.

O jornal também divulgou uma fotografia do suspeito vestindo o que parece um uniforme completo de combate. Segundo um porta-voz da polícia, ele se encontra em situação de “emergência psiquiátrica”, e o público deve evitar se aproximar dele.

Segundo o jornal, ele vive de bicos na região e foi despejado do apartamento há um ano por falta de pagamento do aluguel. Após passar meses vivendo em seu carro, ele se instalou numa velha cabana na floresta.

De acordo, com a Polícia de Baden-Württemberg, o caso começou após as autoridades serem notificadas no sábado de que havia um homem em atitude suspeita, armado de arco e flecha, andando na floresta.

Quatro policiais foram deslocados para interpelá-lo. Segundo as autoridades, o suspeito chegou a cooperar inicialmente, mas “em circunstâncias que ainda não foram esclarecidas”, conseguiu render os policiais. De acordo com a imprensa da região, ele sacou uma arma de fogo que trazia oculta e ameaçou os policiais.

De acordo com a polícia, ele “não deixou espaço para que os agentes reagissem a essa situação perigosa”. Estes acabaram entregando suas armas, e nenhum ficou ferido. Em seguida, o homem voltou para a mata. De acordo a imprensa alemã, as pistolas da polícia que presumivelmente está carregando têm capacidade de 16 balas cada.

Ele foi apelidado de “Rambo da Floresta Negra” pela imprensa alemã, por causa das semelhanças do episódio com elementos dos dois primeiros filmes da série estrelada por Sylvester Stallone nos anos 1980.

No primeiro filme, Rambo – Programado para matar, o personagem, um veterano amargurado da Guerra do Vietnam, era caçado por policiais numa floresta do oeste dos Estados Unidos. No segundo, Rambo – A missão, ele passa a usar aquela que seria a arma mais identificada com o personagem: o arco e flecha.

Fonte: G1

Operação no residencial orgulho do madeira prende 16 reeducandos em RO

Ação faz parte da Operação ‘Paz no Orgulho’ desencadeada pela PM e Polícia Penal.

Segurança, Defesa e Cidadania - Polícia Militar e Sejus ...
Foram recapturadas 16 pessoas que estavam sendo monitoradas por descumprimento de medidas de Justiça

Uma operação da Polícia Militar, em parceria com a Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), prende reeducandos que descumpriam medidas de justiça no Residencial Orgulho do Madeira, em Porto Velho. As ações visam levar maior segurança para os moradores do residencial, localizado na zona leste da capital de Rondônia, e continuam sendo mantidas para combater a criminalidade e avanço de facção.

Na manhã de ontem quinta-feira (9), o Residencial foi alvo da Operação Paz no Orgulho, desencadeada pela PM e Polícia Penal, quando foram recapturadas 16 pessoas que estavam sendo monitoradas por descumprimento de medidas de Justiça.

A Operação Paz no Orgulho é mais uma ação desenvolvida para manter a segurança no Residencial, que nos últimos meses passou a ser notícia nos veículos de comunicação, devido aos vídeos de facção que viralizaram na internet. De imediato, a Polícia Militar deu resposta à sociedade e conseguiu prender integrantes de facções tanto do Orgulho do Madeira quanto do Morar Melhor, zona Sul da Capital e, consequentemente, restabelecer a ordem dentro dos residenciais.

Segundo destacado pelo comandante do 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM), major PM Renato Suffi, toda a operação durou apenas 55 minutos e cumpriu todas as recapturas monitoradas. “Vale ressaltar que eram 16 alvos selecionados, dos quais quatro foram recapturados na noite de quarta- feira (8), e outros doze na manhã de quinta-feira, sendo que 100% dos alvos foram recapturados”, ressaltou major PM Suffi.

Conforme ressaltado pelo comandante, a operação conjunta, que contou com total participação da Polícia Penal, teve como missão intensificar a execução do policiamento ostensivo dentro das áreas de responsabilidade, especificamente no Residencial Orgulho do Madeira. Durante a operação, a Polícia Militar esteve reforçada, também, com policiais do Batalhão de Choque, inclusive com uso do canil e o Serviço de Inteligência.

Além de recapturas, a operação resultou na apreensão de mais de 30 invólucros de cocaína, que estavam em poder de um dos monitorados, e um veículo que também estava com drogas em seu interior.

A operação teve a participação da Unidade de Monitoramento Eletrônico (Umesp), Grupo de Ações Penitenciárias Especiais (Gape) e Gerência Regional I – Porto Velho.

Fonte: Sesdec