Sem tomar posse Decotelli deve pedir demissão

Segundo a FGV, o ministro não foi pesquisador da instituição. Ele ainda teve o doutorado e o pós-doutorado questionados por universidades

Poucos dias depois de ter sido escolhido como o novo ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli chegou no Palácio do Planalto no início da tarde desta terça-feira (30/06). A expectativa é de que, diante da repercussão negativa pelas informações falsas contidas em seu currículo, ele peça demissão do cargo.

Segundo pessoas próximas a ele, o professor teria redigido uma carta pedindo a sua saída do governo.

Decotelli entrou no lugar de Abraham Weintraub, que foi exonerado da pasta após chamar ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) de “vagabundos”.

Antonio Paulo Vogel, secretário-executivo do MEC, também foi chamado ao Planalto. Ele entrou no elevador que leva ao gabinete da Presidência sem dar detalhes da pauta do encontro com Jair Bolsonaro (sem partido). Disse apenas que teria uma reunião.

A revelação de uma série de incorreções nas informações prestadas por Dacotelli sobre a sua formação deflagrou uma crise dentro do Palácio do Planalto e o governo decidiu adiar a posse do ministro e fazer um pente-fino em sua carreira.

Após ter o seu doutorado e o seu pós-doutorado desmentidos entre sexta-feira (26/06) e segunda (29/06), nesta terça, foi a vez foi de a Fundação Getúlio Vargas (FGV) informar que, diferentemente do que constava em seu currículo, Carlos Alberto Decotelli não foi pesquisador ou professor da instituição.

Decotelli é próximo do filho do presidente Eduardo Bolsonaro e também do secretário de Alfabetização, Carlos Nadalim, que chegou a ser cotado para a pasta.

ministro educação Decotelli
Carlos Alberto Decotelli, indicado para o Ministério da Educação, tem o currículo questionadoHugo Barreto/Metrópoles

Na semana passada, o nome de Renato Feder, secretário de Educação do Paraná, ganhou força, mas ele acabou não sendo escolhido pelo presidente. Ele é um dos cotados para a substituição. O Metrópoles revelou, no entanto, que Feder foi denunciado por uma fraude milionária com governos estaduais quando era administrador de uma empresa.

Os militares do governo apoiam o nome do educador Antônio Freitas, que também estava entre os avaliados antes da nomeação de Decotelli, e de Antônio Testa, que chegou a fazer parte do MEC e foi demitido pelo ex-ministro Ricardo Vélez Rodríguez.

Renan Oliveira volta a atuar no Campeonato Lituânio e chega a incrível marca de 14 vitórias consecutivas na competição

Exatos 107 dias, mas, enfim, o meia Renan Oliveira pôde voltar a disputar uma partida oficial com a camisa do FK Suduva. Foi nesta quarta-feira (24), na vitória, em casa, por 3×0 diante do Panevėžys. O último jogo do brasileiro na Lituânia havia sido no dia 07 de março, quando sua equipe havia vencido o Banga por 1×0.

Renan Oliveira conseguiu liberação dos dirigentes do Suduva e retornou ao Brasil durante a pandemia e pausa da competição na Lituânia. Ele voltou ao país europeu no último dia 11 de junho e após um período de isolamento, por ter vindo do Brasil, teve a oportunidade de entrar nos últimos 10 minutos do duelo desta quarta-feira. A tendência é que nas próximas partidas o meia reassuma a condição de titular. Com o retorno gradual das competições, o Royal Vegas Casino oferece as melhores vantagens para seus adeptos, além de fazer uma cobertura completa sobre as diversas modalidades esportivas e acontecimentos marcantes em todo o mundo.

Desde que estreou na Lituânia, em agosto de 2019, Renan Oliveira vem assumindo o papel de protagonismo do time. No ano passado, foi campeão da Campeonato e da Copa e nesta temporada segue com ótimos números. Para se ter uma ideia, com a vitória contra o Panevėžys, o atleta brasileiro chegou a 14 sucessos consecutivos em jogos do Campeonato Lituânio. “Estou muito feliz de voltar a jogar e de manter o bom retrospecto com a camisa do Suduva. Apesar do pouco tempo nessa volta consegui ajudar e dei uma assistência, mas infelizmente o goleiro rival fez uma boa defesa na conclusão do meu companheiro. Quero prolongar esses resultados positivos, pois desejo novos títulos aqui na Lituânia”, declarou o ex-jogador do Atlético Mineiro, Coritiba, Sport e Goiás.

O FK Suduva lidera o Campeonato Lituânio 2020. Após seis rodadas disputadas, o time tem 16 pontos (cinco vitórias e um empate). No próximo domingo, Renan Oliveira e os seus companheiros enfrentarão o Zalgiris, vice-líder com 10 pontos, fora de casa. O meia brasileiro tem dois jogos contra o próximo rival e venceu ambos, com direito a uma assistência no último encontro. “É fundamental abrir uma boa vantagem neste início de competição. Por ser uma competição com poucas equipes, todos os jogos têm caráter decisivo, mas esse em especial significa bastante, pois poderemos abrir nove pontos deles. Vamos em busca desse resultado para mantermos o nosso processo de evolução”, ressaltou o atleta de 30 anos.

Até então, Renan Oliveira tem 26 jogos pelo FK Suduva e participou diretamente de 15 gols (10 tentos e cinco assistências). “Cheguei na Europa no meu auge. Me preparei muito para essa oportunidade com intenção de atuar em alto nível. Tenho me dedicado muito nos jogos, treinos e fora de campo com todos os cuidados que um jogador precisa ter. Acho que esse é o segredo do meu sucesso por aqui, a dedicação”, finalizou o atleta.

%d blogueiros gostam disto: