Produtor rural se destaca com vendas de mandioca descascada e congelada em Chupinguaia

O empreendimento da mandiocultura produz 500 quilos por semana, e também conta com uma produção de café clonal. Tudo sob orientação e assistência técnica da Emater.

A agroindústria tem capacidade de produção de 700 quilos por semana

Há mais de sete anos recebendo orientações dos extensionistas da Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia (Emater-RO), a família do produtor rural Amirante Ferreira Alves, localizada na linha 115, estrada projetada, no município de Chupinguaia celebra a pequena agroindústria de beneficiamento da mandioca. Com uma mão de obra familiar formada por sete pessoas, o empreendimento produz 500 quilos por semana do produto agroindústria Primavera, congelado e embalado à vácuo.

Durante a visita técnica, o diretor presidente da Emater-RO, Luciano Brandão, acompanhado do diretor técnico, Anderson Kühl e da equipe local, teve a oportunidade de comprovar o rendimento que o agricultor vem obtendo com a atividade, que faz parte do fortalecimento dos serviços de assistência técnica e extensão rural (Ater) que o Governo de Rondônia vem priorizando dentro de seu plano estratégico para o desenvolvimento da agricultura no Estado.

As visitas estão sendo realizadas em vários municípios e em diversas atividades agroeconômicas, e o que se tem visto é que as políticas públicas estão trazendo saldo positivo para a família rural. “A proposta do Governo é a verticalização das informações com acompanhamento contínuo das ações que estão sendo realizadas no setor”, explica Brandão.

Em conversa com os visitantes, o produtor contou que inicialmente queria montar um abatedouro de aves, mas foi orientado pelos extensionistas da Emater-RO que a agroindústria familiar traria um melhor retorno, já que o custo e manutenção para a construção de uma sede seria mais vantajoso no momento. Assim, ele optou em implantar uma área de um hectare para produzir mandioca. Hoje, para atender a sua demanda ele adquire mandioca da produção de seus vizinhos.

A agroindústria Primavera é uma atividade essencialmente familiar, que gera empregos de forma direta e indireta na região. Trabalhando com um pouco mais de dois terços de sua capacidade total (a agroindústria tem capacidade de produção de 700 quilos por semana), senhor Almir, como é mais conhecido, participa do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), ambos incrementados pela política pública de governo para fortalecimento da agricultura familiar, e comercializa seu produto nos supermercados e feiras da região.

A propriedade da família Ferreira Alves, além da mandiocultura, produz ainda café clonal em uma área de 1,2 hectares, que foi iniciada sob orientação e assistência técnica dos extensionistas da Emater-RO, meio hectare plantado com coco e banana, além de três estufas de olericultura e um tanque para produção de peixes, um poço artesiano e um pequeno aviário, adquiridos através da linha de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, na linha Mais Alimentos e Pronaf Jovem.

Além da visita à propriedade e à agroindústria, a equipe de Emater-RO se reuniu com o presidente e diretor, no escritório local de Chupinguaia, para alinhar informações de ação dos serviços de assistência técnica e extensão rural com trabalho voltado para a propriedade familiar.

Fonte: Emater-RO

Funcionários de frigorífico são infectados com Covid-19

Alegre dos Parecis, cidade onde pacientes vivem, para tomar medidas mais rígidas contra disseminação da doença.

O Ministério Público de Rondônia (MP-RO) encaminhou um ofício ao prefeito de Alto Alegre dos Parecis (RO), Marco Aurélio Marques Flores, para tomar medidas mais rígidas com relação ao aumento de casos de Covid-19 no município. Conforme o órgão, nove moradores da cidade, que são colaboradores de um frigorífico em Chupinguaia, foram infectados com o Sars-Cov-2.

A denúncia sobre as contaminações ao MP partiu da Secretaria Municipal de Saúde de Alto Alegre dos Parecis.

O comitê de enfrentamento da Covid-19 da cidade disse que todos os funcionários já estão em isolamento domiciliar há 8 dias e que os familiares, além de outras pessoas que tiveram contato com eles, foram procurados. Reforçou ainda que os pacientes passam bem e que nenhum deles precisou ser internado.

A promotoria de Vilhena, município onde corre a ação, informou que recebeu o encaminhamento do Ministério Público de Santa Luzia nesta terça-feira (28) e que já cobrou do frigorífico de Chupinguaia um plano de contingência contra a disseminação do novo coronavírus.

De acordo com a promotoria, a empresa tem 48 horas para dar retorno. Nesse período, a Secretaria Municipal de Saúde irá acompanhar os trabalhos de prevenção dentro do frigorífico. O caso segue em segredo de Justiça.

A prefeitura de Chupinguaia, que soma 78 casos confirmados do novo coronavírus, publicou um decreto na segunda-feira (27) exigindo o uso de máscara, limite de 15 pessoas em estabelecimentos comerciais, além de acesso ao álcool em gel. Os efeitos da ordem municipal se estende por 15 dias

A reportagem entrou em contato com a empresa por e-mail para um posicionamento e aguarda resposta. Também tentou contato por telefone, mas as ligações não foram atendidas ou retornadas até a última atualização desta reportagem.

Fonte: G1/RO