Após quedas em casos e mortes de Covid, Sesau confirma exoneração de profissionais emergenciais em RO

Segundo a Secretaria de saúde do estado, serão mais de 200 profissionais sendo médicos enfermeiros e entre outros.

Médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas e demais trabalhadores contratados em caráter emergencial para atuarem na linha de frente durante a pandemia de Covid-19, em Porto Velho, serão exonerados na quarta-feira (15).

A informação foi repassada, por profissionais da saúde na noite desta terça-feira (14). No total, mais de 200 trabalhadores sairão dos atendimentos do Hospital de Base, do João Paulo II, da Assistência Médica Intensiva (AMI) e do Serviço de Atendimento Médico Domiciliar (SAMD).

Segundo informado pelos trabalhadores, não houve aviso prévio por parte do Governo de Rondônia sobre o fim dos contratos. A decisão é vista por parte da categoria como injusta por ter sido apresentada “do dia para a noite” e poderia prejudicar as escalas de plantão nas unidades de saúde.

“Como vão suprir essa falta de profissionais do dia para a noite? Corre o risco de não ter médicos para suprir essa demanda. Nada foi avisado com antecedência. Souberam disso nesta terça e o corte já será amanhã”, disse profissional de saúde, que preferiu não se identificar.

Segundo a Secretaria de Estado de Saúde (Sesau), a decisão foi tomada após as significativas quedas dos números de casos e de internação nas UTIs. E como “há tendência de redução, manter esses profissionais poderia acarretar prejuízos na folhas de pagamentos”.

Fonte: Assessoria

Unidade do Cemetron para pacientes com covid-19 é inaugurada em RO

De acordo com as informações do governo, as contratações dos profissionais de saúde, será por chamamento emergencial. Ainda não há previsão para o início dos atendimentos.

A ala de enfermaria possui 58 leitos clínicos, sendo dois para casos suspeitos

A Nova ala para tratamento exclusivo de Covid-19 foi inaugurada nesta segunda-feira (27), no Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron), em Porto Velho. O espaço está localizado na avenida Guaporé, 215.

O espaço conta com 58 novos leitos, sendo 56 de enfermaria e dois de isolamento com suporte para ventilação mecânica. A ampliação na estrutura hospitalar foi finalizada em 35 dias e financiada por uma empresa privada.

Ainda não há previsão para o início dos atendimentos pois, segundo o Governo de Rondônia, é necessária a contratação emergencial de profissionais da saúde.

Durante coletiva à imprensa nesta manhã, o governador de Rondônia Coronel Marcos Rocha, afirmou que a ampliação da ala foi uma alternativa mais viável do que construir um hospital de campanha provisório.

Governador Marcos Rocha na inauguração da Nova ala do Cemetron

“Um produto feito com lona, madeirite não seria uma estrutura que ficaria para a História. Aqui são mais de 50 leitos que serão utilizados para a nossa população ter um atendimento melhor”, disse o governador, ressaltando que depois da pandemia a unidade atenderá outras demandas da saúde no estado.

A obra foi entregue quando o total de casos confirmados do novo coronavírus em Rondônia subiu para 35.810, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau). O estado registra 814 mortes por causa da Covid-19.

“Lembrem o tempo inteiro de usar a máscara, de lavar as mãos do distanciamento. A gente vai ter que conviver assim por algum tempo até termos a vacina. Tive a perda de amigos próximos, amigos que eu amava e quantas outras pessoas também tiveram perdas? Inclusive de familiares. Vamos nos dedicar juntos, pois sozinhos não conseguimos fazer nada”, comentou o governador Marcos Rocha, durante coletiva.

Fonte: Secom