Em Vilhena, 500 pessoas serão testadas pelo sistema drive-thru neste sábado

A testagem é exclusiva para pessoas que apresentam sintomas da covid-19.

estes rápidos em sistema drive-thru serão aplicados no sábado (17), a partir das 8h em frente à Câmara Municipal de Vereadores em Vilhena (RO).

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) a ação vai testar 500 pessoas para tentar localizar infectados pela Covid-19. Será usado teste de antígeno nas vias nasais por meio de coleta swab (cotonete).

A ação é voltada para pessoas que estejam com sintomas sugestivos à doença há pelo menos dois dias ou no máximo sete dias e também para pessoas que tenham tido contato recente com paciente com coronavírus. É necessário levar documento oficial com foto, CPF e cartão do SUS.

500 pessoas serão testadas a partir das 8h, em frente à Câmara Municipal de Vereadores de Vilhena — Foto: Prefeitura de Vilhena/Divulgação

Na última testagem em massa foram examinadas 756 pessoas e segundo a Prefeitura de Vilhena, 91 pessoas testaram positivo para a doença.

Fonte: Semus

OMS: taxa de infecção por covid-19 está próxima do valor mais alto

Situação na Índia é uma das mais preocupantes

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, disse hoje (16) que o número de novos casos de covid-19 por semana, em nível mundial, quase duplicou nos últimos dois meses e está próximo do valor mais elevado registrado até agora. A situação na Índia é uma das mais preocupantes atualmente, pois o país registrou, no último mês, o maior número de casos da doença no mundo. 

“Os casos de infecção e as mortes continuam a aumentar a uma velocidade preocupante”, alertou Tedros Adhanom Ghebreyesus, em entrevista coletiva nesta sexta-feira.

No último relatório, divulgado no dia 13 de abril, a OMS informou que o número de casos de covid-19 no mundo aumentou pela sétima semana consecutiva, com mais de 4,5 milhões de novos registros na última semana. O número de óbitos também aumentou pela quarta semana consecutiva, alta de 7% em relação à semana anterior, com mais de 76 mil mortes notificadas.

Os maiores aumentos de novos casos ocorreram na Índia (873.296 novos casos, alta de 70%), Estados Unidos (468.395, aumento de 5%), no Brasil (com 463.092 novos casos, redução de 8%), na Turquia (353.281, avanço de 33%) e na França (265.444, alta de 9%).

Toda semana surgem, em território europeu, mais de 1,6 milhão de novos infectados, apesar das restrições impostas pelos vários países e da campanha de vacinação em curso.

Índia 

A situação na Índia é uma das mais preocupantes atualmente, já que o país teve o maior número de casos de covid-19 no mundo no último mês. A Índia voltou a registrar, nesta sexta-feira, um recorde de novas infecções por covid-19, impulsionado pelas aglomerações em eventos religiosos e comícios eleitorais.

O país notificou 217.353 novos casos hoje, o que marca o oitavo dia consecutivo de aumento diário recorde. A Índia é o segundo país, em nível mundial, com o maior número de casos, cerca de 14,3 milhões. Registra ainda um total de 174.308 mortes desde o início da pandemia.

Enquanto luta contra uma segunda onda da pandemia de covid-19, com novas restrições impostas em Mumbai, Nova Delhi e outras cidades, aumentam os apelos para que as autoridades acelerem o programa de vacinação, já que os hospitais estão superlotados

Até agora, a Índia já administrou 115 milhões de doses de vacinas, o terceiro maior número no mundo, depois dos Estados Unidos e da China. No entanto, esse número de doses administradas cobre apenas uma pequena fração dos seus 1,35 bilhão de habitantes. A desaceleração na vacinação justifica-se pela falta de vacinas no país, que até agora foi um grande exportador.

*Com informações da RTP – Rádio e Televisão de Portugal

Fonte: Graça Adjuto A/B

Rondônia aguarda aval da Anvisa para processo de compra da vacina Russa Sputnik V

Governadores de outros estados também negociam importação da vacina, porém dependem da celeridade da Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

A consolidação da compra dos primeiros lotes da vacina Sputnik V, imunizante contra a covid-19 desenvolvido pelo governo russo que será comprado pelo Governo do Estado de Rondônia vai depender da celeridade da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). As doses serão utilizadas para acelerar o processo de vacinação nos 52 municípios. Após a última reunião entre a Anvisa e os 12 governadores que já assinaram o contrato para adquirir o insumo, o órgão federal tem dando sequência ao processo, a fim de auxiliar o governo russo na conclusão do processo burocrático para a importação da vacina.

De acordo com o Governo Federal, uma das últimas ações da Anvisa em relação ao assunto será o envio de técnicos à Rússia para a realização de inspeção às empresas fabricantes JSC Generium e UfaVita, a fim de avaliar suas condições e obter mais informações acerca da fabricação. A visita está prevista para acontecer entre os dias 19 e 23 de abril. Em relatório apresentado aos governadores durante reunião virtual que aconteceu no início do mês de abril, a Anvisa explicou detalhes técnicos que devem ser levados em consideração para a autorização da importação das vacinas. Dentre eles, estão as reações adversas registradas em pessoas que receberam o imunizante, a temperatura em que as doses são armazenadas e principalmente detalhes acerca do estudo clínico.

No final da semana passada o diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres se reuniu com o embaixador da Rússia no Brasil, Alexey Labetskiy, para tratar detalhes do processo de importação das vacinas. O governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha se reuniu com o presidente da república, Jair Bolsonaro e solicitou celeridade na consolidação do processo de importação das doses. Ainda durante a audiência, Marcos Rocha explicou a Bolsonaro que Rondônia recebeu (na data da audiência) mais de 200 mil doses de vacinas contra covid-19 encaminhadas pela União.

Até esta quinta-feira (15), Rondônia já tinha recebido mais de 290 mil doses do imunizante encaminhado pelo Governo Federal, além da parceria que resultou em incremento do estoque de oxigênio para as unidades de saúde em todo território rondoniense. O lote de vacinas comprado pelo Governo do Estado será suficiente para imunizar 500 mil pessoas.

ENTENDA O PROCESSO

O Governo do Estado de Rondônia pertence ao consórcio de 12 estados que já assinaram contrato com o Fundo Soberano Russo e se comprometeram com a compra do lote de vacinas contra a covid-19. A Anvisa precisa autorizar o pedido de importação excepcional de vacinas e insumos para que a Sputnik V seja distribuída.

Após a visita dos técnicos da Anvisa aos laboratórios russos, a agência federal brasileira vai emitir sua decisão. Nesta semana, uma decisão do ministro Ricardo Leandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF) pressionou a agência. O magistrado deu 30 dias para que a mesma conceda aos estados brasileiros a autorização.

AUTORIZAÇÃO

O Governo de Rondônia encaminhou à Anvisa no dia 31 de março a sua solicitação de autorização para importação dos insumos. O contrato que celebra a compra dos produtos por parte do Governo de Rondônia junto ao Fundo Soberano Russo já está assinado. O que falta é apenas a autorização. O Ministry of Health of The Russian Federatrion, que é o órgão sanitário russo com as mesmas atribuições da Anvisa brasileira já liberou a comercialização da Sputnik V, que é registrada no país que a produz.

Fonte: Secom-RO

Ministério da saúde começa a distribuir kits intubação para estados contra covid

Estoque de  2,3 milhões de medicamentos será suficiente para 10 dias

A partir desta sexta-feira (16), mais 2,3 milhões de medicamentos do kit intubação serão distribuídos pelo Ministério da Saúde. Os insumos foram adquiridos na China e doados ao governo federal por empresas como a Petrobras, Vale, Engie, Itaú Unibanco, Klabin e Raízen.

“Com esta doação, nós conseguimos garantir, conforme os dados enviados, pelo menos 10 dias de abastecimento em relação ao bloqueador neuromuscular, analgesia e sedação por midazolam, e 15 dias com propofol. O estado é o responsável, junto aos municípios, para fazer a redistribuição em sua própria rede assistencial”, ressaltou o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos (SCTIE), Hélio Angotti Neto.

As equipes do Ministério da Saúde já estão prontas para iniciar a distribuição dos chamados kit intubação. “Com base em experiências anteriores, a expectativa é de que em menos de 48 horas os medicamentos sejam distribuídos para todos os estados”, ressaltou o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz.

Critérios

Os hospitais do SUS são os primeiros da lista a receber os kits. São eles que definem o consumo médio mensal e os seus estoques aos estados – informações essenciais para orientar, na ponta, os critérios de divisão dos lotes de medicamentos entre os entes federativos.

Segundo o Ministério da Saúde, os dados são apresentados em reuniões tripartites, que ocorrem três vezes por semana, envolvendo representantes dos secretários estaduais e municipais de saúde – Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) e do Ministério da Saúde. A pasta também conta com a colaboração da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que monitora a produção nacional dos medicamentos.

“A partir daí, traçamos estratégias de aquisição e de distribuição desses medicamentos, com o intuito de regularizar a distribuição nacional. No momento seguinte, o Ministério executa as estratégias, fazendo aquisições nacionais ou internacionais e propondo uma pauta de distribuição aos estados, que é aprovada pelo Conass e Conasems”, explicou Cruz. 

Desde o início da pandemia da covid-19, o Ministério da Saúde já enviou aos estados e municípios mais de 8,6 milhões de medicamentos para intubação. Além disso, atua na aquisição de medicamentos hospitalares por outros meios: há dois pregões em aberto e está em andamento uma compra direta via Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).

Segundo o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a ação vai reforçar a assistência ao Sistema Único de Saúde (SUS) e os cuidados aos pacientes em todo o país. “A obrigação de adquirir esses medicamentos é de estados e municípios. Todavia, estamos em uma emergência pública internacional e nós temos que tomar as providências necessárias para assegurar o abastecimento em todo o país, principalmente em municípios menores que não têm condições de compra”, afirmou.

Fonte: Maria Claudia A/B

Prefeitura de Porto Velho abre inscrições para trabalho voluntário na vacinação contra Covid-19

Candidatos poderão escolher o horário para trabalharem e as jornadas serão das 7h às 13h e das 13h às 19h.

A Prefeitura de Porto Velho está elaborando um planejamento adequado para vacinar, com a primeira dose, 200 mil porto-velhenses contra a Covid-19. E para atender tantas pessoas foi aberta, na terça-feira (13), inscrição de voluntários para compor a força-tarefa da imunização.

A inscrição, para quem tiver interesse, pode ser feita através do link: https://forms.gle/eVLaM4Rw91izKiW77.

Segundo Sid Orleans, coordenador do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde da Semusa (Cievs), haverá pontos de vacinação distribuídos em locais estratégicos nas zonas norte, sul, leste e centro de Porto Velho.

A meta da Prefeitura de Porto Velho é mobilizar pessoal suficiente para imunizar 200 mil pessoas, quase metade da população da capital, hoje estimada em 530 mil habitantes, em 10 dias.

“A estrutura que estamos montando necessitará de profissionais da saúde voluntários que possam trabalhar como vacinadores ou coordenadores de salas de vacina”, explicou Sid.

OPÇÕES

No cadastro, o voluntário pode escolher em que horário irá trabalhar. As jornadas serão das 7h às 13h e das 13h às 19h.

O formulário permite optar por trabalhar nos dois períodos e quantos dias quiser. A Prefeitura vai garantir lanche nos dois períodos, almoço e água.

MOBILIZAÇÃO

Profissionais de algumas secretarias do município também serão mobilizados no mutirão, que envolverá cerca de 1.500 pessoas durante dez dias.

“A mesma estrutura será utilizada na aplicação da segunda dose, que será ministrada após 90 dias a primeira. Teremos que abrir inscrição para acolher os voluntários que tenham interesse em participar desta etapa”, destacou o coordenador do Cievs.

A análise do perfil dos voluntários será feita por um grupo, que montará escalas de trabalho para os dez dias de imunização.

COMPRA

As negociações para a compra direta de 400 mil doses de vacina AstraZeneca pela Prefeitura de Porto Velho foram concluídas. As garantias foram oferecidas ao representante responsável pelas vendas e aceitas. Resta agora apenas o fornecedor embarcar o imunizante, conforme estabelecido em contrato. Foi definido o prazo de 30 a 45 dias para que a entrega seja feita em Porto Velho.

Fonte: Comdecom

Abratel solicita que jornalistas tenham prioridade na imunização contra COVID-19

Jornalistas, radialistas e trabalhadores da imprensa estão extremamente expostos e vulneráveis…

A Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abratel) solicitou, nesta quinta-feira (15), a inclusão de jornalistas, radialistas e profissionais que atuam na comunicação profissional, no Plano Nacional de Imunização da COVID-19 como um dos grupos prioritários.

O ofício, assinado pelo presidente da Abratel, Márcio Novaes, foi encaminhado para o presidente da República, Jair Bolsonaro, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e para o presidente da Câmara, Arthur Lira.

Na solicitação, a Abratel cita o Decreto Federal 10.288, de 22 de março de 2020, publicado em edição extraordinária do Diário Oficial da União, que incluiu as atividades da imprensa como essenciais: “São considerados essenciais as atividades e os serviços relacionados à imprensa, por todos os meios de comunicação”. Ainda segundo o decreto, “deverão ser adotadas todas as cautelas para redução da transmissibilidade da Covid- 19”.

O presidente da Associação ressalta que, apesar de ser classificado como serviço essencial, os profissionais da comunicação não estão entre os grupos prioritários para a vacinação. “Jornalistas, radialistas e trabalhadores da imprensa estão extremamente expostos e vulneráveis, executando a importante missão de cobrir e reportar a grave crise sanitária decorrente do novo Coronavírus. Atuam nas ruas, hospitais, aeroportos, rodoviárias, Congresso Nacional, Assembleias Legislativas e Câmaras Municipais e outros espaços de grande circulação de pessoas”, pondera Novaes.

De acordo com a última pesquisa divulgada pela Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), o Brasil é líder mundial de mortes por coronavírus entre jornalistas. Entre abril de 2020 e março de 2021, foram 169 profissionais da comunicação mortos pela doença.

“Estes profissionais que, diariamente, arriscam suas vidas e de suas famílias são, também, os grandes responsáveis por não termos um agravamento ainda maior da pandemia. A imprensa leva informação de práticas sanitárias para a disseminação do vírus e, ainda, combate a desinformação a respeito da COVID-19. É imprescindível que os trabalhadores da imprensa sejam imunizados o mais breve possível”, reivindicou o presidente da Abratel.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Abratel

Mortes por covid entre maiores de 80 anos na Europa têm menor nível

Diretor regional da OMS disse que vacinação é responsável pela queda na taxa, que alcançou 30% neste mês

A proporção de mortes por covid-19 na Europa entre os idosos maiores de 80 anos caiu para seu nível mais baixo desde o início da pandemia, até representar 30%, graças à vacinação, disse nesta quinta-feira (15) o diretor regional da OMS, Hans Kluge.

“Nos últimos dois meses, a tendência nas pessoas maiores de 80 anos se distanciou da tendência observada em todas as outras faixas etárias, o que pode ser consequência da grande proporção da vacinação neste grupo de alto risco”, afirmou Hans Kluge em coletiva de imprensa online em Atenas. 

A seção da Europa da Organização Mundial da Saúde, que no início de abril registrou o número de casos “mais preocupante em meses”, com um aumento rápido e contínuo, agora vê “sinais de alerta que indicam que a transmissão poderia diminuir em vários países”, acrescentou.

A OMS continua pedindo a vigilância em um momento em que, segundo seus dados, há uma média de 160 novos casos por minuto em toda a região.

Na União Europeia, a campanha de vacinação permitiu até esta quinta-feira que 16,9% da população recebesse uma primeira dose, segundo dados oficiais coletados pela AFP.

Fonte: R7

Nova ferramenta “SASI” facilitará o agendamento e gerenciamento de informações na vacinação contra a Covid em Porto Velho

O sistema estará disponível nas plataformas Android e IOS.

A Prefeitura de Porto Velho está adotando providências para tornar ainda mais eficiente o processo de imunização contra a Covid-19. O aplicativo “SASI”, que registra dados da população e facilita o agendamento da vacina conforme faixa etária, comorbidade e grupo prioritário definido pelo Plano Nacional de Imunização, será liberado ao público nos próximos dias.

O app já existia para a realidade do município de Manaus, no Amazonas, e foi adaptado pela equipe da Superintendência Municipal de Tecnologia, Comunicação e Pesquisas (SMTI).

“Foram realizadas algumas customizações para atender a nossa realidade e logística de trabalho. O aplicativo está pronto para ser lançado”, explica o superintendente, Saulo Nascimento.

A ferramenta, segundo Saulo, vai ajudar no processo de organização do agendamento após o cadastro, definindo local, data e hora do comparecimento para vacinação. Para o usuário, é a garantia de que será atendido.

No aplicativo constarão abas para o cidadão, com formulário de cadastro para preenchimento de dados e perfil; aba para atendente, onde será possível verificar através do QR CODE se o usuário possui agendamento, caso contrário o atendente realizará consulta pelo CPF e, por fim, a seção para operador, onde serão registrados dados da vacinação (data, vacinados, vacina e dose) para que seja gerado um cartão de vacina virtual.

O sistema estará disponível nas plataformas Android e IOS. O aplicativo poderá ser localizado nas plataformas Playstore, da Google, e Itunes para IOS (Apple). Para ativá-lo será necessário digitar o código de ativação PVH21.

Fonte: Comdecom

Ministério da Saúde ultrapassa 50 milhões de vacinas distribuídas

Segundo a pasta, mais 6,3 milhões de doses da Fiocruz e do Butantan começam a ser enviados aos estados e DF nesta sexta

O Ministério da Saúde informou nesta quinta-feira (15) estar ultrapassando a marca de 50 milhões de doses de vacinas covid-19 distribuídas em todo o Brasil. Segundo a pasta, a partir desta sexta (16), mais 6,3 milhões de doses serão enviadas para todos os estados e o Distrito Federal. De acordo com o Ministério da Saúde, até o momento, mais de 31,9 milhões de doses foram aplicadas em todo o País.

“Com esse novo lote, a pasta já coordenou a distribuição de mais de 53,9 milhões de doses desde o início da campanha de vacinação [em 18 de janeiro]”, informou o ministério em nota distribuída à imprensa.

Conforme o governo federal a remessa conta com 3,8 milhões de doses da AstraZeneca/Oxford, da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), e com 2,5 milhões de doses da CoronaVac, do Instituto Butantan, ambas produzidas no Brasil com matéria-prima importada.

O 11º informe técnico da SVS (Secretaria de Vigilância em Saúde) explica que mais um grupo prioritário será atendido: o de idosos entre 60 e 64 anos. Também estão sendo destinadas doses para idosos entre 65 e 69 anos, trabalhadores da saúde e forças de segurança e salvamento, além das Forças Armadas que atuam na linha de frente da pandemia.

Divisão

Conforme a SVS, nessa leva, parte das vacinas será destinada à primeira dose de idosos entre 60 e 69 anos, trabalhadores da saúde e forças de segurança e salvamento e Forças Armadas.

Outra parcela dos imunizantes irá vacinar pela segunda vez trabalhadores da saúde, idosos entre 65 e 69 anos, além de 100 mil moradores do Amazonas. A secretaria explica que essas vacinas são referentes ao Fundo Estratégico da segunda pauta de distribuição, em janeiro, que disponibilizou mais doses ao estado por conta da grave crise com sanitária local.

“O objetivo é garantir a cobertura do esquema vacinal no tempo recomendado de cada imunizante: quatro semanas para a vacina do Butantan e 12 semanas para as doses da Fiocruz. A estratégia de distribuição para aplicação da primeira e segunda doses é revisada semanalmente em reuniões tripartites (governos federal, estaduais e municipais), observando as confirmações do cronograma de entregas por parte dos laboratórios”, complementa o comunicado.

Fonte: MS

Sesau realiza testes rápidos para covid-19 em Pimenta Bueno

Foram realizados 423 exames, destes foram 45 positivos.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), realizou nesta quarta-feira (14), um drive-thru para testagem da covid-19 em Pimenta Bueno. A medida é considerada essencial para quebrar a cadeia de transmissão do vírus no Estado. Foram realizados 423 exames, destes foram 45 positivos. A ação ocorreu no pátio de uma igreja, no bairro Jardim das Oliveiras. Foram feitas coletas de secreções nasais  para detecção do coronavírus desde os primeiros dias de infecção por meio do método antígeno que permite identificar o vírus com 93,3% de sensibilidade e 99,4% de especificidade.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Drive-Thru-exames-rapidos-covid-19-Pimeneta-Bueno-14.04.2021-foto-Esio-Mendes-33-370x247.jpeg
O Governador Marcos junto com o secretário de saúde Fernando máximo


O governador Marcos Rocha, acompanhou a testagem ao lado do secretário de Estado da Saúde, Fernando Máximo. “Apesar da situação difícil, estamos trabalhando muito para proteger a nossa população. Esse é o 13º drive-thru que realizmos. Também adquirimos vacinas, por meio de consórcio. Só para Rondônia são 1 milhão de doses, e somando com as que o Governo Federal está distribuindo, vamos conseguir vacinar muitos rondonienses. Pedimos que a população continue nos ajudando no controle do vírus, fazendo uso da máscara, higienização das mãos e evitando as aglomerações” disse o governador.

Para pacientes que testam positivo passam por consulta médica, e as que quiserem podem receber medicamentos e devem ficar isoladas, o que é essencial, principalmente diante da circulação de novas cepas com alto poder de transmissibilidade. Dessa forma, quebra-se a cadeia de transmissão e evita-se que os casos se agravem e superlotem as UTIs.

O PREFEITO DE PIMENTA BUENO, AURISMAR ARAÚJO, ESTEVE PRESENTE NO LOCAL DA TESTAGEM. “PARABENIZO O GOVERNADOR, CORONEL MARCOS ROCHA, PELA POLÍTICA DE ENFRENTAMENTO À PANDEMIA”, DISSE.

No local, o procedimento para testagem foi dividido com a seguinte logística: ainda na fila dos veículos, militares do Corpo de Bombeiros Militar (CBM/RO) checavam documentos e faziam a primeira identificação, em seguida o público passava pelos exames realizados pelos profissionais da saúde e seguia para a etapa de notificações dos casos, onde cada informação era atentamente captada pelos voluntários do projeto Juventude Voluntária da Superintendência da Juventude, Cultura Esporte e Lazer (Sejucel).

Por fim, em um novo espaço, o público recebia o diagnóstico, quando negativo, um alívio, mas para aqueles que testaram positivo para covid-19, o amparo de receber as orientações para evitar a proliferação da doença e evitar que a mesma se agrave. Houve também a oferta de kits de medicamentos, para os que voluntariamente aceitaram o tratamento.

Testes também foram realizados paralelamente ao drive-thru em unidade de saúde municipal para os que não estavam em veículos. A modalidade drive-thru é uma alternativa considerada mais segura por evitar aglomerações, minimizando a exposição dos envolvidos na ação, tanto os profissionais da saúde como a própria população.

A realização dos testes é de responsabilidade das prefeituras, mas o Governo atento as necessidades dos rondonienses em todo o Estado tem ajudado as prefeituras nas ações estratégicas de enfrentamento à pandemia.

Fonte: Sesau

1 2 3 34
%d blogueiros gostam disto: