Alesp afasta deputado que assediou colega em plenário, mas mantém gabinete funcionando

Agora, a decisão do Conselho será encaminhada para votação no plenário.

O Conselho de Ética da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) decidiu afastar por 119 dias o deputado Fernando Cury por quebra de decoro parlamentar. No fim do ano passado, ele foi acusado pela colega Isa Penna (Psol-SP) de tê-la assediado em plenário. A cena dele abraçando a deputada por trás foi flagrada pelas Câmeras das Alesp. Agora, a decisão do Conselho será encaminhada para votação no plenário.

Além do afastamento, Cury fica impedido de receber salário. A suspensão de vencimentos, no entanto, não atinge os servidores do gabinete do deputado, que continuará funcionando normalmente.

Em nota, a defesa do parlamentar afirma que recebe a decisão do Conselho “de forma muito respeitosa e, a partir desse momento, espera a apreciação por parte dos demais nobres deputados”.

Clima tenso

A votação teve placar de 5 votos a 4. Houve discordância entre os deputados e Wellington Moura (PRB) fez a leitura do voto em separado. O relator do caso Emídio de Souza (PT), havia sugerido pena de suspensão do mandato de Cury por seis meses, com suspensão de quaisquer subsídios e vantagens, porém Moura afirmou que este seria o primeiro caso de suspensão de mandato sem vencimentos da Casa e, portanto, propôs a suspensão por 119 dias sem atingir os funcionários de Fernando Cury.

Apesar de concordar com a suspensão, o deputado Barros Munhoz (PSB) disse que o advogado de defesa fez “uma ginástica para esconder uma gritante falha” e  que a punição de 119 dias “é cômica e nojenta”.

Após votarem, Adalberto Freitas (PSL), Alex de Madureira (PSD), Delegado Olim (PP), Estevam Galvão (DEM) e Wellington Moura deixaram a reunião, impedindo que Emidio de Souza, Barros Munhoz e Erica Malunguinho pudessem declarar seus votos, não sendo possível dar continuidade aos trabalhos.

Isa Penna afirmou que “mais uma vez o corporativismo e o machismo estrutural prevaleceram na Casa. Uma Comissão de Ética majoritariamente formada por homens teve caráter violento em todas as sessões. Seguir remunerando um gabinete inteiro, seguir um mandato político, é afago. É um presente. Seguir impune por um assédio”.

Os deputados Emidio de Souza e Barros Munhoz anunciaram que vão renunciar de seus postos no Conselho de Ética. A presidente do colegiado Maria Lucia Amary (PSDB), lamentou a postura dos deputados que abandonaram a reunião e considerou o abandono como um “ato antidemocrático e desrespeitoso” e disse que vai rever sua posição sobre o Conselho de Ética.

No início do ano, o Cidadania resolveu pela expulsão de Fernando Cury. Além do processo na Assembleia, Isa Penna move uma ação criminal por importunação sexual contra o deputado.

Fonte: Congresso em Foco

Alesp decide nesta quarta se abre processo contra Cury por assédio

Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Casa poderá dar encaminhamento à ação contra deputado. Ele pode ser cassado

Deputada Isa Penna (PSOL) repeliu o deputado Fernando Cury (Cidadania) após assédio
Deputada Isa Penna (PSOL) repeliu o deputado Fernando Cury (Cidadania) após assédio
deputado

Dois dias depois de o deputado estadual Fernando Cury (Cidadania) entregar a sua defesa prévia no caso de importunação sexual que corre na Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo), o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Casa decide nesta quarta-feira (10) se abre um processo de cassação. Em dezembro, o deputado colocou a mão na lateral dos seios da parlamentar Isa Penna (PSOL), episódio que foi transmitido ao vivo pela TV Alesp.

No documento, Cury pede que os deputados do PSOL Carlos Giannazi Erica Malunguinho e Monica Seixas sejam considerados parciais e não participem da deliberação do conselho – formalmente, o deputado do Cidadania responde na Assembleia por quebra de decoro

A defesa de Cury argumenta que, como Giannazi, Erica e Seixas foram arrolados como testemunhas na representação que Isa Penna enviou ao Ministério Público – medida que pode levar Cury a responder a um processo penal -, eles não poderiam participar da avaliação na Alesp sobre suspensão ou perda de mandato.

Ao Estadão, Monica, que assina com Isa Penna a representação ao Conselho, classificou a defesa prévia de Cury como “um ato desesperado”. “Ele tenta se defender a partir da imposição de ritos do código penal ao regimento interno da Casa. Mas a Alesp tem o seu rito estipulado, tem dispositivos que estão assegurados. Não vejo como ele possa ter sucesso fora dos ritos regimentais da Casa”, disse a deputada.

A defesa de Cury alega ainda que pessoas interessadas no desfecho a favor de Isa Penna, “por pertencer ao mesmo partido político”, não podem avaliar o caso.

Fonte: R7

Partido discute nesta quarta caso de deputado que assediou colega

Fernando Cury (SP) foi filmado apalpando o seio da deputada Isa Penna (PSOL-SP) durante sessão na Alesp no dia 16 de dezembro

A Executiva Nacional do Cidadania irá se reunir, nesta quarta-feira (13), para dar prosseguimento da análise do caso do deputado estadual Fernando Cury (SP), que apalpou o seio da deputada estadual Isa Penna (PSOL-SP) durante sessão na Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo).

O encontro se dá para receber, de forma oficial, o relatório produzido pelo Conselho de Ética. O grupo recomendou a expulsão de Cury pelo episódio de assédio, ocorrido no último 16 de dezembro. Segundo a nota, o comportamento do deputado é “descabido” e “rasteiro”, nas palavras da relatora, Mariete de Paiva Souza.

Ainda nesta quarta, a Executiva irá convocar uma reunião do Diretório Nacional, a mais alta instância do partido, que deliberará sobre o episódio. O colegiado pode manter a punição, rejeitar o relatório ou, ainda, decidir outra penalidade. 

Fonte: R7

Cidadania afasta deputado Fernando Cury acusado de importunação sexual na Alesp

Deputada Isa Penna diz que buscará cassação de Fernando Cury

O Cidadania afastou hoje (18) o deputado estadual Fernando Cury de suas funções diretivas partidárias, em todas as instâncias, bem como de todas as funções por ele exercidas em nome do Cidadania, inclusive junto à Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp). 

Cury foi denunciado ontem (17) pela colega Isa Penna, do PSOL, por importunação sexual e quebra de decoro parlamentar. A deputada registrou boletim de ocorrência e deu entrada com as denúncias no Conselho de Ética da Assembleia. Imagens gravadas pela própria Alesp mostram que, na sessão plenária de quarta-feira (16), Cury se aproximou da colega por trás e colooua a mão na lateral do corpo dela, sobre a região do seio direito. 

Em discurso na sessão de ontem, a deputada questionou: “O que dá o direito a alguém de encostar em uma parte do meu corpo que é íntima? O meu peito é íntimo.”

Isa disse que vai procurar a cassação do deputado porque o que ele fez limita a vida das mulheres. “É isso que precisa ficar claro. O exemplo que ele deu, enquanto legislador, enquanto autoridade pública, para não dizer que incita, eu digo que encoraja a violência contra as mulheres. Essa permissividade do toque é uma forma de violência”, afirmou hoje, em entrevista coletiva.

Ela explicou por que optou por fazer a denúncia pela tipificação de importunação sexual, e não de estupro: “Eu optei pela [tipificação de] importunação sexual [e não de estupro] porque meu objetivo aqui não é fazer uma caça às bruxas. Eu quero realmente tentar construir uma ponte com as pessoas que estão assistindo a esse caso neste momento e que nunca pararam para pensar, saem reproduzindo isso, saem fazendo, porque aprenderam assim.”

Cury nega

Agência Brasil buscou contato com Fernando Cury, por meio do e-mail oficial do parlamentar, mas ainda não obteve resposta.

Ontem, em discurso na tribuna, ele disse que nunca cometeu assédio contra mulheres. “Eu gostaria de frisar a todos, e principalmente para as mulheres aqui [que] não houve, de forma alguma, da minha parte, tentativa de assédio, de importunação sexual ou qualquer coisa semelhante. Eu nunca fiz isso na minha vida toda. Quero dizer de forma veemente eu nunca fiz isso, e digo que não fiz isso ontem.”

“Se a deputada Isa Penna se sentiu ofendida com o abraço que eu lhe dei, eu peço, de início, desculpa por isso, desculpa se eu a constrangi. Desculpa se eu tentei, como faço com diversas colegas que temos aqui na Casa, algumas com uma proximidade maior, outras um pouco menos, de abraçar, de estar próximo e, se com esse gesto, eu a constrangi.”

A resolução da presidência nacional do Cidadania diz que Fernando Cury ficará liminarmente afastado de todas as suas funções “até a conclusão do procedimento disciplinar no âmbito partidário.

Fonte: Nádia Franco A/B

%d blogueiros gostam disto: