Biden fala em construir relação estável com Putin e pede encontro entre os presidentes

Ela acontece em meio às crescentes acusações dos EUA contra a Rússia

O presidente dos EUA, Joe Biden, conversou nesta terça-feira (13) com o presidente da Rússia, Vladimir Putin. Em pauta, eles falaram sobre o controle de armas e questões de segurança global.

Vladimir Putin e Joe Biden discutiram por telefone sua intenção de buscar um diálogo estratégico de estabilidade em uma série questões. Entre eles, o controle de armas e a segurança global emergente, disse a Casa Branca em um comunicado na terça-feira (13).

A conversa foi apenas a segunda entre os dois líderes desde que o norte-americano se tornou presidente, em 20 de janeiro. Ela acontece em meio às crescentes acusações dos EUA contra a Rússia.

“O Joe Biden falou hoje [13] com o presidente Vladimir Putin da Rússia. Eles discutiram assuntos regionais e globais, incluindo a intenção dos Estados Unidos e da Rússia de buscar um diálogo estratégico de estabilidade no controle de armas, com base na extensão do Novo Tratado START”, diz o comunicado.

Biden ainda convidou o presidente Putin para uma cúpula em um terceiro país. “O presidente Biden reafirmou seu objetivo de construir uma relação estável e previsível com a Rússia, consistente com os interesses dos EUA, e propôs uma reunião de cúpula em um terceiro país nos próximos meses para discutir toda a gama de questões que os Estados Unidos e a Rússia enfrentam”, diz a Casa Branca.

“O presidente Biden também deixou claro que os Estados Unidos agirão com firmeza na defesa de seus interesses nacionais em resposta às alegadas ações da Rússia, como supostas intrusões cibernéticas e interferência eleitoral“, acrescentou a Casa Branca.

A questão na Ucrânia

O presidente norte-americano pediu à Rússia para diminuir as tensões na Ucrânia. “O presidente Biden enfatizou o compromisso inabalável dos Estados Unidos com a soberania e integridade territorial da Ucrânia”. Ele expressou preocupação com o aumento militar na Crimeia e nas fronteiras da Ucrânia.

Vale lembrar que ainda nesta terça-feira (13), o ministro da Defesa da Rússia afirmou que os Estados Unidos e a OTAN estão deslocando suas tropas para perto das fronteiras europeias russas. Por sua vez, a Rússia está tomando medidas em resposta a suas ações militares ameaçadoras.

Fonte: Sputnik

Encontro de representantes de hotelaria e turismo discutem sobre retomada econômica na capital

O assunto foi tratado em encontro virtual promovido pela Prefeitura de Porto Velho.

A atualização do Plano de Turismo e a reativação do Conselho de Turismo foram itens indicados por representantes dos setores de hotéis e viagens como mecanismos que vão contribuir para a retomada da economia no período que virá após o controle da pandemia de Covid-19. O assunto foi tratado em encontro virtual, quarta-feira (7), promovido pela Prefeitura de Porto Velho.

A reunião faz parte de uma série que a Agência de Desenvolvimento de Porto Velho programou para dialogar com segmentos do setor produtivo em busca de contribuições para proporcionar um ambiente positivo nos negócios na fase pós-pandemia.

O estabelecimento de políticas públicas necessárias para superar o impacto causado na economia por conta das medidas de isolamento social em vigência é tratado como essencial pelo prefeito Hildon Chaves. A Agência de Desenvolvimento se encarrega do diálogo com os setores da classe empresarial para ouvir as demandas e sugestões.

O encontro virtual, de quarta-feira, reuniu representantes dos setores de hotelaria e turismo, além do Sebrae-RO e Secretaria Municipal de Indústria, Comércio, Turismo e Trabalho (Semdestur).

Durante as discussões, foi apontada, também, a necessidade de nova capacitação dos atores que formam a cadeia do turismo no município.

O diretor técnico da Agência de Desenvolvimento de Porto Velho, Guilherme Gonzales, vê contribuições importantes no processo de escuta dos setores. “O que há de mais nobre nestes encontros é entender a percepção dos empresários sobre como o poder público pode melhorar a prestação de serviços no contexto da retomada da economia com renda, trabalho e poder de compras”, explica.

Gonzales acrescenta que a partir deste entendimento com os diferentes setores, a Agência de Desenvolvimento fará o encaminhamento das demandas às secretarias municipais, para que cada uma, dentro de sua esfera de atuação e possibilidades de recursos, possa implementar as melhorias com foco no desenvolvimento econômico e qualidade de vida da população como um todo.


Nesta quinta (8), é a vez do encontro com representantes de bares e restaurantes. Para participar do Encontro Setorial deste segmento, basta fazer uma inscrição acessando o link a seguir: https://www.sympla.com.br/encontro-setorial–bares-e-restaurantes__1172932 . Foram programados 18 encontros com os setores que movem a economia em Porto Velho.

Confira os próximos encontros setoriais:
Lojistas – 13/04 às 16h
Vestuário – 15/04 às 16h
Conselhos Profissionais – 22/04 às 16h
Academias, Pilates – 04/05 às 16h
Bebidas – 05/05 às 16h
Comércio – 06/05 às 16h
Agropecuária – 11/05 às 16h
Indústria de base – 12/05 às 16h
Metal e Autopeças – 13/05 às 16h
Supermercados / Atacadistas – 14/05 às 16h
OAB/RO – 18/05 às 16h
Saúde e Beleza – 20/05 às 16h
Gráficos – 25/05 às 16h

Fonte: Comdecom

Bolsonaro se encontrou com Pazuello hoje (22) no Alvorada

Encontro não estava previsto na agenda oficial do presidente. Saída do ministro da Saúde é esperada desde a semana passada

Diante do momento mais grave da pandemia de covid-19 no Brasil e da demora para o troca no comando do Ministério da Saúde, o presidente Jair Bolsonaro se reuniu nesta segunda-feira (22), com ministro Eduardo Pazuello no Palácio da Alvorada. O encontro não estava previsto na agenda oficial do presidente. Na saída da residência oficial, Pazuello estava com Bolsonaro no momento em que o presidente conversou com apoiadores.

A saída de Pazuello do ministério é esperada desde a semana passada, quando Bolsonaro indicou o médico Marcelo Queiroga para ocupar o comando da Saúde. A nomeação, contudo, ainda não ocorreu. Conforme o Estadão mostrou, a participação do cardiologista como sócio de duas empresas contribui para o atraso na sua nomeação para o cargo. A legislação impede que servidores públicos participem da gerência ou administração de empresas privadas.

A previsão informal era que a cerimônia de posse de Queiroga ocorresse nesta terça-feira (23), mas sem a nomeação não será possível. O presidente chegou a dizer que Pazuello deixaria o cargo na última sexta-feira, 19, mas isso também não ocorreu.

Enquanto a troca na Saúde segue ainda sem previsão, o País continua registrando alta nos números da crise sanitária, falta de medicamentos para a intubação de pacientes e em ritmo lento com a campanha de vacinação – até este domingo eram 11.805.991 de pessoas vacinadas com a primeira dose, ou 5,58% da população, e 4.160.093 vacinadas com a segunda dose (1,96% da população). No total, o País tem quase 295 mil mortos e quase 12 milhões de casos da doença, a segunda nação com mais registros, atrás apenas dos Estados Unidos.

Fonte: R7

Jean Oliveira repudia impedimento de representantes de senador de participar do encontro com ministro

Assessores de Confúcio Moura foram barrados de reunião com o ministro interino da Saúde

O deputado Jean Oliveira (MDB) repudiou, na terça-feira (16), da tribuna da Assembleia Legislativa, o ato de impedimento à participação dos representantes do senador Confúcio Moura, o ex-secretário de Saúde, Williames Pimentel e a ex-secretária de Assistência Social, Vilma Alves, do encontro com o ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazzuelo, ocorrido na sede do Governo do Estado na tarde da segunda-feira (15), quando da visita do mesmo ao Estado.

O impedimento ocorreu por parte da assessoria do governo do Estado responsável pelo cerimonial da visita do ministro interino ao Estado, que fizeram questão de desconhecer que os representantes do senador Confúcio Moura eram convidados do ministro interino da Saúde.

O deputado lembrou que Williames Pimentel e Vilma Alves foram colegas de trabalho do atual governador Marcos Rocha. Os três foram secretários de Estado juntos.  “O destino e o povo de Rondônia elegeram o coronel Marcos Rocha para ser governador e suceder aquele para o qual trabalhou e hoje ele é o governador. Dirijo minhas palavras ao governador Marcos Rocha, que não permita que aconteça mais no governo dele, o que aconteceu ontem na visita do ministro da Saúde à Porto Velho, para tratar especialmente sobre o enfrentamento da pandemia”, disse o parlamentar.

O deputado ressaltou que o ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, juntamente com a sua assessoria, por meio de Airton Cascavel fizeram questão da presença do ex-secretário de Saúde do Estado, ex-secretário municipal de Saúde de Porto Velho , por duas vezes, e ex-assessor especial da Fundação Nacional de Saúde, Williames Pimentel, profissional reconhecido no âmbito federal como um bom gestor na área de saúde, que por questões, que não sabemos dizer quais, foi impedido de participar da reunião, onde era convidado do próprio ministro interino da Saúde.

“Quero lembrar que o assessor naquela ocasião, não estava como ex-secretário de Saúde. Naquela ocasião  estava representando oficialmente o senador da República, Confúcio Moura, que inclusive, é o presidente da Comissão do Congresso Nacional de Fiscalização dos Recursos Emergenciais do Decreto de Calamidade Pública Federal.  É o presidente da Comissão que fiscaliza os gastos públicos em toda a União; aí o senador encaminha um representante – por estar com mais de 70 anos, grupo de risco, não podendo estar se locomovendo – que todos aqui, sabemos ser um grande homem na área da saúde, e ele é simplesmente barrado”, relata o deputado.

Líder do MDB

Continuando o discurso, o deputado chamou atenção da Casa Civil, que é responsável da relação institucional com a Assembleia, que intermedia a relação do parlamento com o Executivo: “Sou o líder do MDB, partido do ex-governador do Estado; fui líder na Legislatura passada do MDB na Assembleia, e afirmo, se o tratamento com aqueles que fizeram parte do governo passado for esse, chego à conclusão que eu na Assembleia, não sou um deputado bem vindo a participar da bancada que tem como objetivo defender os projetos do Executivo e que tem, na Assembleia, o objetivo de estar fortalecendo o trabalho do governador”.

“Se for esse o tratamento com aqueles que fizeram parte do ex-governo do MDB, que faz parte do meu partido, eu estou dizendo aqui: não contem comigo. Se é pra discriminar quem já trabalhou por Rondônia, não contem comigo. Portanto, peço aqui governador, coronel Marcos Rocha, que isso não aconteça mais nesse governo. A ação ocorrida, repudiamos veementemente, e pode ter certeza absoluta de que, esse constrangimento, eu e aqueles que participaram do ex-governo e participam do MDB, não vamos mais passar”, afirmou o deputado Jean Oliveira.

Texto: Assessoria 

%d blogueiros gostam disto: