Em Rolim de Moura, candidatos se atrasam e perdem reaplicação de provas do Enem 2020

A reaplicação das provas do Enem acontece por causa da pandemia.

Candidatos inscritos na reaplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) chegaram atrasados e encontraram os portões fechados na terça-feira (23) de ontem, em uma faculdade de Rolim de Moura (RO), na Zona da Mata. Os portões dos locais de provas fecharam ao meio-dia (horário local).

Dois dos candidatos que estavam nas proximidades do local de prova, enquanto o portão ainda estava aberto, acabaram não prestando atenção ao horário. Quando perceberam que a entrada da escola seria fechada, eles tentaram correr, mas não conseguiram entrar .

Uma outra candidata chegou de motocicleta logo depois dos portões fecharem, também na mesma faculdade. Preferindo não se identificar, a jovem afirma que houve um problema com seu relógio e isso a fez perder o primeiro dia da reaplicação da prova.

Em Rolim de Moura, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), há 2.863 candidatos inscritos para oito locais de prova.

Neste primeiro dia, a prova será de linguagens, ciências humanas e a redação. O segundo dia de provas, marcado para quarta-feira (24), será de matemática e ciências da natureza.

Durante a manhã, equipes da prefeitura de Rolim estiveram nos locais de provas e orientaram os estudantes sobre importância de manter distanciamento, e ainda disponibilizaram álcool em gel para os candidatos.

Fonte: G1/RO

Enem é reaplicado nesta terça-feira (23), para candidatos de Rolim de Moura e Espigão do Oeste

A prova ainda é correspondente ao exame de 2020.

Quase quatro mil candidatos devem fazer o primeiro dia de prova da reaplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) nesta terça-feira (23) nas cidades de Rolim de Moura (RO) e Espigão do Oeste (RO), ambas na região da Zona da Mata. A prova ainda é correspondente ao exame de 2020.

Os portões de locais de provas abriram 10h30 (hora local) e fecharam ao meio-dia. Neste primeiro dia, serão 5h30 para responder às questões.

Em Rolim de Moura, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), há 2.863 candidatos inscritos para oito locais de prova. Já em Espigão são 969 inscritos.

Equipes da prefeitura de Rolim estiveram nos locais de provas e orientaram os estudantes sobre importância de manter distanciamento, e ainda disponibilizaram álcool em gel para os candidatos.

Na frente do local de prova em Rolim, antes dos portões abrirem, candidatos tentaram se esconder do sol indo até lanchonetes. Apesar disso, o movimento foi tranquilo em relação aos outros anos de Enem.

Candidatos do Enem tentam fugir do sol e perto dos locais de prova em Rolim de Moura, RO — Foto: Magda Oliveira/Rede Amazônica
Candidatos do Enem aguardando abertura dos portões.

A estrutura do exame segue sendo a mesma do Enem tradicional: as perguntas são diferentes da aplicação regular, mas com o mesmo nível de dificuldade, segundo o governo. Isso é possível porque a prova é elaborada com base na Teoria de Resposta ao Item (TRI).

O primeiro dia terá prova de linguagens, ciências humanas e a redação. O segundo dia de provas, marcado para quarta-feira (24), será de matemática e ciências da natureza.

Fonte: Rede Amazônica

Enem 2020: Municípios Espigão D’Oeste e Rolim de Moura terão reaplicação do Exame Nacional nesta terça-feira (23)

Em Rolim de Moura há 2.863 candidatos inscritos. Já em Espigão são 969 inscritos.

Quase quatro mil candidatos participarão da reaplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) nesta terça-feira (23) em Rolim de Moura (RO) e Espigão D’Oeste (RO). A prova ainda é a correspondente ao ano de 2020.

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Rolim de Moura e Espigão foram as duas únicas cidades do estado que não participaram do exame em janeiro, devido à crise sanitária causada pelo coronavírus.

O Enem nestes dois munícipios será na terça-feira e quarta-feira (23 e 24). O Inep ressalta que a prova acontece na mesma data do Enem para pessoas privadas de liberdade, o Enem PPL, e tem o mesmo nível de dificuldade do Enem regular, mas com questões diferentes.

Em Rolim de Moura há 2.863 candidatos inscritos. Já em Espigão são 969 inscritos.

Os locais de prova podem ser consultados pelos inscritos no site na Página do Participante (clique aqui). É recomendável que os participantes cheguem com antecedência aos locais.

A abertura dos portões acontece às 10h30 (hora local) nos dois dias de prova. O fechamento dos portões será às 12h.

A aplicação das provas deve começar às 12h30, e encerrar às 18h no primeiro dia. No segundo dia, as provas devem encerrar às 17h30.

É obrigatório levar caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente, documento de identificação válido e máscaras de proteção à Covid-19.

É aconselhável levar álcool em gel, cartão de Confirmação de Inscrição e declaração de Comparecimento impressa (caso precise justificar sua presença no exame).

Antes de entrar na sala: higienizar as mãos ao entrar e sair do banheiro, e durante toda a aplicação do Exame. Respeitar o distanciamento entre as pessoas. Usar máscaras de proteção durante todo o tempo.

Para os casos previstos na Lei nº 14.019, de 2 de julho de 2020, será dispensado o uso da máscara para pessoas com autismo, deficiência intelectual, deficiências sensoriais ou com quaisquer outras deficiências que as impeçam de fazer o uso adequado de máscara. O descarte da máscara de proteção à Covid-19, durante a aplicação do Exame, deve ser feito pelo participante de forma segura nas lixeiras do local de provas.

Fonte: G1/RO

Enem digital testa hoje conhecimentos em matemática e ciências

Portões abrirão às 11h30 e receberão alunos até 13h

Termina hoje (7) a aplicação do primeiro Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) digital. Participantes de 104 cidades fazem as provas de matemática e ciências da natureza. Eles terão cinco horas para resolver 90 questões. Assim como no primeiro dia de exame, poderão levar caneta preta, dessa vez, para fazer os cálculos à mão, na folha de rascunho. 

Os portões abrem às 11h30 e fecham às 13h, no horário de Brasília. A prova de hoje termina às 18h30. No último domingo, os candidatos fizeram as provas de linguagens, ciências humanas e redação. 

Para garantir a segurança, os participantes recebem, no momento da prova, um código que precisam digitar na tela antes de começar o exame e também quando finalizam o certame.

Os computadores só têm acesso às provas. Os candidatos não têm acesso, por exemplo, à internet ou à calculadora. Na tela, quando a prova começar, aparecerão todas as questões. Será possível selecionar qual dos cadernos será resolvido. O sistema também permite que o candidato escreva na tela com o mouse e que marque as questões para depois poder voltar nelas, por exemplo. 

De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), cerca de 30 mil candidatos fizeram o Enem digital no primeiro dia de aplicação, o que corresponde a aproximadamente 32% do total de 93 mil inscritos.

A aplicação piloto do Enem digital deverá ser o início das mudanças no Enem. A intenção é que o exame seja totalmente digital até 2026.

Covid-19

Por conta da pandemia do novo coronavírus, o Enem tem regras especiais de biossegurança. Este ano, além do documento oficial de identificação com foto e da caneta esferográfica de tinta preta fabricada em material transparente, a máscara de proteção facial passa a ser obrigatória.

É recomendado que os participantes levem máscaras extras para trocar durante a prova. Eles deverão permanecer de máscara, cobrindo o nariz e a boca, durante toda a aplicação do exame. Haverá nos locais de prova álcool em gel para que os estudantes higienizam as mãos, mas é permitido que os participantes levem seu próprio produto caso desejem. Os computadores serão separados por espécies de cabines, para ajudar na proteção dos participantes. 

Quem tiver com sintomas de covid-19 ou de outra doença infectocontagiosa não deve comparecer ao exame. A medida é necessária para que o vírus não se espalhe e mais pessoas sejam contaminadas. Nesses casos, os candidatos poderão fazer a prova na data da reaplicação, nos dias 23 e 24 de fevereiro. Para isso, poderão fazer o pedido pela Página do Participante entre os dias 8 e 12 de fevereiro.  

O que levar 

A lista do que pode ou não também é semelhante ao Enem impresso. Os participantes podem levar também a própria água e/ou bebidas não alcoólicas e lanche. 

Além disso, caso necessitem comprovar que participaram do exame, os estudantes podem, na Página do Participante, imprimir a Declaração de Comparecimento para cada dia de prova, informando o CPF e a senha. A declaração deve ser apresentada ao aplicador na porta da sala em cada um dos dias. Ela serve, por exemplo, para justificar a falta ao trabalho. 

Enem 2020

O Inep vai divulgar os cadernos de provas do Enem digital logo após o fim da aplicação, como ocorreu no primeiro dia do exame. Eles estarão disponíveis no site do Inep, onde poderão ser baixados. Ao contrário do Enem impresso, já que a prova será no computador, os participantes não poderão levar os cadernos de prova. Os candidatos podem, no entanto, anotar as respostas na folha de rascunho. Os gabaritos oficiais serão divulgados até 10 de fevereiro. 

O Enem 2020 tem uma versão impressa, que foi aplicada nos dias 17 e 24 de janeiro, e uma versão digital. Cerca de 2,5 milhões de estudantes fizeram as provas do Enem impresso, o equivalente a menos da metade dos inscritos. 

O exame, tanto o impresso quanto o digital, foi suspenso no estado do Amazonas e o impresso foi suspenso em Rolim de Moura (RO) e em Espigão D’Oeste (RO) devido aos impactos da pandemia nessas localidades. Esses estudantes poderão fazer as provas também na reaplicação. Segundo o Ministério da Educação, foram cerca de 20 ações judiciais, em todo o país, contrárias à realização do exame.

Fonte: Agência Brasil

Segundo dia do Enem digital será neste domingo

Estudantes serão avaliados por seus conhecimentos sobre matemática e ciências da natureza no exame

Neste domingo (7) será o segundo dia de aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) digital. Esta é a primeira edição do exame, que é aplicado de forma piloto para um número reduzido de participantes. As notas poderão ser usadas para concorrer a vagas no ensino superior. Assim como no primeiro dia de aplicação, os participantes poderão levar caneta esferográfica de cor preta, dessa vez para fazer os cálculos em folha de rascunho.

Neste segundo dia de aplicação, os candidatos farão as questões de matemática e ciências da natureza. No último domingo (31), fizeram as provas de linguagens, ciências humanas e redação. O número de questões objetivas, 90 por dia, o tempo de prova e os horários de aplicação são os mesmos do Enem impresso. Os participantes terão, amanhã, cinco horas para resolver as questões. Os portões abrem também às 11h30 e fecham às 13h, no horário de Brasília.

As questões objetivas serão todas marcadas na tela, e os participantes não precisarão preencher o cartão-resposta à mão. A caneta poderá ser usada para fazer os cálculos das provas de exatas à mão na folha de rascunho que receberão.

De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), cerca de 30 mil candidatos fizeram o Enem digital, o que corresponde a aproximadamente 32% do total de 93 mil inscritos.

A aplicação piloto do Enem digital deverá ser o início das mudanças no Enem. A intenção é que o exame seja totalmente digital até 2026.

O que levar

A lista do que pode ou não também é semelhante ao Enem impresso. Por conta da pandemia do novo coronavírus, o Enem terá regras especiais de biossegurança. Este ano, além do documento oficial de identificação com foto e da caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente, itens obrigatórios também nos exames anteriores, a máscara de proteção facial passa a integrar essa lista.

É recomendado que os participantes levem máscaras extras para trocar durante a prova. A máscara deve ser usada da maneira correta, cobrindo o nariz e a boca. Caso o participante desobedeça as regras, será eliminado. Haverá nos locais de prova álcool em gel para que os estudantes higienizam as mãos, mas é permitido que os participantes levem seu próprio produto caso desejem.

Os participantes podem levar também a própria água e/ou bebidas não alcoólicas e lanche. Além disso, caso necessitem comprovar que participaram do exame, os estudantes podem, na Página do Participante, imprimir a Declaração de Comparecimento para cada dia de prova, informando o CPF e a senha.

A declaração deve ser apresentada ao aplicador na porta da sala em cada um dos dias. Ela serve, por exemplo, para justificar a falta ao trabalho.

É importante lembrar que participantes que estiverem com sintomas de covid-19 ou de outra doença infectocontagiosa não devem comparecer ao exame. A medida é necessária para que o vírus não se espalhe e mais pessoas sejam contaminadas. Nesses casos, os candidatos poderão fazer a prova na data da reaplicação, nos dias 23 e 24 de fevereiro. Para isso, poderão fazer o pedido pela Página do Participante. O pedido deve ser feito entre os dias 8 e 12 de fevereiro.  

Enem 2020

O Inep vai divulgar os cadernos de provas do Enem digital logo após o fim da aplicação, como ocorreu no primeiro dia do exame. Eles estarão disponíveis no site do Inep, onde poderão ser baixados. Ao contrário do Enem impresso, já que a prova será no computador, os participantes não poderão levar os cadernos de prova. Os candidatos podem, no entanto, anotar as respostas na folha de rascunho. Os gabaritos oficiais serão divulgados até 10 de fevereiro.

O Enem 2020 tem uma versão impressa, que foi aplicada nos dias 17 e 24 de janeiro, e uma versão digital. Cerca de 2,5 milhões de estudantes fizeram as provas do Enem impresso, o equivalente a menos da metade dos inscritos.

O exame, tanto o impresso quanto o digital, foi suspenso no estado do Amazonas e o impresso foi suspenso em Rolim de Moura (RO) e em Espigão D’Oeste (RO) devido aos impactos da pandemia nessas localidades. Esses estudantes poderão fazer as provas também na reaplicação. Segundo o Ministério da Educação, foram cerca de 20 ações judiciais, em todo o país, contrárias à realização do exame.

Fonte: R7

Primeira edição do Enem digital começa a ser aplicada amanhã

Ao todo, estão inscritos 93 mil estudantes em 104 cidades

A primeira edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) digital começa neste domingo (31). O exame será aplicado de forma piloto para um número reduzido de participantes, mas já poderá ser usado para concorrer a vagas no ensino superior. Ao todo, estão inscritos 93 mil estudantes em 104 cidades. Embora seja feito pelo computador, os candidatos deverão ir até os locais de prova e, assim como no Enem impresso, levar caneta esferográfica de cor preta.

Neste primeiro dia de aplicação, os participantes farão as provas de linguagens, ciências humanas e redação. No segundo dia, que será no dia 7 de fevereiro, os candidatos farão as questões de matemática e ciências da natureza. O número de questões objetivas (90 por dia), o tempo para fazer as prova e os horários de aplicação serão os mesmos do Enem impresso: cinco horas e meia no primeiro dia e cinco horas no segundo. Os portões abrem às 11h30 e fecham às 13h (horário de Brasília).

A diferença é que a prova será feita pelo computador. As questões objetivas serão todas marcadas na tela, e os participantes não precisarão preencher o cartão-resposta à mão. A redação, no entanto, será escrita à mão, por isso a caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente, é obrigatória. O tema e os textos motivadores estarão na tela. A correção também será feita da mesma forma que o Enem impresso.

No segundo dia de exame, a caneta também poderá ser usada. Os participantes receberão uma folha de rascunho para fazer os cálculos das provas de exatas à mão, caso desejem.

O que levar

A lista do que pode ou não também é semelhante ao Enem impresso. Por conta da pandemia do novo coronavírus, o Enem terá regras especiais de biossegurança. Este ano, além do documento oficial de identificação com foto e da caneta esferográfica de tinta preta, em material transparente, itens obrigatórios também nos exames anteriores, a máscara de proteção facial passa a integrar essa lista.

É recomendado que os participantes levem máscaras extras para trocar durante a prova. Haverá nos locais de prova álcool em gel para que os estudantes higienizam as mãos, mas é permitido que os participantes levem seu próprio produto caso desejem.

Os participantes podem levar também a própria água e/ou bebidas não alcoólicas e lanche. Além disso, caso necessitem comprovar que participaram do exame, os estudantes podem imprimir, na Página do Participante, a Declaração de Comparecimento para cada dia de prova, informando o CPF e a senha.

A declaração deve ser apresentada ao aplicador na porta da sala em cada um dos dias. Ela serve, por exemplo, para justificar a falta ao trabalho.

É importante lembrar que participantes que estiverem com sintomas de covid-19 ou de outra doença infectocontagiosa não devem comparecer ao exame. A medida é necessária para que o vírus não se espalhe e mais pessoas sejam contaminadas. Nesses casos, os candidatos poderão fazer a prova na data da reaplicação, nos dias 23 e 24 de fevereiro. Para isso, poderão fazer o pedido pela Página do Participante. A data para que isso seja feito ainda será divulgada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).  

Vídeo explicativo

Os locais de prova estão disponíveis no cartão de confirmação de inscrição, na Página do Participante. Também está disponível um vídeo que explica em detalhes como será o exame. Para garantir a segurança, os participantes receberão, no dia da prova, um código que precisarão digitar na tela antes de começar o exame e também quando finalizarem as provas.

Os computadores só terão acesso às provas. Os candidatos não terão acesso, por exemplo, à internet ou à calculadora. Na tela, quando a prova começar, aparecerão todas as questões. Será possível clicar em qual deseja acessar. O sistema também permite que o candidato escreva na tela com o mouse e que marque as questões para depois poder voltar nelas, por exemplo.

Em entrevista à Agência Brasil, o diretor de Tecnologia e Disseminação de Informações Educacionais do Inep, Camilo Mussi, reforça a importância de que os participantes vejam o vídeo com antecedência.

“É importante que todos vejam esse vídeo com calma, mais de uma vez, para que cheguem na prova com tranquilidade. O sistema é muito interativo e muito amigável, mas se tiver visto o vídeo antes, vai ser muito melhor”, diz.

Chegar cedo no Enem digital também pode fazer diferença. Antes de começar o exame, os participantes terão que ler uma série de instruções na tela. “O participante, chegando com antecedência, sentando no computador, terá a opção de ler as instruções da prova já. Não poderá acessar a prova, mas poderá, com calma, ler as instruções”, acrescenta Mussi.

Enem 2020

O Inep vai divulgar os cadernos de provas do Enem digital logo após o fim das aplicações, no dia 31 e no dia 7 de fevereiro. Eles estarão disponíveis no site do Inep. Ao contrário do Enem impresso, já que a prova será no computador, os participantes não poderão levar os cadernos de prova. Os candidatos podem, no entanto, anotar as respostas na folha de rascunho. Os gabaritos oficiais serão divulgados até 10 de fevereiro.

O Enem 2020 tem uma versão impressa, que foi aplicada nos dias 17 e 24 de janeiro, e uma versão digital. Cerca de 2,5 milhões de estudantes fizeram as provas do Enem impresso, o que corresponde a menos da metade dos inscritos. A aplicação piloto do Enem digital deverá ser o início de mudanças no exame nacional. A intenção é que o exame seja totalmente digital até 2026.

O exame, tanto o impresso quanto o digital, foi suspenso no estado do Amazonas e o impresso foi suspenso em Rolim de Moura (RO) e em Espigão D’Oeste (RO) devido aos impactos da pandemia nessas localidades. Esses estudantes poderão fazer as provas também na data de reaplicação. Segundo o Ministério da Educação, foram cerca de 20 ações judiciais, em todo o país, contrárias à realização do exame.

Fonte: Agência Brasil

Enem 2020: Inep divulga gabarito oficial

Resultado oficial do exame será divulgado no dia 29 de março; prova busca avaliar desempenho do estudante em cada área

O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) divulgou nesta quarta-feira (27) o gabarito oficial do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Já o resultado oficial será divulgado no dia 29 de março.

Primeiro dia 

Caderno 1 – Azul – Aplicação Regular

Caderno 2 – Amarelo – Aplicação Regular

Caderno 3 – Branco – Aplicação Regular

 Caderno 4 – Rosa – Aplicação Regular

Caderno 4 – Rosa (Ampliada) – Aplicação Regular

Caderno 4 – Rosa (Superampliada) – Aplicação Regular

Caderno 9 – Laranja (braile e ledor) – Aplicação Regular

Caderno 10 – Verde (Libras) – Aplicação Regular

Segundo dia

Caderno 5 – Amarelo – Aplicação Regular

Caderno 6 – Cinza – Aplicação Regular

Caderno 7 – Azul – Aplicação Regular

Caderno 8 – Rosa – Aplicação Regular

Caderno 8 – Rosa (Ampliada) – Aplicação Regular

Caderno 8 – Rosa (Superampliada) – Aplicação Regular

Caderno 11 – Laranja (braile e ledor) – Aplicação Regular

Caderno 12 – Verde (Libras) – Aplicação Regular

Vale lembrar que o número de acertos não representa necessariamente a nota final. Na correção do Enem, é usado o método TRI (Teoria de Resposta ao Item), um modelo que leva em conta a dificuldade de cada pergunta e busca avaliar o desempenho do candidato em determinada área de conhecimento. Além da nota da redação. Confira no site do Inep.

No domingo (24), estudantes de todo o país realizaram o segundo dia de provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Os participantes encararam uma maratona de 90 questões de Matemática, Ciências da Natureza (Física, Química e Biologia).

O Fernando da Espiritu Santo, gerente de Inteligência Educacional e Avaliações do Poliedro, “sem abordar a pandemia, o segundo dia do Enem seguiu a tendência de ser uma prova neutra e cobrou o ‘arroz com feijão’ dos estudantes”, observa.

“De um modo geral, a prova de Ciências da Natureza foi bem distribuída entre Biologia, Química e Física”, diz Espiritu Santo. “A prova de Biologia foi bem equilibrada, com destaque para a temática do vazamento de petróleo e Ecologia.”

O Fernando da Espiritu Santo, gerente de Inteligência Educacional e Avaliações do Poliedro, “sem abordar a pandemia, o segundo dia do Enem seguiu a tendência de ser uma prova neutra e cobrou o ‘arroz com feijão’ dos estudantes”, observa.

“De um modo geral, a prova de Ciências da Natureza foi bem distribuída entre Biologia, Química e Física”, diz Espiritu Santo. “A prova de Biologia foi bem equilibrada, com destaque para a temática do vazamento de petróleo e Ecologia.”

Para o gerente do Poliedro, o destaque foi para a quantidade de contas que os estudantes tinham de fazer por questão de Matemática, “se tentassem calcular tudo o que era pedido, não daria tempo de concluir a prova, o caminho foi usar as aproximações das ordens de grandeza, por outro lado, três questões de resolução rápida com avaliação de gráficos ajudaram a ganhar tempo.”

O diretor do curso Anglo, Daniel Perry, também considerou a prova ‘tradicional’, marcada por “questões que fazem parte da tradição do Enem — questões contextualizadas e que dialogam com o cotidiano dos estudantes”.

Neste sentido, a prova trouxe questões sobre o funcionamento do fone de ouvido, o consumo de etanol por carro, orçamento familiar, uso de óleos essenciais, proteção contra raios. “Personagens populares também foram abordados como o Garfield e Harry Potter, em uma questão sobre anagrama e que deve ter feito bastante sucesso entre os jovens”, diz Perry.

Thiago Ferreira Luz, professor do sistema COC by Pearson, considerou a prova de Química de “nível médio” e “muito conteudista”. “A prova abordou assunto relacionados ao cotidiano, o que já é de conhecimento dos alunos, veio carregada de textos, o que exigia interpretação, mas não tivemos questões de cálculos difíceis.”

Em Matemática, caiu notação científica, regra de três, análise combinatória e porcentagem. “Em Física, os assuntos também foram tradicionais e o mesmo vale para Química, já Biologia, a prova foi considerada por professores e alunos um pouco mais difícil que em anos anteriores”, avalia o diretor do Anglo.

Fonte: R7

Gabarito oficial do Enem 2020 será divulgado nesta quarta-feira

Participantes podem conferir respostas no site do instituto

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulga hoje (27) os gabaritos oficiais das provas objetivas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020. Os participantes poderão conferir as respostas corretas do exame no site do Inep e no aplicativo do Enem. 

O Enem impresso foi aplicado nos dois últimos domingos, dias 17 e 24 de janeiro. Os participantes resolveram questões objetivas de matemática, ciências da natureza, ciências humanas e linguagens. Fizeram também a prova de redação, a única subjetiva do exame.

Mesmo com os gabaritos em mãos, não é possível saber a nota no exame. Isso porque o Enem é corrigido com base na chamada teoria de resposta ao item (TRI), que leva em consideração, entre outros fatores, a coerência de cada estudante na própria prova.

Ou seja, se ele acertar questões difíceis, é esperado que acerte também as fáceis. Se isso não acontecer, o sistema entende que pode ter sido por chute. O estudante, então, pontua menos que outro candidato que tenha acertado as mesmas questões difíceis, mas que tenha acertado também as fáceis. 

Notas finais

A previsão para a divulgação dos resultados finais é dia 29 de março. Nessa data os participantes saberão também quanto tiraram na redação. Mas, apenas depois da divulgação do resultado, em data ainda a ser definida, os candidatos terão acesso à correção detalhada da prova de redação

Ao todo, segundo o Inep, cerca de 2,5 milhões de candidatos fizeram as provas este ano, número que representa menos da metade dos participantes inscritos nas provas. O Enem 2020 terá ainda uma versão digital, que será aplicada nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro. 

As notas poderão ser usadas para acessar o ensino superior e participar de programas como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) – que oferece vagas em instituições públicas – Programa Universidade para Todos (ProUni) – que oferece bolsas de estudo em instituições privadas – e, Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), que oferece financiamento a condições mais vantajosas do que as de mercado. 

Logística

Após a aplicação do exame no último domingo (24), começou a chamada etapa de logística reversa. Nela, os chefes de sala conferem os cartões-resposta e as folhas de redação e de rascunho dos candidatos presentes e ausentes. Esse material é colocado em malotes que são enviados para as centrais de correção do consórcio aplicador.

Segundo o Inep, o processo é feito com escolta militar. Os veículos usados no transporte dos malotes são monitorados por satélite e contam com um sistema de segurança máxima da carga transportada. A realização do Enem, antes e após a aplicação, envolve o Exército, a Polícia Civil, Polícia Militar, Bombeiros, a Polícia Federal, as secretarias de Segurança e a Polícia Rodoviária Federal.

Quando recebe os malotes, o consórcio aplicador digitaliza os cartões com as respostas e as folhas de redação. Os arquivos digitalizados das redações são repassados às equipes responsáveis pela correção dos textos. O Inep explica que, para garantir isonomia na correção, as redações são enviadas aos mais de 9 mil corretores sem a identificação dos participantes.

A correção das provas objetivas é feita por meio de uma tecnologia de reconhecimento do cartão-resposta. O cálculo da nota, usando a TRI, é feito pelo consórcio aplicador e pelos pesquisadores do Inep, que também são responsáveis pela conferência e a solução de eventual discrepância.

Reaplicação 

O Enem ocorreu em meio à pandemia do novo coronavírus e, por isso, adotou uma série de medidas de segurança, como o uso obrigatório de máscaras. Os participantes que estivessem com sintomas de covid-19 ou outra doença infectocontagiosa não deveriam comparecer aos locais de prova. Esses estudantes poderão fazer o exame na data da reaplicação, nos dias 23 e 24 de fevereiro.

Para isso, aqueles que ainda não o fizeram têm até o dia 29 para solicitar a reaplicação na Página do Participante. Podem também pedir para participar da reaplicação os candidatos que foram prejudicados por questões logísticas, como falta de água ou luz e aqueles que foram impedidos de fazer o exame porque as salas estavam lotadas e era preciso garantir o distanciamento entre os participantes. Segundo o Inep, isso ocorreu em pelo menos 37 escolas de 11 cidades.

As provas foram canceladas no estado do Amazonas, em Rolim de Moura (RO) e em Espigão D’Oeste (RO) por causa da pandemia. Esses estudantes também deverão fazer o exame na data da reaplicação. Eles não precisarão solicitar a participação. Segundo o Ministério da Educação, foram cerca de 20 ações judiciais em todo o país contrárias à realização do exame.

Fonte: Graça Adjuto A/B

Estudantes podem pedir reaplicação do Enem a partir de hoje

Inep recomenda que pedido seja feito pela internet

Candidatos que não puderam participar do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) por estarem com sintomas de covid-19 ou de outra doença infectocontagiosa e aqueles que não conseguiram fazer as provas por problemas logísticos podem, a partir de hoje (25), pedir para participar da reaplicação do Enem na Página do Participante. O sistema ficará aberto até o dia 29. 

As provas do Enem impresso foram aplicadas nos dias 17 e 24 de janeiro. Nas semanas que antecederam cada uma das aplicações, os candidatos puderam enviar exames e laudos médicos ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Aqueles que ainda não o fizeram poderão, agora, acessar o sistema online. As provas da reaplicação serão nos dias 23 e 24 de fevereiro. 

Além da covid-19, podem solicitar a reaplicação participantes com coqueluche, difteria, doença invasiva por Haemophilus influenza, doença meningocócica e outras meningites, varíola, Influenza humana A e B, poliomielite por poliovírus selvagem, sarampo, rubéola, varicela.

Segundo o Inep, para a análise da possibilidade de reaplicação, a pessoa deverá inserir, obrigatoriamente, no momento da solicitação, documento legível que comprove a doença. Na documentação, deve constar o nome completo do participante, o diagnóstico com a descrição da condição, o código correspondente à Classificação Internacional de Doença (CID 10), além da assinatura e da identificação do profissional competente, com o respectivo registro no Conselho Regional de Medicina (CRM), do Ministério da Saúde (RMS) ou de órgão competente, assim como a data do atendimento. O documento deve ser anexado em formato PDF, PNG ou JPG, no tamanho máximo de 2 MB. 

Problemas logísticos

Também poderão pedir a reaplicação estudantes que tenham sido prejudicados por problemas logísticos. De acordo com o edital do Enem, são considerados problemas logísticos, por exemplo, desastres naturais que prejudiquem a aplicação do exame devido ao comprometimento da infraestrutura do local, falta de energia elétrica, falha no dispositivo eletrônico fornecido ao participante que solicitou uso de leitor de tela ou erro de execução de procedimento de aplicação que incorra em comprovado prejuízo ao participante.

No primeiro dia de aplicação, participantes foram impedidos de fazer o exame por causa da lotação dos locais de prova. Devido à pandemia do novo coronavírus, as salas deveriam ter até metade da lotação máxima. Em alguns locais, não foi possível acomodar os inscritos. De acordo com o Inep, esses casos foram relatados em pelo menos 11 locais de prova em Florianópolis (SC), Curitiba (PR), Londrina (PR), Pelotas (RS), Caxias do Sul (RS) e Canoas (RS). 

Também terão direito à reaplicação os 160.548 estudantes que fariam a prova no estado do Amazonas, 2.863 em Rolim de Moura (RO) e 969 em Espigão D’Oeste (RO). O exame foi suspenso por causa dos impactos da pandemia nessas localidades. Ao todo, segundo o Ministério da Educação, foram quase 20 ações judiciais em todo o país contrárias à realização do Enem.  

Os pedidos de reaplicação serão analisados pelo Inep. A aprovação ou a reprovação do pedido de reaplicação deverá ser consultada também na Página do Participante. Os participantes também podem entrar em contato com o Inep pelo telefone 0800 616161. O Inep recomenda, no entanto, que os candidatos façam a solicitação pela internet. 

Enem 2020

O Enem 2020 tem uma versão impressa, que foi aplicada nos dois últimos domingos, 17 e 24, e uma digital, que será realizada de forma piloto para 96 mil candidatos, nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro. 

O Inep divulgará, até quarta-feira (27) os gabaritos das questões objetivas do Enem. Mesmo com o gabarito em mãos não é possível saber quanto se tirou no exame. Isso porque as provas são corrigidas com base na teoria de resposta ao item (TRI). A pontuação de cada estudante varia, entre outros fatores, de acordo com o desempenho do próprio candidato no exame. 

O resultado final será divulgado no dia 29 de março. Os candidatos podem usar as notas para concorrer a vagas no ensino superior, por meio de programas como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferece vagas em instituições públicas de ensino superior, e o Programa Universidade para Todos (ProUni), que oferece bolsas de estudo em instituições privadas. 

Fonte: Graça Adjuto A/B

Enem 2020: Aulão de revisão ao vivo para segundo dia de provas

O programa é uma iniciativa do Ministério das Comunicações com a Secretaria de Educação do governo do Distrito Federal. 

Milhões de estudantes de todo o país fazem neste domingo (24) a segunda prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Os candidatos poderão fazer uma revisão do conteúdo de ciências da natureza e suas tecnologias e de matemática e suas tecnologias neste sábado (23) no Maratona Enem, ao vivo, das 14h às 18h, pela TV Brasil.

Neste terceiro programa Maratona Enem, os candidatos poderão revisar o conteúdo da segunda prova do exame em aula com tradução simultânea em libras. As aulas serão transmitidas em sinal aberto e fechado de televisão e por streaming no site e nas redes sociais da TV Brasil (YouTube, Facebook e Twitter). Além disso, a Agência Brasil faz a transmissão web ao vivo.

As transmissões contam com um QR Code que direciona os alunos para o repositório online de materiais de apoio relacionados às aulas. Esses conteúdos – resumo teórico do tema e resolução de questões – podem ser baixados pelos estudantes. O programa é uma iniciativa do Ministério das Comunicações com a Secretaria de Educação do governo do Distrito Federal. 

Ao todo, cerca de 5,8 milhões de estudantes estão inscritos no exame. Além da versão impressa, nos dias 17 e 24 de janeiro, o Enem 2020 terá uma versão digital, realizada de forma piloto para 96 mil candidatos, nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro. Estudantes que não puderam fazer as provas por estarem com covid-19 ou outra doença infectocontagiosa prevista no edital, poderão pedir a reaplicação da prova, nos dias 23 e 24 de fevereiro.

TV Brasil transmite o terceiro aulão nos seguintes canais:

Site da TV Brasil  

Facebook TV Brasil

Twitter TV Brasil 

Caiu no Enem

Além do Maratona Enem, a TV Brasil também faz a correção das provas com o especial Caiu no Enem, logo após o horário do exame amanhã, ao vivo, das 19h30 às 21h. O programa traz flashes com a cobertura da avaliação, povo-fala com os candidatos e trechos da coletiva do Ministério da Educação.

Veja a íntegra da edição anterior do Maratona Enem:

Veja as edições anteriores da Maratona Enem aqui e a aqui.

Fonte: Aline Leal A/B