Equipes de inspeção naval fiscalizam Rios de Rondônia

Lancha da Capitania Fluvial vistoria embarcação no Rio Madeira; área de atuação inclui também o Sudoeste do Amazonas.

Oficiais marinheiros são responsáveis pelo despacho antes da partida das embarcações

A Capitania Fluvial de Porto Velho atua nos rios de sua jurisdição procedendo à inspeção naval de cunho administrativo, objetivando a salvaguarda da vida humana, segurança da navegação e o controle da poluição hídrica nas embarcações.

Responsável pela extensão do rio Madeira [o maior afluente da margem direita do rio Amazonas], sua área de atuação de 658,5 mil km² extrapola os limites de Porto Velho. Desde 1º de outubro de 2019, pela Portaria nº 281 assinada pelo Comandante da Marinha do Brasil, a Capitania passou a subordinar as agências de Guajará-Mirim, Boca do Acre (AM) e Humaitá (AM).

Quando solicitadas, equipes de inspetores navais fazem inspeção de rotina em rios do interior do Estado. Despacho é o ato em que toda a documentação é vista antes da partida.

“Além de fiscalizar cotidianamente os rios sob nossa jurisdição, aqui inscrevemos embarcações, fazemos vistorias, e formamos tripulantes profissionais, por meio de cursos e concursos públicos”, informou o comandante, Capitão de Corveta Rodolfo Aurélio Santos Rezende.

Nesta Semana da Pátria, o Comando da instituição militar fluvial divulga o balanço de suas atividades em 2019 e em quase oito meses de 2020. A Capitania despachou até agosto deste ano 1.091 embarcações e caminha para o êxito alcançado em 2019, quando chegou a 1.921. Somente este ano, 5.010 embarcações foram fiscalizadas pelo órgão, que conta com um efetivo de 51 militares.

O garimpo ilegal de ouro também dá trabalho na extensão do Madeira. Durante a Operação Verde Brasil II, de 14 até 24 de julho, militares do 1º Batalhão de Operações Ribeirinhas e do Batalhão de Polícia Ambiental de Rondônia lacraram 86 dragas por falta de inscrição e ausência de documentação.

Nessa operação foram feitas 214 abordagens em embarcações, das quais 60 notificadas e 35 apreendidas por estarem em desacordo com a Lei de Segurança e Tráfego Aquaviário.

Embora sem vínculo com a Capitania, colônias de pescadores na região são orientados a obter a carteira de habilitação profissional e também se beneficiam com o curso para formação de aquaviários.

Durante a pandemia, a Capitania participou de ações de combate à Covid-19, auxiliando a Agência Estadual de Vigilância Sanitária no Terminal Hidroviário da Capital. As atividades acontecem por ocasião da saída das embarcações de Porto Velho e, principalmente, na chegada de diversas embarcações provenientes dos distritos de Rondônia, do Baixo Madeira e de Manaus (AM).

Além das orientações quanto às medidas preventivas da Covid-19, os militares realizam ações de fiscalização do tráfego aquaviário visando garantir a salvaguarda da vida humana nas águas interiores, a segurança da navegação e a prevenção da poluição hídrica.

ORGANIZAÇÃO

A Capitania é subordinada ao Comando do 9º Distrito Naval, em Manaus, organização militar de direção setorial responsável pela Amazônia Ocidental. O 9º DN é comandado atualmente pelo vice-almirante Paulo César Colmenero Lopes.

Originalmente, o antigo Território Federal do Guaporé teve sua primeira Agência da Capitania dos Portos criada pelo Decreto nº 6.530 (11 de novembro de 1940) em Guajará-Mirim, na fronteira brasileira com a Bolívia.

Um ano depois, lembrou o comandante, ela foi transferida para Porto Velho, pelo Decreto nº 8.369 (11 de dezembro de 1941), permanecendo até 1989. Em 23 de fevereiro daquele ano, pela Portaria Ministerial nº 0130 (23 de fevereiro), o Ministro da Marinha criou a Delegacia da Capitania dos Portos do Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima, em Porto Velho.

Já a Portaria Ministerial nº 276 (19 de setembro de 1997) alterou a denominação para Delegacia Fluvial de Porto Velho. Em 1° de outubro de 2019 o Comandante da Marinha, pela Portaria nº 281, elevou-a para Capitania Fluvial de Porto Velho (2ª classe), subordinando-lhe as agências de Boca do Acre, Guajará-Mirim Humaitá.

MISSÃO E FUTURO 

► “Preparar e empregar o Poder Naval, a fim de contribuir para a Defesa da Pátria; para a garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem; para o cumprimento das atribuições subsidiárias previstas em Lei; e para o apoio à Política Externa”.

► “A Marinha do Brasil será uma Força moderna, aprestada e motivada, com alto grau de independência tecnológica, de dimensão compatível com a estatura político-estratégica do Brasil no cenário internacional, capaz de contribuir para a defesa da Pátria e salvaguarda dos interesses nacionais, no mar e em águas interiores, em sintonia com os anseios da sociedade”.

Para contato com a Capitania, o atendimento ao público ocorre de 8h às 16h ,em dias úteis ou através do telefone 3224 6141.

Fonte: Secom-RO

Em jaru, equipes do corpo de bombeiros contém fogo em área urbana

Este é o segundo incêndio em menos de uma semana na região próxima a esse bairros.

Árvore foi atingida pelo fogo na área urbana de Jaru — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação
Árvore foi atingida pelo fogo na área urbana de Jaru

Um incêndio teve início na tarde da última segunda-feira (24) na área urbana de Jaru (RO) e só foi controlado pelo Corpo de Bombeiros no final da noite. O fogo atingiu uma área de 20 mil m² de vegetação e alcançou parte de uma área de preservação permanente.

Ao todo, foram mais de quatro horas de combate ao fogo para impedir que o incêndio atingisse residências nos bairros Luzia Abranges, Cidade Alta e Nova Orleans, além de chácaras e fazendas na região.

Os trabalhos tiveram início em focos localizados próximos a loteamentos para impedir que as chamas chegassem em casas de um residencial. Segundo os militares, por causa do vento, o incêndio que tinha iniciado em plantas rasteiras logo se alastrou e atingiu árvores.

Para combater o incêndio, os bombeiros contaram com todo o efetivo de plantão, além de uma equipe que estava de folga, servidores da prefeitura, dois caminhões pipa e cerca de 18 mil litros de água.

Este é o segundo incêndio em menos de uma semana na região próxima a esse bairros. Ainda não há informações sobre o que teria dado início a queimada.

Fonte: Rede Amazônica

Equipes do Bombeiros continuam na tentativa de controlar fogo no antigo lixão de Ariquemes

Ações de combate às chamas já duram 12 dias.

Maquinário coberto por fumaça durante incêndio em lixão de Ariquemes, RO — Foto: Reprodução/Rede Amazônica
Maquinário coberto por fumaça durante incêndio em lixão de Ariquemes, RO

Conforme o secretário de meio ambiente de Ariquemes, Vilmar Ferreira, máquinas estão no local fazendo o trabalho de aterro. Cerca de 90% dos trabalhos para conter o incêndio no antigo lixão de Ariquemes (RO) no Vale do Jamari, foram concluídos.

O Corpo de Bombeiros da cidade informou que há poucos pontos de fumaça neste momento e as equipes ainda precisam realizar um trabalho final, chamado de rescaldo.

A ações de combate às chamas já duram 12 dias, o fogo começou, provavelmente, depois de um pequeno foco numa vegetação rasteira.

O incêndio começou no dia 5 de agosto, e como o fogo também atingiu o subsolo só a água não foi suficiente para combater as chamas. Por isso é necessária a realização de aterro no local.

O antigo depósito de lixo é próximo a RO-257. Foi desativado em 2012 e durante esses oito anos, toneladas de lixo a céu aberto se acumularam no local. Ao todo, são três hectares de lixo e a fumaça que sai é tóxica.

De acordo com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, será feito um projeto de recuperação da área.

Fonte: Rede Amazônica

Agentes do Decon fiscalizam irregularidades nos Postos de Combustíveis em RO

Equipes da delegacia, pedem a população que continuem denunciando pelos números 197, e 151.

A Delegacia Especializada em Crimes Contra o Consumidor (Decon), retomou na última semana, seu programa de fiscalização aos postos de combustíveis da capital atendendo a denúncias da população contra uma série abusos que vão de reajuste ilegal de preços, passando pela adulteração do produto, aferição irregular de quantidade (litragem), abaixo do normal (legal), e até a falta de emissão de nota fiscal,

De acordo com a delegada da Polícia Judiciária Civil, Noelle Caroline Xavier Ribas Leite, titular da Decon, esta é uma operação completa que envolve, no âmbito de suas atribuições, não só a Polícia Judiciária Civil, mas instituições como o Programa de Orientação e Defesa do Consumidor (Procon), Receita Estadual – Secretaria de Finanças (Sefin) e até a Vigilância Sanitária Estadual, de modo que “estamos ligados e atentos às resoluções de baixa ou de aumento de preços e estamos prontos para fiscalizar, multar e instaurar competentes procedimentos administrativos de Polícia Judiciária”, disse.

Importa esclarecer, de acordo com nota divulgada pela Decon, que desde julho de 2019, a política de preços dos combustíveis passou a ser adotada pela Petrobras nas refinarias, e desde então os preços da gasolina e do diesel estão sendo alterados, às vezes, diariamente.

A Decon que tem realizado um trabalho intenso em apoio aos órgãos de fiscalização e controle, afirma que a adoção da política de flutuação dos preços dos combustíveis acabou criando uma responsabilidade maior para a Delegacia, tendo em vista que, muitas vezes, os preços são reajustados para baixo nas refinarias, com quedas significativas, mas não são repassados aos consumidores, diferentemente de quando ocorre o contrário, quando as refinarias definem a alta nos preços, e estes são imediatamente repassado aos consumidores.

“O reajuste para baixo ou a queda nos preços dos combustíveis nas refinarias demoram muito a chegar – quando chegam – ao consumidor”, situação que exige ação do Poder Público.

Na nota, a delegada Noelle Ribas afirma a Delegacia “está atenta aos preços praticados e não permitirá essa prática criminosa, quer seja por distribuidoras, postos ou ambos, tendo em vista, que o preço de combustível infere diretamente na cadeia de valores dos demais produtos”.

Por fim, a titular da Decon agradeceu a população pela decisão de denunciar à Polícia Civil, pelo 197, e ao Procon, pelo 151, pedindo que continue denunciando, visto que esta decisão é fator essencial ao sucesso das investigações policiais.

Fonte: Secom-RO

Equipes buscam por sobreviventes de explosão que deixou mais de 100 mortos e 4 mil feridos no Líbano

Suspeita é de que a explosão aconteceu em um depósito de nitrato de amônio, um tipo de fertilizante, na zona portuária de Beirute.

Equipes de resgate e agentes de segurança trabalham no local de uma explosão que atingiu o porto de Beirute, Líbano — Foto: Hussein Malla / AP Photo
Equipes de resgate e agentes de segurança trabalham no local de uma explosão que atingiu o porto de Beirute, Líbano

Equipes de resgate buscam nesta quarta-feira (5) desaparecidos após a enorme explosão que devastou a área portuária de Beirute, capital do Líbano. A tragédia de terça-feira (4) deixou mais de 100 mortos, 4 mil feridos e 100 desaparecidos, segundo estimativa da Cruz Vermelha libanesa.

Nesta quarta, ainda há fumaça saindo do local da explosão, segundo a Associated Press. As principais ruas do centro da cidade amanheceram cheias de escombros, com as fachadas dos edifícios destruídas e veículos danificados.

Imagens de drones mostram que a explosão atingiu silos de trigo que ficavam no porto. Estimativas iniciais indicam que cerca de 85% dos grãos do país, que são majoritariamente importados, estavam armazenados nos armazéns que foram destruídos.

A suspeita é que a explosão tenha partido de um armazém que guardava nitrato de amônio, um tipo de fertilizante, com grande potencial explosivo quando exposto a altas temperaturas. O presidente Michel Aoun disse na terça que é “inaceitável” que 2.750 toneladas de nitrato de amônio fossem armazenadas por seis anos em um depósito sem a segurança necessária.

Equipes de resgate e agentes de segurança trabalham no local de uma explosão que atingiu o porto de Beirute, no Líbano, nesta quarta-feira (5)  — Foto: Hussein Malla/AP
Equipes de resgate e agentes de segurança trabalham no local de uma explosão que atingiu o porto de Beirute, no Líbano

Apesar de o país já ter sido alvo de terroristas e viver período de instabilidade política, não há evidência de que se trate de um atentado terrorista.

O primeiro-ministro libanês, Hassan Diab, declarou que o país enfrenta uma catástrofe e declarou luto oficial de três dias. Ele disse também que o governo irá investigar os responsáveis pelo armazém que funcionava no porto da capital desde 2014.

“Eu prometo que esta catástrofe não passará sem que os culpados sejam responsabilizados. Os responsáveis pagarão o preço” – Hassan Diab, primeiro-ministro

O nitrato de amônio se apresenta como um pó branco ou em grânulos solúveis em água e é seguro – desde que não aquecido. A partir de 210 °C, decompõe-se e, se a temperatura aumentar para além de 290 °C, a reação pode tornar-se explosiva.

Um incêndio, tubos superaquecidos, fiação defeituosa ou relâmpagos podem ser suficientes para desencadear tal reação em cadeia.

Ouvida a mais de 200 km

Região da explosão em Beirute, no Líbano — Foto: STR/AFP
Região da explosão em Beirute, no Líbano

A explosão no porto causou destruição em larga escala e quebrou o vidro de janelas a quilômetros de distância. Alguns barcos que navegavam próximos à costa do Líbano chegaram a ser balançados pela força da explosão. As explosões chegaram a ser ouvidas em Larnaca, no Chipre, a pouco mais de 200 km da costa libanesa.

Uma embarcação da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL) foi danificada após a explosão no porto. Em um comunicado, os capacetes azuis informaram que alguns membros da missão de paz se feriram e foram transferidos para hospitais do país.

Pessoas feridas depois de explosão em Beirute, Líbano — Foto: Hassan Ammar/AP
Pessoas feridas depois de explosão em Beirute, Líbano

Após a explosão, barcos foram mobilizados para resgatar pessoas que foram jogadas ao mar, segundo a Cruz Vermelha.

A emissora libanesa LBCI informou que o hospital Hôtel-Dieu de France, no centro da capital libanesa, atendeu a mais de 500 feridos. O governo da capital pediu que os feridos fossem levados para atendimento em centros de saúde de fora da cidade.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que a explosão “se parece com um terrível ataque” e disse que seu país está pronto para ajudar. E o Itamaraty disse em nota que o Brasil se solidariza com as vítimas da explosão no porto de Beirute.

Enfermeiro cuida de mulher ferida em explosão na zona portuária de Beirute, no Líbano — Foto: IBRAHIM AMRO/AFP
Enfermeiro cuida de mulher ferida em explosão na zona portuária de Beirute

Emmanuel Macron, presidente da França, disse em uma rede social que vai enviar voluntários da defesa civil e médicos “o mais rapidamente” para apoiar os hospitais do Líbano no atendimento aos feridos em Beirute.

O primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison disse, em entrevista ao Channel 4 que há ao menos um australiano entre os mortos e que a Embaixada do país foi “fortemente comprometida”.

Homem ferido é examinado por um bombeiro perto do local da explosão em um porto de Beirute nesta terça (4) — Foto: Anwar Amro/AFP
Homem ferido é examinado por um bombeiro perto do local da explosão em um porto de Beirute

Embarcações brasileiras

Contra-almirante afirma que nenhum militar brasileiro se feriu em explosão no Líbano
Contra-almirante afirma que nenhum militar brasileiro se feriu em explosão no Líbano

A Marinha do Brasil informou que a Fragata Independência que integra a Força Tarefa Marítima (FTM) da Missão Interina das Nações Unidas no Líbano (Unifil), havia deixado o Porto de Beirute pela manhã e, no momento da explosão, operava no mar. Já a Fragata Liberdade estava distante 15 km do local da explosão.

Nenhuma das embarcações foi atingida e ninguém ficou ferido.

Os militares brasileiros integrantes da Unifil e que trabalham na sede da missão, na região de Naqoura, não foram atingidos e estão bem.

A esposa de um oficial da Aeronáutica, que exerce a função de Adido de Defesa, Naval, do Exército e Aeronáutico do Brasil no Líbano, teve ferimentos leves por estar próxima a uma janela atingida pela explosão, mas passa bem.

Fonte: G1

Equipes do DER fazem limpeza das margens da RO-010

Trabalhos são executados pelas equipes das 14 Residências Regionais e as quatro Usinas de Asfalto.

A equipe da Regional do Departamento de Estradas de Rodagem e Transportes (DER) em Rolim de Moura trabalhou, no último sábado e domingo (1º e 2), na roçagem da vegetação às margens das rodovias RO-010 (pavimentada), saindo de Rolim de Moura e chegando até a linha 164, próximo ao município de Novo Horizonte do Oeste.

De acordo com o gerente da usina de Asfalto de Rolim de Moura, o engenheiro civil Henrique Sesana, os trabalhos de roçagem às margens da rodovia 010 deverão ser concluídos no próximo final de semana.

“Essa é uma das medidas preventivas para melhorar as condições de visibilidade da malha viária e evitar acidentes. Uma preocupação e determinação do governador coronel Marcos Rocha, para que as rodovias sejam recuperas, proporcionando maior segurança para todos que trafegam. Uma rodovia em boa qualidade de trafegabilidade é sinônimo de escoamento da produção agrícola e chegada segura ao destino em menor tempo, seja para passeio ou trabalho. A limpeza da vegetação às margens das rodovias proporcionará uma maior visibilidade para nossos motoristas”, informou o diretor-geral do DER, Elias Rezende.

Equipes vem realizando serviços de manutenção e recuperação das rodovias estaduais. Os trabalhos são executados pelas equipes das 14 Residências Regionais e as quatro Usinas de Asfalto do DER, entre eles: Operação tapa-buracos e reciclagem de trechos das rodovias estaduais pavimentadas, a partir da base e sub-base. Recuperação e construção de pontes.

Fonte: DER

DER antecipa cronograma e inicia recuperação da RO 387 que liga Espigão ao Pacarana

Obras estavam previstas para início de agosto, mas foram antecipadas para atender à solicitação do parlamentar

O Departamento de Estrada de Rodagens (DER), por meio do diretor adjunto, Major Eder, informa que as maquinas da 4ª residência do DER/Cacoal deram início a recuperação dos 82 km da RO 387. Conhecida como Rodovia Lúcia Tereza, a estrada liga o município de Espigão do Oeste ao distrito de Boa Vista do Pacarana.
De acordo com o Major Eder, os maquinários foram deslocados para o atendimento do pedido encaminhado por Anderson Pereira e inicialmente está sendo feito a limpeza, posteriormente o cascalhamento e compactação. A obra já estava no cronograma do DER, marcado para o próximo dia 3 de agosto, porém, o diretor geral, Elias Rezende, pediu agilidade na realização do serviço.


Anderson Pereira reforçou a importância das benfeitorias na rodovia, que serve de corredor para escoamento de produções agrícolas de famílias que habitam na área há muitos anos e agradeceu a equipe técnica do DER, bem como o diretor Elias e o adjunto, major Eder, por atender com agilidade mais um pedido de sua autoria.

Fonte: DER

DER executa problemas em antigo trecho da RO-383 que liga Alta Floresta ao distrito de Nova Gease

Além do levantamento do eixo da pista com aterro, o DER construiu dreno na lateral da pista para comportar o transbordo do rio no período do inverno amazônico

O Departamento Estadual de Estradas de Rodagem e Transportes (DER-RO), segue trabalhando a todo vapor nos quatro cantos do Estado. Na região da zona mata, a equipe da 5ª Residência Regional do DER, em Rolim de Moura, executa serviços na Rodovia 383 (linha 47,5) no trecho que interliga Alta Floresta do Oeste ao distrito de Nova Gease, sendo elogiados pelos moradores da região.

Segundo o secretário-executivo , Adeilso da Silva, o governo de Rondônia, ao tomar conhecimento do problema, de imediato determinou que fosse realizado todo o planejamento e a execução dos serviços definitivos. “O diretor-geral do DER, Elias Rezende, não mediu esforços e neste trecho do quilômetro 30, foram aproximadamente 500 metros de aterro compactado com rolo compactador pé de carneiro, com elevação do eixo da pista em mais de dois metros de altura. Além disso, a equipe do DER está instalando tubos de aço corrugados e utilizando a escavadeira hidráulica para o dreno na lateral da pista para comportar o transbordo do rio”.

O vice-governador, José Jodan, destacou que toda a RO-383 passou por uma transformação. “A rodovia possuía uma grande concentração de pedras pontiagudas na superfície e o DER trabalhou diuturnamente para melhorar a trafegabilidade, garantindo melhor conforto e segurança”.

A 5ª residência Regional do DER também realizou os serviços de elevação e rebaixamento de greide da pista em pontos específicos; encascalhamento (revestimento com material de jazida); reconformação da plataforma (patrolamento); limpeza lateral de vegetação com motoniveladora; e instalação de tubos de drenagem em diversos pontos da rodovia.

Fonte: DER

Equipes do DER iniciam recuperação na RO-267 e RO-135 em Castanheiras

Os serviços contam também Máquinas e homens da 4ª Usina de CBUQ de Rolim de Moura e da 5ª Residência Regional 

O Departamento Estadual de Estradas de Rodagem e Transportes (DER) iniciaram, na quarta-feira (22), os serviços de manutenção e recuperação com asfalto CBUQ (concreto betuminoso usinado a quente) na Rodovia 267, iniciando no trevo da Rodovia-479  até a Rodovia-135, dando continuidade até o perímetro urbano do município de Castanheiras.

O secretário-executivo do Governo de Rondônia na Regional em Rolim de Moura, Adeilso da Silva, acompanhado por Ezequiel Marcos Cassol, da 5ª Residência Regional do DER, estive in loco acompanhando os trabalhos iniciais de fresagem e reenquadramento dos buracos da Rodovia.

O gerente da Usina de Asfalto de Rolim de Moura, engenheiro Henrique Sesana, explica que a fresagem é a remoção de pavimentos deteriorados antes da execução de um novo revestimento asfáltico. Além disso, a equipe está realizando a limpeza das sarjetas.

Adeilso da Silva explica que essa é uma determinação do governador coronel Marcos Rocha, que as rodovias estaduais sejam recuperadas o mais breve possível para garantir a trafegabilidade com segurança da população e o escoamento da produção. “O governador determina que os serviços sejam executados com celeridade, mas sempre visando a economia e a qualidade do trabalho realizado. O diretor-geral do DER, Elias Rezende, tem essa preocupação e conheceu a realidade quando cumpriu agenda na região da Zona da Mata”, finalizou.

Fonte: DER

Equipes do DER realizam melhorias em Rodovias de Theobroma, RO

Além da pavimentação no perímetro urbano, foram realizados os serviços de recuperação de 110 quilômetros do asfalto na RO-133, de Machadinho d’Oeste, passando pelo Vale do Anari até Theobroma na RO-464.

O Departamento Estadual de Estradas de Rodagem e Transportes (DER-RO), tem trabalhado para garantir melhores resultados nas ações de manutenção das rodovias que encontram-se sob responsabilidade do Estado, prova disso, foi a força-tarefa de pavimentação do perímetro urbano da rodovia 464 em Theobroma, município de grande importância econômica para a região.

Os trabalhos estão sob a responsabilidade da Usina de Asfalto do DER em Jaru, o gerente responsável pelas frentes de serviço nas rodovias pavimentadas da região, João Paulo Ribeiro, informou que, no total, serão aplicadas 1.100 toneladas de massa asfáltica e, para que os serviços ganhem intensidade, 13 maquinários e uma equipe completa de 15 pessoas estão trabalhando na execução.

Estradas, Transportes, Serviços Públicos - Equipe da Usina de ...
Equipes do DER

Cumprindo a determinação do governo do estado de garantir os melhores resultados fazendo bom uso dos recursos públicos, o diretor-geral do DER, Elias Rezende, acompanhou a execução dos trabalhos in loco. “Estamos aqui para conferir de perto o início dos trabalhos, como também, conhecer os integrantes das equipes, as técnicas e a qualidade dos serviços executados pela Usina de Asfalto. Contamos com a presença dos coordenadores de Operações e Fiscalização (COF), Adriano Fortunado, e das Usinas de Asfalto (Cousa), Sávio Ricardo Bezerra. O nosso objetivo principal é de padronizar as ações, para que todas as regiões recebam serviços de qualidade.

O trabalho iniciado hoje, em Theobroma, é um sonho antigo da população. Com certeza, o Governo do Estado está garantindo mais infraestrutura, beneficiando, também, milhares de pessoas, sem falar no fomento econômico para Theobroma e municípios vizinhos, que está sendo garantido com esse trabalho”, diz o diretor-geral do DER

Presente na execução dos trabalhos, o prefeito de Theobroma, Claudiomiro Alves, disse que a realização dos trabalhos é motivo de comemoração para o município que receberá mais conforto na trafegabilidade da população.

OUTROS SERVIÇOS

Além da pavimentação no perímetro urbano de Theobroma, a Usina de Asfalto de Jaru realizou os serviços de recuperação de 110 quilômetros do asfalto na RO-133, de Machadinho d’Oeste, passando pelo Vale do Anari até Theobroma na RO-464.

Fonte: DER

%d blogueiros gostam disto: