Fiuza escancara a demagogia dos 500 economistas e banqueiros que assinaram carta contra Bolsonaro (veja o vídeo)

Eu tô custando a acreditar, mas é isso que eu estou encontrando”, declara.

No programa “Os Pingos nos Is”, da Jovem Pan, de segunda-feira (22), o jornalista e comentarista político, Guilherme Fiuza, escancara toda a demagogia da carta – assinada por 500 economistas e banqueiros – contra o presidente Jair Bolsonaro e as medidas dele no combate à pandemia da Covid-19.

“O quê que é pra fazer, prezados nobres ilustres economistas da elite intelectual brasileira, a quem o país deve? Sem nenhuma ironia. O quê que é para fazer, meus caros? Não podem se juntar 500 pessoas num documento retórico. Eu tô custando a acreditar, mas é isso que eu estou encontrando”, declara, indignado.

“Vocês se juntaram, 500 pessoas, algumas delas, ilustres, que estão na história do Brasil pra sempre pra retórica contra o ‘bolsonarismo’? Não é possível! É muita desilusão!”, lamenta.

“Vamos colocar as coisas nos seus lugares: é pra ‘plantar’ vacinas na Casa das Garças, na PUC? Onde é que é pra ‘plantar’ vacinas? (…) Qual é o ‘coelho’ que vocês vão tirar da cartola, queridos iluminados, pra acelerar a vacinação?”, questiona.

“O (atual) presidente do Banco Central do Brasil foi eleito pelo Grupo Financial Times o melhor Central Banker do mundo de 2020. Inclusive, por conta de política creditícia. O Ministério da Economia organizou o auxílio emergencial, uma das maiores políticas sociais que esse país já viu. Para chegar aos dezenas de milhões de ‘invisíveis’ contra esse lockdown desvairado. É isso que vocês estão defendendo, prezados luminares? É um lockdown desvairado ou é só um panfleto contra o Bolsonaro, contra o fascismo?”, finalizou.

Confira o vídeo:

Fonte: JCO

%d blogueiros gostam disto: