Polícia Civil deflagra operação tucano contra esquema de tráfico de drogas em Ji-Paraná

A equipe ainda encontrou cerca de 11kg de maconha enterrados no fundo do quintal em Ji-Paraná, RO

A polícia civil de Rondônia desmontou um esquema de tráfico de drogas na região central do estado. Três pessoas foram presas no último fim de semana durante a “Operação Tucano” em Ji-Paraná (RO). A ação também acontece nesta segunda-feira (1º).

A investigação começou após a prisão de um ex-candidato a vereador, de 38 anos. Ele foi encontrado com um quilo de maconha dentro da cueca. O nome do político não foi divulgado pela polícia. De acordo com o inquérito, ele também fazia parte da organização criminosa que vendia drogas na cidade.

Na operação Tucano dois mandados de busca e apreensão foram expedidos. No último sábado (27) a primeira ordem judicial foi cumprida em uma casa. No local, os policiais encontraram 11 quilos de maconha enterrados no fundo do quintal. Dois jovens de 25 e 23 anos foram presos em flagrante.

Cerca de 11kg de maconha estavam enterrados no fundo do quintal em Ji-Paraná, RO — Foto: Polícia Civil/Reprodução
Cerca de 11kg de maconha estavam enterrados no fundo do quintal em Ji-Paraná, RO

Já o segundo alvo da operação estava em um bar. De acordo com os agentes, no estabelecimento, foram encontradas dezenas porções de drogas e vários utensílios usados para fabricação de entorpecentes. Um homem de 36 anos foi preso.

Conforme as investigações esse homem é considerado líder de uma facção criminosa e era responsável pelo fornecimento de drogas na região central do estado de Rondônia, abastecendo Ji-Paraná, Jaru e arredores.

Há fortes indícios que os jovens presos na operação faziam parte do grupo criminoso e atuavam em conjunto.

Fonte: G1/RO

PF desarticula esquema de exploração ilegal de diamantes em terras indígenas em RO

São expedidos mandados de busca e apreensão em 8 estados.

Extração ilegal de diamantes na Terra Indígena Cinta Larga em Rondônia  — Foto: PF/Divulgação
Local onde acontece extração ilegal de diamantes próximo a Espigão D’Oeste em Rondônia

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (24) a Operação Crassa contra exploração ilegal de diamantes na Terra Indígena Cinta Larga e na Reserva Roosevelt em Rondônia. No total são cumpridos 53 mandados de busca e apreensão no interior de Rondônia, São Paulo, Roraima, Paraná, Piauí, Mato Grosso, Minas Gerais e Distrito Federal.

As pedras preciosas, segundo a PF, são retiradas ilegalmente e passam por avaliação de intermediário até serem vendidas em joalherias — principalmente em São Paulo e no exterior, em países como França, Itália e Suíça.

O esquema, segundo a investigação que começou em 2018, movimenta cerca de US$ 20 milhões por mês.

Os diamantes da reserva estão entre os considerados como mais valiosos do mundo. Entre os alvos da operação estão lideranças indígenas, garimpeiros, intermediários e empresários.

De acordo com a investigação da PF, esses líderes autorizavam a entrada de garimpeiros na reserva. Depois, um intermediador fazia a ponte com um comprador.

Segundo a PF, o trabalho investigativo começou em 2018, com a prisão em flagrante de três pessoas em posse de diamantes. Eles haviam se deslocado de São Paulo a Rondônia para adquiri-las. Na ocasião, admitiram que os diamantes eram da Reserva Roosevelt.

Durante as apuração do esquema foram identificadas as participações de garimpeiros, lideranças indígenas, financiadores do garimpo, avaliadores, comerciantes e intermediadores que estabelecem a conexão entre os fornecedores e o mercado consumidor nacional e internacional.

Entre os crimes investigados estão organização criminosa, usurpação de bens da União e lavagem de dinheiro.

Fonte: G1/RO

%d blogueiros gostam disto: