Fale conosco pelo WhatsApp(69) 99916-3250

Hospital de Base realiza exames preventivos na carreta do Hospital do Amor para profissionais da unidade

Exames como preventivos e mamografias estão disponíveis, A ideia é promover o bem estar das profissionais de saúde que exercem suas atividades no hospital.

Triagem das servidoras na carreta do Hospital do Amor para realização dos exames preventivos ao câncer de mama

No mês alusivo à prevenção do câncer de mama, com a Campanha Outubro Rosa, as servidoras do Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro, iniciaram na terça-feira (13) exames de mamografia e preventivo na carreta do Hospital do Amor.

A ideia de promover o bem estar das profissionais de saúde que exercem suas atividades na unidade veio por parte da direção geral e saúde do trabalhador, pensando em facilitar o acesso e conscientizar sobre a importância da prevenção do câncer de mama, que é uma das doenças mais letais para a saúde feminina.

A enfermeira Marlede Sá acrescenta “é importante nesse momento de pandemia trazer o serviço mais próximo às nossas servidoras que estão na linha de frente, assim atuaremos na prevenção e detecção de doenças de forma precoce”.

A expectativa é da realização de 80 exames preventivos e 70 mamografias, durante os dois dias (13 e 14 de outubro) de trabalho dos profissionais do Hospital do Amor.

A diretora geral da unidade Raquel Gil destaca que “esses exames de prevenção, que estão sendo realizados com o Hospital do Amor, fazem parte das ações em alusão ao Outubro Rosa, que visa a prevenção do câncer de mama para com as nossas servidoras”.

Fonte: Sesau

Rede pública de saúde conta com testes rápidos para doenças sexualmente transmissíveis

Os exames podem ser feitos gratuitamente na rede pública, o processo é rápido e os resultados dos testes são revelados em menos de 30 minutos

Uma parceria entre os governos federal, estadual e municípios de Rondônia disponibiliza na rede pública de saúde testes rápidos para a detecção de diversas doenças sexualmente transmissíveis. Com a pandemia do novo coronavírus e o isolamento social, a procura pelos testes tem diminuído, mas a importância de procurar por este serviço é constante e não pode ser deixada de lado.

É por isso que, rotineiramente, o Governo de Rondônia envia para todas as cidades do estado os testes de HIV, sífilis e hepatites B e C. Toda a população rondoniense tem acesso ao serviço e pode procurar as unidades básicas de saúde de seus municípios para a realização dos testes.

Tanto os exames de HIV, sífilis e hepatites B e C devem ser feitos quando a pessoa se expõe a situações de risco, como praticar sexo sem camisinha

Na região do Café, a distribuição dos exames é feito pela 2ª Gerência Regional de Saúde em Cacoal. Todos os seis municípios da regional, Ministro Andreazza, Pimenta Bueno, Espigão D’Oeste, Primavera de Rondônia, São Felipe D’Oeste e Cacoal, oferecem os exames na rede municipal. O processo é rápido e simples e os resultados dos testes são revelados em menos de 30 minutos.

Tanto os exames de HIV, sífilis e hepatites B e C devem ser feitos quando a pessoa se expõe à situações de risco, como praticar sexo sem camisinha, ou ainda compartilhamento de seringas, agulhas, lâminas de barbear, alicates de unha e outros objetos que furam ou cortam.

É importante destacar que a sífilis tem cura e existe uma vacina para prevenir a hepatite B. Mas muito mais do que isso, a preocupação com a saúde, tomar os cuidados necessários para evitar o contágio ou a transmissão de doenças sexualmente transmissíveis e a busca por exames e tratamento o quanto antes possível é uma responsabilidade individual e necessária.

“Fazer o teste e saber o resultado é um passo decisivo tanto para a saúde da própria pessoa como de seus companheiros. É uma responsabilidade de cada indivíduo. Em caso de resultado positivo, os pacientes são encaminhados para iniciar o quanto antes o tratamento nos serviços de referência”, destaca o gerente regional de saúde em Cacoal, Jair José da Rocha.

“O governo do Estado, por meio da Sesau (Secretaria de Estado da Saúde), não só disponibiliza o teste rápido para a detecção destas doenças, como oferece o tratamento e todo o acompanhamento do paciente, através da parceria com o governo federal e municípios. É uma ação conjunta para garantir a saúde da população, mas isso deve partir de cada pessoa. Cabe ao cidadão procurar pelo serviço que está à sua disposição”, disse o  gerente regional de saúde.

Fonte: Sesau

Planos de saúde terão que cobrir testagem para coronavírus

Cobertura vale para paciente que apresentar sintomas de gripe ou quadro de síndrome respiratória.

Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) incluiu nesta segunda-feira (29) o teste sorológico para o novo coronavírus na lista de coberturas obrigatórias dos planos de saúde. A medida foi publicada hoje no Diário Oficial da União e passa a valer imediatamente.

A inclusão do teste teste sorológico no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde atende à decisão judicial dada em Ação Civil Pública movida pela Associação de Defesa dos Usuários de Seguros, Planos e Sistemas de Saúde (Aduseps), de Pernambuco.

Agora, o exame pode ser feito sem custo extra, contanto que haja requisição feita por um médico. Para encaminhamento, o paciente tem que ter apresentado sintomas de quadro gripal ou síndrome respiratória. 

Desde de março, os planos de saúde eram obrigados a cobrir o exame RT-PCR, que identifica a presença do material genético do vírus, com coleta de amostras da garganta e do nariz. Mas o teste não consegue detectar infecções em estágio inicial ou depois da cura da doença.

Com a medida anunciada hoje, a gama de testes se complementa com os sorológicos, que detectam a presença dos anticorpos IgA, IgG ou IgM no sangue do paciente, produzidos pelo organismo após exposição ao vírus.

Como a produção de anticorpos no organismo leva alguns dias para ser detectada pelo exame, o teste sorológico só é indicado após o oitavo dia de início dos sintomas.

Outros seis tipos de exame que ajudam no acompanhamento dos pacientes estão previstos legalmente, mas pacientes relatam dificuldade a terem acesso aos exames.

A mudança determinada hoje era ensaiada desde março pelo Ministério da Saúde. Naquela ocasião, o então secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, disse que os planos poderiam cobrar pelo teste pois o procedimento não estava no rol de cobertura obrigatória, mas que as empresas seriam obrigadas a bancar os testes.

Com a determinação da ANS, o procedimento tem cobertura obrigatória nos planos da categoria ambulatorial, hospitalar e referência. A agência também alerta que o “teste sorológico é de uso profissional e sua execução requer o cumprimento de protocolos e diretrizes técnicas de controle, rastreabilidade e registros das autoridades de saúde”.

Quem pode fazer o teste

  • Clientes de planos de saúde ambulatoriais, hospitalares e referência.
  • É necessária uma requisição de um médico para realização do exame.
  • Pacientes com sintomas de quadro gripal, como febre ou estado febril, tosse, dor de garganta, coriza e dificuldade respiratória.
  • Pacientes com sintomas de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), como desconforto respiratório ou dificuldade para respirar, pressão persistente no tórax, saturação de oxigênio menor do que 95% em ar ambiente ou coloração azulada dos lábios ou rosto.

Fonte: G1

Fiocruz e Lacen ampliam resultado rápido de covi-19 em Rondônia

Parceria é para reduzir o tempo de espera dos resultados de exame.

Exame de Covid-19 em RO

Desde que começou a realizar os exames específicos para o diagnóstico do novo coronavírus, no dia 19 de março, o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) já liberou aproximadamente 18 mil resultados para Covid-19.

Antes de serem realizados em Rondônia, esses exames eram feitos na Fundação Oswaldo Cruz no Rio de Janeiro, e no Instituto Adolfo Lutz (IAL), em São Paulo. As amostras coletadas em Porto Velho e no interior do estado eram encaminhadas, uma vez por semana, o que acabava atrasando a entrega dos resultados.

Diante da crescente demanda, a Fiocruz RO firmou parceria com o Lacen para dar suporte às atividades de diagnóstico de Covid-19, além de dar encaminhamento a projeto de pesquisa voltado à caracterização e identificação do vírus Sars-CoV-2, circulante na região.

A colaboração efetiva permitiu o envio de profissionais qualificados em Biologia Molecular, que, inicialmente, contribuiriam no diagnóstico, mas devido ao aumento dos casos de Covid- 19 em Rondônia, esses profissionais passaram a integrar a rotina do Laboratório de Vírus Respiratórios, alguns de forma voluntária e outros por meio de contrato, distribuídos em três turnos.

A pesquisadora em Saúde Pública, Deusilene Vieira, chefe do Laboratório de Virologia Molecular da Fiocruz RO, informou que foram disponibilizados equipamentos para a ampliação do diagnóstico. Como alternativa para o aumento do quantitativo de amostras avaliadas diariamente, a Fiocruz RO propôs padronização do diagnóstico da Covid-19 em outros aparelhos de Real Time PCR, em especial o Rotor-Gene.

Para Aline Linhares Mendonça, assessora técnica do Lacen, essas ações refletem diretamente no aumento da capacidade analítica diária do estado de Rondônia, “ou seja, mais exames podem ser realizados, além de verificarmos expressiva redução no tempo de espera dos resultados desses exames”.

A diretora do Lacen, Cicileia Correia da Silva, destacou a parceria como estratégica para o fortalecimento das ações epidemiológicas e diagnósticas frente às necessidades dos pacientes que são atendidos no Sistema Único de Saúde (SUS), em Rondônia.

Fonte: Secom-Ro