Bolsonaro vai se submeter à sétima cirurgia após facada

Trata-se de mais uma correção de hérnia após a facada que ele sofreu em setembro de 2018, durante a campanha eleitoral 

O presidente Jair Bolsonaro informou, na noite de sexta-feira (16), que vai passar por nova cirurgia para corrigir uma hérnia. Trata-se da sétima operação de Bolsonaro após a facada que ele sofreu em setembro de 2018, durante a campanha eleitoral. A confirmação de que o presidente terá de ser mais uma vez internado ocorreu durante conversa com apoiadores, na entrada do Palácio da Alvorada.

“É verdade que o senhor vai passar por uma nova cirurgia?”, perguntou um eleitor bolsonarista. “Está muito curioso, hein, cara?” respondeu Bolsonaro. “Eu estou ficando muito barrigudo aqui. Acho que vai ser lipoaspiração. Pega mal, né? Botox. É ou não é? Pega mal”, afirmou, rindo.

Foi então que ele admitiu a necessidade de nova intervenção. “Talvez, neste ano, mais umazinha aí. Mas é tranquilo, hérnia. Eu tenho uma tela aqui na frente, está saindo o bucho pelo lado. Então, tenho que botar uma tela do lado também”, comentou. 

Após sofrer uma facada de Adélio Bispo, Bolsonaro passou por uma cirurgia em Juiz de Fora (MG), onde estava fazendo campanha para a Presidência. Quarenta e oito horas depois, ele teve de ser submetido a uma operação para reconstrução do trânsito intestinal. Há quase dois anos, o presidente também retirou uma hérnia que se formou na cicatriz da cirurgia no intestino. Em setembro do ano passado, removeu um cálculo na bexiga.

Na conversa com apoiadores, Bolsonaro repetiu que será o último a tomar a vacina contra covid-19. Aos 66 anos, o presidente já poderia ter sido vacinado há 15 dias, sem furar fila. A imunização de idosos nesta faixa etária, no Distrito Federal, começou no último dia 3, chegou a ser suspensa 48 horas depois, por falta de doses, mas foi retomada.

“Deixa as pessoas tomarem na minha frente. Eu vou vacinar, mas por último”, disse Bolsonaro. “Tem muita gente apavorada, aguardando a vacina. Tem gente que não sai de casa”, emendou o presidente, que é crítico de medidas de isolamento social para conter a disseminação do coronavírus.

Fonte; R7

Deficiente visual leva facada de cunhado durante briga em reunião de família

Vítima teria tentado defender a irmã de agressões do cunhado. Homem foi levado ao hospital de Ariquemes.

Um homem de 29 anos, que segundo a Polícia Militar é cego, levou uma facada no pescoço na última sexta-feira (25) durante uma briga com um cunhado. O caso aconteceu em Cacaulândia (RO).

Segundo informações do boletim de ocorrência, a vítima contou que estava com a família na casa do cunhado quando se iniciou uma discussão entre o suspeito e uma irmã da vítima, que também tem deficiência visual.

Para defender a irmã, o homem de 29 anos deu início a uma luta corporal com o cunhado, que estava com um canivete em mãos. Familiares conseguiram retirar o canivete das mãos do suspeito, mas ele se armou com uma faca de cozinha e ameaçou a vítima de morte, chegando a atingir a lateral do pescoço do cunhado.

Nesse momento, familiares saíram para buscar socorro e a polícia foi acionada. Quando os agentes chegaram no local, testemunhas seguravam o agressor e outras socorriam a vítima ao pronto socorro.

O suspeito recebeu voz de prisão, tentou agredir um policial e foi imobilizado e algemado. A vítima foi encaminhada ao município de Ariquemes (RO) devido os ferimentos.

Fonte: G1/RO

Acusado de matar filho de jornalista vai a júri popular em Porto Velho

Alberto era filho do Jornalista Paulo Andeoli, dono do site Rondoniaovivo.

O caso aconteceu em abril deste ano, vítima foi morto a facadas.

João Luiz da Silva Filho, acusado de matar, em abril deste ano, Alberto de Carvalho Andreoli vai a júri popular de acordo com decisão da Justiça Estadual. O crime aconteceu no dia 12 de abril deste ano, no bairro Embratel, em Porto Velho. Alberto era filho do Jornalista Paulo Andeoli, dono do site de notícias Rondoniaovivo.

O acusado foi preso ainda na noite do crime e a denúncia do Ministério Público (MP-RO) foi aceita pela Justiça no dia 4 de maio. Dez testemunhas foram ouvidas durante a fase de instrução do processo, que teve o autos recebidos na quinta-feira (17) pelo MP.

João Luiz responde por homicídio qualificado por motivo fútil porque, segundo apurado nas investigações, Alberto, de 31 anos, teria sido morto por ter quebrado um capacete do agressor. Além disso, o réu é acusado de usar recurso que dificultou defesa da vítima e matá-la por meio cruel.

Conforme a denúncia do MP, “ao ver a vítima no chão já sem reação, segurou-a pelos cabelos e começou a esfaquear a vítima por cerca de dois minutos, aumentando inutilmente o sofrimento dela, revelando uma brutalidade fora do comum e em contraste com o mais elementar sentimento de piedade”, destacou a acusação.

Conforme a ocorrência policial, a vítima foi morta com 10 facadas, que atingiram o tórax, barriga e perna. Câmeras de segurança filmaram a ação e fazem parte do processo criminal. O então suspeito fugiu do local usando uma motocicleta, mas foi localizado e preso pouco tempo depois do homicídio.

A partir da publicação da sentença de pronúncia, defesa e acusação devem apresentar as testemunhas para depor em plenário e, em seguida, o juiz deve determinar a inclusão do julgamento em pauta.

Fonte: G1/RO

%d blogueiros gostam disto: