Manifestantes de Cujubim protestam e fecham parcialmente a BR-364 em RO

O grupo estaria protestando contra ações da Secretaria Estadual de Meio Ambiente feitas na região.

Uma manifestação fechou parcialmente a BR-364, desde às 5h desta terça-feira (22), na altura do trevo de Cujubim (RO), a cerca de 50 quilômetros de Ariquemes (RO).

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), que está no local, o movimento é do sindicato dos produtores rurais de Cujubim e há cerca de 50 pessoas na rodovia. O grupo estaria protestando contra ações da Secretaria Estadual de Meio Ambiente feitas na região de Cujubim.

A PRF diz que inicialmente houve a interdição total da rodovia, de modo pacífico, e o trânsito chegou a ser interrompido.

“Agora, veículos de emergência, cargas perecíveis e transporte de passageiros têm passagem liberada. Outros tipos de veículo permanecem no bloqueio, sendo liberados, aproximadamente, de hora em hora”, diz a PRF.

Fonte: G1/RO

Grupo de manifestantes fecham BR-364 entre Rondônia e Acre

Moradores de Vista do Abunã pedem a saída dos fiscais da região, que atuam no combate de crimes ambientais.

A BR-364 foi fechada por manifestantes, no fim da manhã desta quarta-feira (9), no perímetro do distrito de Vista Alegre do Abunã, em Porto Velho, perto da divisa entre Rondônia e Acre.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) confirmou o fechamento da rodovia, mas diz desconhecer o que o grupo está reivindicando. Viaturas foram enviadas ao local para tentar conversar com os organizadores e assim liberar o tráfego de veículos.

Moradores fecham BR-364 no distrito de Vista Alegre do Abunã
A Polícia Militar (PM) também acompanha a manifestação pacífica na BR-364.

De acordo com um dos manifestantes do grupo, o fechamento da rodovia é organizado por moradores de Vista do Abunã e seria contra ações de fiscalização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) na região.

Os manifestantes pedem a saída dos fiscais da região, que atuam no combate de crimes ambientais.

A Polícia Militar (PM) também acompanha a manifestação pacífica na BR-364, que já registra mais de um quilômetro de congestionamento.

Fonte: G1/RO

Crise leva ao fechamento de 40% dos restaurantes de comida a quilo

Número de estabelecimentos caiu de 200 mil para 120 mil no país

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) estima que 40% dos restaurantes especializados em comida a quilo fecharam no país devido à crise econômica causada pela pandemia de covid-19. O Brasil tinha cerca de 200 mil estabelecimentos desse tipo, e a estimativa atual é de que esse número tenha caído para 120 mil.

Nas regiões com grande concentração de escritórios, as medidas de restrição e o grande número de pessoas em  trabalho remoto reduziram o movimento nos estabelecimentos de refeição rápida. Segundo a Abrasel, os restaurantes por quilo ou self-service, que tinham grande procura antes da crise,  atualmente têm menos de 10% do movimento pré-pandemia.

O empresário Renato Rezemini fechou as portas do restaurante por quilo que tinha em um bairro comercial na zona sul de São Paulo, mas conseguiu manter outro estabelecimento à la carte, em que os clientes escolhem os pratos em um cardápio, mas o movimento ainda é baixo. “Eu tinha uma média de 350, 400 refeições por dia; hoje eu faço 40 refeições por dia, incluindo as entregas. Praticamente inviável, todo mês a gente cava mais um pouco do buraco, entra mais um pouco no negativo”, lmentou.

Rezemini disse que o serviço de entregas não resolve o problema dos restaurantes, especialmente aqueles localizados em bairros comerciais, onde a circulação de pessoas diminuiu muito devido ao trabalho remoto. “Então, não tem pra quem entregar”, acrescentou.

O setor de serviços tem sofrido os impactos das incertezas relacionadas ao avanço da pandemia e à necessidade da quarentena,para manter tanto as portas abertas quanto os empregos. De acordo com a Abrasel, as dificuldades devem permanecer mesmo depois da pandemia. “Dependendo da situação, do capital de giro que tinha, da sua capacidade, isso aí vai de três a cinco anos”, disse o presidente do Conselho de Administração Abrasel, Joaquim Saraiva.

A Abrasel informou que cerca de 335 mil bares e restaurantes encerraram as atividades definitivamente no país, considerando todos os segmentos, com uma extinção de 1,3 milhão de postos de trabalho. Ainda segundo a associação, só no estado de São Paulo, 50 mil estabelecimentos fecharam as portas definitivamente durante a pandemia, sendo 12 mil apenas na capital paulista, também levando em conta todos os segmentos.

“O setor de bares e restaurantes é um dos que mais contam com pequenos empreendedores no país e, destes, a maioria está endividada. Muitos estabelecimentos são pequenos negócios e até mesmo negócios familiares, o que dificulta a renegociação de dívidas e a quitação de pendências fiscais”, ressaltou o economista Thomas Carlsen, cofundador da Mywork, startup especializada em gestão de departamento de pessoal para pequenas e médias empresas.

Manter seu restaurante durante a pandemia está sendo extremamente difícil para a empresária Maria Teresa Dias: “A gente está em uma área estritamente comercial, só tem escritório e lajes corporativas, e as empresas não estão trazendo os funcionários [para trabalho presencial].” Com a clientela atual, disse Maria Teresa, não é possível pagar as contas como antes. A empresária conseguiu negociar com o proprietário do imóvel e não está pagando o aluguel do restaurante neste momento. Um acordo com seus funcionários também gerou economia, com o objetivo de evitar demissões.

Maria Teresa lembrou que, antes da quarentena, às quintas-feiras, atendia cerca de 550 pessoas. Na última quinta, porém, atendeu apenas 36. “Na sexta-feira, eu tinha fila de espera aqui para entrar no restaurante. Quinta e sexta-feira eram os meus melhores dias. E hoje eu estou fechada na sexta-feira, porque não tenho cliente.”

Para Carlsen, o fechamento de portas não representa apenas um encolhimento na economia, mas também a extinção de milhões de postos de trabalho, o que só aumenta as taxas de desemprego no país. “A sobrevivência de restaurantes por quilo e de tantos outros empreendimentos do setor depende diretamente da aceleração da vacinação”, acrescentou.

Fonte: Agência Brasil

Bolsa tem forte alta e fecha no segundo melhor nível do ano

Dólar iniciou semana em queda, mas permanece acima de R$ 5,30

Impulsionada pelo mercado externo e por ações de bancos, a bolsa de valores iniciou a semana com forte alta e fechou no segundo melhor nível do ano. O dólar seguiu o desempenho internacional e caiu nesta segunda-feira (24), mas permanece acima de R$ 5,30, num dia de baixo volume de negociações.

O índice Ibovespa, da B3, fechou o dia aos 124.032 pontos, com alta de 1,17%. O indicador está no maior nível desde 8 de janeiro, quando tinha encerrado aos 125.077 pontos. Apesar da queda da cotação internacional do minério de ferro, que está no menor nível em 20 dias, a bolsa foi beneficiada pelas ações de bancos e pela alta nas bolsas norte-americanas.

No mercado de câmbio, a retomada do otimismo internacional, após dias de tensão, contribuiu para a queda da moeda norte-americana. O dólar comercial encerrou esta segunda vendido a R$ 5,325, com recuo de R$ 0,029 (-0,53%). Na mínima da sessão, por volta das 12h, a cotação chegou a R$ 5,31.

Em maio, a bolsa acumula alta de 4,32%; e o dólar, queda de 1,98%. No ano, o Ibovespa registra valorização de 4,21%, e a moeda norte-americana acumula alta de 2,62%.

Nas últimas semanas, o mercado financeiro global tem vivido momentos de altas e baixas provocados pela expectativa de recuperação da economia norte-americana. No início da pandemia de covid-19, o Federal Reserve (Fed, Banco Central norte-americano) reduziu os juros básicos da maior economia do planeta para uma faixa entre 0% e 0,25% ao ano.

Os Estados Unidos voltaram a crescer em 2021, com ajuda dos estímulos econômicos e da vacinação em massa. No entanto, a divulgação de que a inflação dos Estados Unidos encerrou abril no maior nível para o mês em 12 anos elevou as expectativas de que o Fed aumente os juros antes de 2023. Juros mais altos em economias avançadas pressionam o dólar e a bolsa em países emergentes, como o Brasil.

* Com informações da Reuters

Fonte: Agência Brasil

Veja o que abre no feriado de “Nossa Senhora Auxiliadora”, padroeira da capital rondoniense nesta segunda (24)

O feriado que tinha sido antecipado em Abril altera o funcionamento de vários serviços na cidade nesta segunda-feira.

O Dia de Nossa Senhora Auxiliadora, padroeira de Porto Velho, é comemorado na segunda-feira (24). Por conta da pandemia, a prefeitura antecipou o feriado para 11 de abril a fim de minimizar os impactos na economia local. Apesar da antecipação, o feriado municipal altera o funcionamento de vários serviços na cidade.

Veja o que abre e o que fecha na segunda (24):

  • Repartições públicas

Conforme a prefeitura de Porto Velho, o expediente nas repartições públicas municipais da capital será normal devido a antecipação do feriado. Em algumas repartições municipais serão organizados turnos de revezamento para que não haja interrupção nos serviços prestados.

nos órgãos estaduais, o feriado foi mantido e não haverá atendimento na segunda. A retomada ocorre na terça (25).

  • Vacinação

De acordo com a prefeitura, a vacinação contra a Covid-19 deve continuar normalmente na segunda-feira para pessoas com comorbidades de 45 anos ou mais (no Campus 1 da faculdade Uniron) e para pessoas com idades entre 45 e 64 anos com HIV (no local onde é feito o tratamento contra a doença).

  • Comércio

De acordo com a prefeitura, em razão da antecipação da data comemorativa, o comércio vai funcionar normalmente durante o dia 24.

  • Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO)

O atendimento no TJ será suspenso em Porto Velho e Vilhena (RO) por conta do feriado. De acordo com a prefeitura da capital, o prédio e os fóruns de justiça terão atendimento de regime de plantão.

  • Ministério Público de Rondônia (MP-RO)

O MP não terá expediente ao público na segunda-feira, retornando na terça (25).

  • Tribunal Regional Federal (TRF-RO)

O TRF não fará atendimento ao público na segunda-feira (24).

  • Tribunal de Contas Estadual (TCE-RO)

Também não haverá expediente no TCE na segunda (24).

Fonte: G1/RO

Lua Minguante em Aquário – Fechamento da Lunação de Áries

Aquário pede um pensamento focado e estratégico, momento de preparar o solo para a próxima safra

Dia 03 de maio de 2021, teremos a Lua Minguante por volta dos 13º graus do signo de Aquário. E o que representa uma lua minguante? Bem falando sobre um ciclo, todo ciclo tem o seu início, o seu apogeu e a sua finalização, e geralmente na finalização é o momento de recolhimento, de reflexão e análise. No reino vegetal isto é bem perceptível, a seiva das plantas vai para as raízes, se fortalecem para voltar com vigor na lua nova. E essa lua minguante em aquário está nos pedindo que avaliemos as metas que conseguimos alcançar nesse período, que analisemos o que precisamos fazer para termos mais êxitos em nossos objetivos e, o porquê que algumas sementes não brotaram e alguns frutos não vingaram. Para que com base nesse estudo, possamos nos planejar para o futuro, traçar estratégias, nos organizar para o próximo plantio. Aquário pede um pensamento focado e estratégico, momento de preparar o solo para a próxima safra, pois aquário tem um ar futurístico.

Numerologicamente, maio sendo o mês 5, do ano 5, (5 + 5 = 10 = 1), temos no ar a energia da direção, da originalidade, da perseverança. E nesse dia 03, marcado pela entrada da lua minguante, no mês e ano 5, temos como resultado o número 13 = 4. O 4 nos remete ao recolhimento, lembramos logo do ano passado que foi o ano 4, mas, o 4 também está ligado ao trabalho, que é tão necessário para a preparação do solo do novo plantio, que requer esforço, como também requer que estejamos sincronizados com a natureza, pois quando conectados a essa rede cósmica é fácil acharmos o jeito de navegar nessas ondas magnéticas. O 4 é regido pelo planeta Urano e o signo de aquário também, ou seja, conforme podemos ler na simbologia do signo de aquário, a Inovação está sendo derramada para nós aqui na Terra.

Sendo um dia 3, que representa a criatividade e relembrando que a síntese da data de hoje (3 + 5 + 5 = 13 = 4), assim o 3 também está no resultado desta data, junto ao 1, de onde vem o 4 (13). É possível desvendar que para esse momento, é propício fazer um planejamento inovador com criatividade, direção e foco. E também não podemos esquecer que estamos dentro de uma lunação de áries, que foi marcada pela energia feminina. Então vamos usar o nosso intelecto, a mente inovadora, e alinhar com o coração para expressar com criatividade os sentimentos virtuosos que nele habita, e dessa forma, fortalecer nossa estrutura física, mental e emocional.

Esse 13 tem também uma ligação com a cura, então vamos nos abraçar, sentir nossa vibração, nos harmonizar, curar as feridas das batalhas que cruzamos nessa lunação, expurgar o que ainda precisa sair, para assim nessa viagem introspectiva, nos encontrarmos na dimensão mais profunda do nosso ser e voltarmos à superfície revigorados, fortalecidos e com inspirações inovadoras e criativas de mudanças.

E deixo uma dica astrológica, já que esse 13 está presente tanto na astrologia como na numerologia, quem tiver seu mapa astral à mão, olhe em que casa está o signo de aquário no grau 13, e o grau anterior e posterior a ele, pois, naquele setor será onde você precisa dar mais atenção e trazer a cura nessa lunação. E vamos com alegria, pois como diz o Almir Sater: “Azul do céu brilhou e o mês maio enfim chegou; olhos vão se abrir pra tanta cor, é mês de maio, a vida tem seu esplendor…” Então nesse tempo de ser sonhador ou sonhadora, vamos perseverar e continuar trabalhando em prol do nosso bem-estar e do bem-estar coletivo, pois Urano rege as massas.

Por Isabel Cavalcante*

*Isabel é portovelhense e atualmente vive em Gainesville – Florida, Estados Unidos  

Companhia aérea chinesa fecha as portas a passageiros do Brasil

Decisão fecha uma das poucas alternativas de viagem entre os 2 países

A companhia aérea chinesa China Southern Airlines deixou de transportar passageiros do Brasil com destino à China, “de acordo com as necessidades de prevenção e controle da pandemia” de covid-19. Considerando que não existe atualmente qualquer ligação direta entre o Brasil e a China, a decisão fecha mais uma das poucas alternativas para viajar entre os dois países.

Em comunicado, a empresa diz que a suspensão “temporária” abrange todos os passageiros, incluindo cidadãos chineses, que pretendem viajar do Brasil para a China por meio de outro país.

Vinte e cinco países já constam da lista de proibições da companhia aérea sediada em Guangzhou, incluindo Moçambique.

A China Southern Airlines opera voos regulares entre a capital francesa, Paris, e Guangzhou, capital de Guangdong, província no sul da China próxima a Macau.

A companhia aérea de bandeira chinesa Air China já tinha suspendido, em setembro passado, as operações na rota que ligava a cidade brasileira de São Paulo à capital chinesa, Pequim, por meio da capital espanhola, Madri.

A suspensão esteve inicialmente em vigor até o final de março, mas foi prolongada pelo menos até 30 de junho.

A retomada dos voos depende da situação da pandemia no Brasil, disse a Air China.

Chinês infectado 

A cidade de Xangai, no leste da China, registrou um caso importado de covid-19 de um cidadão chinês procedente do Brasil, anunciou nessa quarta-feira (28) a Comissão da Saúde de Xangai.

Segundo comunicado, o homem viajou, passando pela Suíça, e desembarcou em Xangai na segunda-feira (26), tem sido colocado em isolamento por um período obrigatório de quarentena.

O chinês desenvolveu sintomas de covid-19 e acabou por ter resultado positivo no teste para o novo coronavírus, estando atualmente em tratamento num hospital de Xangai.

Fonte: Agência Brasil

O fechamento das igrejas e Templos Religiosos

Qual é o verdadeiro objetivo e o que está por trás disso?

Nestes tempos em que muitos estão passando por algum sofrimento devido à atual situação, seja pela perda de um ente querido, pela falta de recursos ou pelo aumento do medo e ansiedade, observamos uma verdadeira batalha sendo travada contra as Igrejas e Templos. Neste momento, você pode estar se perguntando: mas o que uma coisa tem a ver com a outra?

Desde que a doença começou a demonstrar seus efeitos, medidas foram tomadas por governadores e prefeitos e, em alguns casos, observamos resultados desastrosos obtidos através de decretos que levaram pessoas à fome, depressão e miséria.

A fórmula adotada uniu o medo, a supressão de direitos e a opressão de quem pensa diferente, criando um caos social que, provavelmente, possui um único objetivo. Em meio a esta grande turbulência, não há dúvida de que uma boa parte da população se mantém firme através da fé, buscando alento junto a seus sacerdotes.

Então, qual seria a melhor forma de “quebrar as pernas” de quem ainda se mantém de pé? Bingo!

Já dizia Gramsci:

“O mundo civilizado tem sido saturado com cristianismo por 2000 anos, e um regime fundado em crenças e valores judaico-cristãos não pode ser derrubado até que suas raízes sejam cortadas.”

Muitos se questionam e vão até as mídias sociais de políticos para perguntar por que não se preocupam com ônibus e metrôs lotados, bailes funk e pontos de tráfico, ao invés de manterem as Igrejas fechadas. Mas esta não é a questão, visto que, a intenção por trás do fechamento dos templos vai muito além do controle do vírus. Esta é apenas uma das formas de implementar um desastroso regime conhecido por muitos, onde Deus é o Estado, fazendo com que o homem deixe de lado a Lei Natural e, consequentemente, suas virtudes, incluindo a coragem, para se tornar um servo daqueles que se encontram no poder.

Alguns se utilizam de artimanhas abusando de versículos bíblicos para tentar convencer os fiéis de que não há necessidade de ir à Igreja. Outros, nos chamam de genocidas por colaborar com a propagação do vírus. Um argumento pífio, quando paramos para pensar durante um momento e lembramos o que ocorre nos mercados, bancos, entre outros estabelecimentos, lembrando que os locais de culto estão funcionando com apenas 25% de sua capacidade. O fato é que estar em uma Igreja para receber a sagrada Comunhão, confessar, ouvir a Palavra, chorar por nossas perdas, gera uma sensação de conforto e nos oferece a força necessária para enfrentar mais um dia.

O Brasil, como a Polônia, é um país majoritariamente cristão, fato este que se demonstra como um grande obstáculo para o estabelecimento de um regime revolucionário. Por isso, não devemos deixar de lutar pela nossa fé, pois, apenas dessa forma, iremos garantir um futuro em que nossos filhos e netos poderão desfrutar de sua liberdade.

Por Claudia Roberta Sies Kubala

Agências do INSS ficarão fechadas onde feriados foram antecipados

Portaria prevendo a medida foi publicada no Diário Oficial desta segunda (29). Decisão foi tomada para combater a pandemia

As agências do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) não abrirão nas cidades em que os governos locais anteciparam feriados e pontos facultativos, como medida de combate à pandemia. A portaria prevendo a medida foi publicada no DOU (Diário Oficial da União) desta segunda-feira (29).

Em nota publicada na sexta-feira (26), o instituto informou que suspenderia o atendimento presencial em São Paulo e no Rio de Janeiro até 1º de abril, seguindo os decretos locais de antecipação de feriados.

O instituto informou também que está entrando em contato com os segurados que tinham atendimento agendados para o período, para reagendar o horário. No entanto, alerta que alguns contatos podem ser inviabilizados devido a desatualizações nos cadastros.

“Caso não receba nenhuma ligação do instituto, o segurado que possui horário agendado de 26 de março a 1º de abril deve ligar para o telefone 135 e remarcar o atendimento. O INSS orienta os segurados a não se dirigirem às agências durante esse período”.

Norte e Centro-Oeste

“Já nas localidades onde vigore decreto municipal/estadual determinando fechamento do comércio e outras atividades para ampliar o isolamento social e conter o avanço da covid-19, o INSS analisará pontualmente a situação de cada unidade para determinar a manutenção ou não dos atendimentos”, complementa a nota ao informar que, em todas suas unidades, o INSS tem adotado protocolos de proteção e prevenção ao contágio.

Canais remotos

O INSS lembra que boa parte dos serviços oferecidos pode ser acessada por meio de canais remotos de atendimento como o Portal Meu INSS (aplicativo e site) e a Central Telefônica 135.

Pelo Portal Meu INSS, o cidadão pode requerer benefícios, emitir extratos, cumprir exigências e agendar atendimento presencial. Pelo telefone 135, entre outros serviços é possível fazer inscrição na Previdência Social, obter orientações, esclarecer dúvidas, solicitar benefícios e agendar atendimento presencial.

As unidades em São Paulo e Rio de Janeiro suspenderão o serviço Exigência Expressa durante o período de fechamento de suas unidades. Esse serviço possibilita, ao segurado que já fez algum requerimento, entregar cópias de documentação complementar, por meio do depósito em urnas localizadas em frente às agências.

“Os segurados que precisarem apresentar documentação complementar nesse período podem anexar cópias digitalizadas dos documentos solicitados no Portal Meu INSS”, esclarece o instituto.

Fonte: R7

Prefeitura de Ariquemes fecha academias, escolas, bares em novo decreto de medidas

O novo decreto  fecha parte do comércio e impõe toque de recolher após 20h.

A Prefeitura de Ariquemes (RO) publicou nesta sexta-feira (26) um decreto com medidas mais rígidas de restrição de circulação e de funcionamento de serviços com objetivo de diminuir o contágio pelo coronavírus na cidade. As medidas valem por 14 dias.

O decreto assinado pela prefeita Carla Redano (Patriota) prevê a proibição do atendimento ao público em todos os estabelecimentos comerciais considerados não essenciais.

Supermercados, padarias, açougues, hospitais, clínicas, laboratórios, farmácias, borracharias, postos de combustíveis, oficinas, bancos, lotéricas, funerárias, hotéis e clínicas veterinárias poderão atender com até 30% da capacidade máxima de ocupação. Os serviços de fora dessa lista poderão atender por delivery.

Toque de recolher

Conforme o decreto, a circulação de pessoas fica restrita nos espaços e vias públicas entre 20h e 6h, ressalvados caso de extrema necessidade como entrega de medicamentos, alimentos até 0h, profissionais de imprensa, circulação de ambulâncias, trabalhadores de serviços essenciais, mototáxis, táxis e motoristas de aplicativo. As pessoas que circularem nesses casos precisam portar declaração.

Veja outras medidas:

  • Cartórios extrajudiciais, escritórios de advocacia e contabilidade poderão realizar serviços internos e atendimentos remotos;
  • Restaurantes poderão vender alimentos já embalados para retirada ou entrega, sem causar aglomeração;
  • Balneários, bares, boares, clubes e casas de show ficam proibidos de funcionar;
  • Velórios só podem acontecer durante o dia, com caixão fechado, presença de até 5 pessoas e duração de duas horas;
  • Clínicas veterinárias deverão realizar atendimentos exclusivamente de urgência e emergência;
  • Proibição de aulas presenciais em todos os níveis (escolas poderão ter rotinas internas para produção de conteúdo e entrega de atividades);
  • Proibição do consumo de bebidas alcoólicas em qualquer horário nos estabelecimentos que vendam esses produtos e proibição do delivery dessas bebidas entre 20h e 6h;
  • Serviço de entrega de alimentos e bebidas não alcoólicas pode acontecer até 0h.

O documento diz que a atual situação “demanda o emprego urgente de medidas de prevenção, controle e contenção de riscos, danos e agravos à saúde pública”. Outras justificativas para o decreto são: o aumento exponencial de casos de Covid-19 no município nas últimas semanas e a escassez de leitos para atender aos pacientes com a doença.

Uma comissão de fiscalização foi instituída formada por integrantes da Guarda Municipal, fiscais sanitários, fiscais ambientais, fiscais tributários e fiscais urbanos. Há a previsão de aplicação de multas a pessoas físicas e jurídicas através de documento de arrecadação municipal.

Fonte: G1/RO