Fale conosco pelo WhatsApp(69) 99916-3250

Feiras e mercados de Porto Velho continuam atividades

As feiras municipais estão na lista de atividades essenciais e seguem funcionando com os cuidados necessários

A Prefeitura de Porto Velho, por meio da Subsecretaria Municipal de Serviços Básicos vai manter o funcionamento das feiras livres e dos mercados municipais durante o novo isolamento social, de acordo com a portaria conjunta n° 11, de 29 de junho, que retornou o município de Porto Velho à Fase I do Decreto Estadual 25.138, com relação ao funcionamento de serviços essenciais.

A partir quarta-feira de ontem (1º), as medidas sanitárias devem ser cumpridas rigorosamente nas feiras livres e nos mercados municipais, mas ficando proibido consumo de alimentos no local e fica permitido apenas a venda de frutas, verduras, carnes e gêneros alimentícios.

Feiras continuaram a atender população cumprindo os cuidados das medidas

Segundo o subsecretário municipal de Serviços Básicos, Rainey Viana, “servir e manipular comida no local continuam proibidos. Além disso, todos devem usar máscara e disponibilizar álcool em gel para os frequentadores. As bancas continuam padronizadas no tamanho de 3 metros e os corredores entre elas também continuam mais largos e mais arejados, tudo focado no cuidado à saúde das pessoas”.

De acordo com Viana, as medidas sanitárias devem ser obedecidas para evitar a disseminação do novo coronavírus por todos os feirantes e frequentadores dos locais. Nesse período, o horário de funcionamento das feiras é das 7h às 13h e dos mercados municipais, das 7h às 14h.

Fonte: Comdecom

Governo publica orientações para funcionamento de feiras livres em todo Estado

As recomendações são da Agência Estadual de Vigilância em Saúde com regras e orientação sobre seu funcionamento e condutas obrigatórias.

O governo de Rondônia por meio da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), num esforço ampliado para reduzir o índice de incidência de contaminação pelo novo coronavírus e retorno das atividades no estado como por exemplo, as feiras livres. Divulgou a Nota-Técnica-28-FEIRAS-LIVRES, dirigida a todo segmento das feiras, com regras e orientação sobre seu funcionamento e condutas obrigatórias dos feirantes.

O documento oficial tem o fim direto de orientar e recomendar ações de boas práticas de manipulação direcionadas aos produtores e agricultores familiares (feirantes), que vendem suas mercadorias em feiras livres e similares, como mais uma estratégia de ação do Governo de Rondônia no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus (covid-19), válida para todo território rondoniense, enquanto vigorar as regras do distanciamento social controlado impostas pelo Decreto nº 25.049/2020.

A Nota Técnica prevê o uso de máscaras e de todos os equipamentos de proteção individual (EPI) para feirantes e clientes nos ambientes das feiras

RECOMENDAÇÕES AOS FEIRANTES

Ao todo são 18 recomendações aos feirantes no seu ambiente de trabalho, entre elas que as bancas sejam instaladas em locais amplos, e de preferência em local aberto para manter um bom fluxo de ar; distanciamento de no mínimo dois metros entre as barracas e em relação ao feirante e o cliente, utilizando para isso faixas e fitas de demarcação, para evitar qualquer risco de aglomeração de pessoas; além da disponibilização álcool em gel para uso dos feirantes e dos clientes, entre outras importantes medidas de prevenção prescritas no documento.

Da mesma forma a Agevisa detalha uma série de outras recomendações aos feirantes, mas de caráter pessoal, como utilizar Equipamentos de Proteção Individual (EPI) tais como máscara, touca, avental, calça comprida e sapato fechado, que devem ser higienizados de acordo com suas características, sempre utilizando água e sabão e álcool a 70%.

A Agência de Saúde de Rondônia lembra e recomenda também aos feirantes da importância fundamental de seguir com o trabalho adotando hábitos saudáveis, mantendo, por exemplo, as unhas curtas, bem aparadas e sem esmaltes. Orienta também que ao tocar e manipular os alimentos devem manter rigor absoluto para não conversar, espirrar, tossir, cantar ou assoviar em cima dos alimentos, superfícies ou utensílios, para evitar qualquer possibilidade de contaminação.

AFASTAMENTO DA ATIVIDADE

Assinada pela diretora-geral da Agevisa, Ana Flora Gerhardt, a Nota Técnica também prevê medidas práticas para atender ao feirante que “apresentar qualquer tipo de sintoma de síndrome respiratória – tosse, febre, coriza, dor de garganta, falta de ar e outros -, independente de pertencer a algum grupo de risco (1) ou que tenha contato direto com pessoas do chamado grupo de risco, devendo ser afastado das atividades e permanecer em isolamento domiciliar por um período de 14 dias (quatorze) ou mais, assim como, os familiares ou amigos que tiveram contato com o mesmo, principalmente por conta do risco de contaminação comunitária …”

Assim, para que as ações de saúde – orientação e tratamento – sejam tomadas com critério e no devido tempo, o feirante que apresentar Síndrome Gripal (SG), deve seguir as recomendações das autoridades de saúde por meio dos telefones 0800 642 5398 ou 3901 8501 – Call Center Governo de Rondônia – ou Disque Coronavírus do Município.

Na verdade, são muitas as orientações da Agevisa dirigidas aos ambientes das feiras, aos feirantes e às pessoas que frequentam (clientes) as feiras livres em todo Estado de Rondônia. Assim, é importante que todos esses atores (pessoas envolvidas) conheçam o pleno teor da Nota Técnica 28/2020, para continuar trabalhando com segurança, com os menores riscos de contaminação pela covid-19.

Fonte: Agevisa

Feiras livres em Porto Velho voltam as atividades

Apesar de maior flexibilização nas atividades, o cumprimento das medidas sanitárias deve ser rigorosamente obedecido

Feira livre bairro Jardim Eldorado

A Prefeitura de Porto Velho, por meio da Subsecretaria Municipal de Serviços Básicos (Semusb), informa que com o fim do isolamento restritivo anunciado pelo Governo de Rondônia, a feiras livres voltam a funcionar a partir desta terça-feira (16), com a feira que acontece no bairro Eldorado, na zona Sul da cidade.

De acordo com o diretor do Departamento de Posturas Urbanas da Semusb, Christian Lima, apesar de o prefeito Hildon Chaves autorizar uma maior flexibilização em relação às atividades comerciais dentro da feira, o cumprimento das medidas sanitárias para evitar a disseminação do novo coronavírus deve ser obedecido rigorosamente por todos os feirantes e frequentadores.

Por outro lado, servir comida no local e manipulação de alimentos na feira continuam proibidos. Além disso, todos devem usar máscara e disponibilizar álcool em gel para os frequentadores.

“Como o governador já anunciou a reabertura do Shopping e lojas, nós também vamos permitir o comércio de confecções e artesanatos, inclusive atendendo solicitação dos feirantes, já que a venda desses produtos, não essenciais, foi suspensa desde o início da pandemia”, informa, acrescentando mais uma vez que todos devem seguir as regras para evitar contaminação.

Christian também informa que as bancas continuam padronizadas no tamanho de três metros e que os corredores entre elas também continuam mais largos e mais arejados, tudo focado no cuidado da saúde das pessoas.

Fonte: Comdecom