Fale conosco pelo WhatsApp(69) 99916-3250

Saúde e diretoria discutem sobre melhorias no atendimento do Hospital João Paulo II

Uma das melhorias é na parte interna do Pronto Socorro.

Secretário Fernando Máximo mantém reunião com diretoria do João Paulo II

O Hospital e Pronto Socorro João Paulo II foram pautas da reunião ocorrida na na manhã desta segunda-feira (21). O secretário de Estado da Saúde (Sesau), Fernando Máximo, e o diretor geral da Unidade Hospitalar, Amaury Junior, se reuniram para debaterem ações que possam possibilitar melhorias na área interna do Hospital e Pronto Socorro João Paulo. Na ocasião foram apresentadas ao gestor da pasta algumas atuações já implantadas dentro do hospital, entre elas a parte organizacional.

Além das ações feitas na unidade durante essa nova gestão, o diretor do João Paulo II, Amaury Junior, pontuou importantes demandas a serem estudadas, como a superlotação, que desde o início da gestão vinha sendo controlada, porém com a pandemia, os hospitais de retaguarda, como o Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro e Santa Marcelina tiveram que receber pacientes acometidos pela Covid-19 e menos pacientes do JPII.

“Atualmente temos uma estrutura da parte administrativa, dentro do preconizado pelo Conselho Regional de Medicina (CRM), respeitando a resolução 2147/2016, na qual descreve a estrutura que uma unidade hospitalar deve obedecer em termo de organização médica, entre elas, diretor técnico, diretor clinico, e comissão de ética. Esta resolução descreve as funções de cada cargo e suas respectivas obrigações. Pode-se dizer que o JP II basicamente não possuía tal estrutura organizacional. Então uma das ações implementadas nesses seis meses de nova gestão foi organizada conforme exige o Cremero (Conselho Regional de Medicina do Estado de Rondônia)”, destacou Diego Almeida, diretor técnico do Hospital João Paulo II.

Ainda de acordo com o diretor técnico, a unidade atualmente possui um documento que é obrigatório, denominado “Regime Interno do corpo clínico”, no qual descreve o regime de funcionamento da unidade com relação à equipe médica, os serviços oferecidos, delimitando a função de cada servidor na linha de cuidado ao paciente.

Outro ponto importante implantado na unidade foi o prontuário eletrônico, que já existia no Estado, mas não no JP II. “Fizemos uma transição nos últimos quatro meses muito importante com relação ao uso desse prontuário. Hoje todos os profissionais utilizam 100%, o que facilita a prescrição eletrônica, a guarda dos dados do paciente, dando maior segurança e nos dá um controle muito maior ao estoque de medicamentos e insumos da farmácia.

O Pronto Socorro João Paulo II tem 30 anos. A unidade foi inaugurada em 1984, com o intuito de atender os funcionários da Empresa Eletronorte, encarregados da construção da Usina Hidrelétrica de Samuel. “A estrutura está velha, por mais reparos que façamos durante esses 30 anos era para termos um novo hospital. O telhado é antigo, e com fortes chuvas ocorrem infiltrações, estamos estudando a melhor forma de fazer os reparos. Nossa equipe de engenheiros irão estudar para que possamos resolver essa problemática que não é de hoje”, ponderou Fernando Máximo.

Participaram ainda da reunião a diretora adjunta do Pronto Socorro João Paulo II, Andreia Prestes, e a diretora executiva da Sesau, Amanda Diniz.

Fonte: Sesau

Secretário Fernando Máximo é internado na UTI, após piora em quadro de Covid em Porto Velho

Secretário de saúde informou nesta semana em uma Rede Social que havia testado positivo para doença e que estava cumprindo quarentena em casa.

O secretário Estadual de Saúde de Rondônia, Fernando Máximo, foi internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em Porto Velho na sexta-feira (10), após ter seu quadro respiratório agravado em decorrência do coronavírus. A informação foi confirmada pela pasta por meio de postagem em uma rede social.

No comunicado, a Sesau cita que o Máximo “já estava tomando antibióticos, soro por via venosa e vinha apresentando falta de ar”. Apesar da internação, o quadro clínico do secretário é estável.

Em breve live no Facebook na noite desta sexta-feira, o governador de Rondônia, Coronel Marcos Rocha, também confirmou que Fernando Máximo está internado e bem.

Segundo o chefe do estado, o médico que acompanha o secretário orientou que ele fosse internado por causa da falta de ar. Marcos Rocha disse ainda que Máximo não está entubado e que segue sendo medicado.

“Todos que querem o bem das pessoas, que orem por ele, por todas as pessoas acometidas por essa doença. Orem pelo doutor Fernando Máximo e pela família dele. Fernando, logo logo você estará recuperado disso. Pode ter certeza”, declarou o governador.

Nesta semana, Máximo anunciou em suas redes sociais o diagnóstico positivo ao vírus Sars-Cov-2. Em um vídeo postado no Instagram, Fernando Máximo afirmou estar bem clinicamente,

“Chegou a hora de cuidar também da minha saúde, testei positivo para coronavírus. Com fé em Deus, em breve estarei recuperado e de volta ao front de batalha para cuidar da saúde do nosso povo. Por enquanto, trabalhando em casa nas orientações, nos planejamentos”, escreveu.

No mesmo vídeo, o secretário de saúde destacou os bons resultados das ações do estado no combate da pandemia de Covid-19 e também sobre a cura de alguns pacientes no Hospital de Campanha, em Porto Velho.

O secretário também informou que estava tomando medicamentos para tratar o coronavírus, que sairia da linha de frente do combate à Covid-19 e ficaria isolado em casa.

Fonte: G1/RO

Secretário Fernando Máximo é diagnosticado com Covid-19

Máximo confirmou em suas redes sociais. Em vídeo, secretário falou com respiração ofegante.

O secretário estadual de Saúde, Fernando Máximo, anunciou no fim da manhã desta terça-feira (7) que testou positivo para o novo coronavírus. A informação foi divulgada pelo próprio secretário através de suas redes sociais.

“Chegou a hora de cuidar também da minha saúde, testei positivo para coronavírus. Com fé em Deus, em breve estarei recuperado e de volta ao front de batalha para cuidar da saúde do nosso povo. Por enquanto, trabalhando em casa nas orientações, nos planejamentos”, escreveu.

Em um vídeo postado no Instagram, Máximo afirmou estar bem clinicamente, mas falou com uma respiração ofegante durante toda a gravação (assista abaixo).

Chegou a hora de cuidar também da minha saúde, testei positivo para Coronavírus. Com fé em Deus, em breve estarei recuperado e de volta ao front de batalha para cuidar da saúde do nosso povo. Por enquanto, trabalhando em casa nas orientações, nos planejamentos… #DeusNosLivreDesseVirus @celmarcosrocha @jairmessiasbolsonaro @goncalvesjr7 @sesau_ro @larafplm @amandadiniz02 @adriana.larissa @neto.ribeiro.127 @naygomss @sheinaribeiro @rickyereperez @henriquefuruno @dralexeiandrade @deborahpereiradanelussi @taniatmoreira @renatabeccaria @luananajaraleoni @tatimontenegrols @aglaenepatricia.adv @isabelaluzzz

No mesmo vídeo, o secretário de Saúde destacou os bons resultados das ações do estado no combate da pandemia de Covid-19 e também sobre a cura de alguns pacientes no Hospital de Campanha, em Porto Velho.

O secretário disse já estar tomando medicamentos para tratar o coronavírus e, enquanto se trata nos próximos dias, vai sair da linha de frente do combate à Covid-19. “Ficarei aqui de casa desenvolvendo projetos”, diz.

Fonte: Rede Amazônica

Senador Marcos Rogério quer saber quem está mentindo: Marcos Rocha ou Fernando Máximo

Parlamentar queria destinar R$ 30 milhões para combate ao coronavírus, mas foi ignorado

Está comprovado que o governador Marcos Rocha (PSL) está muito mal assessorado, tem sérios problemas de memória ou realmente está muito parecido com o ex-presidente Lula: nada sabe, nada viu. Mas para o senador Marcos Rogério (DEM) o problema do governador é outro, porque o chefe do Executivo estaria “entocado”, em quarentena desde que assumiu o cargo.

Marcos Rogério disse inicialmente que foi ignorado pelo governo quando tentou repassar R$ 30 milhões a Rondônia. Marcos Rocha tratou de negar e ainda por cima falou que era politicagem. A resposta do senador deixou o governador em uma situação vexatória, porque comprovou que o governo está completamente perdido.

O senador Marcos Rogério provou que entrou em contato com o secretário de Estado da Saúde, Fernando Máximo, e foi simplesmente ignorado. O secretário não respondeu às mensagens, dando a nítida impressão de que não queria o dinheiro.

Como se fosse pouco, depois disso Fernando Máximo enviou uma mensagem a Marcos Rogério, convidando o senador para uma inauguração e ignorando completamente a proposta de receber os R$ 30 milhões.

“Governador, ou o senhor está mentindo ou sua equipe não serve para estar ao seu lado. Ou o senhor demite o secretário da Saúde e o chefe da Casa Civil, ou todos estão em conluio para mentir ao povo de Rondônia. Os pacientes com covid-19 estão morrendo, governador. Não é hora de fazer politicagem. Não minta ao povo de Rondônia”, disse o senador, Marcos Rogério.

Veja o vídeo:

Redação/CN