Estudantes fazem fila em universidade de NY para testes de coronavírus

Testes são feitos antes da retomada das aulas em setembro

Centenas de estudantes universitários e funcionários de uma faculdade de Nova York fizeram fila diante de uma tenda branca, nessa terça-feira (18), para serem submetidos a testes do novo coronavírus antes da retomada das aulas no início de setembro. A cena deve se repetir nas próximas semanas em outros campi universitários dos Estados Unidos (EUA). 

A Universidade de Nova York (NYU) está testando os alunos que escolheram o ensino presencial, com as aulas de graduação começando no dia 2 de setembro. A instituição, localizada na parte baixa de Manhattan, também oferece aos alunos opções de ensino a distância ou um programa híbrido entre o presencial e o remoto. 

Nova York, que já foi o epicentro da pandemia nos EUA, tem hoje uma taxa de infecção abaixo de 1%, o que representa um padrão de referência para o reinício de algumas atividades, que precisam ser combinadas com o distanciamento social e o uso de máscaras.

Em outros lugares dos Estados Unidos, faculdades, escolas primárias e secundárias estão lutando para se adaptar às possibilidades de abertura em meio à pandemia.

Em algumas faculdades, o local de testes para o coronavírus é o primeiro lugar ao qual os alunos devem comparecer quando chegam ao campus, antes até de irem aos seus dormitórios. Eles podem não ser autorizados a entrar em alguns prédios do campus até que o resultado volte negativo, o que pode demorar vários dias, em alguns casos.

Para escolas localizadas em partes do país que já têm taxa de infecções positivas de mais de 10%, pode ser melhor começar um novo ano acadêmico com salas de aula virtuais, disse o principal especialista em doenças infecciosas dos Estados Unidos, Anthony Fauci. 

Os Estados Unidos têm mais de 5 milhões de casos confirmados deo novocoronavírus, o maior número do mundo, com mais de 170 mil óbitos. 

Fonte: Agência Brasil

Após reabertura de shopping popular causar aglomeração Chile volta atrás e fecha

300 pessoas fizeram fila do lado de fora do shopping Asia Pacific.

As autoridades chilenas fecharam um shopping popular no centro de Santiago, nessa segunda-feira (17), depois que centenas de pessoas se aglomeraram no local para comprar mercadorias para revender, poucas horas depois que uma quarentena na região foi flexibilizada.

Pelo menos 300 pessoas fizeram fila do lado de fora do shopping Asia Pacific, especializado na venda de produtos chineses, antes do horário de funcionamento, e correram para dentro do estabelecimento enquanto seguranças particulares tentavam distribuir álcool em gel e medir a temperatura corporal — em alguns casos resultando em confrontos físicos com os clientes.

O shopping fica localizado na Estação Central da capital, uma área de baixa renda frequentada por trabalhadores informais e imigrantes, onde uma quarentena rígida ao longo dos últimos três meses foi flexibilizada na manhã de ontem.

Como muitas nações latino-americanas, o Chile tem grande população de vendedores informais, que enfrenta dificuldades depois que as restrições aos deslocamentos reduziram sua base de clientes.

A reabertura da Estação Central, juntamente com a vizinha Santiago Central, que sedia escritórios governamentais e sedes comerciais, transcorreu em grande parte sem intercorrências, embora com maior concentração de pessoas em lojas reabertas e nos transportes públicos.

Cerca de 12 das 70 lojas do shopping Asia Pacific foram reabertas.

Caixa divulga calendário para desbloqueio de contas do Auxílio ermegencial

Medida vem após mais um dia de longas filas em agências da Caixa; banco suspendeu milhares de contas no Caixa Tem.

Pelo 2º dia, Caixa volta a ter filas no Rio após bloqueio de contas do auxílio emergencial

Caixa Econômica Federal (CEF) divulgou nesta quinta-feira (23) um calendário para que os beneficiários do Auxílio Emergencial que tiveram suas contas bloqueadas por suspeita de fraude compareçam às agências para regularizarem o acesso. A medida vem após mais um dia de longas filas em agências da Caixa.

De acordo com a Caixa, entre as milhares de contas cujos acessos foram bloqueados, em 51% dos casos a medida foi por suspeita de fraude no benefício. Nesses casos, o trabalhador deverá ir a uma agência da Caixa com um documento de identidade para solicitar o desbloqueio. É preciso, no entanto, seguir um calendário que tem como base o mês de nascimento do beneficiário:

Calendário para desbloqueio de contas suspensas por suspeita de fraude — Foto: Economia G1
Tela que indica bloqueio de conta no app Caixa Tem — Foto: Divulgação/CAIXA
Tela que indica bloqueio de conta no app Caixa Tem

Calendário para desbloqueio de contas suspensas por suspeita de fraude

Os trabalhadores que precisarem comparecer a uma agência para fazer o desbloqueio da conta serão informados por meio do aplicativo, através da mensagem “É necessário regularizar o seu Acesso. Procure uma agência, de acordo com o seu calendário de recebimento”.

Suspensão por documentação pendente

Ainda segundo a Caixa, 49% das contas que tiveram seus acessos suspensos foram bloqueadas por inconsistências de documentação, que podem ser resolvidas pelo próprio app Caixa Tem. Esse grupo não precisa ir pessoalmente à agência e pode resolver pelo aplicativo.

É preciso fazer um novo acesso ao Caixa Tem e enviar o restante da documentação pedida. No menu “Liberar Acesso”, o beneficiário receberá uma mensagem dizendo “Para finalizar a validação do seu cadastro, vamos precisar que envie seus documentos pelo WhatsApp”. Em seguida, um outra diz “Para iniciar a conversa, clique no link abaixo e mande a palavra CADASTRO”.

Mensagem para beneficiários que devem enviar documentos para a Caixa para regularização do Caixa Tem — Foto: Divulgação/CAIXA
Mensagem para beneficiários que devem enviar documentos para a Caixa para regularização do Caixa Tem

O link em questão deve redirecionar para uma janela do WhatsApp, em que os documentos pendentes serão pedidos.

Fonte: G1

%d blogueiros gostam disto: