‘Não temos corrupção endêmica, tem casos isolados’, diz Bolsonaro

Declaração foi feita pelo presidente em meio a denúncias de tráfico de influência e assédio sexual que envolvem o alto escalão

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou, nesta quarta-feira (29), que não há corrupção endêmica em sua gestão, e sim casos isolados. A fala acontece em meio às denúncias de tráfico de influência e de assédio sexual contra mulheres que envolvem integrantes do alto escalão do governo federal. 

“Bem como o combate à corrupção: nisso nós estamos muito bem no governo. Não temos nenhuma corrupção endêmica no governo. Tem casos isolados, que pipocam, mas a gente busca solução para isso”, disse Bolsonaro, durante evento organizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

“Mas, além da escolha dos ministros, além de conversar com eles sobre qual é a real função, em cada ministério temos uma selva composta por servidores da Polícia Federal, da Controladoria-Geral da União, da Advocacia-Geral da União e até mesmo do Tribunal de Contas da União para analisar aquilo que é mais caro para nós, de modo que ataca a possível corrupção na origem. Não interessa descobrir quem é o corrupto, temos que evitar que apareça a figura do corrupto”, prosseguiu.

Recentemente, o ex-ministro Milton Ribeiro passou um dia preso sob suspeita de corrupção passiva, prevaricação, advocacia administrativa e tráfico de influência. O ex-titular é investigado por participar de suposto esquema de tráfico de influência envolvendo pastores para a liberação de recursos públicos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), vinculado ao Ministério da Educação.

Nesta semana, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, foi acusado de assédio sexual por funcionárias do banco e é investigado pelo Ministério Público Federal (MPF). O economista conversou sobre as denúncias com Bolsonaro na noite desta terça-feira (28). Ele deve deixar o posto para a secretária de Produtividade e Competitividade do Ministério da Economia, Daniella Marques.

Durante discurso na cerimônia desta quarta-feira, de quase 30 minutos, Bolsonaro não mencionou o caso Guimarães. Mais cedo, em um evento do banco, sua primeira aparição pública após as denúncias, o economista afirmou que sua vida é pautada pela ética.

“Tenho muito orgulho do trabalho de todos vocês e da maneira como sempre me pautei em toda a minha vida. Quero agradecer a presença de todos vocês, da minha esposa. São quase 20 anos juntos, dois filhos e uma vida inteira pautada pela ética”, disse Guimarães.

CPI do MEC

Após senadores protocolarem um pedido de abertura de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) que apure irregularidades no Ministério da Educação sob a gestão do ex-ministro Milton Ribeiro, que chegou a ser preso por um dia, o presidente avalia que o assunto aparentemente está “enterrado”.

“Paguei e pago um preço altíssimo por isso. Olha uma CPI quase saindo aí de um assunto que parece que está enterrado, parece. Mas quando se abre uma CPI abre-se um mar de oportunidades para os oportunistas fazerem campanha contra a gente no caso”, destacou.

O pedido de abertura da CPI foi protocolado por senadores da oposição nesta terça-feira (28). A criação, contudo, depende do aval do presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). Caso seja aberta, será a segunda comissão sob a gestão de Bolsonaro — a primeira foi a CPI da Covid-19, também no Senado. 

Fonte: R7

CN

Governo avança em PPI da Floresta Nacional de Humaitá

Propostas deverão ser entregues até 2 de agosto

O governo federal lançou o edital para concessão da Floresta Nacional de Humaitá. É a primeira floresta pública federal a ser concessionada no estado do Amazonas. O edital de concessão foi lançado em uma nesta quinta-feira (09) pelo Serviço Florestal Brasileiro (SFB) e deve ser publicado nos próximos dias.

Nas concessões florestais, o setor privado obtém o direito de realizar o manejo florestal em uma floresta pública, explorando produtos florestais madeireiros e não madeireiros. O manejo é feito por um período de tempo previamente determinado (de até 40 anos).

O concessionário deve atender a um conjunto de obrigações contratuais e indicadores de performance. Os concessionários remuneram o poder público pela sua produção, a partir de preços previamente contratados e atualizados anualmente.

Os envelopes de documentação de habilitação e das propostas técnica e de preço devem ser entregues até o dia 02 de agosto de 2022. A sessão de abertura dos envelopes contendo as propostas técnicas acontecerá no dia 03 de agosto de 2022. Além desse, existem outros oito projetos de concessões florestais no Programa de Parceria de Investimentos (PPI).

Fonte: Pedro Ivo de Oliveira A/B

CN

Governo do Cazaquistão renuncia após protestos violentos

Manifestantes se rebelaram na da praça principal de Almaty contra o aumento do preço do combustível

O presidente do Cazaquistão, Kassym-Jomart Tokayev, aceitou a renúncia do gabinete do primeiro-ministro Askar Mamin,nesta quarta-feira (5), após manifestações violentas sobre o aumento do preço do combustível. Até a formação de um novo governo, o vice-primeiro-ministro Alikhan Smailov vai liderar o governo interinamente.

Tokayev ainda decretou estado de emergência, que entrou em vigor nesta quarta-feira e irá até 19 de janeiro. A medida implica a imposição de um toque de recolher das 23h às 7h.

A renúncia ocorre um dia depois que a polícia usou gás lacrimogêneo e granadas de luz e som para expulsar centenas de manifestantes da praça principal de Almaty, capital econômica do país. Nesta quarta-feria, um grupo de manifestantes invadiu a sede da prefeitura da cidade.

Correspondentes da AFP em Almaty testemunharam alguns homens de uniforme policial jogando seus escudos e capacetes no chão e abraçando os manifestantes. “Passaram pro nosso lado”, gritava uma mulher. Os policiais se recusaram a falar com a AFP.

Um correspondente da Reuters também viu milhares de manifestantes avançando em direção ao centro da cidade, alguns deles em um grande caminhão, depois que as forças de segurança não conseguiram dispersá-los.

Atameken, o grupo de lobby empresarial do Cazaquistão, disse que seus membros estavam relatando casos de ataques a bancos, lojas e restaurantes.

A polícia informou que mais de 200 pessoas foram detidas durante os protestos no país da Ásia Central. O Ministério do Interior anunciou que as detenções aconteceram por “perturbação da ordem pública” e que os manifestantes bloquearam estradas e tráfego. De acordo com a mesma fonte, 95 policiais ficaram feridos.

Manifestações não previamente autorizadas pelas autoridades são proibidas no Cazaquistão, uma antiga república soviética autoritária, mas também a principal economia da Ásia Central. 

Os serviços de WhatsApp, Telegram e Signal foram cortados no país de 19 milhões de habitantes.

“Fora o velho” –
O movimento contra o aumento do preço do gás começou no fim de semana na cidade de Khanaozen, no coração da região ocidental de Mangystau, antes de se espalhar para Aktau, nas margens do Mar Cáspio, e Almaty.

A televisão noticiou nesta quarta-feira que o diretor de uma usina de gás na região de Mangystau foi demitido por ter “aumentado o preço do gás sem motivo”.

Os manifestantes gritavam pela “renúncia do governo” e “fora o velho”, em alusão ao ex-presidente Nursultan Nazarbayev, mentor de Tokayev.

Na terça-feira (4), o presidente tuitou que as autoridades decidiram reduzir de 120 para 50 tengues (0,11 dólar) o preço do litro do GLP em Mangystau para “garantir a estabilidade do país”. A medida não apaziguou os protestos.

Pequenas marchas e prisões também foram relatadas na capital Nursultan (antiga Astana). A localidade foi rebatizada em homenagem a Nursultan Nazarbayev, que liderou o país desde a independência soviética até 2019, quando nomeou Tokayev como seu sucessor.

Nazarbayev, de 81 anos, mantém forte controle do país como presidente do conselho de segurança e “Líder da Nação”, uma função constitucional que lhe garante privilégio político e imunidade na Justiça.

Embora protestos espontâneos e não autorizados sejam ilegais no Cazaquistão, uma lei foi aprovada no ano passado para amenizar algumas restrições à liberdade de reunião. Potência na região, a Rússia pediu nesta quarta-feira um “diálogo” no Cazaquistão.

“Somos a favor de uma solução pacífica para todos os problemas dentro da estrutura legal e constitucional e por meio do diálogo, e não por meio de tumultos de rua e violação das leis”, declarou o Ministério russo das Relações Exteriores em um comunicado.

Fonte: R7

CN

Governo quer MP para garantir auxílio de R$ 400 em dezembro

Sem a aprovação da PEC dos Precatórios, Executivo usará recursos remanescentes do extinto Bolsa Família

O governo federal deve publicar uma MP (Medida Provisória) nesta semana para conseguir os recursos necessários para efetuar o pagamento de R$ 400 a todos os beneficiários do Auxílio Brasil já em dezembro.

Segundo o texto em elaboração pelo Executivo, será utilizado um orçamento remanescente do extinto Bolsa Família para que as famílias atendidas pelo novo programa recebam o valor que foi prometido pelo presidente Jair Bolsonaro.

A MP deve ser divulgada antes de sexta-feira (10), data em que o governo federal começa os pagamentos deste mês do Auxílio Brasil. Em novembro, cerca de 15 milhões de famílias foram contempladas pelo programa, que teve um ticket médio de R$ 217,18.

A Medida Provisória foi a solução encontrada pelo Palácio do Planalto para garantir o valor de R$ 400 às famílias atendidas pelo Auxílio Brasil diante das dificuldades para a aprovação no Congresso Nacional da PEC (proposta de emenda à Constituição) dos Precatórios, que abriria espaço dentro da folha orçamentária do Executivo para o governo gastar mais com o programa social mediante o parcelamento das dívidas da União reconhecidas pela Justiça e modificações no teto de gastos públicos.

A PEC foi aprovada no Senado na semana passada, mas o texto da proposta sofreu alterações em relação ao que recebeu o aval da Câmara e precisará ser analisado pelos deputados mais uma vez. Com isso, dificilmente a PEC será promulgada a tempo de o governo conseguir a folga necessária no Orçamento para fazer o pagamento de R$ 400 já neste mês.

De todo modo, o Executivo segue contando com a PEC para manter as parcelas de R$ 400 ao longo de 2022, visto que os recursos liberados pela MP só poderão ser utilizados neste mês. No texto da Medida Provisória, o governo vai destacar que o valor do Auxílio Brasil ao longo do ano que vem poderá ser definido pelo presidente via decreto. Para isso, o Planalto acredita na folga orçamentária de cerca de R$ 106,1 bilhões que será viabilizada com a aprovação da PEC.

Fonte: R7

CN

Suframa contribui com ações do Governo Federal em mil dias de gestão

A Suframa reconhece os mil dias de gestão do governo federal

Enquanto autarquia vinculada ao Ministério da Economia e um dos principais órgãos federais que atuam com o propósito de promover a integração e o desenvolvimento sustentável da parte Ocidental da Amazônia Brasileira (Estados do Amazonas, Acre, Rondônia, Roraima) e dos municípios de Macapá e Santana, no Amapá, a Suframa reconhece os mil dias de gestão do governo federal, completados nesta semana, como um período de relevantes entregas e ações que impactaram a qualidade de vida da população de todo o País e, mais especificamente, de cerca de 25 milhões de habitantes da Amazônia.

Ao longo dos últimos três anos, a Suframa atuou como interlocutora do governo federal em diversas demandas de interesse da população regional, criando sinergias com órgãos parceiros, modernizando procedimentos institucionais, aprimorando o ambiente de negócios da região em diversas frentes – incluindo o fomento de novas matrizes econômicas alinhadas às vocações regionais – e reforçando a Zona Franca de Manaus não apenas em suas bases atuais, potencializadas pela ação do Polo Industrial de Manaus (PIM), mas também buscando enraizar uma visão de futuro que acentue ainda mais a preocupação com a preservação ambiental da região e a maximização de ações de geração de emprego e renda.

Recordes na indústria

A despeito da pior pandemia da história recente, o Polo Industrial de Manaus, nos últimos três anos, vem obtendo números históricos de faturamento e produção e recuperando de forma acentuada seus índices de empregabilidade. Em 2020, o PIM obteve o faturamento recorde de aproximadamente R$ 120 bilhões e atingiu o ápice de 103 mil trabalhadores empregados de forma direta, entre efetivos, temporários e terceirizados. A título de comparação, esses números, em 2018, foram, respectivamente, de R$ 93,9 bilhões e cerca de 89 mil trabalhadores. E, neste ano, o PIM continua em ritmo impressionante. Somente no primeiro semestre, o faturamento de R$ 73,9 bilhões representou aumento de aproximadamente 60% na comparação com o mesmo intervalo de 2020, quando foram faturados R$ 46,4 bilhões.

Investimentos

A confiança de investidores e da classe empresarial na Zona Franca de Manaus também segue em alta, exemplificada pela aprovação de 415 projetos de investimento –  sendo 124 projetos neste ano – em um total de 13 reuniões do Conselho de Administração da Suframa (CAS) realizadas entre 2019 e 2021. Ao longo deste período, destaca-se, ainda, a atração de investimentos representativos de empresas de grande renome no cenário nacional e internacional, tais como Daikin, Millenium BioEnergia, Innova petroquímica e Flex, entre outras.

Desburocratização

Entre 2019 e 2021, foram aprovadas 305 portarias de Processos Produtivos Básicos (PPBs) de interesse das indústrias da Zona Franca de Manaus, sendo 154 portarias somente neste ano. Vale destacar ainda que, atualmente, não há passivo analítico de PPBs. Tal fato tem extrema importância para o ambiente de negócios da ZFM, uma vez que esses instrumentos configuram uma das principais contrapartidas para que empresas instaladas na região possam usufruir dos incentivos fiscais ofertados.

Melhoria da infraestrutura
Recentemente, o Distrito Industrial de Manaus (DI) ganhou “cara” nova e está assumindo condição de ponto turístico da cidade, mediante asfaltamento de qualidade e criação de espaços de recreação. Graças a convênio firmado entre a Suframa e a Prefeitura de Manaus, com recursos oriundos de emendas parlamentares, o DI teve, até o momento, 30 vias revitalizadas com ações de melhoria do pavimento asfáltico, pintura e paisagismo e recuperação de calçadas e meios-fios. Os benefícios estão sendo sentidos não apenas pelas indústrias locais, que desfrutam agora de melhores condições logísticas, mas também pela população residente na área.

Desenvolvimento regional

A redução de desigualdades regionais na área de abrangência do modelo Zona Franca de Manaus também tem sido prioridade institucional. No rol de ações desempenhadas pela Suframa visando a descentralizar propostas de desenvolvimento e espraiar as riquezas e vantagens proporcionadas pela ZFM, destacam-se, sobretudo, ações como a realização de capacitações para gestores municipais e a potencial criação de um banco de projetos para apoiar prefeituras; o Decreto nº 10.521/2020, que induz a aplicação de parcela de recursos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) em projetos fora da área metropolitana de Manaus; a portaria Protecsus, com a criação do selo Amazônia e a geração de uma série de oportunidades para investimentos em PD&I e valorização de áreas mais remotas; e, ainda, a resolução CAS nº 02/2021, que amplia possibilidades de industrialização com matéria-prima regional de origem vegetal e agrícola para toda a Amazônia Ocidental.

Projetos temáticos

A Suframa também tem se envolvido diretamente na implementação de projetos temáticos que poderão ser replicados como políticas de desenvolvimento para outras localidades. Destaque neste sentido é articulação institucional para a implantação do projeto de sustentabilidade ambiental Zona de Desenvolvimento Sustentável Abunã-Madeira, que compreende um conjunto de ações para fomentar a sustentabilidade ambiental por meio do desenvolvimento socioeconômico na região do sul do Amazonas, leste do Acre e noroeste de Rondônia, potencializando vocações locais de bioeconomia e circuitos produtivos agrosustentáveis por meio de ações multissetoriais.

Comércio

O comércio, segmento que já foi o mais representativo do modelo Zona Franca de Manaus entre as décadas de 1970 e 1980, tem recebido igualmente atenção da Suframa devido à sua capacidade de geração de emprego e renda e movimentação econômica da região. Além das ações visando à modernização dos sistemas de fiscalização e internamento de mercadorias e à melhoria da gestão das Áreas de Livre Comércio (ALCs) administradas pela Autarquia em toda a região, a Suframa tem atuado em sinergia com as principais entidades do setor comercial regional em busca de ações que aprimorem a competitividade do segmento.

Marcos regulatórios

O Conselho de Administração da Suframa (CAS) publicou, entre 2019 e 2021 (até setembro), um total de 354 resoluções que versam sobre diversos assuntos relacionados à atração e à manutenção de projetos industriais e agropecuários e contribuem, de uma forma geral, para impulsionar o ambiente de negócios da região. Entre os normativos publicados, destaque maior para a Resolução CAS nº 205/2021, que promete uma nova era de simplificação e celeridade em procedimentos relacionados à análise e ao acompanhamento de projetos industriais na Zona Franca de Manaus, e para a Resolução CAS Nº 53/2021, que dispõe sobre as atividades comerciais e de prestação de serviços no Polo Industrial de Manaus.

Distrito Agropecuário
A agropecuária é uma das três forças históricas do modelo Zona Franca de Manaus e a atenção às demandas do setor tem sido constante nos últimos três anos. Além das ações de planejamento para execução do inédito georreferenciamento das glebas do Distrito Agropecuário da Suframa (DAS) e da criação de um escritório integrado com participação da Suframa, Embrapa, Conab, Ipaam, Banco do Brasil, Caixa e Banco da Amazônia buscando alinhar a produção agropecuária com as demandas da indústria, a Autarquia está em processo de lançamento de um edital pioneiro com vistas a disponibilizar 267 lotes do DAS, via licitação, com possibilidade de participação de empresários e empreendedores de todo o País. Outra ação prioritária tem sido a resolução de questões relacionadas a ocupações irregulares e avanços visando à regularização fundiária na área.

Facilitação

Diversas medidas foram adotadas ao longo dos últimos três anos com vistas ao aprimoramento dos serviços prestados pela Suframa, com destaque, principalmente, para a efetiva implantação do Sistema de Mercadorias Nacionais (SIMNAC); a associação da Suframa à Rede Nacional de Ouvidorias; a integração do sistema de cadastro da SUFRAMA (CADSUF) com a REDESIM administrada pelas juntas comerciais dos Estados da área incentivada; e a simplificação dos módulos de Análise de Projetos Industriais (API), Acompanhamento de Projetos (MAPI), Controle de Insumos (MCI), Indicadores Industriais (SIPI), Processo Produtivo Básico (PPB) e de Informação de Produção Industrial (SIPI), proporcionando, assim, ganho de agilidade, produtividade e confiabilidade em todos os níveis de análise e controle do ecossistema. A Autarquia também participa ativamente do projeto Plataforma de Cidadania Digital do governo federal, disponibilizando, atualmente, cerca de 40 serviços aos usuários externos de forma totalmente digital por meio do portal único gov.br.

Texto: Diego Queiroz/Suframa

CN

Governo paga hoje auxílio emergencial a nascidos em outubro

Benefício varia de R$ 150 a R$ 375, dependendo da família

Trabalhadores informais nascidos em outubro recebem hoje (1º) a sexta parcela da nova rodada do auxílio emergencial. O benefício tem parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo da família.

O pagamento também será feito a inscritos no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) nascidos no mesmo mês. O dinheiro é depositado nas contas poupança digitais e poderá ser movimentado pelo aplicativo Caixa Tem. Somente de duas a três semanas após o depósito, o dinheiro poderá ser sacado em espécie ou transferido para uma conta corrente.

As datas da prorrogação do benefício foram anunciadas em agosto. Ao todo, 45,6 milhões de brasileiros estão sendo beneficiados pela nova rodada do auxílio emergencial. O auxílio é pago apenas a quem recebia o benefício em dezembro de 2020. Também é necessário cumprir outros requisitos para ter direito à nova rodada (veja guia de perguntas e respostas no último parágrafo).

Calendário de pagamento da sexta parcela do auxílio emergencial
Calendário de pagamento da sexta parcela do auxílio emergencial – Caixa/Divulgação

Para os beneficiários do Bolsa Família, o pagamento ocorre de forma distinta. Os inscritos podem sacar diretamente o dinheiro nos dez últimos dias úteis de cada mês, com base no dígito final do NIS.

O pagamento da sexta parcela aos inscritos no Bolsa Família começou no último dia 17 e terminou ontem (30). O auxílio emergencial somente é depositado quando o valor é maior que o benefício do programa social.

Em todos os casos, o auxílio está sendo pago apenas a quem recebia o benefício em dezembro de 2020. Também é necessário cumprir outros requisitos para ter direito à nova rodada.

O programa se encerraria em julho, mas foi prorrogado até outubro, com os mesmos valores para as parcelas.

Foi elaborou um guia de perguntas e respostas sobre o auxílio emergencial. Entre as dúvidas que o beneficiário pode tirar estão os critérios para receber o benefício, a regularização do CPF e os critérios de desempate dentro da mesma família para ter acesso ao auxílio.

Por Wellton Máximo

CN

Governo propõe PL que limita remoção de conteúdos em redes sociais

Texto altera Marco Civil da Internet e muda regras de uso e moderação

O governo federal enviou ao Congresso um Projeto de Lei (PL) que limita a remoção de conteúdos em redes sociais com mais de 10 milhões de usuários. De acordo com a Secretaria-Geral da Presidência, a medida altera o Marco Civil da Internet (Lei nº 12.965/2014) e a Lei nº 9.610/1998, que trata de direitos autorais, “de forma a explicitar os direitos e as garantias dos usuários de redes sociais e prever regras relacionadas à moderação de conteúdo pelos respectivos provedores”.

No último dia 6 de setembro, o presidente Jair Bolsonaro editou uma medida provisória (MP) semelhante, que mudava essas regras, criando obstáculos para os moderadores de tais ferramentas excluírem os conteúdos que julgassem falsos, por exemplo. O ato, entretanto, foi suspenso pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no dia 14 e, no mesmo dia, foi devolvido ao governo pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco.

Segundo Pacheco, a MP tratava de assuntos que, por previsão constitucional, não poderiam ser tratados por tal instrumento legal. Atos adotados em media provisória entram em vigor imediatamente e têm 120 dias para serem aprovados no Congresso para não perderem a validade.

Assim, com o novo PL, o tema poderá ser debatido pelos parlamentares antes de entrar em vigor. Também está em tramitação no Congresso o PL 2.630/20, que visa combater a disseminação de notícias falsas em redes sociais. O texto foi aprovado no Senado e está em debate na Câmara.

De acordo com a Secretaria-Geral da Presidência, o PL encaminhado pelo governo observa os princípios da liberdade de expressão, de comunicação e manifestação de pensamento, previstos na Constituição Federal, “de forma a garantir que as relações entre usuários e provedores de redes sociais ocorram em um contexto marcado pela segurança jurídica e pelo respeito aos direitos fundamentais”.

Mudanças

Em nota, a pasta destacou que, atualmente, há cerca de 150 milhões usuários de redes sociais no Brasil, o que corresponde a mais de 70% da população. “A medida busca estabelecer balizas para que os provedores de redes sociais de amplo alcance, com mais de 10 milhões de usuários no Brasil, possam realizar a moderação do conteúdo de suas redes sociais de modo que não implique em indevido cerceamento dos direitos e garantias fundamentais dos cidadãos brasileiros”, diz.

Ainda segundo a secretaria, o PL acrescenta dispositivos que “garantem o direito a informações claras, públicas e objetivas sobre quaisquer políticas, procedimentos, medidas e instrumentos utilizados para efeito de eventual moderação de conteúdo, bem como o direito ao exercício do contraditório, ampla defesa e recurso nas hipóteses de moderação de conteúdo pelo provedor de rede social”.

Além disso, o projeto prevê o direito de restituição do conteúdo publlicado pelo usuário na rede social, em caso de remoção, e a “exigência de justa causa e de motivação nos casos de cancelamento ou suspensão de funcionalidades de contas ou perfis mantidos pelos usuários de redes sociais, bem como nos casos de exclusão de conteúdo gerado por eles”.

Finalmente, o provedor de redes sociais será obrigado a notificar o usuário, identificando a medida adotada, apresentando a motivação da decisão de moderação, as informações sobre prazos, canais eletrônicos de comunicação e procedimentos para a contestação, bem como a eventual revisão da decisão.

Por Andreia Verdélio

CN

Deputado Luizinho Goebel solicita ao Governo mutirão de cirurgias em Ariquemes

Parlamentar busca atender 2 mil pessoas residentes na região Centro Norte do Estado

O deputado estadual Luizinho Goebel (PV-RO) solicitou ao Governo de Rondônia a realização de um mutirão de cirurgias eletivas no município de Ariquemes visando atender toda a região Centro Norte do Estado. No documento extenso à Secretaria Estadual de Saúde, o parlamentar reforça a necessidade do mutirão naquela região, uma vez que a fila de espera está cada vez mais extensa com a suspensão de cirurgias eletivas no estado por conta da situação pandêmica que vivenciamos atualmente.

Conforme o deputado, atualmente há mais de 2 mil pessoas no aguardo de atendimento médico específico. Por conta disso, é de suma importância a realização de um mutirão que ajudará a zerar a fila de espera.

“Se as filas de espera já eram um desafio antes, hoje estão cada vez mais extensas. Por isso, solicitei ao nosso governador Coronel Marcos Rocha e ao nosso secretário de saúde Fernando Máximo a realização de um mutirão de cirurgias eletivas no município de Ariquemes, visando atender também os municípios de Alto Paraíso, Buritis, Cacaulândia, Machadinho d’Oeste, Monte Negro, Rio Crespo, Theobroma. Somente assim, poderemos zerar a fila de espera”, enfatizou o parlamentar.

Texto e foto: Assessoria

CN

MCTI e governo de Minas fazem acordo para criação de centro de vacinas

Ministério deverá investir R$ 50 milhões na nova estrutura

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), o governo de Minas Gerais e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) assinaram um acordo para a criação de um centro nacional de pesquisa em vacinas (CN Vacinas).

O objetivo é realizar projetos de pesquisa e desenvolvimento de conhecimento e tecnologias associadas a vacinas, kits de diagnóstico e fármacos. A previsão é que o centro também apoie outras instituições de pesquisa e realize capacitações e treinamentos.

O intuito é atuar em parceria com o setor privado, com acordos de transferência tecnológica com empresas. Uma das estratégias será o estímulo à criação de empresas para comercializar produtos desenvolvidos no Centro.

O MCTI deverá investir R$ 50 milhões na nova estrutura. Já o governo de Minas Gerais deve aportar outros R$ 30 milhões.

Na cerimônia de lançamento, o ministro Marcos Pontes destacou o papel do centro no desenvolvimento de produtos que podem contribuir com a população. “O centro vai salvar milhões de vidas de brasileiros e cidadãos de outros países”, afirmou.

A reitora da UFMG, Sandra Almeida, assinalou que a instituição tem um conhecimento na área de vacinas. “É uma equipe que tem conhecimento e esperamos que com este Centro possamos atender a essa demanda, que é nacional”, pontuou.

Fonte: Agência Brasil

CN

Deputados intercedem junto ao Governo para levar asfalto para distritos de Nova Mamoré

Em encontro com chefe da Casa Civil, asfalto para Nova Dimensão, Jacinopólis e Palmeiras é discutido

O presidente da Assembleia Legislativa, Alex Redano (Republicanos), acompanhado dos deputados Dr. Neidson (PMN) e Jean Oliveira (MDB), se reuniu com o chefe da Casa Civil, Junior Gonçalves, na tarde desta quarta-feira (01), no Palácio Rio Madeira, para tratar da necessidade de levar asfalto para os trechos urbanos da RO-420, que passa pelos distritos de Nova Dimensão, Jacinopólis e Palmeiras, no município de Nova Mamoré.

“Serão seis quilômetros no total, de acordo com o nosso pedido em conjunto junto ao Governo, sendo três quilômetros para Nova Dimensão, dois quilômetros para Jacinopólis e mais um quilômetro para Palmeiras, fazendo justiça com a população desses distritos que sofrem com a lama e a poeira e estamos falando de um trecho sob a responsabilidade do Governo”, destacou Redano.

O prefeito de Nova Mamoré, Marcélio Brasileiro (DEM), acompanhado de vereadores, estava presente e reforçou o pedido, mostrando a necessidade desse investimento, que há muito é aguardado pela população desses distritos.

“É uma necessidade histórica e estamos dando um passo importante para essa conquista tão esperada por todos os moradores desses distritos e pela população de Nova Mamoré em geral. Agradeço pelo apoio do presidente da Assembleia e dos deputados Neidson e Jean e vamos seguir trabalhando para que esse sonho se torne realidade”, completou Brasileiro.



Texto: Eranildo Costa Luna

CN
1 2 3 15