Bolsonaro inaugura 102 km de asfalto em trecho da Transamazônica

Em Marabá, o presidente entregou títulos de terra para assentados

O presidente Jair Bolsonaro cumpriu agenda na sexta-feira (18) no Pará, onde participou da entrega de títulos rurais e da inauguração de um trecho asfaltado da rodovia BR-230, a Transamazônica.

Na primeira atividade, em Marabá, região central do estado, foi feita a entrega simbólica de 50.162 títulos definitivos e provisórios de propriedade de terra. A maior parte dos títulos (47.234) tem como beneficiários famílias assentadas da reforma agrária. Outros 2.924 títulos foram entregues a ocupantes de glebas públicas federais. A entrega foi simbólica e corresponde ao total de títulos emitidos nos últimos dois anos.

“Essas pessoas, agora, perfazendo um total de 50 mil aqui no estado, têm um pedaço de terra para dizer que é seu e de sua família”, afirmou o presidente, em  discurso. O presidente defendeu o direito de propriedade, chamando de “sagrado”. 

Transamazônica

Após o evento em Marabá, Bolsonaro se deslocou para o município de Novo Repartimento, a pouco mais de 180 km ao norte. O município é cortado pela Rodovia Transamazônica (BR-230) entre os rios Tocantins e Xingu. O trecho asfaltado tem 102 quilômetros de extensão e liga Novo Repartimento a Itupiranga.

A cerimônia também marcou a assinatura da ordem de serviço para construção da ponte sobre o Rio Xingu. Atualmente, a transposição do rio pela Transamazônica é feita por meio de balsa. De acordo com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, a previsão é que a obra comece no ano que vem.

Edição: Fernando Fraga

Órgãos do AC pedem responsabilização de Bolsonaro por crimes contra a saúde pública na inauguração da Ponte do Rio Madeira

Bolsonaro participou da cerimônia de inauguração sem máscara facial e sem manter o distanciamento social.

O Ministério Público Federal (MPF-AC) e o Ministério Público do Acre (MP-AC) estão pedindo a responsabilização do presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) por crimes contra a saúde pública por causar aglomeração e não usar máscara facial durante a inauguração da Ponte do Abunã, no dia 7 de maio, em Porto Velho (RO), sobre o Rio Madeira.

Os órgãos encaminharam uma representação com o pedido de responsabilização do presidente e da comitiva presidencial que esteve no evento para o procurador-geral da República, Antônio Augusto Aras.

Além de causar aglomeração, reunindo centenas de pessoas, Bolsonaro ficou no evento sem máscara, contrariando as recomendações sanitárias para evitar a contaminação pela Covid-19.

Os órgãos destacam que, todos esses desrespeitos aos protocolos de saúde, foram divulgados e registrados tanto pela assessoria do presidente como do governo do Acre.

“Como é intuitivo, as normas sanitárias que obrigam o uso de máscaras faciais e proíbem a realização de eventos que possam causar aglomeração de pessoas objetivam proteger o bem jurídico incolumidade pública (bem jurídico imediato) com reflexo na preservação das condições normais/estabilidade da saúde pública (bem jurídico imediato), notadamente no sentido de não agravamento do nível de patologias preexistente (propagação da pandemia da Covid1-19) em determinado local”, diz parte da representação.

O documento destaca também que houve desrespeito à recomendação dos órgãos ao governo do estado e à Polícia Militar para adoção de providências que impedissem aglomeração durante o evento.

“Sendo assim, observa-se que é inequívoco o descaso do presidente da República, que, mesmo diante de agravada a situação, insiste em desrespeitar as regras de cuidado estabelecidas pelas autoridades sanitárias com vistas a refrear a disseminação do vírus. Não é necessário qualquer tipo de raciocínio avançado para perceber que a ação dos representados ignorou totalmente as medidas destinadas a mitigar a pandemia e estabelecer a segurança necessária para obstar a propagação da Covid-19 nos Estados do Acre e de Rondônia”, argumenta.

A representação assinada pelos procuradores da República Lucas Costa Almeida Dias e Humberto Aguiar Júnior, pelo procurador de Justiça Justiça Sammy Barbosa Lopes e pelo promotor de Saúde do MP-AC, Glaucio Ney Shiroma Oshiro.

Fonte: Assessoria

Jaci-Paraná passa a conta com uma nova sede do Cras

Na unidade do Cras são realizados serviços de caráter preventivo, protetivo e proativo a população.

A prefeitura de Porto Velho inaugurou terça-feira (1), a nova sede do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) Pe. Teodoro Crommo, no distrito de Jaci-Paraná, a 98 quilômetros do centro urbano da capital.

O Cras Pe. Teodoro Crommo funcionava no Parque dos Buritis, Via 10, quadra 08. O novo endereço é Via 1, casa 3, quadra 2, também no Parque dos Buritis.

O local passou por reforma e ampliação por meio de um convênio de compensação celebrado entre a Prefeitura de Porto Velho e a Usina Santo Antônio Energia, fazendo parte do compromisso de investimento de até R$ 30 milhões em bens e serviços destinados ao distrito.

Os recursos foram destinados à Secretaria Municipal de Assistência Social e Família (Semasf) para serem convertidos em melhoria de vida da população que recebe os atendimentos do Cras em Jaci-Paraná. Na unidade do Cras em Jaci-Paraná são realizados serviços de caráter preventivo, protetivo e proativo.

O espaço foi projetado para desenvolver atividades de forma individual ou coletiva. A prioridade é para as famílias em situação de vulnerabilidade social consequentes da pobreza, da instabilidade e da anulação social. Estes grupos são beneficiários dos Programas de Transferência de Renda, como os Programas Bolsa Família e o de Prestação Continuada, conforme estabelece as diretrizes do Sistema Único da Assistência Social (SUAS).

Fonte: Comdecom

Centros de vacinação em massa são inaugurados em Tóquio e Osaka

Objetivo é vacinar 36 milhões de idosos até o fim de julho

O Japão abriu hoje (24) unidades de vacinação de grande escala em Tóquio e na província de Osaka. Autoridades afirmam que o objetivo é imunizar os 36 milhões de cidadãos idosos do país até o fim de julho.

As duas unidades são operadas pelas Forças de Autodefesa do Japão, e a vacina distribuída em ambas é a fabricada pela Moderna, recentemente aprovada no país.

A unidade de Tóquio recebeu 5 mil agendamentos para o dia de sua inauguração, enquanto a de Osaka recebeu 2.500. O governo informou que a expectativa é de que a capacidade combinada dos dois centros possa ser dobrada na semana que vem.

Um homem que foi vacinado disse estar contente por ter recebido a primeira dose e que o processo ocorreu sem nenhum problema. Uma mulher afirmou que sua impressão é de que teve que esperar um tempo muito longo para receber o imunizante, se comparado com outros países, e que o Japão poderia ter dado início ao programa mais cedo.

A partir desta segunda-feira, os dois centros ampliaram o critério para reserva online, passando a incluir pessoas com 65 anos de idade ou mais, residentes de qualquer região de Tóquio e da província de Osaka. Até então, apenas cidadãos idosos residentes em certas regiões da capital e da província de Osaka estavam habilitados a fazer o agendamento. Os idosos que vivem nas províncias vizinhas de Chiba, Saitama, Kanagawa, Kyoto e Hyogo vão ter acesso ao agendamento de sua primeira dose a partir da semana que vem.

O programa de vacinação do Japão teve início em fevereiro com a inoculação apenas de profissionais da saúde até a sua expansão, em abril, para incluir idosos. A campanha no país está atrasada com relação a outras nações do Grupo dos 7, com apenas 4% da população idosa tendo recebido pelo menos uma dose.

O Japão registrou mais de 4 mil novos casos de covid-19 e mais de 60 mortes nesse domingo (23). O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social informou que o número de pacientes em estado grave atingiu alta recorde de 1.304 no mesmo dia.

Atualmente, dez províncias estão sob estado de emergência para o a covid-19, após a adição de Okinawa à lista no domingo. A declaração para as outras nove províncias – entre elas, Tóquio e Osaka – está prevista para terminar no dia 31 de maio. Mas com o número de infecções permanecendo em um patamar alto, autoridades estão agora considerando estender mais uma vez o estado de emergência para vigorar até dia 20 de junho, mesma data prevista para Okinawa.

Fonte: Agência Brasil

Hildon Chaves prestigia inauguração da Ponte do Abunã em RO

Para o prefeito, a Ponte torna logística de transporte mais eficaz e garante que assumirá o compromisso para iluminação da ponte.

Inauguração contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro
Inauguração contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro

O prefeito Hildon Chaves disse, na sexta-feira (7), que a inauguração da Ponte do Abunã, no distrito de Abunã, representa muito para Porto Velho e destacou a eficácia da logística e o fortalecimento do setor agrícola como fatores importantes que decorrem da entrega da obra. Ele participou da cerimônia, juntamente com o vice-prefeito Maurício Carvalho.

“A ponte sobre o rio Madeira provoca uma grande transformação na região, pois atende a uma demanda histórica de Rondônia e Acre, ao mesmo tempo em que promove a integração destes dois estados”, afirmou.

Questionado por jornalistas sobre a iluminação da ponte, o prefeito disse que este serviço não constava no projeto, mas garantiu que Prefeitura de Porto Velho assumirá o compromisso. “Será um grande desafio que vamos enfrentar”, afirmou, lembrando que trata-se de trabalho de responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

“Já iluminamos a ponte sobre o rio Madeira, o viaduto da Três e Meio e o viaduto da Avenida Campos Sales, faremos mais esta também. Mas teremos muito trabalho. A concessionária de energia precisa providenciar a rede e o DNIT precisa autorizar”, revelou.

Hildon Chaves elogiou a iniciativa do presidente da República Jair Bolsonaro em concluir a obra que estava paralisada.
O vice-prefeito Maurício Carvalho disse que pela ponte será feito o escoamento da produção agrícola da região e que isto é um fator positivo para a economia do município. “Serão beneficiadas a população de Rondônia e a do estado do Acre também. Todos ganham com esta obra”, afirmou.

A ponte está distante a mais de 200 quilômetros de Porto Velho e 295 quilômetros de Rio Branco, capital do Acre. Tem 1.517 metros de extensão.

Até agora, ligação com o estado do Acre era feita através de balsas, cujo valor variava dependendo do tipo de veículo embarcado.

A previsão inicial é de que transitarão pela ponte cerca de 2 mil veículos diariamente.

Fonte; Comdecom

Em Rondônia, Ponte do Abunã sobre o Rio Madeira é inaugurada nesta sexta-feira

Com a presença confirmada do Presidente Jair Bolsonaro e o Ministro da infraestrutura Tarcísio de Freitas

A Ponte Abunã, sobre o rio Madeira, já está pronta. E a partir desta sexta-feira, ela vai interligar as capitais Rio Branco, no Acre; e Porto Velho, em Rondônia, conectando os acreanos à malha rodoviária federal, pela BR 364.

A rota também vai permitir a conexão com a BR 317, a Transoceânica. A partir daí, será possível chegar até o Porto de Ilo, no litoral peruano, no oceano Pacífico.

A inauguração também contará com a presença confirmada do Presidente Jair Bolsonaro e o Ministro da infraestrutura Tarcísio de Freitas.

O governador Gladson Cameli, aponta a importância da obra para a integração do Acre com o resto do país.

Segundo o DNIT, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, a ponte terá um fluxo diário de cerca de dois mil veículos. A obra vai solucionar também o problema do custo e do tempo utilizado para a travessia do rio Madeira, que era feita por balsas desde a década de 1980. Para o comerciário José Leandro, de Rio Branco, a ponte vai trazer desenvolvimento para a região:

O presidente do Sindicato dos Caminhoneiros do Estado do Acre, Júlio Farias afirma que quem precisa atravessar o rio Madeira com frequência já está satisfeito com a chegada da ponte.

Com 1.517 metros de extensão, a Ponte do Abunã é a segunda maior em água doce do Brasil. A obra começou em 2014, mas teve diversas paralisações. O investimento total foi de R$ 148 milhões.

Fonte; Agência Brasil

Em Jaru, Novo Centro Regional de Ressocialização é inaugurado

Nova unidade prisional faz parte do compromisso do Governo de Rondônia em concluir obras inacabadas no Estado

O Governo de Rondônia nessa terça-feira (4), fez a entrega do Centro Regional de Ressocialização Augusto Simon Kempe, em Jaru. A construção foi iniciada em 2014, e após esforços do Executivo Estadual, por meio da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus)  tornou-se apto para funcionamento com capacidade para 388 reeducandos em regime fechado.

No espaço com 7.506,25m² de área construída, concretiza-se a missão de combater o crime de forma estratégica e humanizada, dando condições para que ao fim do comprimento da pena, os internos sejam inclusos na sociedade cidadãos ressocializados.

Governador Marcos Rocha verifica nova estrutura ao lado do secretário de Justiça, Marcus Rito

O governador, Marcos Rocha, conferiu in loco a nova estrutura, acompanhado do secretário da Sejus, Marcus Rito, coordenador do Sistema Penitenciário, Célio Luiz de Lima e o secretário executivo regional do Governo, em Jaru, Anderson Dias.

“Acredito que essa unidade trará grandes benefícios para a sociedade. É uma unidade modelo, segura e inclusive construída permitindo a ventilação natural. Não é motivo de alegria construir novos presídios, o meu sonho é que não precise, mas é uma necessidade para evitar superlotação e dar aos policiais penais um local adequado para trabalho”, disse o governador.

O prefeito de Jaru, João Gonçalves Júnior parabenizou o Governo de Rondônia pela forma que tem contribuído com a Segurança Pública do Estado. “Esse Centro de Ressocialização representa a esperança para que muitas vidas sejam transformadas.”

Com a estrutura de 44 celas coletivas comuns para oito internos cada; outras quatro celas coletivas com acessibilidade para quatro internos, seis individuais, duas para triagem para oito internos, uma cela para triagem com acessibilidade para quatro internos e mais três celas individuais para triagem com acessibilidade.

De acordo com o gerente regional da Sejus, Fred Barbosa, a unidade projetada para ser modelo de ressocialização no Estado, possui módulo educacional e de oficinas, além de espaço destinado para tratamento de dependentes químicos. 

O gerente destaca ainda que a unidade vem para suprir a carência de um ambiente adequado para cumprimento de penas, o que antes não tinha na comarca. “Vamos desativar a Casa de Detenção e o presidio feminino. É como se tivéssemos reiniciando o sistema penitenciário de Jaru de forma mais humanizada e segura”.

A obra foi entregue pela empresa contratada em fevereiro de 2020 e as finalizações de serviços de adequações foram feitas com uso de mão de obra apenada de Porto Velho.

Fonte: Sejus

Ministro Tarcísio confirma data e presença do Bolsonaro na inauguração da ponte sobre o rio Madeira em Abunã, RO

O anúncio foi dado pela rede social Twitter. A ponte vai facilitar o acesso ao estado do Acre.

Dnit adia para 2020 entrega de ponte entre Rondônia e Acre | GERAL |  Rondonoticias.com.br
Ponte sobre o rio Madeira, em Abunã

O Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, anunciou pelo Twitter que a ponte sobre o rio Madeira no distrito de Abunã, em Porto Velho, será inaugurada no dia 7 de maio. A ponte, localizada na BR-364, vai facilitar o acesso ao estado do Acre.

A estrutura de quase 2 km de extensão é construída desde 2014 e tem o objetivo de facilitar o acesso ao estado vizinho, que atualmente é feito através de uma balsa. Para a obra foram gastos cerca de R$ 140 milhões.

A estimativa do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) é de que mais de 2 mil veículos passem pela ponte por dia assim que for liberada. A expectativa é de também agilizar e baratear o transporte de mercadorias entre Rondônia e Acre.

“Com certeza as pessoas no Acre vão plantar soja, milho e outras culturas e vai incrementar bem o tráfego da ponte. Estima-se um crescimento no tráfego de 3% a 5% por ano”, disse André Lima, superintendente do Dnit-RO.

Fonte; G1

Governo inaugura na Bahia 22 km de pistas duplicadas na BR-101

Dnit soma mais de 180 km de novas pistas entregues na Bahia

O Ministério da Infraestrutura entregou hoje (26) mais 22 quilômetros de pistas duplicadas da BR-101, na Bahia. O trecho tem início no entroncamento com a BR-324 e vai em direção à divisa com Sergipe. Com essa liberação há agora 58 quilômetros de pista ampliada na região que conta com fábricas de grande porte, informou o ministério.

Presente na cerimônia de entrega da obra, o presidente Jair Bolsonaro disse essa e outras obras conduzidas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) devem-se à autonomia dada pelo governo às suas ações. “O Dnit se encontra em posição privilegiada porque demos liberdade para trabalhar”, afirmou o presidente.

Em seu pronunciamento, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, enumerou outras obras implementadas pelo governo federal em território baiano. “A primeira entrega que o ministério fez foi na Bahia, que foi um trecho da BR-235. Entregamos também o Aeroporto de Vitória da Conquista, o maior investimento da aviação regional no Brasil”, disse o ministro, que citou também as obras do aeroporto e do Porto de Salvador.

“Esses 22 km que estamos inaugurando hoje vão diminuir o tempo de viagem, ajudar as pessoas e reduzir o número de acidentes. Até o final do ano, teremos condições de entregar mais 55 km para fechar o lote”, acrescentou.

Rodovias entregues

Com a solenidade de hoje, o governo contabiliza mais de 180 quilômetros de novas pistas entregues na Bahia este ano. “Nos quatro primeiros meses de 2021, além dos 22 quilômetros duplicados, o ministério e o Dnit entregaram 77 quilômetros de pistas pavimentadas da BR-235/BA, 67 quilômetros de adequação da BR-135/BA e 16 quilômetros de duplicação da BR-116/BA”, informou o Ministério da Infraestrutura.

A entrega de hoje integrará grandes polos comerciais e industriais do estado, como Alagoinhas, Pedrão, Teodoro Sampaio e Conceição do Jacuípe, “região conhecida pela quantidade de fábricas de grande porte, como cervejarias”, o que representa, segundo o governo, “um ponto estratégico de logística por se conectar à BR-324/BA, que liga a cidade de Feira de Santana até a capital Salvador”.

Um dos principais corredores rodoviários do Brasil, a BR-101 atravessa 12 estados, cortando o país de Norte a Sul, e com um fluxo diário de mais de 12 mil veículos.

Fonte; Kleber Sampaio A/B

Bolsonaro inaugura etapa de centro de convenções em Manaus

Presidente da República recebeu título de Cidadão do Amazonas

O presidente da República, Jair Bolsonaro, cumpriu agenda na manhã desta sexta-feira (23) em Manaus, onde acompanhado por vários ministros participou da inauguração da segunda etapa do Centro de Convenções do Amazonas Vasco Vasques.

Segundo o Ministério do Turismo, a estrutura, que passa a ser o maior centro de convenções na Região Norte, vai impulsionar segmentos turísticos e credenciar o Amazonas para receber eventos de grande porte. A partir de agora, o complexo passa a ter capacidade para receber 10 mil pessoas simultaneamente.

As obras dessa segunda fase do complexo começaram em 2015 com o orçamento global de R$ 40,2 milhões, recursos dos governos federal e do Amazonas. Porém, em 2019, quando o governador Wilson Lima assumiu, apenas 14% do total havia sido executado. Desse montante, R$ 224.174,28 são recursos próprios do governo do estado.

“Esta estrutura é um marco para o Amazonas porque representa a ampliação da atividade turística no estado, principalmente em segmentos importantes do setor, como o turismo de eventos e de negócios. Isso tudo aliado ao nosso maior patrimônio turístico que é a Amazônia e que, certamente, agrega um importante valor e abre novas possibilidades de emprego e renda para nossa população”, ressalta o governador Wilson Lima.

Para o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, o investimento de R$ 40 milhões para a ampliação do centro mostra como o governo federal acredita no potencial turístico do estado tanto para turismo de negócios quanto para viagens a lazer.

Título

Esta foi a primeira ida de Bolsonaro ao estado desde o colapso na saúde, provocado pela superlotação e falta de oxigênio nos hospitais. Durante a cerimônia, o presidente foi homenageado com o Título de Cidadão do Amazonas. Ele disse estar orgulhoso em receber a honraria proposta por alguns deputados da Assembleia Legislativa do Estado e sancionada pelo governador Wilson Lima.

Cestas

Durante a visita a Manaus, por meio do Ministério da Cidadania, o governo federal deu início à distribuição de mais de 270 mil cestas de alimentos para a população do Amazonas. A ação faz parte da Iniciativa Brasil Fraterno, que atende famílias vulneráveis nos municípios mais afetados pela pandemia do novo coronavírus. A entrega vai chegar a aproximadamente 121 mil famílias de comunidades tradicionais, entre indígenas, quilombolas, pescadores e extrativistas do estado.

Cada cesta reúne produtos que incluem: arroz, feijão, óleo vegetal, macarrão, flocos de milho, farinha de mandioca, açúcar e leite em pó. Na distribuição, 53.480 famílias de indígenas serão atendidas, além de 61.656 famílias de pescadores, 4.653 famílias de extrativistas e 829 famílias de quilombolas. “Assim como o auxílio emergencial 2021, as ações de segurança alimentar integram a resposta do governo federal para garantir dignidade ao nosso povo, em especial nesse período de pandemia”, destacou o ministro da Cidadania, João Roma.

Fonte: Aline Leal A/B