Criança é agredida pelo tio em Cujubim, RO

Segundo a Sesau, o menino segue em estado grave respirando com ajuda de aparelhos.

A criança de 6 anos que foi agredida em Cujubim (RO), segue internada em estado gravíssimo no Hospital Infantil Cosme e Damião, em Porto Velho. Os tios são os principais suspeitos da agressão e estão presos segundo a Polícia Civil.

Conforme informações da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) a criança segue respirando com ajuda de aparelhos, fazendo uso de ventilação mecânica com parâmetros altos. Durante o último domingo (24), foi trocado o esquema de antibiótico, devido à piora radiológica e laboratorial.

Ainda segundo a Sesau, do ponto de vista neurológico, a condição da criança se mantém grave, em sedação contínua.

Um casal é suspeito de crimes de tortura, omissão de socorro e lesão corporal contra o sobrinho de 6 anos.

A tia informou à polícia que no dia 16 de abril a criança havia caído de uma escada. Após saber do ocorrido, o tio agrediu o sobrinho com um cipó. O casal era até então responsável legal pelo menino.

No dia seguinte da queda, a mulher contou que a criança amanheceu com os olhos arroxeados, chorando e reclamando de dores. No entanto, eles decidiram não procurar socorro devido as marcas pelo corpo da criança.

Na última segunda-feira (18), segundo ela, foi preciso chamar a equipe de socorristas, pois a criança perdeu os sentidos e ficou com a respiração comprometida.

Após o relato, a mulher recebeu voz de prisão. Já o tio fugiu do local levando o irmão da vítima, uma criança de 4 anos, e uma espingarda.

Prisão do tio

Foi preso em 19 de abril o jovem de 24 anos suspeito de ter agredido o sobrinho de 6 anos em Cujubim (RO). A informação foi repassada pela Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec).

O tio, responsável legal pela criança, havia fugido com um outro sobrinho, de 4 anos, irmão da vítima. Ele deve responder pelos crimes de tortura, omissão de socorro e lesão corporal.

Segundo o capitão Consalter, do 7º Batalhão da Polícia Militar, as buscas tiveram início logo após a polícia ter sido informada do crime.

“As buscas iniciaram tão logo a Polícia Militar tomou conhecimento de que a criança teria sido vítima de agressão, e não um acidente doméstico. As guarnições de Cujubim iniciaram as buscas para localizar o suspeito e resgatar essa criança [de 4 anos], pois as informações iniciais já eram de que ele estava em área de mata com essa criança e portando uma arma de fogo”.

O capitão também informou que uma preocupação da polícia durante as buscas era de que o tio “fizesse algo com o sobrinho de 4 anos”.

“As guarnições conseguiram capturar o suspeito e resgatar a criança, que aparentemente está com um estado geral de saúde preservado, embora com fome, com sede, cansada pela situação toda. Era uma preocupação muito grande da Polícia Militar que essa criança pudesse atrapalhar a fuga desse suspeito e eventualmente que ele tivesse uma postura agressiva e acabasse levando essa segunda criança a óbito pra garantir a sua fuga”.

Fonte: Assessoria

CN

Presidente Bolsonaro recebe alta após passar a noite internado 

O chefe do Executivo sentiu desconforto e foi atendido inicialmente pela equipe médica da Presidência

O presidente Jair Bolsonaro (PL) recebeu alta nesta terça-feira (29) após ter dado entrada no HFA (Hospital das Forças Armadas) na noite desta segunda (28). O chefe do Executivo foi internado depois de se sentir indisposto no Palácio do Planalto. Ontem, a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, afirmou que o marido “está bem” e foi ao hospital para realizar um exame. Aliados do presidente, no entanto, disseram que ele foi internado em razão de um refluxo.

Bolsonaro deixou a unidade de saúde por volta das 6h30 e vai cumprir a agenda do dia normalmente, segundo apurado. Às 9h o presidente embarcou de Brasília para Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul, onde participa de cerimônia de entrega de títulos de propriedades rurais a assentados da região.

Inicialmente, Bolsonaro foi atendido por médicos da equipe presidencial; em seguida, foi levado ao hospital para realizar exames. Em janeiro deste ano, o presidente foi internado em razão da suspeita de obstrução intestinal, em consequência da facada que levou durante a campanha eleitoral de 2018.

Bolsonaro já passou por seis cirurgias em decorrência da facada. Foram quatro em 2018 e duas em 2019 – para retirada da bolsa de colostomia e para correção de uma hérnia na incisão da cirurgia. A última internação do presidente foi em janeiro de 2022. Ele passava férias em Santa Catarina e precisou ser deslocado para São Paulo em um avião da FAB (Força Aérea Brasileira).

Na ocasião, houve a suspeita de que precisaria passar por nova cirurgia, mas, após uma semana de internação, a equipe médica decidiu autorizar a alta, sem a intervenção.

Fonte: R7

CN

EUA registram recorde de hospitalizações por Covid-19

País mais atingido pela pandemia no mundo tem 146 mil pessoas internadas com a doença, sendo 24 mil em UTIs e CTIs

Os Estados Unidos superaram nesta terça-feira (11) o seu recorde de pessoas hospitalizadas com Covid-19, com quase 146.000 pacientes internados, segundo dados do Departamento de Saúde do país.

Destes, quase 24.000 se encontram em unidades de cuidados intensivos.

O recorde anterior era de mais de 142.000 e foi batido em 14 de janeiro de 2021, há quase um ano.

Os Estados Unidos enfrentam atualmente um surto impressionante de Covid-19 vinculado à variante Ômicron do coronavírus. O país registrou um número recorde de contágios desde o fim de dezembro.

“Há 17 vezes mais risco de ser hospitalizado e 20 vezes mais de morrer, se você não estiver vacinado”, repetiu nesta terça o imunologista Antony Fauci, assessor especial da Casa Branca sobre a crise sanitária, durante comparecimento no Senado.

Em Nova York, no fim de dezembro, o número de hospitalizações era de pouco mais de 58 para cada 100 mil pessoas entre as não vacinadas, em comparação com pouco menos de 5 entre os pacientes com esquema vacinal completo.

Em média, 18.500 pessoas com Covid-19 dão entrada todos os dias em um hospital, segundo os Centros para Prevenção e Controle de Doenças (CDC, na sigla em inglês).

No entanto, algumas podem estar no hospital por outros motivos e testar positivo para o coronavírus quando submetidas a um teste de detecção.

Fonte: R7

CN

Paciente é internada com gripe e Covid-19 em RO

Segundo a Sesau, ela não tomou a vacina contra nenhuma das duas doenças e está em estado grave.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) divulgou que a primeira paciente contaminada com gripe e Covid-19 ao mesmo tempo em Rondônia é uma mulher de 31 anos. Segundo a Sesau, ela não tomou a vacina contra nenhuma das duas doenças e está em estado grave.

De acordo com os dados divulgados pela Secretaria, a mulher deu entrada no Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron) no dia 17 de dezembro de 2021. Seis dias depois, ela foi entubada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

No diagnóstico médico da paciente, consta que ela está com pneumonia causada por Sars-Cov-2 e Influenza. A dupla infecção pelas doenças é conhecida como “flurona”, uma junção das palavras “flu”, que é gripe em inglês, com parte da palavra “coronavírus”.

Por causa da semelhança dos sintomas, as duas infecções podem ser inicialmente confundidas. A única forma de identificar a flurona é fazendo os testes para Covid-19 e Influenza. Alguns sinais podem ajudar a diferenciar as doenças.

A gripe, como é chamada a infecção pelo vírus influenza, apresenta sintomas agudos logo nos primeiros dias da doença, como febre alta, tosse, dor de garganta, coriza e congestão nasal.

Já nos casos de Covid-19, a doença começa a evoluir a partir do 7° dia, podendo ou não levar a um quadro de insuficiência respiratória. Os sintomas mais comuns da Covid são dor na garganta, no corpo, congestão nasal e dores estomacais e diarreia.

Fonte: G1/RO

CN

Último paciente de Mato Grosso do Sul internado em Rondônia para tratamento da covid-19 recebe alta

Após ter saúde restabelecida, Edilson Custódio recebeu alta depois 42 dias em tratamento contra a covid-19

Edilson Custodio da Silva foi o último paciente vindo de Mato Grosso do Sul, que recebeu alta do Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro em Porto Velho na quarta-feira (8). Ele veio transferido em estado grave do município de Eldorado, por meio da Operação “Unidos pela Vida”, iniciativa do Governo de Rondônia, que tem como objetivo retribuir a ajuda recebida de outros estados durante a fase mais crítica da pandemia em Rondônia. Na época, Mato Grosso do Sul, ofereceu 18 vagas para Unidade de Terapia Intensiva (UTIs).

O paciente chegou no dia 5 de junho e ficou internado cinco dias na UTI do Hospital de Campanha de Rondônia. O tempo total de internação foi de 25. Devido muita febre e tosse foi encaminhado para o Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron), onde permaneceu internado por 28 dias. Após complicações da covid-19, seguiu para o Hospital de Base, onde passou por cirurgia de broncoscopia nasotraqueal e permaneceu por 42 dias até a alta hospitalar.

O gestor da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Fernando Máximo, desde então, vem acompanhado o estado de saúde dos pacientes vindos de Mato Grosso do Sul. “Nossa equipe multidisciplinar está cuidando desses pacientes como se fosse nossos rondonienses, sabemos que essa doença tem tirado muitas vidas, mas lutamos para que esses pacientes voltassem bem para seu estado de origem”.

Edilson Custodio agradeceu por todo o cuidado que teve. “Estou vivo para contar essa história e, isso graças a uma vaga que tive em Rondônia e a equipe de profissionais que cuidaram de mim e que tem muito amor pela profissão, pois o tempo que passei com eles percebi isso. Obrigado Rondônia e a todos os profissionais da Saúde”, finalizou.

Fonte: Sesau

CN

Presidente Donald Trump deixa hospital após três dias internado com covid-19

Aos jornalistas e fotórgrafos que o aguardavam do lado de fora do hospital, ele agradeceu: “muito obrigada”.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, saiu por volta das 18h38 (19h38, em Brasília) desta segunda-feira (5) do Centro Médico Militar Nacional Walter Reed, onde permaneceu desde a última sexta-feira após ter sido infectado pelo novo coronavírus.

Trump saiu do hospital caminhando pela porta da frente. Ele foi levado em um curto percurso de carro até o helicóptero presidencial Marine One e partiu de Maryland até a capital, Washington DC, em um percurso de aproximadamente 15 km.

Aos jornalistas e fotórgrafos que o aguardavam do lado de fora do hospital, ele agradeceu: “muito obrigada”. Mas não respondeu nenhuma pergunta. Apenas posou para uma foto fazendo um jóia com a mão.

Pouco antes de deixar o hospital, o presidente anunciou pelo twitter que “voltará à campanha eleitoral em breve”. Ele acrescentou que as pesquisas eleitorais são notícias falsa. Cerca de 20 minutos depois de sair do hospital, o Marino Onde pousou na Casa Branca.

Agora, Trump continuará o tratamento contra a covid-19 na Casa Branca. A quarta dose do antiviral Remdesivir, por via intravenosa, será aplicada ainda na noite de hoje, segundo os médicos que assistem o republicano. A última dose será amanhã à noite.

Mais cedo, o médico da Casa Branca, Sean Conley, afirmou em entrevista coletiva que tudo o que estava sendo feito no hospital pode ser mantido na residência oficial.

Trump também está tomando o anti-inflamatório dexametasona. O objetivo desse remédio é evitar um processo inflamatório provocado por uma reação exagerada do sistema imunológico ao vírus que ocorre em alguns pacientes com covid-19 e que pode levar à morte. 

Não é possível prever quais pacientes terão essa chamada “tempestade” inflamatória, mas quando acontece, é entre o sétimo e décimo dias desde o início dos sintomas, em média — Trump está no quarto dia. 

Por essa razão, Conley ressaltou que o presidente “ainda não está fora de perigo” e que ele dará “um profundo suspiro de alívio” se o quadro de saúde do republicano se mantiver igual ou melhorar até a próxima segunda-feira.

O fato de não ter mais febre nas últimas 72 horas e a oxigenação sanguínea normal contribuíram para que os médicos autorizassem volta do presidente para casa. 

Trump foi submetido a diversos exames, incluindo de fígado e rins, antes de ser liberado. Os médicos disseram que todos os resultados foram satisfatórios.

Trump tem 74 anos, é tecnicamente obeso, toma remédio para controlar o colesterol e é do sexo masculino, fatores de risco para desenvolver quadros graves de covid-19.

Ontem, o presidente saiu de carro para acenar a apoiadores que permaneciam nas redondezas do centro médico. De máscara, ele apenas passou dentro do veículo pelos grupos acampados e retornou ao hospital.

Fonte: R7

CN