Fale conosco pelo WhatsApp(69) 99916-3250

Hackers teriam tentado invadir empresa da campanha de Biden

Segundo fontes, a empresa de estratégia de campanhas SKDKnickerbocker sofreu uma tentativa de invasão e suspeitos seriam hackers russos

A Microsoft recentemente alertou uma das principais empresas contratadas pela campanha do candidato democrata à presidência dos Estados Unidos, Joe Biden, de que ela havia sido alvo de supostos hackers russos apoiados pelo governo do país, segundo três pessoas familiarizadas com o assunto.

grupo russo de hackers, que muitos pesquisadores cibernéticos chamam de “Fancy Bear”, é controlado pela agência de inteligência militar da Rússia, de acordo com relatórios da comunidade de inteligência dos EUA divulgados após as eleições de 2016.

As tentativas de ataques hackers tiveram como alvo nos últimos dois meses funcionários da SKDKnickerbocker, uma empresa de estratégia de campanha e comunicação que trabalha com Biden e outros democratas proeminentes, disseram as fontes.

Uma pessoa familiarizada com a resposta da SKDK às tentativas disse que os hackers não conseguiram obter acesso às redes da empresa. “Eles estão bem defendidos, então não houve nenhuma violação”, disse a fonte.

A vice-presidente da SKDK, Hilary Rosen, não quis comentar. Um porta-voz de Biden não respondeu a um pedido de comentário.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, considerou as acusações “absurdas”. Moscou nega repetidamente o uso de hackers para interferir nas eleições de outros países.

Uma das fontes disse que não estava claro se a campanha de Biden era o alvo ou se os hackers estavam tentando obter acesso a informações sobre outros clientes da SKDK.

As tentativas de invasão à SKDK foram recentemente sinalizadas para a empresa pela Microsoft, que identificou hackers ligados ao governo russo como os prováveis culpados, de acordo com as três fontes informadas sobre o assunto.

Os ataques incluíam phishing, um método que visa induzir os usuários a revelar senhas, além de outros esforços para se infiltrar na rede da SKDK, disseram as três fontes.

Um porta-voz da Microsoft não quis comentar.

A SKDK é bastante associada ao Partido Democrata, tendo trabalhado em seis campanhas presidenciais e numerosas disputas parlamentares. Além de seu trabalho atual para Biden, a empresa trabalhou em 2018 em disputas bem-sucedidas para governadores no Kansas e Connecticut.

Fonte: R7

Operação da PF mira hackers que invadiram sistema público

Grupo teria invadido sistemas públicos de informação no no RJ, PR, CE, GO e RS; dados de mais de 200 servidores teriam sido acessados 

A PF (Polícia Federal) inicia nesta sexta-feira (26) uma ação contra hackers que invadiram dados privados de servidores e autoridades públicas. Entre eles estaria, segundo o site do jornal O Estado de S.Paulo, exames do presidente Jair Bolsonaro divulgados durante a pandemia.

A Operação Capture the flag cumpre três mandados judiciais de busca e apreensão no Rio Grande do Sul e Ceará.

A investigação suspeita de acesso ilícito a dados pessoais de mais de 200 mil servidores e autoridades “com o objetivo de intimidar e constranger tanto as instituições quanto as vítimas que tiveram seus dados e intimidade expostos”.

Entre os alvos, estariam sistemas de universidades federais, prefeituras e câmaras de vereadores municipais nos estados do Rio de Janeiro, Paraná, Goiás e Rio Grande do Sul, de um governo estadual e diversos outros órgãos públicos. Somente no Rio Grande do Sul, foram mais de 90 instituições invadidas pelos hackers.

A investigação se concentra na apuração dos crimes de invasão de dispositivo informático, corrupção de menores, estelionato e organização criminosa, mas há indícios, ainda, de compras fraudulentas pela internet e fraudes bancárias.

Fonte: R7