Caças Israelenses e bombardeiros dos EUA fazem ‘demonstração de força’ ao Irã (Vídeo)

.

Força Aérea israelense escoltaram dois bombardeiros americanos B-52 através do espaço aéreo israelense.

No domingo (7), caças F-15 de Israel escoltaram dois bombardeiros B-52 norte-americanos no espaço aéreo israelense.

De acordo com as Forças de Defesa de Israel (FDI), o voo foi “parte da cooperação estratégica conjunta com as forças norte-americanas, que é fundamental para manter a segurança dos céus israelenses e do Oriente Médio”.

​Hoje (domingo), caças F-15 da Força Aérea israelense escoltaram dois bombardeiros americanos B-52 através do espaço aéreo israelense. O voo é parte da cooperação estratégica conjunta com as forças norte-americanas, que é fundamental para manter a segurança dos céus israelenses e do Oriente Médio.

As FDI não declararam diretamente que a manobra foi realizada para demostrar força para Irã, entretanto, o voo foi realizado em um momento de tensões elevadas entre EUA e Israel, de um lado, e Irã, de outro.

Enquanto isso, o ministro da Defesa do Irã, Amir Hatami, declarou que Teerã vai “arrasar Tel Aviv e Haifa”, as duas maiores cidades israelenses, caso tentem atacar a República Islâmica.

Anteriormente, o ministro da Defesa de Israel, Benny Gantz, revelou que Tel Aviv identificou “numerosos alvos” no Irã, cuja destruição potencialmente poderia comprometer a capacidade de Teerã desenvolver armas nucleares.

As forças do Comando Central do Exército dos EUA (CENTCOM, na sigla em inglês) intensificaram sua presença no Oriente Médio desde o ano passado, realizando missões para dissuadir o Irã.

No final de 2020, os EUA realizaram uma demonstração de força ao implantar o grupo de ataque do porta-aviões USS Nimitz na região e sobrevoar a área com dois bombardeiros B-52. O objetivo seria impedir Teerã de realizar qualquer ataque às forças dos EUA no primeiro aniversário do assassinato do general iraniano Qassem Soleimani pelos Estados Unidos, segundo a mídia.

Fonte: Sputnik

Centenas de israelenses protestam contra ‘passe verde’ para vacinados

Manifestantes acusaram governo de querem criar divisão entre aqueles que não querem ser vacinados e o resto da população

Algumas centenas de israelenses protestaram na noite de quarta-feira (24) em Tel Aviv contra as medidas do governo para estimular a vacinação, que a partir desta semana incluem um passe verde que permite o acesso a certos locais e atividades apenas para os vacinados contra covid-19.

O protesto aconteceu na Praça Habima, em Tel Aviv, em frente a um icônico teatro e justamente no dia em que o município organizou o primeiro “Concerto do Passe Verde”, no qual só podiam entrar aqueles que haviam recebido as duas doses da vacina há pelo menos uma semana.

Alguns dos manifestantes exibiram cartazes acusando o governo de instalar um regime de apartheid que marginalizará aqueles que não querem ser vacinados, e outros até compararam o passe verde às marcas que os judeus tiveram que usar na Alemanha nazista.

De acordo com a imprensa local, o protesto reuniu vários grupos, em sua maioria marginalizados, e alguns deles negam não apenas a eficácia da vacina, mas também o perigo do coronavírus.

No entanto, sua reivindicação representa um setor significativo da sociedade, que inclui múltiplas ONGs e até mesmo acadêmicos, que expressaram preocupação com o avanço do governo nas liberdades individuais da população no esforço de vacinar o maior número possível de pessoas.

Além da introdução do passe verde, o Parlamento aprovou ontem uma lei que autoriza o envio de listas de pessoas não vacinadas às autoridades locais, e uma comissão parlamentar deu sua aprovação inicial a uma medida que permitiria aos israelenses que chegassem do exterior se isolarem em casa, em vez de em hotéis, mas com a condição de usar uma pulseira eletrônica para monitorar seus movimentos.

Fonte: R7

%d blogueiros gostam disto: