Itália restringe entrada de viajantes procedentes da União Europeia

Turistas precisarão apresentar teste negativo para a Covid-19 e não vacinados vão permanecer em quarentena de cinco dias

A Itália endureceu as condições de acesso ao país para os viajantes procedentes da União Europeia (UE), exigindo um teste negativo obrigatório a todos e uma quarentena de cinco dias aos não vacinados.

Assinada pelo ministro da Saúde, Roberto Speranza, a norma entra em vigor nesta quinta-feira (16). As autoridades solicitam “a apresentação obrigatória de um teste negativo na saída do país de origem a todas as pessoas que chegarem de países da União Europeia”, explicou um porta-voz. 

Até então, os cidadãos da UE podiam viajar para a Itália com o passaporte sanitário, que certifica que foram submetidos ao ciclo completo de vacinação, superaram um quadro de Covid-19 ou tiveram um teste negativo.

Agora, indivíduos não vacinados terão de cumprir uma quarentena de cinco dias em sua chegada, além de apresentar um teste negativo para o novo coronavírus. Pessoas que chegarem de fora da UE também deverão cumprir uma quarentena. 

Válidas até 31 de janeiro de 2022, essas novas medidas foram adotadas em meio à nova onda de Covid-19, marcada pela rápida propagação da variante Ômicron

Segundo estudos recentes, essa variante pode ser mais resistente às vacinas e é mais transmissível do que a cepa Delta, que é detectada na maioria dos casos de Covid-19 no mundo. 

Nas últimas 24 horas, a Itália registrou mais de 20 mil novas infecções e 120 óbitos. O país pagou um preço alto nesta pandemia, acumulando mais de 133 mil mortes até agora.

Fonte: R7

Médico é preso na Itália por simular vacinação contra Covid

Profissional da saúde cobrava 500 euros para falsificar certificados de imunização, obrigatórios para determinadas atividades no país

Um médico de 64 anos foi preso em Ravenna, norte da Itália, sob a acusação de simular vacinações anti-Covid em pessoas que não foram imunizadas para permitir que elas obtivessem o certificado sanitário do governo.

Segundo a polícia, foram apreendidos 79 “passes verdes”, documento distribuído a pessoas curadas da doença, imunizadas ou testadas contra o novo coronavírus.

Desde 15 de outubro, esse certificado é exigido em todos os locais de trabalho na Itália, de modo que quem não se vacinou precisa realizar de dois a três exames por semana para não ter descontado o dia de salário.

O médico detido é acusado de peculato, falsidade ideológica e corrupção e foi suspenso pela Agência Sanitária Local de Ravenna.

A investigação nasceu na província de Belluno, após um homem antivax (pessoa que é contra vacinações) ter percorrido os 230 quilômetros que a separam de Ravenna para levar a filha menor de idade ao médico para ser imunizada.

Exames posteriores mostraram que a jovem não desenvolveu nenhum anticorpo após a suposta vacinação, situação também verificada em outros pacientes recém-imunizados pelo mesmo médico. O valor de cada fraude é estimado pela polícia em 500 euros (aproximadamente R$ 3 mil).

Ainda de acordo com os investigadores, o médico retirou 15 frascos da vacina da Pfizer no início de outubro, totalizando cerca de 90 doses, sendo que 13 deles foram usados para fraudar o certificado sanitário. Ao mesmo tempo, as ampolas ficaram inutilizáveis porque foram mantidas em temperatura ambiente.

“Se as acusações forem confirmadas, estaremos diante de um caso gravíssimo que ofende toda a comunidade da Emilia-Romagna”, afirmou o secretário de Saúde da região, Raffaele Donini.

“É de se indignar esse comportamento irresponsável em relação a uma população que, após quase dois anos de lutos, dores familiares e enormes sacrifícios econômicos, está se reerguendo com muito esforço para reencontrar a normalidade”, acrescentou.

Fonte: R7

Bolsonaro se encontra com líderes conservadores italianos

Ex-ministro do Interior, o senador Matteo Salvini agradeceu a participação do Brasil no envio do terrorista Cesare Battisti à Itália

Na cerimônia que homenageou, na cidade italiana de Pistoia, os 465 brasileiros que morreram em combate na Segunda Guerra Mundial — último compromisso oficial do presidente antes de retornar ao Brasil —, Bolsonaro se encontrou com o senador Matteo Salvini e o deputado Roberto Lorenzato, líderes do partido conservador italiano Liga.

Salvini agradeceu a Bolsonaro pela colaboração do Brasil na prisão, na Bolívia, do terrorista Cesare Battisti, que foi enviado diretamente à Itália, onde hoje cumpre prisão perpétua. 

No encontro, Salvini disse que, às vezes, seu país esquece “a importância do Brasil na liberação da Itália do nazifascismo pela FEB [Força Expedicionária Brasileira]”. O político italiano também pediu desculpas a Bolsonaro pelos protestos contrários a ele na Itália. “Hoje, a esquerda foi a tilt [pirou]”, afirmou.

Salvini era ministro do Interior da Itália quando ocorreu o episódio do barco com 140 imigrantes impedido de ancorar na Itália, em 2019. Foi Salvini quem, na ocasião, proibiu o desembarque dos imigrantes.

Fonte: R7

Bolsonaro embarca para a Itália, onde participará de reunião do G20

Durante passagem pelo país europeu, presidente receberá homenagem da cidade natal de sua família

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) embarcou para a Itália na noite desta quinta-feira. O chefe do Executivo ficará no país europeu até 3 de novembro, onde participará da reunião de cúpula do G20 – grupo que reúne os 19 países mais ricos do mundo mais a União Europeia –, em Roma.

Durante o encontro, que vai ocorrer nos dias 30 e 31 de outubro, o governo brasileiro vai tratar de temas nas áreas de saúde, comércio, clima, meio ambiente e inclusão social.

O Executivo fez uma lista com 12 assuntos prioritários, entre eles o acesso de países em desenvolvimento a vacinas contra a Covid-19 e a diversificação da capacidade de produção de vacinas para atender as nações mais pobres.

Além disso, a comitiva presidencial deve abordar o debate sobre como acelerar a produção energética por meio de bioenergia e outras fontes renováveis.

Neste ano, o G20 está sob a presidência do governo italiano, e, na área política, os líderes vão debater sobre 13 temas: relações exteriores, desenvolvimento, comércio e investimento, agricultura, saúde, clima e energia, meio ambiente, pesquisa, tecnologia e inovação, economia digital, trabalho e emprego, turismo e cultura.

Homenagem

Bolsonaro vai aproveitar a visita à Itália para receber o título de cidadão honorário de Anguillara Veneta, cidade de origem de sua família, que fica na província de Pádua, no nordeste do país.

O título partiu de um pedido da prefeita da cidade, Alessandra Buoso, e foi aprovado na Câmara Municipal. Foram nove votos favoráveis à entrega do título e quatro contrários.

Segundo o governo federal, ainda em Pádua, Bolsonaro deve participar de uma cerimônia em memória dos pracinhas brasileiros que faleceram na Segunda Guerra Mundial.

Fonte: R7

Itália não exigirá máscaras ao ar livre a partir de 28 de junho

Casos de covid-19 e hospitalizações estão em queda

A Itália vai suspender a exigência do uso de máscaras ao ar livre a partir de 28 de junho, disse o governo nessa segunda-feira (21), já que os casos de covid-19 e as hospitalizações pela doença estão em queda.

O uso obrigatório de máscaras foi imposto em outubro do ano passado, quando o país entrava em uma segunda onda da epidemia e as autoridades mostravam dificuldade para conter as infecções.

O governo de Mario Draghi está suspendendo restrições continuamente desde abril, e com isso reativando atividades como restaurantes, bares, cinemas e academias de ginástica e permitindo a liberdade de circulação no país.

O uso de máscaras era uma das últimas regras ainda em vigor, e será mantido em áreas públicas fechadas.

A decisão começará a valer na próxima segunda-feira, quando toda a nação deve se tornar uma zona branca de covid-19, o nível de risco mais baixo do sistema de quatro estágios coloridos usado pela Itália para calibrar as restrições em suas 20 regiões.

Dezenove delas já estão brancas, com exceção da área minúscula de Valle d’Aosta, no norte, que está amarela – o segundo menor nível de risco.

“A partir de 28 de junho, deixaremos para trás a necessidade de usar máscaras ao ar livre nas zonas brancas”, disse o ministro da Saúde, Roberto Speranza, no Facebook, depois de ser orientado pelo conselho de especialistas do governo.

Os italianos devem continuar levando máscaras consigo quando saírem de casa e estar prontos para usá-las ao ar livre se houver multidão.

Fonte; Agência Brasil

Monte Etna ilumina noites na Itália com explosões e fontes de lava

A cratera sudeste está no epicentro da atividade

O monte Etna da Itália, o vulcão ativo mais alto da Europa, está iluminando o céu noturno com explosões, fontes de lava e colunas de cinzas e maravilhando os observadores no local e nas redes sociais.

“Estamos observando uma atividade mais forte do que o normal, com mais magma subindo pelos dutos e mais ricos em gás”, disse Stefano Branca, chefe do Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia (INGV) de Catânia, no sopé do vulcão, à Reuters.

A lava que desce ao longo da margem ocidental da montanha de 3,3 quilômetros de altura é visível na maior parte do litoral leste da Sicília. Twitter, Instagram e Facebook estão repletos de fotos e vídeos.

De Siracusa, no sul da Sicília, e das Ilhas Eólias, no litoral norte, imagens mostravam colunas de cinzas imensas e fontes vermelhas de fogo atingindo as encostas enevoadas do Etna.

A cratera sudeste está no epicentro da atividade, que começou em 16 de fevereiro e iluminou o vulcão seis vezes nos últimos oito dias. Cinzas e fragmentos de rocha cobriram ruas e edifícios de cidades pequenas vizinhas.

Na noite de quarta-feira, a fonte de lava alcançou uma altura de cerca de 400 metros, disse o INGV, que descreveu a atividade como “stromboliana” — uma referência ao pequeno, mas muito ativo vulcão Stromboli, situado no litoral da Sicília e conhecido por suas explosões frequentes de magma.

Branca disse que, no geral, a atividade do Etna é semelhante à das mais de 200 erupções ocorridas desde 1998 e que não existe risco para as pessoas e cidades ao redor da montanha.

Fonte: Agência Brasil

Premiê italiano renuncia; presidente iniciará consultas

Amanhã, presidente Sergio Mattarella iniciará consultas com partidos

O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, entregou sua renúncia ao presidente do país nesta terça-feira (26), abrindo caminho para consultas formais sobre como superar a crise política, anunciou o gabinete presidencial.

O presidente da Itália, Sergio Mattarella, iniciará consultas com líderes partidários na tarde de quarta-feira, informou seu gabinete em um comunicado, acrescentando que ele pediu a Conte que permaneça em caráter interino enquanto as conversas ocorrem.

Conte perdeu a maioria absoluta que tinha no Senado do país na semana passada, quando um parceiro minoritário de sua coalizão, o partido Itália Viva, liderado pelo ex-premiê Matteo Renzi, deixou a aliança por causa de uma disputa sobre a maneira que o governo lida com a pandemia de coronavírus e com a recessão econômica.

Fonte; Agência Brasil

França e Espanha acham nova cepa na véspera de vacinação na Europa

Itália já tinha descoberto mutação do coronavírus na quarta (23); ao menos 5 países receberam lotes da Pfizer neste sábado (26)

Os países da União Europeia receberam neste sábado (26) os lotes das vacinas contra a covid-19 que serão aplicados em grupos de risco da população a partir deste domingo (27). Os países do bloco se unem a um grupo de pelo menos 16 nações que já tinham iniciado a vacinação.

Itália, Romênia, Hungria, Espanha e França armaram grandes operações para a chegada das encomendas das vacinas da Pfizer, fabricadas pela BioNTech neste sábado, mesmo dia em que Espanha e França anunciam ter detectado em seus territórios infecções com a nova cepa do coronavírus, encontrada pela primeira vez no Reino Unido.

A Itália foi a primeira a encontrar o vírus de origem britânica, na quarta-feira (23). A vítima foi um morador de Loreto, Ancona, e, de acordo com as autoridades do país, ele não teve contato com ninguém do Reino Unido. A Espanha detectou a nova cepa em quatro pessoas, enquanto a França a achou em uma francesa diagnosticada em Tours, mas que mora na Inglaterra.

Apesar dos registros, o clima é de otimismo na União Europeia. Contribui para isso o otimismo da BioNTech, responsável pela fabricação das vacinas que começam a ser aplicadas amanhã. Segundo a empresa, é “bem provável” que o imunizante tenha efeito também sobre a mutação do coroanvírus.

Distribuição de vacinas

A Itália recebeu neste sábado 9.750 doses da vacina da Pfizer/Biontech. O carregamento, vindo da Bélgica, foi escoltado por policiais até o Hospital Spallanzani em Roma, de onde será distribuído para o restante do país.

Também foram fabricadas na indústria da BioNTech na Bélgica as 19,5 mil de doses que chegaram à França.

Grécia e Hungria, que ficaram com a mesma quantidade de imunizantes da Itália (9,75 mil), receberam os lotes no início desta manha. Os húngaros, aliás, se anteciparam e começaram as aplicações a profissionais de saúde neste sábado (26).

Romênia recebeu 12,5 mil doses. Espanha montou uma forte operação de segurança para manter as vacinas protegidas no centro de Madri, de onde partem para outras localidades do país.

Fonte: R7

Itália endurece restrições para conter alta da covid-19

Medida entrará em vigor em 24 horas e terá duração de 30 dias

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, impôs nesta terça-feira (13) novas restrições a reuniões, restaurantes, esportes e atividades escolares numa tentativa de desacelerar o crescente aumento nas infecções pelo novo coronavírus.

O decreto do governo, publicado após vários dias com versões do texto e especulações de ministros sobre as medidas a serem adotadas, entrará em vigor em 24 horas e terá duração de 30 dias.

Ele proíbe festas em restaurantes, clubes ou a céu aberto e recomenda enfaticamente que as pessoas não façam festas em suas casas ou recebam mais de seis convidados por vez. Casamentos e outras cerimônias não podem ter a presença de mais de 30 pessoas.

O decreto aconselha firmemente o uso de máscaras, que já é obrigatório ao ar livre e em prédios públicos, dentro de casa quando membros de fora da família estiverem presentes.

Restaurantes e bares podem ficar abertos até meia-noite para serviço de mesa, mas não podem servir pessoas de pé, dentro ou fora do estabelecimento, depois das 21h.

Esta medida visa inibir as grandes aglomerações do lado de fora de bares, apontadas como uma das responsáveis pela alta recente no número de infecções.

O número diário de novos casos de coronavírus na Itália dobrou na semana passada, chegando a 5 mil na sexta-feira (9) pela primeira vez desde março e se aproximando de 6 mil no sábado. O número caiu significativamente nos dois últimos dias, mas normalmente sobem na segunda metade da semana.

De acordo com os dados, o número de mortes causadas pela covid-19 é bem menor do que o pico superior a 900 por dia registrado no final de março, mas os óbitos também têm aumentado nos últimos dias, com 39 sendo registrados na segunda.

Pelo decreto, esportes de contatos praticados por amadores, como futebol, estão proibidos, a não ser que sejam organizados por entidades reconhecidas que tenham concordado com os protocolos para a covid-19 estabelecidos pelas federações nacionais.

As escolas permanecerão abertas, mas atividades fora da sala de aula serão restritas, com uma proibição de viagens escolares.

Fonte: Agência Brasil

Itália começa a testar possível vacina contra covid-19 em voluntários

Testes serão feitos com 90 pessoas nas próximas semanas

A Itália iniciou testes de uma candidata a vacina contra a covid-19 em humanos nessa segunda-feira (24), juntando-se a um esforço global em busca de uma reação ao vírus, que deu sinais de estar ressurgindo na Europa.

O Instituto Lazzaro Spallanzani, um hospital de Roma especializado em doenças infecciosas, realizará testes com 90 voluntários nas próximas semanas, na esperança de que uma vacina esteja disponível até a primavera local do ano que vem.

Francesco Vaia, diretor de saúde do hospital Spallanzani, disse à Reuters que o primeiro paciente será monitorado durante quatro horas antes de voltar para casa, onde será mantido em observação durante 12 semanas.

“Veremos se ele apresenta algum efeito colateral e se produz anticorpos neutralizadores”, disse Vaia, acrescentando que a segunda fase dos teste acontecerá em países com taxas de infecção mais altas, como México e Brasil.

“Se conseguirmos ser rápidos, teremos as primeiras vacinas no mercado na próxima primavera”, acrescentou Vaia.

A potencial vacina, chamada GRAd-COV2, foi desenvolvida pela ReiThera, uma empresa sediada em Roma. A região de Lazio, no entorno da capital italiana, informou em comunicado que testes iniciais, inclusive em animais, deram resultados positivos.

Várias vacinas em potencial estão passando por testes em diversos países, como Índia, Reino Unido, Rússia e China, enquanto cientistas correm para desvendar os segredos de um vírus que surgiu há menos de um ano.

“As mentes e pesquisas de nosso país estão a serviço do desafio global de derrotar a covid”, escreveu o ministro da Saúde, Roberto Speranza, no facebook ao anunciar o início do teste.

A Itália, que soma mais de 35 mil mortes e é uma das nações europeias mais atingidas, viu a epidemia atingir seu pico entre março e abril e depois aparentemente recuar, mas desde então testemunhou uma disparada de casos novos – mais de mil foram registrados no último fim de semana.

Outros países da Europa viram aumentos ainda maiores, depois do relaxamento das restrições severas e das medidas de distanciamento social impostas no começo do ano.

Fonte: Agência Brasil

%d blogueiros gostam disto: