Com Olimpíada próxima, EUA desaconselham viagens ao Japão

Medida foi tomada por causa de aumento de casos de covid-19

O Departamento de Estado dos Estados Unidos desaconselhou, nesta segunda-feira (24), viagens ao Japão por causa de uma nova onda de infecções pelo novo coronavírus (covid-19), emitindo a orientação “Não Viaje” quando faltam apenas dois meses para a Olimpíada de Tóquio.

O Departamento de Estado também emitiu seu alerta Nível 4 contra viagens para o Sri Lanka em meio ao aumento de casos do novo coronavírus no país. O organismo viu um risco menor sobre visitas à nação caribenha de Antígua e Barbuda, rebaixando as ilhas para uma designação de Nível 3 – Reconsiderar Viagem.

A Olimpíada de Tóquio está programada para começar em 23 de julho, evento que uma importante autoridade olímpica disse, na semana passada, que aconteceria mesmo sob um estado de emergência, após ter sido adiado no ano passado.

A orientação do Departamento de Estado não mencionou especificamente os próximos Jogos Olímpicos, mas alertou contra a visita ao país agora.

“Os viajantes devem evitar todas as viagens ao Japão”, disse o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC). “Devido à situação atual no Japão, mesmo os viajantes totalmente vacinados podem ter o risco de contrair e disseminar variantes da covid-19 e devem evitar todas as viagens para o Japão”, encerrou.

Fonte: Agência Brasil

Centros de vacinação em massa são inaugurados em Tóquio e Osaka

Objetivo é vacinar 36 milhões de idosos até o fim de julho

O Japão abriu hoje (24) unidades de vacinação de grande escala em Tóquio e na província de Osaka. Autoridades afirmam que o objetivo é imunizar os 36 milhões de cidadãos idosos do país até o fim de julho.

As duas unidades são operadas pelas Forças de Autodefesa do Japão, e a vacina distribuída em ambas é a fabricada pela Moderna, recentemente aprovada no país.

A unidade de Tóquio recebeu 5 mil agendamentos para o dia de sua inauguração, enquanto a de Osaka recebeu 2.500. O governo informou que a expectativa é de que a capacidade combinada dos dois centros possa ser dobrada na semana que vem.

Um homem que foi vacinado disse estar contente por ter recebido a primeira dose e que o processo ocorreu sem nenhum problema. Uma mulher afirmou que sua impressão é de que teve que esperar um tempo muito longo para receber o imunizante, se comparado com outros países, e que o Japão poderia ter dado início ao programa mais cedo.

A partir desta segunda-feira, os dois centros ampliaram o critério para reserva online, passando a incluir pessoas com 65 anos de idade ou mais, residentes de qualquer região de Tóquio e da província de Osaka. Até então, apenas cidadãos idosos residentes em certas regiões da capital e da província de Osaka estavam habilitados a fazer o agendamento. Os idosos que vivem nas províncias vizinhas de Chiba, Saitama, Kanagawa, Kyoto e Hyogo vão ter acesso ao agendamento de sua primeira dose a partir da semana que vem.

O programa de vacinação do Japão teve início em fevereiro com a inoculação apenas de profissionais da saúde até a sua expansão, em abril, para incluir idosos. A campanha no país está atrasada com relação a outras nações do Grupo dos 7, com apenas 4% da população idosa tendo recebido pelo menos uma dose.

O Japão registrou mais de 4 mil novos casos de covid-19 e mais de 60 mortes nesse domingo (23). O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social informou que o número de pacientes em estado grave atingiu alta recorde de 1.304 no mesmo dia.

Atualmente, dez províncias estão sob estado de emergência para o a covid-19, após a adição de Okinawa à lista no domingo. A declaração para as outras nove províncias – entre elas, Tóquio e Osaka – está prevista para terminar no dia 31 de maio. Mas com o número de infecções permanecendo em um patamar alto, autoridades estão agora considerando estender mais uma vez o estado de emergência para vigorar até dia 20 de junho, mesma data prevista para Okinawa.

Fonte: Agência Brasil

Presidente do COI reafirma ao Japão que Olimpíada será segura

Bach acredita que 80% dos atletas estarão vacinados antes dos Jogos

O Comitê Olímpico Internacional (COI) reafirmou nesta quarta-feira (19) a um Japão apreensivo que a Olimpíada de Tóquio será segura tanto para os atletas quanto para a comunidade que os receberá em meio a uma oposição crescente aos Jogos e temores de que eles causem um pico de casos de covid-19.

Falando em Tóquio ao lado de autoridades japonesas de alto escalão, o chefe do COI, Thomas Bach, disse acreditar que mais de 80% dos ocupantes da Vila Olímpica estarão vacinados ou registrados para se vacinar antes dos Jogos, agendados para começar em 23 de julho.

Ele rejeitou os apelos cada vez maiores de cancelamento da grande atração esportiva global, já adiada uma vez devido à pandemia, dizendo que outros eventos esportivos provaram que a Olimpíada pode acontecer com precauções fortes contra a covid.

Os comentários de Bach vieram no momento em que o Japão mantém uma batalha contra uma quarta onda de infecções, mas a campanha de vacinação lenta mina a confiança pública já baixa de que a Olimpíada deveria ir adiante.

“Junto com nossos parceiros e amigos japoneses, só posso voltar a enfatizar este compromisso total do COI de organizar Jogos Olímpicos e Paralímpicos seguros para todos”, disse Bach. “Para conseguir isto, estamos agora plenamente concentrados na realização dos Jogos Olímpicos”.

Menos de 30% dos profissionais de saúde de grandes cidades do Japão já foram vacinados contra o coronavírus a 65 dias do início da Olimpíada, noticiou o jornal Nikkei.

Fonte: Agência Brasil

Estudo diz que vacina usada no Japão imuniza contra variantes

Pesquisa examinou amostras de sangue de 105 profissionais de saúde

Estudo realizado no Japão indica que cerca de 90% de mais de uma centena de pessoas nas quais foram aplicadas duas doses de vacina para o novo coronavírus apresentaram anticorpos considerados eficazes na imunização contra variantes.

Uma equipe de pesquisadores da Universidade Municipal de Yokohama examinou amostras de sangue de 105 profissionais de saúde no Japão que receberam duas doses da vacina Pfizer–BioNTech em março e abril.

Constatou-se que 89% dos indivíduos apresentaram quantidade suficiente de anticorpos tidos como eficazes contra sete variantes do novo coronavírus propagadas no Reino Unido, na África do Sul, no Brasil e em outros países.

Epidemiologistas dizem que vacinas disponíveis atualmente podem ter sobre algumas variantes um efeito menor do que sobre a cepa original.

A equipe japonesa afirma que 94% dos indivíduos incluídos no estudo tiveram uma quantidade suficiente de anticorpos considerados eficazes contra a variante britânica; 90% contra a cepa da África do Sul; 94% contra a do Brasil; e 97% contra a da Índia. Além disso, 99% apresentaram em quantidade suficiente anticorpos tidos como eficazes contra a cepa original.

O professor Yamanaka Takeharu, um dos integrantes da equipe, interpreta os resultados como uma mostra de que, com o recebimento das duas doses, as pessoas possam obter anticorpos neutralizantes contra variantes conhecidas atualmente. Ele adverte, porém, que nem todos os vacinados apresentaram uma contagem suficiente de anticorpos neutralizantes.

Yamanaka informou, ainda, que a equipe incluirá no estudo um número maior de pessoas para a coleta de mais dados.

Fonte: Agência Brasil

Japão lembra hoje 10 anos de terremoto, tsunami e acidente nuclear

Tremor de magnitude 9 na escala Richter deixou 18,5 mil mortos

O Japão lembra nesta quinta-feira (11) o 11.º aniversário da tragédia de 11 de março de 2011, quando ocorreu  um terremoto, seguido de tsunami e do acidente nuclear na Usina de Fukushima, que traumatizou todo o país.

O elevado número de mortos ou desaparecidos, 18.500 pessoas, foi causado principalmente pelo gigantesco tsunami, que varreu a costa do Nordeste japonês, pouco depois do terremoto de magnitude 9 na escala Richter.

As ondas invadiram também a Central Nuclear de Fukushima Daiichi, onde os núcleos de três dos seis reatores entraram em fusão e deixaram inabitáveis várias cidades durante anos, devido às radiações. Dezenas de milhares de moradores foram obrigados a sair das suas casas, depois de criada uma zona de exclusão.

Este foi o pior acidente nuclear desde Chernobyl, na Ucrânia, em 1986.

Numerosas cerimônias públicas e privadas estão previstas na prefeitura de Fukushima, bem como em Tóquio, e um minuto de silêncio vai ser observado às 14:46 (05:46 em Lisboa), hora do tremor de Tohoku de 2011, um dos mais violentos registrados no mundo.

Em Miyagi, uma das três prefeituras do Nordeste japonês, na ilha de Honshu, mais atingidas pela catástrofe, operações de busca vão ser organizadas pelos habitantes, que esperam ainda encontrar os restos mortais de uma pessoa.

As hipóteses parecem reduzidas, mas os restos de uma mulher, arrastada pelas gigantescas ondas de há dez anos, foram identificados na passada semana.

Em 13 de fevereiro, um terremoto de magnitude 7,3 lembrou o risco sísmico permanente na costa do Japão. Mais de uma centena de pessoas ficaram feridas nessa ocorrência, considerada uma longínqua réplica do tremor de 2011.

Hoje, em Tóquio, ainda sob estado de emergência devido à pandemia de covid-19, cerimônias restritas vão ocorrer no Teatro Nacional do Japão, com discursos previstos do imperador Naruhito e do primeiro-ministro, Yoshihide Suga.

A pandemia também será lembrada em outras cerimônias, como em Taro (região de Miyagi), onde os moradores têm por hábito concentrar-se para rezar no alto da proteção antitsunami, de mãos dadas. Este ano, vão respeitar o distanciamento físico, imposto pela covid-19.

Essas cerimônias são realizadas duas semanas antes da partida prevista, em Fukushima, da chama olímpica no percurso para Tóquio2020, que a organização vê como os “Jogos Olímpicos da Reconstrução”.

Fonte: Agência Brasil

Corpo encontrado dez anos após tsunami no Japão é identificado

Crânio e esqueleto foram encontrados em uma praia; mais de 15 mil pessoas morreram em tragédia de março de 2011

Os restos mortais de uma mulher desaparecida no devastador tsunami de 2011 no Japão foram encontrados e identificados recentemente, anunciou a polícia nesta sexta-feira (5), poucos dias antes do 10º aniversário do desastre.

“Em 17 de fevereiro, os restos de um esqueleto, incluindo um crânio, foram encontrados” em uma praia no departamento de Miyagi (nordeste), disse um porta-voz da polícia local à AFP.

Análises dentais e de DNA realizadas esta semana pela polícia científica revelaram que se trata de Natsuko Okuyama, uma mulher de 61 anos que desapareceu na tragédia de 11 de março de 2011, revelou o porta-voz.

O balanço oficial da tripla catástrofe de 2011 no Japão (terremoto, tsunami e acidente nuclear de Fukushima) foi de 15.899 mortes em dezembro de 2020, de acordo com a polícia japonesa.

Mais de 2,5 mil pessoas ainda estão oficialmente desaparecidas dez anos depois, impedindo muitas famílias de enterrarem seus parentes, cujos corpos nunca foram encontrados.

“Estou muito feliz que minha mãe apareceu na véspera do 10º aniversário”, disse o filho de Okuyama, de acordo com a agência de notícias Kyodo. “Isso vai me permitir colocar minhas emoções em ordem e seguir em frente.”

Fonte: R7

Japão começa a vacinar população contra o novo coronavírus

Primeira dose será aplicada em 40 mil profissionais de saúde

A vacinação contra o novo coronavírus teve início hoje (17) no Japão. O plano é aplicar a primeira dose em aproximadamente 40 mil profissionais de saúde.

“Estamos iniciando a vacinação, que é tida como a arma mais potente no combate ao novo coronavírus. Esperamos que um grande número de pessoas seja vacinado depois de compreender precisamente os benefícios e os riscos”, disse o ministro da Reforma da Regulamentação, Kono Taro, nessa terça-feira.

Está prevista a imunização adicional de cerca de 3,7 milhões de profissionais da saúde após o grupo inicial.

Dentro de poucos dias, o governo vai definir a logística de distribuição das vacinas, com base em metas que governos provinciais e municipais comunicarão hoje.

O governo japonês também solicitou a prefeituras que elaborem planos para a imunização de aproximadamente 36 milhões de pessoas com mais de 65 anos. O país concluir a vacinação de idosos em um prazo de dois meses e três semanas a partir de abril.

O plano oficial é informar detalhes sobre a eficácia e os efeitos colaterais da vacina após a sua aplicação nas primeiras 20 mil pessoas.

Fonte: Agência Brasil

Governo japonês considera declarar estado de emergência em Tóquio

País registrou recorde de 4.520 casos de covid-19 em 31 de dezembro

O governo japonês afirmou na segunda-feira (4) que está considerando declarar estado de emergência em Tóquio e arredores, à medida que os casos do novo coronavírus aumentam, lançando novas dúvidas sobre se pode levar adiante a Olimpíada e manter os danos econômicos a um mínimo.

Citando fontes do governo, a Kyodo News noticiou que os preparativos estavam sendo feitos para um estado de emergência que entraria em vigor na sexta-feira (8) e duraria cerca de um mês.

Tóquio e as três prefeituras vizinhas, que solicitaram uma declaração de emergência, pediram aos moradores para evitar saídas não essenciais e não urgentes depois das 20h de sexta-feira até pelo menos o final do mês, e os restaurantes precisariam fechar neste período.

O ministro da Economia, Yasutoshi Nishimura, encarregado das medidas contra o novo coronavírus, disse que o governo tomaria uma decisão sobre o estado de emergência “o mais rápido possível”, após ouvir especialistas.

O Japão registrou um recorde de 4.520 novos casos em 31 de dezembro, cerca da metade em Tóquio e arredores, mas o primeiro-ministro, Yoshihide Suga, tem resistido às demandas por ações mais duras.

Fonte: Agência Brasil

Gripe aviária se espalha por diversas regiões no Japão

Surto atingiu 12 prefeituras do Japão

O Japão tem sofrido o pior surto de gripe aviária já registrado no país, que espalhou-se para novas fazendas neta semana, com o vírus tendo sido encontrado em um quarto das 47 áreas administrativas do país, conhecidas como prefeituras, o que levou autoridades a ordenar o abate de aves.

Cerca de 32 mil aves foram abatidas e enterradas na cidade de Sukumo, na prefeitura de Kochi, no Sudeste do Japão, após a descoberta da gripe aviária em uma fazenda de produção de ovos, disse o ministério da agricultura nesta quarta-feira (16).

Mais aves contaminadas foram encontradas em duas fazendas na prefeitura de Kagawa, onde a epidemia começou no mês passado. Desde então, quase 30 mil aves foram sacrificadas por lá, segundo o ministério.

O surto atingiu 12 prefeituras do Japão, e um recorde de 3 milhões de aves foram sacrificadas até o momento.

Embora o ministério afirme que pessoas não podem ser contaminadas pela “influenza” aviária ao comer ovos ou carne de aves infectadas, autoridades de saúde pelo mundo estão preocupadas com a possibilidade de o vírus dar um “salto” para a espécie humana, causando uma pandemia como o novo coronavírus.

O surto no Japão e na vizinha Coreia do Sul é uma de duas diferentes epidemias de influenza aviária que têm atingido aves pelo mundo, segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentos e Agricultura e autoridades japonesas.

Tanto a cepa do vírus em circulação na Ásia quanto a que tem se espalhado rapidamente pela Europa tiveram origem em pássaros selvagens, afirmaram.

Fonte: Agência Brasil

Primeiro-ministro do Japão anuncia que vai renunciar ao cargo

Shinzo Abe alegou que vai tratar de um problema de saúde

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, anunciou oficialmente que planeja renunciar ao cargo para tratar de um problema de saúde. Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (28), Abe explicou os motivos de sua decisão.

O premiê esteve em um hospital em duas oportunidades nas duas últimas semanas, desencadeando especulações de que seu estado de saúde havia piorado.

É a segunda vez que o premiê deixa o cargo por causa de um problema de saúde. Shinzo Abe renunciou em 2007 devido a uma doença inflamatória intestinal, após ter permanecido somente um ano no posto.

Ele reassumiu o cargo de primeiro-ministro em 2012, depois de obter vitória esmagadora em uma eleição para a Câmara Baixa do Parlamento.

Há sete anos no cargo, Abe é o líder com mais tempo de serviço na história do Japão.

Ele poderia permanecer mais um ano à frente do cargo. O mandato do premiê como presidente do Partido Liberal Democrático (PLD), o principal da coalizão governista, se encerraria em setembro do próximo ano.

Fonte: Agência Brasil