Fale conosco pelo WhatsApp(69) 99916-3250

Motoristas e cobradores tentam justificar suspensão dos serviços

O problema se arrasta e a Prefeitura, através da Secretaria de Transporte, Mobilidade e Trânsito (SEMTRAN),..

Porto Velho, RO – Paralisados desde as primeiras horas desta segunda-feira (29), motoristas e cobradores das empresas de ônibus que cruzaram os braços disseram que estão temerosos de só receberem metade dos salários caso haja mais uma renegociação com os patrões.

Segundo interlocutores da categoria, ‘a paralisação repentina foi mais um alerta às autoridades sobre a situação crítica que categoria vem passando até agora’. O problema se arrasta e a Prefeitura, através da Secretaria de Transporte, Mobilidade e Trânsito (SEMTRAN), ‘não apresenta nenhuma solução’, diz a cobradora da Linha 4 de Janeiro, uma das mais rentáveis.

A suspensão dos serviços, de acordo com parte das lideranças ouvidas pela reportagem, ‘não é segredo pra ninguém, nem para a Diretiva do Sindicato’, já que o atraso dos salários vem acontecendo já algum tempo -, isso é de domínio público, disse. Segundo eles, ‘motoristas e cobradores, em que pese ainda esteja valendo o último Acordo Coletivo (2019), os salários atrasados devem continuar sendo pagos ou não até a próxima empresa assumir o sistema de transporte a partir do mês de setembro deste ano.

– Certamente, não irá aceirar pendências trabalhistas e previdenciárias, advertiu um ex-componente opositor à atual Diretoria do SITETUPERON.

A suspensão dos serviços deixa muita gente sem poder ir ao trabalho em vários pontos da cidade. Trabalhadores ouvidos pela reportagem, afirmaram que, ‘já não aguentam mais pagar taxi-compartilhado’.

Do ponto de vista da categoria, a saída pela tangente de parte da Diretiva do Sindicato que alegou em nota à imprensa, ‘que não sabia de nada’, esse posicionamento foi contestado pela maioria que viu nesse gesto falta de senso, ‘nós, cobradores e motoristas, nunca teve certeza de que os salários seriam pagos’.

Pelo menos 25% dos trabalhadores se mostraram confiantes, com ou sem a intervenção do Sindicato da categoria, ‘as intervenções poderão vir a ocorrer sempre que a maioria decidir pressionar o Consórcio SIM ou às autoridades a fim de chamar atenção para a situação que os trabalhadores vêm sofrendo ao menos três e meio.

A respeito de uma possível imputação de penalidade a ser aplicada pelas horas ou dias que se estende na suspensão dos serviços, a maioria entende que a Diretiva do SITETUPERON não poderá se furtar em defender a categoria na Justiça e/ou outros meios legais. Outro ponto destacado, ‘é que ninguém trabalha de graça nem por pouco nem muito tempo’, arremataram.   

Por Xico Nery