Presidente do Inep vê possibilidade de abstenção alta no Enem digital

Alexandre Lopes participou da ‘Live Jr’, nesta sexta-feira (29), com Celso Freitas, Jean Brandão e Luiz Fara Monteiro

O presidente do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), Alexandre Lopes, disse nesta sexta-feira (29) que existe, sim, a possibilidade de o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) digital também registrar um índice alto de abstenção —o impresso bateu recorde de baixa participação, com mais de 55,3% de abstenção.

“É possível que se repita, sim. A gente espera, no entanto, até porque as pessoas optaram por fazer o Enem digital, a gente espera que mais pessoas compareçam ao local de prova neste domingo”, comentou Lopes, durante a Live JR, com os jornalistas Celso Freitas, Jean Brandão e Luiz Fara Monteiro.

Para esta edição do Enem, ao todo,  5,7 milhões de estudantes se inscreveram, mas apenas 2,8 milhões participaram do primeiro dia de prova, no domingo (17). O recorde apresentado até então havia sido em 2009, quando 37,7% dos inscritos não realizaram as provas. 

Questionado sobre os desafios de realizar o exame em meio à pandemia do novo coronavírus, o presidente do Inep fez um balanço positivo. De acordo com Alexandre Lopes, mesmo com todas as desigualdades, o Brasil conseguiu aplicar as provas em escala nacional e, assim, garantir a manutenção de programas públicos de acesso ao ensino superior. 

“Foi um nível de abstenção maior que nos anos anteriores. Mas, por outro lado, no meio da pandemia, em que outros países cancelaram seus exames de admissão, o Brasil conseguiu realizar um exame de admissão em escala nacional, mesmo com todas as desigualdades que nós temos. É importante frisar que o Enem dá acesso a outras políticas públicas muito importantes para o combate à desigualdade, como o Sisu, o ProUni e o Fies.” 

A primeira edição do Enem digital começa neste domingo (31). A prova será aplicada de forma piloto para um número reduzido de participantes, mas, no entanto, já poderá ser usado para concorrer a vagas no ensino superior —por meio de programas como o ProUni e o Sisu, por exemplo. Embora seja realizado por meio do computador, os candidatos deverão ir até os locais de prova e, assim como na versão impressa, levar caneta esferográfica de cor preta.

“É um computador para cada estudante. É um computador determinado. Quando o aluno chegar na sala, o fiscal vai orientar qual o computador que ele vai utilizar. Quando ele se sentar, vai estar ali a foto dele, nós pedimos a foto dele durante o período de inscrição, e o nome dele. Para ele ver se está diante da máquina certa em que ele vai fazer a prova”, explicou. 

Segundo o presidente do Inep, a versão digital busca reproduzir a mesma experiência da impressa. Além disso, as questões foram elaboradas para que as provas tenham exatamente o mesmo grau de dificuldade, graças ao método de correção TRI (teoria de resposta ao item).

Durante a aplicação, os candidatos não terão acesso a programas externos. “Ele só vai poder utilizar o sistema de aplicação da prova. Ele não vai poder utilizar outros recursos. Outra coisa importante, nós moldamos o sistema de modo que ele não vai precisar utilizar o teclado. O candidato só vai utilizar o mouse.”

A redação, no entanto, terá que ser manuscrita. “Ainda não é possível fazer a redação da forma digitada, justamente para garantir essa comparação com quem está fazendo a redação no Enem impresso. Esse ano, a redação é manuscrita, por isso, é importante que o participante leve a sua caneta de tinta preta e cor transparente.” 

Correção de gabarito após acusações de racismo

O gabarito oficial do Enem divulgado na quarta-feira (27) foi corrigido, logo no dia seguinte, após erros em duas respostas. Na primeira, a alternativa apontada como correta para uma pergunta de interpretação de texto, que dizia que a mulher negra que não queria alisar os cabelos era “demonstrava uma postura de imaturidade”. Já no segundo caso, a pergunta afirmava que o Google associava nomes de pessoas negras a fichas criminais por causa da “linguagem” e não pelo “preconceito.” 

Questionado quanto ao tema, o Alexandre Lopes explicou que a equipe pedagógica do Inep identificou um erro de conferência no gabarito após uma série de questionamentos. “Surgiu nas redes sociais, a equipe pedagógica foi olhar e viu que o gabarito que nós tínhamos informado inicialmente não era o correto para a questão e, então, a gente promoveu a alteração. Como também teve outras duas questões que precisaram ser anuladas. Neste caso, a questão não precisou ser anulada, porque a letra informada é que era errada a questão informada.”

Fonte: R7

Bolsonaro fará live seguida de pronunciamento de Natal na quinta

Neste ano, presidente realizou seis pronunciamentos em rede nacional, cinco deles sobre a pandemia do novo coronavírus

A véspera de Natal contará com mensagem oficial do presidente Jair Bolsonaro nesta quinta-feira (24). O chefe do Executivo fará um pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão, às 20h30, em que deve falar sobre o desempenho do País ante a pandemia da covid-19. Antes, também fará a sua transmissão ao vivo semanal pelas redes sociais.

Na fala oficial à nação, o presidente deve agradecer o trabalho dos profissionais de saúde no combate ao novo coronavírus e destacar as medidas tomadas pelo governo durante a crise sanitária. A situação da economia deve ser um dos pontos abordados.

Neste ano, Bolsonaro realizou seis pronunciamentos em rede nacional, cinco deles sobre a pandemia da covid-19. Em março, no início da crise sanitária no País, o presidente divulgou quatro pronunciamentos em que defendeu o combate à pandemia “sem pânico”, “sem histeria” e se referiu a doença como uma “gripezinha”. O chefe do Executivo fez ainda propaganda da hidroxicloroquina, medicamento sem eficácia comprovada contra o novo coronavírus.

Ele também fez apelos pelo retorno à normalidade com a justificativa de ser necessário tratar o vírus e o desemprego, simultaneamente. “O vírus chegou, está sendo enfrentado por nós e brevemente passará. Nossa vida tem que continuar. Os empregos devem ser mantidos. O sustento das famílias deve ser preservado. Devemos, sim, voltar à normalidade”, afirmou o presidente em pronunciamento no dia 24 de março.

Em falas recentes, Bolsonaro tem defendido que o País se encaminha para o fim da pandemia. Apesar disso, o Brasil acumula mais de 188 mil mortes pela covid-19 e vivencia atualmente uma nova alta de casos da doença.

Antes do pronunciamento de amanhã, Bolsonaro deve realizar a tradicional transmissão ao vivo de quinta-feira, prevista para 19h. O presidente passará o Natal com a família em Brasília e, para isso, retorna nesta quarta-feira no período da tarde de São Francisco do Sul, em Santa Catarina, onde está em recesso desde sábado, 19.

Fonte: R7

Enem terá prova digital piloto e servirá de acesso ao ensino superior

Pelo menos 100 mil candidatos farão a versão digital do exame

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 será o pontapé inicial para uma série de mudanças no exame que vão ocorrer a partir do ano que vem. Esta será a primeira vez que parte dos estudantes fará a prova na versão digital e que o resultado poderá ser usado para concorrer a vagas no ensino superior. Em transmissão ao vivo, nesta manhã, o Coordenador Geral de Exames para Certificação do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Eduardo Sousa, deu dicas para os estudantes que estão se preparando para as provas e falou sobre o futuro Enem.

A intenção do Inep, que é o responsável pelo Enem, é que o exame se torne totalmente digital até 2026. As discussões e os testes para que isso seja possível ocorrem desde 2016. Nesta edição, essa mudança começa a virar realidade, 100 mil candidatos farão o exame digital de forma piloto. Os demais inscritos farão a prova em papel, como nos anos anteriores. Ao todo, o Enem teve mais de 5,7 milhões de inscrições confirmadas, de acordo com o Inep.

“Os participantes podem ficar tranquilos. Toda a estrutura que estamos preparando para o Enem digital vai seguir a mesma qualidade da aplicação regular, que é a aplicação em papel”, diz Sousa. Por conta da pandemia do novo coronavírus, o Inep e o Ministério da Educação (MEC) tiveram que adequar o planejamento da aplicação do exame às normas de biossegurança estipuladas pelo Ministério da Saúde e organismos internacionais. O distanciamento de 1,5 metros entre os participantes e o uso obrigatório de máscaras serão garantidos em ambas aplicações.

De acordo com Sousa, assim como os demais itens do Enem, que passam por testes em escolas em todo o país para que seja verificada a dificuldade e mesmo se o item é capaz de medir o conhecimento dos estudantes, todos os itens do exame digital também foram testados.

Ele explica que o sistema de correção da prova, que utiliza a chamada Teoria de Resposta ao Item , vai ser capaz de identificar assimetrias entre as provas em papel e as provas feitas o computador. Dessa forma, nenhum estudante será beneficiado ou prejudicado por conta do formato do exame escolhido e as provas terão o mesmo nível de dificuldade.

Futuro do Enem

O ensino médio, no Brasil, está passando por mudanças. Desde a aprovação do chamado novo ensino médio, as escolas de todo o país estão se adequando a um formato que pretende aproximar os conhecimentos adquiridos em sala da vida dos estudantes e permitir que eles escolham áreas de estudo que têm mais afinidade. A formação terá uma parte do currículo comum e outra direcionada a um itinerário formativo, escolhida pelo próprio aluno, cuja ênfase poderá ser em linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas ou ensino técnico.

O Enem será reformulado para que possa melhor avaliar esse estudante. Sousa explica que a digitalização do exame permitirá que haja diferentes modelos de prova, tanto adequadas à formação do estudante, quanto ao objetivo dele, seja uma vaga em medicina, por exemplo, seja uma bolsa no Programa Universidade para Todos (ProUni). Mais direcionada, a prova poderá, inclusive ser menor. “Com o teste adaptativo a gente consegue chegar a uma precisão maior, com 20, 22 itens. É um teste muito mais preciso. O  teste adaptativo é o futuro da avaliação”, afirmou o coordenador.

A questão ainda está sendo estudado pelo Inep. Com a pandemia, a implementação do novo ensino médio poderá ser adiada. Segundo Sousa, a expectativa é que apenas em 2024 seja possível avaliar os conhecimentos adquiridos nos itinerários formativos.

Enem Seriado

Antes disso, no entanto, em 2021, começa um novo modelo de avaliação, o chamado Enem Seriado. Trata-se do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), que passa a ser anual e, para os estudantes do ensino médio poderá ser usado também como forma de ingresso no ensino superior. Em 2021, são os estudantes do 1º ano do ensino médio que farão o exame. Em 2022, os estudantes do 1º e 2º ano e assim, sucessivamente. Quando concluírem o ensino médio, os alunos poderão usar as notas do 1º, do 2º e do 3º ano para pleitear uma vaga na universidade.

Segundo o coordenador de exames do Inep, as universidades terão que aderir a esse novo sistema e deverão reservar parte das vagas para o Enem seriado. A intenção é que as provas avaliem língua portuguesa e matemática, no 1º e 2º ano e, no 3º ano, as demais áreas do conhecimento e, a partir de 2024, também os itinerários formativos no último ano do ensino médio. 

Em fevereiro, de acordo Sousa, o Inep deverá divulgar uma matriz de referência, ou seja um documento com as competências que serão cobradas dos estudantes, pelo menos no 1º ano. “O que esses itens irão pedir? Pensamento crítico. A gente precisa que os alunos tenham pensamento crítico a partir do que estão aprendendo em sala de aula”, antecipou.

Cuidados na pandemia

Por conta da pandemia, o exame de 2020 foi adiado. As provas na versão impressa estão marcadas para os dias 17 e 24 de janeiro de 2021. A versão digital será aplicada nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro. Será obrigatório o uso de máscara durante toda a aplicação. A recomendação é que os candidatos levem outra máscara, para trocá-la durante o exame, seguindo as orientações do Ministério da Saúde. Os participantes devem também manter distância uns dos outros.

Por ocorrer em meio a pandemia, o exame terá outra particularidade. Os participantes que forem diagnosticados com covid-19 ou com outra doença infectocontagiosa, como sarampo, rubéola, varíola e influenza humana A e B, terão outra chance de fazer o exame, na reaplicação da prova. O atestado médico poderá ser enviado ao Inep pela página do participante até um dia antes da aplicação. Caso a doença seja confirmada no dia do exame, o participante deverá entrar em contato pelo telefone 0800616161.

O coordenador do Inep participou da Evo Live, promovida pela Evolucional, startup de educação que oferece simulados e estudos de desempenho para escolas de todo o país. O vídeo, na íntegra, está disponível na internet.

Fonte: Agência Brasil

Agevisa promove live com tema abordando ações na prevenção e controle da Sífilis em RO

A quarta é a última transmissão sobre o assunto que acontece nesta quarta-feira (28), às 10 horas, por meio da página social da Agevisa.

Prevenção e controle das Infecções Sexualmente Transmíssiveis (ISTs), com foco na Sífilis,

As ações de vigilância, prevenção e controle das Infecções Sexualmente Transmíssiveis (ISTs), com foco na Sífilis, foram abordadas na terceira transmissão ao vivo, realizada por meio da página social da Agencia Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), reforçando a prevenção e transmissão vertical da Sífilis, que faz parte de uma série alusiva ao Outubro Lilás – mês de conscientização das medidas socioeducativas sobre a doença.

Mediado pela jornalista, Mineia Capistrano, o evento aconteceu com a participação das médicas Arlete da Gama Baldez, gerente da vigilância epidemiológica da Agevisa, e Soraia Cruz Beleza, diretora da vigilância epidemiológica do Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro.

Quatro palestras interativas sobre prevenção e transmissão vertical foram organizadas: a primeira foi sobre transmissão vertical da HIV/Aids e a segunda foi sobre transmissão vertical das Hepatites B e C. Todas as lives estão gravadas e disponíveis na fanpage da Agevisa.

PRÓXIMA LIVE QUARTA (28)

A quarta e última transmissão sobre o assunto acontece nesta quarta-feira (28), às 10 horas, por meio da página social da Agevisa. O tema será “Ações de Vigilância, Prevenção e Controle das IST com foco na Sífilis”. Os palestrantes convidados são os enfermeiros: Marcuce Antônio Miranda dos Santos, da Associação Beradeiro; Maria de Lurdes da Silva Oliveira, presidente do Comitê da Prevenção da Transmissão Vertical de Porto Velho; e Ivana Annely Cortez da Fonseca, apoiadora do projeto “Sífilis não!”

Todas as transmissões online têm a participação de especialistas e técnicos da Agevisa e Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), além de apoiadores como o Ministério da Saúde (MS), a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) de Porto Velho e instituições não-governamentais.

Outubro é o mês alusivo ao combate à Sífilis e Sífilis Congênita, instituído pela Lei 13.430/2017 (terceiro sábado), enfatizando a importância do diagnóstico e do tratamento adequados da doença, como IST, especialmente na gestante durante o pré-natal.

Na terceira transmissão online, a gerente de vigilância epidemiológica da Agevisa, médica Arlete Baldez, abordou o tema falando sobre os meios de transmissão, a notificação obrigatória, os tipos de Sífilis, os sintomas e como é feito o diagnóstico. Também foram abordados a qualificação do pré-natal da gestante e o nascimento da criança, além de destacar a diferença entre criança com Sífilis Congênita e criança exposta à Sífilis.

A diretora da vigilância epidemiológica no Hospital de Base, médica Soraia Cruz, falou sobre a importância do setor de epidemiologia em uma unidade de referência como o Hospital da capital rondoniense, destacando o funcionamento e o perfil clínico das pacientes admitidas com sífilis. Também abordou a estratégia do Hospital de Base para liberar a alta da criança nascida com Sífilis, mediante o tratamento dos pais.

SÍFILIS

A Sífilis é uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) que, se não tratada corretamente, causa prejuízos sérios à saúde. Pode ser transmitida da mãe para o bebê durante a gestação, provocando aborto, lesões de pele e malformações. O bebê ainda pode nascer sem vida. A Sífilis tem tratamento e um fácil diagnóstico, mas no caso da Congênita, o pré-natal é muito importante, pois quanto mais cedo forem realizados os exames na gestante, melhor resposta há para o tratamento.

Atualmente, apesar da eficácia do diagnóstico e tratamento para prevenir a Sífilis Congênita serem considerados baratos e viáveis, a transmissão de mãe para filho ainda é um problema de Saúde Pública.

Fonte: Agevisa

Gilmar, Maia e Guedes são atacados por reforma administrativa durante live

A live teve mais de 50 mil visualizações e chegou a receber 19 mil avaliações negativas, diante de apenas 603 positivas no YouTube.

Uma transmissão ao vivo promovida pelo centro de ensino de Direito IDP, na última semana, gerou uma onda de ataques de servidores ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ); ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes e ao ministro da Economia, Paulo Guedes. Ao lado da senadora Kátia Abreu (PP-TO) e do ministro do TCU, Bruno Dantas, eles debateram sobre a reforma administrativa apresentada pelo governo ao Congresso.

A live teve mais de 50 mil visualizações e chegou a receber 19 mil avaliações negativas, diante de apenas 603 positivas no YouTube.

“Interessante esse novo formato de ‘debate’ onde só se tem um único lado, ninguém se contrapõe a ninguém e há apenas elogios. Cômico mesmo”, disse uma das espectadoras. “Não foi debate porque só teve opiniões a favor. Deveria se chamar ‘tentativa de convencimento’”, disse outra.

A proposta, conforme foi mostrada para todo o País, faz uma mudança ampla na regulamentação do serviço público e permite o fim da estabilidade para a quase totalidade das categorias. A maioria das novas regras só valem para os servidores que forem contratados após a vigência da legislação. As Forças Armadas, congressistas, juízes, procuradores e promotores não estão incluídos no texto.

“Isso não é reforma! Mantém privilégios para militares, juízes, parlamentares, promotores. Será o fim do serviço público, estabilidade é essencial para manter a impessoalidade no serviço”, protestou um dos espectadores.

“​Isso é uma vergonha! Se fosse tão boa essa reforma por quê deixar vocês de fora? Um absurdo!” e  “não à precarização dos serviços públicos”, foram alguns dos comentários recebidos durante a transmissão. 

Na sexta-feira (11), o Novo apresentou cinco emendas ao texto original do Executivo. O partido quer a extensão da vedação de privilégios aos membros de todos os poderes, como juízes, desembargadores e parlamentares, pois acredita não ser “justo que as posições que concentram as maiores distorções fiquem de fora”.

Outra pessoa que acompanhou o debate afirmou que o Brasil “não está preparado para retirar a estabilidade dos seus servidores, nem mesmo os das carreiras administrativas” e que isso criará uma “ingerência política sem precedentes”.

Um dos comentários recebidos durante a live classificou a reforma como “extremamente absurda”. “Abre as portas para o apadrinhamento político e aparelhamento do Estado”.

Debate

Gilmar Mendes, primeiro a falar durante a live, disse que as discussões sobre a reforma vêm em boa hora, pois “estamos tendo um repensar do trabalho e do emprego com a utilização de tecnologias” e que isso precisa ser levado em conta nesta reforma que é “a primeira que se faz de maneira avançada no século 20”.

Já Rodrigo Maia defendeu que a reforma é o melhor caminho, pois o país alcançou uma carga tributária muito alta e os serviços públicos chegam aos cidadãos com “pouca qualidade”. Com a reforma, defendeu, será possível modernizar o estado brasileiro, o serviço público e sua qualidade.

Em sua fala, a senadora Kátia Abreu defendeu que a “aversão” da população à política se dá por conta dos “péssimos serviços públicos”. “Quando digo incapacidade do serviço público é a incapacidade de produtividade, insisto em dizer para não dirigirmos a nossa energia negativa aos servidores públicos, eles não são culpados, isso é um sistema, que tirou todas as ferramentas para que este servidor tivesse um serviço de qualidade”.

Uma das sugestões dos espectadores foi que a reforma possa prever avaliação periódica de desempenho. “Ao invés de destruir o nosso país com uma PEC que só vai favorecer a corrupção e o apadrinhamento”, argumentou.

Na semana passada, a senadora disse em entrevista que considera “uma aberração” o trecho da reforma  que prevê extinção de órgãos públicos sem o aval do Congresso.

O conteúdo da reforma administrativa do governo federal prevê mais possibilidades para o desligamento do servidor. Hoje isso só pode acontecer se o funcionário tiver sentença judicial confirmada em terceira instância e por infração disciplinar.

Guedes, que vem sofrendo pressão do governo e chegou a entrar em rota de colisão com Maia na semana passada, falou sobre a taxa de reposição dos servidores e funções obsoletas. “Além de termos uma taxa de reposição muito baixa, estimamos que no equilíbrio ela vai ser de 60, 70%, mas nestes primeiros anos estamos botando a reposição cá embaixo, em 20%, porque houve período de excesso  de contratação. Agora pisamos no freio e depois vai se estabilizar”.

O ministro também lembrou que os novos servidores estão adentrando a carreira pública com salários menores e defendeu valores maiores para cargos mais altos. “Acho um absurdo os salários da alta administração brasileira, eu acho que são muito baixos.  Muita gente preocupada com teto, minha preocupação é ao contrário, para preservar pessoas de qualidade no serviço público, o Bruno Dantas, por exemplo, em qualquer banco privado vai ganhar dois, três milhões de dólares por ano fácil. Então é difícil convencer o Bruno a ficar no TCU, vai ser muito difícil. O Brasil seguindo o caminho da prosperidade vai ser difícil reter gente de qualidade. A não ser que o setor público também entre na lógica da meritocracia”, disse.

Fonte: Congresso em Foco

MP realiza mais uma Live com Conselheira do CNE

Live será transmitida em canal de youtube, com tema voltado para atividades pedagógicas no contexto da covid.

O Ministério Púbico do Estado de Rondônia realiza na sexta-feira (7/08), às 15 horas, uma live com a professora Maria Helena Guimarães de Castro, do Conselho Nacional de Educação(CNE), no seu canal oficial do Youtube (youtube.com/user/mprobr) com o tema “Atividades Pedagógicas Presenciais ou Não Presenciais no Contexto da Covid-19”.
 A live será mediada pelo coordenador do Grupo de Atuação Especial da Infância, Juventude e Educação (GAEINF), Promotor de Justiça Marcos Giovane Ártico. 
 O tema principal da live será o Parecer 11/2020 do Conselho Nacional de Educação, aprovado no dia 7 de julho, com orientações educacionais para a realização de aulas e atividades pedagógicas presenciais e não presenciais no contexto da COVID 19. 
 O Parecer, respeitando a autonomia das escolas e dos sistemas de ensino, tem por objetivos apoiar a tomada de decisões para o retorno às aulas presenciais, oferecer diretrizes que orientem o planejamento dos calendários e dos protocolos específicos das Instituições de Ensino, definidos pelas autoridades locais e regionais, bem como, oferecer sugestões e recomendações de cunho organizacional e pedagógico que podem ser desenvolvidos pelas escolas e sistemas de ensino.
 O tema ganha relevância no momento em que se discute a possibilidade de retorno às aulas presenciais, nas escolas públicas e privadas no Estado de Rondônia, ainda sem data definida. 


Fonte: Departamento de Comunicação MP-RO

A ‘Live’ de Barroso com Felipe Neto: “A verdade está no álcool”

Luís Roberto Barroso é membro daquilo que já se classificou como a pior Corte de Justiça da História do Brasil

Este pessoal do Canal Hipócritas faz a diferença. É uma turma culta, bem informada e corretamente informadora. Coloco um vídeo deles sobre Felipe Neto. Vale a pena assisti-lo:

Já tentei assistir a um vídeo deste tal de Felipe Neto, de que o Canal Hipócrita fala. Confesso que não consegui passar dos 05 minutos: é lixo puro, mediocridade galáctica, ignorância cosmológica.

Se mediocridade fedesse, o programa desse cara exalaria uma morrinha pestilenta, a ponto de levar o apreciador de ‘Fleur de Rochas’ ao vômito.

Diante disso, saber que um ministro do STF vai fazer uma ‘Live’ com Felipe Neto é assombroso. Seria como Roberto Campos, cabeça luminar, fazer uma Live com Dilma Rousseff que, desconfio, nem cérebro tem. Ou que Barack Obama, uma das mais brilhantes e honradas personalidades aparecidas no mundo político, iria fazer uma Live com Lula, um analfabeto funcional e o político mais corrupto da História das democracias ocidentais.

Não estou afirmando que o companheiro de Felipe Neto na Live futura, ministro Luís Roberto Barroso, seja uma fulgurante cabeça jurídica; nada disso afirmo. Ele é membro daquilo que já se classificou como a pior Corte de Justiça da História do Brasil e certamente, disparadamente, a pior Corte Suprema de todas as consolidadas democracias ocidentais.

Mas, concedamos, para sermos justos: Luís Roberto Barroso é, no STF, o ‘primus inter pares’. Para quem não é muito chegado ao Latim, vai aqui a tradução: “o primeiro entre os iguais”.

Afinal, Barroso já teve o discernimento de que Gilmar Mendes:

“… é uma pessoa horrível. Uma mistura do mal com atraso e pitadas de psicopatia.”

E foi adiante:

“A vida para V. Exa.[Gilmar] é ofender as pessoas. Não tem nenhuma ideia. Nenhuma. Só ofende as pessoas. Qual é sua ideia? Qual é sua proposta? Nenhuma! É bílis, ódio, mau sentimento, mal secreto, uma coisa horrível. V. Exa. [Gilmar Mendes] nos envergonha, V. Exa. é uma desonra para o tribunal.”

Convenhamos, quem tem (teve) o discernimento e precisão mostrados nessas afirmações transcritas acima, merece um destaque positivo naquela Corte Tabajara de Justiça.

Voltemos a Felipe Neto. Ele, convenhamos, é um bom ator. Parece, como ensina o Novo Testamento, um sepulcro caiado. Em Mateus 23:27 lê-se: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda a imundícia.”

Felipe Neto Rodrigues Vieira é um Youtuber altamente bem sucedido, com um apelo considerável às crianças e adolescentes. Gosta de se apresentar como filantropo e engana, como o fariseu da Bíblia, cerca de 30 milhões de inscritos, a maioria, como já disse, crianças e adolescentes. Seu discurso é engajado, fingindo combater o gasto supérfluo das elites endinheiradas e fazendo-se parecer consternado por esta mesma elite torrar montanhas de dinheiro em gastos desnecessários em vez de distribuir sua riqueza com os necessitados. Nas entrelinhas, Felipe combate a direita, os liberais e o governo Bolsonaro e induz ao afeto às esquerdas de que o país tanto apanhou nas últimas décadas.

Agora surge na internet um vídeo, supostamente de 2016, em que o supostamente filantropo, orientador e líder de 30 milhões de jovens e adolescentes, faz exatamente o contrário do que sempre pregou e prega.

O vídeo flagra Felipe Neto jactando-se de estar pagando 20 mil dólares por um camarote em uma boate de Las Vegas, Estados Unidos.

O suposto filantropo, suposto aconselhador de crianças e adolescentes, ícone das esquerdas brasileiras, que condena os endinheirados por adquirirem um carro em vez de distribuir a riqueza aos pobres, grita, com uma arrogância incontida, mostrando todo o seu caráter de sepulcro caiado que é, e fazendo uso das palavras mais porcas encontráveis na sarjeta moral:

“Eu quero que o mundo se foda. Eu estou em um camarote de U$ 20 mil. Estou bêbado e foda-se. Valeu, chupa meu c*”.

Veja o vídeo:

Claro, a esquerdalha toda se assanha a defender o sepulcro caiado, dizendo que ele estava bêbado. Certamente não estava bêbado quando, certamente com antecedência, comprou o camarote de 20 mil dólares.

Pode-se ainda invocar o ditado latino “in vino veritas” – ‘a verdade está no vinho’ – ou seja, a verdade está no álcool. O que este lobo vestido com pele de ovelha mostra, ao embebedar-se e pagar 20 mil dólares por um camarote é, além da sua indigência intelectual, o seu verdadeiro caráter moral e a infinita hipocrisia de seu personagem no Youtube.

Este Felipe Neto é a perfeita encarnação do fariseu do Novo Testamento: por fora veste a pele de um bom rapaz, caráter superior, filantropo; por dentro é como um sepulcro caiado, “cheio de toda imundícia”.

Agora, vir Roberto Barroso – mesmo sendo ministro deste STF – fazer Live com Felipe Neto é uma decepção irremediável.

Por José J. de Espíndola*

José J. de Espíndola

*José J. de Espíndola é Engenheiro Mecânico pela UFRGS. Mestre em Ciências em Engenharia pela PUC-Rio. Doutor (Ph.D.) pelo Institute of Sound and Vibration Research (ISVR) da Universidade de Southampton, Inglaterra. Doutor Honoris Causa da UFPR. Membro Emérito do Comitê de Dinâmica da ABCM. Detentor do Prêmio Engenharia Mecânica Brasileira da ABCM. Detentor da Medalha de Reconhecimento da UFSC por Ação Pioneira na Construção da Pós-graduação. Detentor da Medalha João David Ferreira Lima, concedida pela Câmara Municipal de Florianópolis. Criador da área de Vibrações e Acústica do Programa de Pós-Graduação em engenharia Mecânica. Idealizador e criador do LVA, Laboratório de Vibrações e Acústica da UFSC. Professor Titular da UFSC, Departamento de Engenharia Mecânica, aposentado.

Governo Promove live hoje sobre o tema ‘Economia Solidária’ em RO

Transmissão ao vivo será gratuita à classe empresarial de Rondônia

Economia Solidária é uma das principais alternativas de gerar renda neste momento de crise, utilizando a inclusão social com a autogestão e democracia. Para falar sobre o tema, o Governo de Rondônia, através da Superintendência Estadual de Desenvolvimento Econômico e Infraestrutura (Sedi), realiza live nesta sexta-feira (24), a partir das 18h30, com transmissão do bate-papo pelo facebook da Superintendência.

A transmissão ao vivo e gratuita, reúne como participantes o superintendente da Sedi, Sérgio Gonçalves, que é especialista em finanças, gestão executiva e gestão de varejo, com ampla vivência como executivo de empresa nacional e multinacional. Salatiel Rodrigues, Paulo Haddad, Alexis Bastos, Rafael Vargas e Glenda Hara, todos com amplo conhecimento em empreendedorismo.
O superintendente, Sérgio Gonçalves, frisa a importância de falar sobre essa nova economia. “A Economia Solidária apresenta várias vantagens para o desenvolvimento econômico do Estado, principalmente nesse momento de crise financeira, valorizando o comércio local e a geração de emprego”, afirmou.

O superintendente, Sérgio Gonçalves, frisa a importância de falar sobre essa nova economia. “A Economia Solidaria apresenta várias vantagens para o desenvolvimento econômico do Estado, principalmente nesse momento de crise financeira, valorizando o comercio local e a geração de emprego”, afirmou.

A Superintendência vem realizando uma série de lives nas redes sociais da Sedi, Programa de Orientação, Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) e o Sistema Nacional de Empregos (Sine), com temas necessários para desenvolver formas de superar os desafios causados pela pandemia. As lives acontecem nas sextas-feiras, às 18h30.

Fonte: Sedi

Seti promove Live sobre os impactos da pandemia na economia nesta sexta (17) em RO

Live tem o tema sobre: Inovação na prática: O caminho para a retomada. Transmissão será pelo Facebook

Seis especialistas na área de inovação e Startup vão ministrar

Para uma maior compreensão de empresários de Rondônia sobre o sistema de inovação e a capacidade de se reinventar durante o período de retomada da economia pós pandemia, a Superintendência Estadual Desenvolvimento Econômico e Infraestrutura (Sedi), vem auxiliando a classe com a realização de uma série de eventos online.
Na próxima sexta-feira (17), às 18h30, acontece a live: Inovação na prática: O caminho para a retomada.

Sérgio Gonçalves, superintendente da Sedi, destacou que é necessário a adaptação à nova realidade, sobretudo durante e após a pandemia. “Mais do que nunca é o momento de reinventar. A tecnologia e a inovação estão ajudando a minimizar os impactos econômicos na rotina dos cidadãos”, afirmou.

A transmissão ao vivo será gratuita e acontecerá por meio da plataforma do Facebook da Sedi, e terá como participante o superintende da Sedi, especialista em finanças, gestão executiva e gestão de varejo, ampla vivência como executivo de empresa nacional e multinacional. Marcelo Matos, Dra. Francilene Garcia, Procurador do Estado, Cássio Bruno, Andrews Botelho e o moderador da live, Thalles Gomes. Todos com amplo conhecimento na área de inovação e startup.

Fonte: Sedi

Agevisa promove live com o tema “Hanseníase” em Rondônia

A agência fará quatro transmissões sobre o assunto, que permitirão a divulgação e interação entre os profissionais e a população rondoniense.

A Agência Estadual de Vigilância em Saúde de Rondônia (Agevisa) realiza nesta quarta-feira (15), às 17 horas (horário local), a primeira transmissão ao vivo pela rede social Facebook sobre o tema: O que a população precisa saber sobre a hanseníase? Desmistificando a doença.

A iniciativa faz parte das ações iniciadas este mês, no dia 7 de Julho, Dia Estadual de Mobilização para o Controle da Hanseníase.

Participam da primeira transmissão, a psicóloga Luana Massoti Farias – Psicóloga especialista do Programa de Hanseníase, Referência Estadual no Hospital Santa Marcelina e Albanete Mendonça, Coordenadora Estadual de Hanseníase, Agência de Vigilância em Saúde de Rondônia.

A agência fará quatro transmissões sobre o assunto, que permitirão a divulgação e interação entre os profissionais e a população rondoniense. Os interessados podem compartilhar o vídeo ao vivo e publicar na linha do tempo, também pode assinar a Live e programar para ser notificado sobre as outras através do endereço eletrônico https://www.facebook.com/agevisa.ro.

Como parte das ações na campanha, desenvolvida no decorrer de todo o mês de julho,  a Agevisa encaminhou às secretarias municipais de Saúde, ofício incentivando a realização de ações que chamem a atenção ao tema Hanseníase. “O objetivo é alertar a população sobre sinais e sintomas da doença, estimular a procura pelos serviços de saúde e mobilizar profissionais de saúde na busca ativa de casos, favorecendo assim, o diagnóstico precoce, o tratamento oportuno e a prevenção das incapacidades”, afirma Albanete Mendonça, coordenadora estadual de Hanseníase.

A data comemorativa foi instituída conforme Lei Estadual nº 3113 de 25 de junho de 2013, em referência ao nascimento da Enfermeira Wally Hirschmann (in memóriam), profissional que teve sua dedicação e militância para o controle da hanseníase no estado de Rondônia.

Com o intuito de divulgar sobre os sinais, sintomas, diagnóstico e tratamento da hanseníase, a Agevisa mantém parceria com a Ong Holandesa – NHR Brasil, que este ano contemplou o município de Porto Velho com três outdoors em alusão ao mês de mobilização para o controle da Hanseníase.

Fonte: Agevisa

%d blogueiros gostam disto: