Manifestações marcadas (veja o vídeo)

Povo nas ruas pelo voto auditável!

Em tempos de pouca liberdade cresce a luta por seu restabelecimento. Parece que por muito pouco não caiu no esquecimento aquele tempo em que você podia pensar o que quisesse, comprar o que pudesse e viver pelos critérios que você mesmo estabelece.

Uma centelha parece que reacende no pensamento de muita gente, não só em Cuba como na França e parece devolver nossa esperança de que tempos diferentes podem estar ressurgindo.

No Brasil a coisa parece insana, cheio de uma imensa estupidez cotidiana, parece que o sistema adicto, sofrendo abstinência pra sobreviver sem sua eterna dependência, a corrupção sistêmica e a propina da indecência, onde o povo é quem mais sofre essa violência, sendo roubado, traído e enganado, por décadas a fio, e quando cessa o nefasto encanamento o sistema entra em sofrimento e faz submergir toda decadência humana.

A verdade parece desmotivada, perdida, desconhecida e constantemente impingida a um calabouço eterno, condenada a prisão perpétua, fruto de um casuísmo maquiavélico, um maniqueísmo diabólico, com um único objetivo ainda pior, enterrar a verdade definitivamente.

Não bastasse esse maniqueísmo, resiste ainda quem defenda o comunismo, ainda que a liberdade aí não exista, tanto quanto não resista no socialismo, ainda há quem se manifeste em favor dessas ditaduras, como a de Cuba, Coréia e Venezuela, desejando a morte do nosso presidente, que recentemente esteve doente e houve gente que twitou, publicou, produziu texto e alega ter feito novena, com uma alma tão pequena que diz que orou pelo pior, mas, insistir nisso nem vale a pena.

O triste é perceber que na realidade. No Brasil não vale mais ter honestidade, idoneidade, solidariedade, nem viver pela verdade, porque o que parece prevalecer é quem sempre busca perceber a nossa fragilidade e tirar alguma vantagem, seja em dinheiro ou somente por vencer um debate sem a mínima razão de ser.

Vivemos na República Prominocrática do Brasil, um escândalo, um escárnio, roubam seu voto pra que possam ter legitimidade pra te roubar com a efetividade de legislar. Criam leis brandas para bandidos, amenizam pensa e veredictos, como eu disse são todos os adictos de uma república triste e decadente, com um futuro virtuoso que nos vem sendo tirado sistematicamente.

Confira:

Foto de Cláudio Luis Caivano

Por Cláudio Luis Caivano*

*Cláudio é Advogado.

Manifestantes de Cujubim protestam e fecham parcialmente a BR-364 em RO

O grupo estaria protestando contra ações da Secretaria Estadual de Meio Ambiente feitas na região.

Uma manifestação fechou parcialmente a BR-364, desde às 5h desta terça-feira (22), na altura do trevo de Cujubim (RO), a cerca de 50 quilômetros de Ariquemes (RO).

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), que está no local, o movimento é do sindicato dos produtores rurais de Cujubim e há cerca de 50 pessoas na rodovia. O grupo estaria protestando contra ações da Secretaria Estadual de Meio Ambiente feitas na região de Cujubim.

A PRF diz que inicialmente houve a interdição total da rodovia, de modo pacífico, e o trânsito chegou a ser interrompido.

“Agora, veículos de emergência, cargas perecíveis e transporte de passageiros têm passagem liberada. Outros tipos de veículo permanecem no bloqueio, sendo liberados, aproximadamente, de hora em hora”, diz a PRF.

Fonte: G1/RO

Manifestantes protestam contra Bolsonaro e fazem pedido por mais vacinas em RO

Os protestos foram organizados por movimentos sociais, sindicatos e centros estudantis da esquerda.

Ao menos quatro cidades de Rondônia registram manifestações, neste sábado (19), contra o presidente Jair Bolsonaro e pedindo por mais vacina contra a Covid-19. Os protestos foram organizados por movimentos sociais, sindicatos e centros estudantis.

Na capital Porto Velho, a concentração começou por volta de 8h (local) na Praça das 3 Caixas D’Água, e a passeata pela região central começou às 9h15 e encerrou por volta de 11h30.

A manifestação fez um percurso pelas avenidas Carlos Gomes, Farquar, 7 de setembro e pela rua Marechal Deodoro.

Os manifestantes usavam máscaras e carregaram bandeiras e faixas durante o movimento que protestava contra a reforma administrativa no funcionalismo público, contra o corte de verbas para a universidade federal, as privatizações de serviços públicos, contra o desemprego e também a favor da vacinação para todos.

De acordo com os manifestantes, o protesto é também em favor da vida, pedindo vacinação contra a Covid-19 e políticas de erradicação da fome e da pobreza. Alunos e professores da Universidade Federal de Rondônia (Ifro) e Instituto Federal de Rondônia (Ifro) também participaram do ato.

Ariquemes

Em Ariquemes, às 9h30, manifestantes fizeram carreta pela avenida Tancredo Neves — Foto: Rede Amazônica
Em Ariquemes, às 9h30, manifestantes fizeram carreta pela avenida Tancredo Neves — Foto: Rede Amazônica

Em Ariquemes, manifestantes fizeram uma carreata nas avenidas com buzinaço e faixas. Os carros tinham adesivos escritos fora Bolsonaro, e os manifestantes também pediram por vacina, e não a reforma administrativa, além do aumento do auxílio emergencial.

A concentração foi em frente o Espaço Alternativo, por volta de 9h, e carreata começou pela avenida Tancredo Neves, por volta de 9h30.

Cacoal

Em Cacoal (RO), às 9h24, manifestantes foram às ruas neste sábado, 19, em ato contra Bolsonaro e pedido por vacina — Foto: Lilian Oliveira/Rede Amazônica
Em Cacoal (RO), às 9h24, manifestantes foram às ruas neste sábado, 19, em ato contra Bolsonaro e pedido por vacina — Foto: Lilian Oliveira/Rede Amazônica

A concentração começou por volta de 9h na frente da prefeitura de Cacoal e, às 9h30, os manifestantes fizeram uma passeata e gritaram ‘Fora Bolsonaro’, vacina para todos, comida no prato, e fim do genocídio negro.

O manifesto foi encerrado na frente da igreja matriz de Cacoal, por volta de 10h40 (local).

Protesto em Cacoal (RO) encerrou na frente da igreja matriz neste sábado (19), às 10h40 — Foto: Lilian Oliveira/Rede Amazônica
Protesto em Cacoal (RO) encerrou na frente da igreja matriz neste sábado (19), às 10h40

Ji-Paraná

Indígenas fazem protesto na frente de praça de Ji-Paraná (RO), às 9h04, neste sábado, 19 — Foto: Gedeon Miranda/Rede Amazônica
Indígenas fazem protesto na frente de praça de Ji-Paraná (RO), às 9h04, neste sábado, 19

Indígenas se concentraram, por volta de 9h30, na frente da Praça do Papai Noel. Eles carregavam faixas pedindo o arquivamento do Projeto de Lei (PL) 490, que pretende dar fim a demarcação de terras indígenas.

Às 10h, o grupo fez uma passeata pela avenida Marechal Rondon e utilizou carro de som para protestar contra o projeto que consideram anti-indígena.

Durante o manifesto, o grupo também pediu a saída do presidente Jair Bolsonaro, do governador de Rondônia, Marcos Rocha, e do prefeito de Ji-Paraná, Isaú Fonseca.

Grupo de indígenas faz protesto em Ji-Paraná, região central de RO, neste sábado (19), às 10h21 — Foto: Gedeon Miranda/Rede Amazônica
Grupo de indígenas faz protesto em Ji-Paraná, região central de RO, neste sábado (19), às 10h21

Fonte: Rede Amazônica

Grupo de manifestantes fecham BR-364 entre Rondônia e Acre

Moradores de Vista do Abunã pedem a saída dos fiscais da região, que atuam no combate de crimes ambientais.

A BR-364 foi fechada por manifestantes, no fim da manhã desta quarta-feira (9), no perímetro do distrito de Vista Alegre do Abunã, em Porto Velho, perto da divisa entre Rondônia e Acre.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) confirmou o fechamento da rodovia, mas diz desconhecer o que o grupo está reivindicando. Viaturas foram enviadas ao local para tentar conversar com os organizadores e assim liberar o tráfego de veículos.

Moradores fecham BR-364 no distrito de Vista Alegre do Abunã
A Polícia Militar (PM) também acompanha a manifestação pacífica na BR-364.

De acordo com um dos manifestantes do grupo, o fechamento da rodovia é organizado por moradores de Vista do Abunã e seria contra ações de fiscalização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) na região.

Os manifestantes pedem a saída dos fiscais da região, que atuam no combate de crimes ambientais.

A Polícia Militar (PM) também acompanha a manifestação pacífica na BR-364, que já registra mais de um quilômetro de congestionamento.

Fonte: G1/RO

Rosa Weber pede à PGR manifestação sobre acusação de genocídio contra Bolsonaro

O procedimento foi apresentado em 26 de maio pelo advogado Jefferson de Jesus Rocha

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), pediu à Procuradoria-Geral da República (PGR) que se manifeste sobre notícia-crime protocolada na corte que acusa o presidente Jair Bolsonaro de cometer quatro crimes: genocídio, charlatanismo, fraude processual e expor a vida ou a saúde de outrem a perigo direto e iminente.

Apesar de ser praxe o envio à PGR, a ministra poderia ter determinado, de forma monocrática, o arquivamento da petição. O procedimento foi apresentado em 26 de maio pelo advogado Jefferson de Jesus Rocha. Porém, a petição se baseia em uma série de argumentos religiosos e apocalípticos (leia a íntegra).

“Mais uma vez, com todo respeito as crenças religiosas de cada um, a Bíblia, um livro de fé de muitos segmentos religiosos relata em uma visão do Apóstolo João, a vinda de um monstro que surge do mar e que tem uma ferida mortal, se analisarmos bem o que estamos vivendo coloca a vida da humanidade em risco”, diz trecho do documento.

O advogado conta que chegou a acionar o vice-presidente da CPI da Covid, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), para que fosse convocado a depor na comissão.

Por Ana Krüger

Exército decide não punir Pazuello por ato com Bolsonaro no Rio

Decisão está em nota à imprensa que diz que argumentos apresentados pelo ex-ministro da Saúde foram aceitos

O comando do Exército anunciou nesta quinta-feira (3) que o general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, não sofrerá punição por ter participado de um ato com o presidente Jair Bolsonaro no Rio de Janeiro em 23 de maio.

Em nota, a justificativa é que “o Comandante do Exército analisou e acolheu os argumentos apresentados por escrito e sustentados oralmente pelo referido oficial-general. Desta forma, não restou caracterizada a prática de transgressão disciplinar por parte do general Pazuello. Em consequência, arquivou-se o procedimento administrativo que havia sido instaurado”, diz a nota.

A participação de Pazuello no ato causou um mal-estar dentro das Forças Armadas uma vez que manifestações políticas são vedadas a integrantes da ativa. Houve um grande debate interno sobre uma eventual punição ao general e a defesa de que ele precisa ir para a reserva, caso queira seguir uma carreira política. 

Leia abaixo a íntegra da nota:

NOTA À IMPRENSA

Acerca da participação do General de Divisão EDUARDO PAZUELLO em evento realizado na Cidade do Rio de Janeiro, no dia 23 de maio de 2021, o Centro de Comunicação Social do Exército informa que o Comandante do Exército analisou e acolheu os argumentos apresentados por escrito e sustentados oralmente pelo referido oficial-general.

Desta forma, não restou caracterizada a prática de transgressão disciplinar por parte do General PAZUELLO.

Em consequência, arquivou-se o procedimento administrativo que havia sido instaurado.PUBLICIDADE

Brasília-DF, 3 de junho de 2021

CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO EXÉRCITO

Fonte: R7

Grupo com cartazes e faixas vermelhas protestam contra governo Bolsonaro em RO

Manifestantes se reuniu na praça Estrada de Ferro Madeira Mamoré, no centro da capital rondoniense

Manifestantes fazem ato contra o governo Bolsonaro em Porto Velho
Manifestação em Porto Velho

Uma manifestação de pessoas fizeram um ato contra o governo do presidente Jair Bolsonaro, na manhã deste sábado (29), em Porto Velho.

O primeiro ato começou por volta das 9h, na Praça Estrada de Ferro Madeira Mamoré, no centro de Porto Velho. Em carreata, cerca de 200 carros percorreram as principais avenidas da capital rondoniense e seguiram pelas zonas sul e leste.

O segundo ato também começou por volta das 9h e concentrou cerca de 500 pessoas, que seguiram a pé, com apoio de carros de som, nas avenidas: Sete de Setembro, Marechal Deodoro e Carlos Gomes.

Os manifestantes protestam pedindo vacina contra a Covid-19 e políticas públicas contra o desemprego, defenderam o auxílio emergencial e se posicionaram contra a política econômica do governo Bolsonaro.

Fonte; Rede Amazônica

Manifestação convocada por partidos de esquerda não tem adesão popular (veja o vídeo)

Os ‘gatos pingados’ seguiram caminhando pela Avenida Presidente Vargas, com bandeiras da UNE e de sindicatos…

Os extremistas anunciaram aos quatro ventos que fariam uma grande manifestação no dia 29 de maio… mas, parece que esqueceram de combinar com o povo.

Um pequeno grupo se concentrou na Praça da Cinelândia, no Centro do Rio, revelando um protesto esvaziado e sem adesão da população.

Imagem em destaque

Os ‘gatos pingados’ seguiram caminhando pela Avenida Presidente Vargas, com bandeiras da UNE e de sindicatos…

O que se viu foram aqueles militantes de sempre, dos próprios partidos, sem comparação com as mega manifestações espontâneas que ocorreram nos dias 1º, 15 de maio e no evento que reuniu mais de 40 mil motociclistas, tendo o presidente Bolsonaro à frente.

Para aqueles que acreditam em pesquisas da Folha, nada como um choque de realidade e o desprezo do povo.

Confira:

Fonte: JCO

Exército abrirá processo sobre presença de Pazuello em trio com Bolsonaro

Ex-ministro participou de ato político de Bolsonaro no domingo (23).

O Exército Brasileiro vai abrir um processo disciplinar para investigar a participação do general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde de Jair Bolsonaro, em um ato político do presidente. O general, que ainda está na ativa da corporação, participou de um passeio motociclístico com Bolsonaro neste domingo (23). Em um dos momentos, ele subiu a um trio elétrico onde o presidente discursou para apoiadores. As informações são do jornal ‘O Globo’.

Pazuello deve ser investigado por infrigir Regimento Disciplinar do Exército, de 2002. No item 57 do Anexo I – que regulamenta as transgressões – está vedado ao militar  da ativa “manifestar-se, publicamente”, “sem que esteja autorizado, a respeito de assuntos de natureza político-partidária”.

Os registros do ato pró-Bolsonaro foram feitos pela secretária de comunicação do Palácio. Pazuello permaneceu ao lado do presidente Bolsonaro durante todo o percurso, sempre sem usar máscara de proteção facial. Este ato promoveu mais uma aglomeração em meio à pandemia e contrastam com as falas dadas pelo próprio ex-ministros à CPI da Covid três dias antes, onde disse ser a favor do uso de máscaras. 

Mais cedo, em entrevista à imprensa, o vice-presidente – e general da reserva – Hamilton Mourão afirmou que Pazuello sabia que a ida ao ato na capital fluminense teria sido um erro.

O processo, quando concluído, poderá culminar com a ida de Pazuello, um general de três estrelas, para a reserva da corporação.

Fonte: Congresso em Foco

Bolsonaro participa de manifestação de agricultores e religiosos

Presidente defendeu voto impresso em discurso a apoiadores

O presidente Jair Bolsonaro participou de manifestação promovida por agricultores e religiosos hoje (15) à tarde na Esplanada dos Ministérios, na capital federal. Em discurso em cima de um carro de som, ele defendeu a aprovação do voto impresso nas eleições de 2022, cuja proposta de emenda à Constituição (PEC) teve a comissão especial instalada na última quinta-feira (13) na Câmara dos Deputados.

O presidente também voltou a defender o afrouxamento das medidas de restrição social impostas por governadores e prefeitos para enfrentar a pandemia de covid-19. Bolsonaro sobrevoou a Esplanada dos Ministérios de helicóptero, voltou ao Palácio do Planalto e foi para o meio dos apoiadores montado a cavalo.

Ele estava acompanhado dos ministros do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e da Agricultura, Tereza Cristina, entre outros, além de seguranças.

Antes de subir no trio elétrico, Bolsonaro cumprimentou apoiadores. Mais cedo, o presidente tinha almoçado no Centro de Tradições Gaúchas de Brasília, com representantes do agronegócio que organizaram o protesto.

Fonte: Aline Leal A/B