Operação da PF prende suspeito de hackear informações de dados do Brasil

A identidade do preso ainda não foi revelada.

PF prende hacker suspeito do maior vazamento de dados do Brasil

O homem suspeito de ser o responsável pelo maior vazamento de dados do Brasil foi preso nesta sexta-feira (19), em Uberlândia, em Minas Gerais, durante a Operação Deepwater, da Polícia Federal (PF). A ação investiga a obtenção, divulgação e comercialização de dados de brasileiros, inclusive de diversas autoridades.

As investigações apuraram que, em janeiro último, por meio da internet, inúmeros dados sigilosos de pessoas físicas e jurídicas – tais como Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) e Cadastro de Pessoas Jurídicas (CNPJ), nome completo e endereço – foram ilicitamente disponibilizados.

As informações poderiam ser adquiridas por meio do pagamento em criptomoedas. O megavazamento de dados foi revelado pelo Dfndr Lab, laboratório especializado em segurança digital da startup PSafe.

Foram colocados à venda, em fóruns na internet, mais de 223 milhões de CPFs, além de informações detalhadas como nomes, endereços, renda, imposto de renda, fotos, beneficiários do Bolsa Família e scores de crédito.

“Após diversas diligências, a Polícia Federal identificou o suspeito pela prática dos delitos de obtenção, divulgação e comercialização dos dados, bem como um segundo hacker, que estaria vendendo os dados por meio suas redes sociais”, disse a Polícia Federal, em nota. A identidade do preso ainda não foi revelada.

No total, os policiais cumpriram cinco mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão preventiva nos municípios de Petrolina (PE). As ordens judiciais foram expedidas pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Fonte: Departamento de Comunicação Integrada PF

MP denuncia Aécio por propina em obras da Cidade Administrativa

Ex-governador de MG pode responder, na Justiça, por crimes cometidos na licitação e obra da sede do governo; outras 15 pessoas foram denunciadas

O Ministério Público de Minas Gerais denunciou nesta sexta-feira (18), o deputado federal e ex-governador Aécio Neves (PSDB) por crimes cometidos durante a construção da Cidade Administrativa.

De acordo com o MP, além de Aécio, ourtas 15 pessoas foram denunciadas pelos crimes de peculato, corrupção e lavagem de dinheiro, relacionados com a licitação e as obras da sede do governo de Minas Gerais, inaugurada em 2010.

Casal é apreendido com carga de droga avaliada em R$ 3 milhões em Ji-Paraná

De acordo com as informações, Carregamento teria destino final Minas Gerais.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) na tarde de ontem, segunda-feira (19), apreendeu um carregamento de droga durante uma fiscalização realizada na BR-364, no município de Ji-Paraná. O entorpecente estava escondido em um carro ocupado por um casal.

Os policiais estavam realizando fiscalizações quando avistaram o veículo Fiat Pálio e abordaram o carro.

PRF apreende droga avaliada em R$ 3 milhões na BR-364

No interior do automóvel foram encontrados, alocados em compartimentos ocultos, 28 tabletes de drogas, sendo 22.720 gramas de pasta base e 6.280 gramas de cloridrato de cocaína, pesando no total, 29 quilos.

Segundo a PRF, a droga tinha como destino final Minas Gerais. O entorpecente poderia render mais de R$ 3 milhões aos traficantes.

A ocorrência foi encaminhada à Delegacia de Polícia Federal em Ji-Paraná.

Fonte: Assessoria

Polícia ouve testemunhas sobre queda de menino de prédio em BH

Porteiro, médico que tentou socorrer garoto e duas pessoas que passavam pelo local prestaram depoimento; mais testemunhas serão ouvidas 

Polícia ouve testemunhas sobre queda de menino de prédio em BH ...
Caso aconteceu na última quarta-feira (19)

 A Polícia Civil de Minas Gerais ouviu quatro pessoas sobre o caso do menino Matheus Afonso Salomão, de 9 anos, que morreu após cair do 4º andar do prédio onde morava, no bairro Santa Lúcia, em Belo Horizonte. 

O caso aconteceu na manhã da última quarta-feira (19) e as investigações estão em andamento. Até o momento, quatro pessoas prestaram depoimento: o porteiro do prédio, o médico que tentou socorrer a criança e outras duas pessoas que passavam próximo ao local na hora da queda. 

De acordo com a Polícia Civil, novos depoimentos estão previstos para a próxima semana. Laudos periciais e da medicina legal estão em andamento e a investigação deve ser concluída até o mês que vem. 

Ainda segundo a Polícia Civil, a principal linha de investigação até o momento aponta para um acidente. O garoto teria cortado a rede de proteção da janela e se desequilibrado. No momento do acidente, ele estava em casa com a empregada doméstica.

À Polícia Militar, ela afirmou que estava em outro cômodo e que o menino disse que queria ficar sozinho. Mais cedo, ele teria discutido com os pais sobre o excesso de uso do computador.  

Fonte: R7

%d blogueiros gostam disto: